História Ultima Noite - O Acampamento - Capítulo 16


Escrita por: ~

Exibições 109
Palavras 1.077
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura

Capítulo 16 - Dia 10 - Medo


Fanfic / Fanfiction Ultima Noite - O Acampamento - Capítulo 16 - Dia 10 - Medo

Dia 10 - Medo

Demi acordou, o céu acinzentado, olhou no espelho, seus olhos avermelhados. Foi quando viu o celular, pouca bateria, viu que tinha credito e ligou para o resgate. Este disse que demoraria, muito por sinal, era um lugar perigoso e eles precisavam de uma equipe preparada. E ainda disseram “roubaram essa manhã toda a gasolina dos carros”.  Ela sentiu um calafrio, esse era o decimo dia.... o Ultimo.

Demi desceu do carro aproximando se do córrego, ela olhou para baixo e apenas viu dois corpos semi soterrados pelo barro vermelho. Ela chorou. As duas morreram ali, juntas, Lauren e Camila. Voltou para o carro, tentou o ligar o, mas em vão, tentou outras vezes e falhou, saiu do carro e abriu o capo, e o motor estava faltando! Ela chutou a roda com fúria e voltou a caminhar.

 Troye abriu os olhos, estava tudo escuro, sentia algo molhado em sua perna, dormira no chão, em quanto Taylor em cima da privada.

Pegou o celular, acendeu a tela, “12% de bateria”. Usou o para iluminar, iluminou sua perna, e viu que sobre ela, estava a perna de Taylor, o pano estava vermelho. Ela ainda sangrava, e havia molhado ele.

- Taylor... – chamou. Sem resposta.- Taylor! – Chamou de novo. Silencio, levantou, empurrou a porta de madeira, a luz entrou e iluminou um quase -cadáver. Aproximou se de Taylor, a pele branca azulada, boca, nariz arroxeados. Tocou a pele gélida, pôs a mão próxima ao seu nariz, sentido o ar fraco sair do corpo da jovem amiga. Abaixou se e tirou com cuidado o curativo improvisado. Viu agora as grandes perfurações, fundas e vermelhas, o sangue vazava mais rápido agora. Tirou uma blusa da mochila e prendeu no tornozelo fazendo pressão, amarrou como pode, pegou a no colo. E saiu, estava muito longe do portão, fora para o outro lado do acampamento. Caminhou pela lama, seus pés afundando, caminhava pela direção que achava certa, mas não tinha certeza. Cansou depois de certo tempo. Taylor falava coisas desneixas, mas ainda estava viva. Parou a deitou a no chão, sentando ao lado dela. O Sol subia, e o calor voltava, ainda estava longe...

Flashback

Calvin, Shawn e Troye caminhavam pelo rio. Estava com uma correnteza forte. Andavam como podiam. Shawn escorregou em uma pedra. Troye o segurou, foi ai que percebeu que Shawn escorregara e prender ao pé num buraco, da qual não havia visto anteriormente. Então houve uma movimentação na agua. Os cachorros haviam voltado, eles estavam nas margens, e nas partes mais rasas. Fora tudo muito rápido. Eles avançavam aos poucos, um pulou na mala de Calvin. “Corre! ” Mandou Calvin, Troye não podia soltar Shawn, os cachorros vinham. Shawn puxou troye para mais perto. “Eu gosto muito de você, Troye” Ele disse. Foi tão rápido Shawn o puxou e o beijou, mas logo o soltou o empurrando. Os cachorros chegando na margem, partiram para cima de Shawn. Troye apenas correu pelo meio das arvores, sem rumo, sabia que os seguia. Chovia intensamente. Correu. Era tudo o que ele fazia. Talvez tinha até passado o carro e do portão. Então ouviu ela. “Socorro ” ouviu Selena chamar. Correu para a direção dela, a voz ficava cada vez mais alto, até ser ouvido o grito. Correu rápido, saiu do meio das florestas, estava já em um local desconhecido. Estava escuro, chovia muito. Então percebeu que antes ouvira Justin chamar, tudo ficou quieto e então viu o corpo, aproximou se de Taylor. Viu que ela estava machucada. Pegou uma blusa molhada dentro da mala, rasgou a e enfaixou o tornozelo dela, a pegou no colo carregando sem rumo. Até encontrar uma cabine. ”

- Calvin... – Disse Taylor voz fraca e rouca. - Quero que saiba.... Saiba que eu te amo...

Troye se aproximou. – Calvin? – Chamou ela olhando para longe, um lugar não fixo.

- Eu estou aqui. – Pegou a mão dela. – Eu estou aqui Taylor, por favor não morra.

- Calvin... Eu estou com medo. – As lagrimas escorriam. – Fique comigo... – Troye deitou ao lado dela. Sentia lagrimas queimando sem eu olhos, também sentia medo. O medo do que viria a acontecer...

- Taylor? – Chamou com a voz um pouco chorosa. Sem resposta. – Taylor! – Chamou mais alto.  Tocou a, gelada, não respirava. Chamou por ela novamente, chacoalhou a em vão. Desesperado, começou uma massagem cárdica. – Taylor! – Gritou.- Acorde! – O tempo passou, as forças acabaram ele desabou em lagrimas. Sua amiga morta.

Demi andava, então viu Calvin. – Calvin! – Chamou ele se virou, Demi correu sem sua direção e ele a abraçou.

- Está bem? – Ele perguntou. – Onde estão as meninas...?

- Estou bem... E elas... – Ela voltou a chorar, morreram…Juntas....

Calvin voltou a abraçá-la. – Vamos caminhando.

Calvin e Demi chegaram ao portão, fechado novamente. Ouviram um barulho. Então da mata saiu Troye segurando Taylor nos braços. Correram em sua direção. Calvin ajoelhou se com Taylor já nos braços.

- Taylor... – Disse Calvin acariciando seu rosto. Sua amada Morta – Vamos logo embora... –Levantou se. Caminharam até o acampamento. O carro funcionava normalmente, mas a gasolina havia sumido. O tanque estava vazio.

- Alguém tirou agora! – Disse Demi. – Tem um rastro na terra, cheira a gasolina! Os três seguiram a marca oleosa na terra. Chegaram a uma arvore.

O tronco esguio, de casca grosa. Enrugado, os galhos grandes, com poucas folhas verdes. No galho mais alto. Um homem, e uma mulher, ambos com os olhos fechados, A boca costurada com um fio metálico. Os braços amarrados com arames, os pés também. O corpo apenas com calças, em quanto o tórax nu, aberto ao meio, com as duas partes puxadas e presas com estacas para os lados, como cortinas, deixando à mostra, a costela, os órgãos. Presos ainda nos pés, eles tinham uma grande placa que unidas estava pintado de tinta vermelha:

Hoje será a Última Noite”

Demi gritou, desmaiando em seguida nos braços de Calvin. Os rapazes olharam aterrorizados, Justin e Selena ali naquela situação.

Voltaram para o carro.

- Deixamos ela aqui e vamos até o portão, abrimos o e voltamos pegamos ela e saímos. – Disse Calvin para Troye que assentiu.

- Deixar ninguém sozinho seria seguro. Vamos todos para lá! – Disse Troye.

Calvin pegou Demi nos braços, caminharam, mas antes de chegar perto avistaram os cães perto do portão. Eles comiam carne. A carne era em abundancia e havia muitos deles.

Voltaram rapidamente para o carro.

- E agora? – Perguntou Troye a Calvin.

- Sobreviveremos a Última Noite... – Ele respondeu.

Continua...          

 

 

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...