História Ultima Noite - O Acampamento - Capítulo 17


Escrita por: ~

Exibições 111
Palavras 2.461
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Fluffy, Mistério, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura!

Capítulo 17 - Ultima Noite - O Fim


Fanfic / Fanfiction Ultima Noite - O Acampamento - Capítulo 17 - Ultima Noite - O Fim

ULTIMA NOITE

Estava entardecendo. Continuaram no carro. Estavam ansiosos para a noite, com muito medo.

Demi havia acordado, estavam com fome, sono. Haviam deixado tudo nos alojamentos. Nenhum se arriscaria a sair e ver se os cães haviam partido.

O sol ia se pondo aos poucos.

- O resgate vai demorar? – Perguntou Troye do banco de trás.

- Sim... – Respondeu Demi, ela havia já enformado sobre sua ligação.

- Sabe, podíamos gravar em quanto isso... – disse Troye. – Quem sabe assim mostrando tudo ao vivo o resgate chegue mais rápido...

- Vamos Troye – Disse Demi saindo do carro. Calvin veio logo atrás.

- Estamos agora ao vivo! Com um celular com apenas 45% de bateria, e uma câmera que só tem memória para mais duas horas. E com bateria na metade! – Começou Troye gravando a si mesmo. – Ficamos ausentes por dois dias, estávamos literalmente perdidos.... Acabaram acontecendo coisas.... Eu juro que não é nada planejado. Mas o que iremos mostrar agora, são imagens fortes. - Ele começou a gravar. Voltaram para onde Justin e Selena havia sido encontrado. Mostrou a grama manchada de vermelho. – Se preparem... – sua voz falha. Ele mostra então a cena dos dois. 

Passaram sorrateiramente por ali, onde outrora estava o corpo desfalecido de Taylor, agora em pedaços e sendo digerido por cães selvagens. Chegaram rapidamente a ponte. Pareciam já familiarizados com o caminho. Calvin assustou se ao ver como Lauren e Camila haviam sido encontradas por Demi. Voltaram para o carro.

- Estamos esperando o resgate, assim que algo acontecer ligamos a câmera. Ela ficara em modo suspensão. Iremos economizar bateria... e memória. – Disse Troye a desligando.

A noite continuou a cair                                  ...

Um baque fez com que os três acordassem. Abriram os olhos assustados. Viram então o que cairá sobre o carro. Demi começou a gritar e chorar assim que viu o corpo... o Corpo de Selena caído sobre o capo do carro. Em seguida vieram os cães comendo a.

Troye pôs a mão na boca da jovem na tentativa de abafar o choro descontrolado dela.

- Me solta! - Gritou ela. – Eu quero sair daqui! Cadê o resgate! 

- Acalme se! – Gritou Calvin nervoso segurando o volante com força, seu dedos estavam vermelhos e com as juntas brancas.

- Calmar se o caralho! Vamos todos morrer por causa de você!!! – Berrou ela. – Ligue a câmera! Filme nos!

- Minha culpa!? – Gritou Calvin. – Você quis vir aqui! Tivesse ficado em casa pensando no Valderrama!

- Não fale dele!!! – Berrou novamente. Troye ligou a câmera. – Você não pode falar nada ficou ai indo em garota em garota para tentar superar a Taylor!

- Meu bem pelo menos eu não fiquei fazendo ciúmes para a melhor amiga! Afinal olha ela ali, bem na nossa frente, aproveita e diz para ela o que você e o Justin estavam fazendo! – Demi estava ultrajada.

- Seu! Não fale da Selena, culpa sua ela ter morrido, culpa sua, todos morrer! Você e sua ideia ridícula!

- Calem a bocas vocês dois! – Gritou Troye Encostando se na porta para gravar melhor. – Ficar discutindo não vai manter ninguém vivo!

Silencio, os bichos comiam a carne sem se importar com o que ocorria do lado de dentro do veículo.

Troye sentiu a porta se abrir em suas costas, quase caindo, então viu uma mulher com uma faca. Gritou se afastando da porta! Em seguida Demi também gritou. Calvin virou se para ver.

- Bem-Vindos a Última Noite! – Disse a mulher sorrindo. Ele levou a mão a cima da cabeça voltando com a faca com toda força, tentando acertar Troye. Calvin abriu a outra porta rapidamente, caindo para fora, levantando se o mais rápido que podia correndo no escuro sem rumo. Troye veio logo atrás fugindo da mulher, ele ainda gravava.

A mulher adentrou o carro com a faca na mão. Viu Demi tremula e em choque do lado do banco do volante e tentou acerte –la, ela desviou com maestria, pegou a maleta que guardava a câmara no banco ao seu lado acertando a mulher. Aproveitando a distração dá mesma, abriu a porta e saiu correndo.

- Calvin – Chamou Troye correndo atrás dela. Calvin tropeçou e caiu ajoelhado no chão, estava para entrar em pânico.  Troye tinha lagrimas nos olhos, virou a câmera para si. – Onde está o resgate!?

 Demi correu para o meio do mato, sendo seguido pela mulher. Correu entre as arvores esguias, pisando em galhos e folhas, uma garoa fina voltava a atrapalhar. Tropeçou em um galho caindo descendo um pequeno morro abaixo. Caiu em um lamaçal, com dificuldade levantou tentando correr, sentindo seus pés grudarem no chão, com dificuldade tentava sair dali. Conseguiu se livrar da lama.

- Demetria! – Chamou a voz feminina. – Seu nome é Demetria?

- Não! Eu sou a Sunny Moroe – Disse irônica correndo o mais rápido que conseguia naquela circunstância.

-Oh! Mas os jovens nunca perdem a chance de bancar os irônicos na hora da morte! – Disse a voz novamente. Demi corria olhando para todas as direções, tentando achar de onde a voz vinha.

- Demetria! – Gritou. Demi parou em frente a ela. Sua respiração descompassada. – Olá Demetria! – Disse ela sorrindo colocando a faca no pescoço dele. – Demi já ouviu falar na lenda do Acampamento da Última Noite?

- Sim – disse com a voz tremula.

- Sabe que irá morrer, não é? – Sem resposta. – Odeio quando sabem que vão morrer, jogam todos esses hormônios para a sobrevivência. – Bufou. - Quer saber, vá embora. Eu não vou matar você. – Tirou a faca do pescoço dela. Ela suspirou aliviada. Fechou os olhos suspirando pesadamente.

Demi então ouviu um estalo, abriu os olhos, e então sentiu algo lhe perfurar, sentiu o corpo levar um impacto, curvar para frente, sentiu fogo dentro de si, queimando sua pele por dentro, cortando e destruindo tudo num fino túnel de carne. O sangue vir-lhe a garganta sendo cuspido. Um tiro.  Pôs a mão no abdômen, a roupa ficando úmida, vermelha escarlate. Sentiu a dor, dominar lhe, novamente sentiu a pele queimar e ser rasgado por dentro.... Então novamente, novamente... novamente. O sangue escorria pelo nariz, pela boca e pelos furos, o corpo recebia impactos fortes o fazendo mover se com o mesmo. Demi parou de sentiu, viu as balas em chamas ficarem brancas a imagem da mulher transformar se em nada. Os olhos fecharam.

 

Calvin não reagia, Troye se encolhia tentando manter a clama.

- Temos que andar! – Falou Calvin.

- Não…Me deixe morrer aqui... – Falou Troye tremulo.

- Troye eu não deixarei mais nenhum amigo morrer! – Disse Calvin se levantando. – Eu vou te levar a um lugar seguro ok, e então vamos sair!

Calvin o levantou, e voltou a correr puxando a garoto, chegou até uma  cabine, e pôs a garoto lá.

- Escute, vou te deixar aqui, não saia, vou procurar Demi, e assim que encontra la eu volto! E então nós saímos. – Disse Calvin. – Fique com a lanterna. Se ouvir algo apague –a. – Ele assentiu em concordância. – Vou levar a câmera. – Disse por fim.

Calvin fechou a la dentro, virou a câmera para si. – Pelo amor de Deus onde está a o resgate!

Caminhou de volta a direção por onde viera, parando na frente do portão onde os cães outrora estiveram, então viu a silhueta de uma mulher.

- Demi? – Chamou gravando a cena a sua frente, se aproximou podendo ver um pouco mais era Demi, ele achava. Então o corpo caiu de qualquer jeito no chão revelando uma outra mulher. Calvin assustou se ao ver la. Ligou a luz da câmera, e a viu melhor.

- Riley Oxford? – Perguntou ele meio receoso.

- Em pessoa. – Ela respondeu tirando de trás das costas uma faca, lançou a em direção a ele, que rapidamente jogou a câmera e desviou da faca. A câmera parou perto, sem ter muito estrago, ela ainda gravava. Do outro lado, o número do resgate estava congestionado.

Então ela se aproximou rápido colocando a mão envolta do pescoço dele, apertando forte, e pressionando as unhas na pele. Calvin engasgou se e pôs suas mãos no pulso dela, tentando afasta –la. Ela continuou a apertar fortemente, e então o derrubou. Ele caiu no chão de costa quase sufocando, o oxigênio faltava em seus pulmões. Com a mão livre ela passou uma algema nos pulsos do rapaz que ainda seguravam seu pulso.  Puxou os braços dele o colocando acima da cabeça, e então fazendo o dobrar os cotovelos, colocando as mãos presas em baixo do pescoço. Riley tirou da cinta que usava um fio de arame farpado, soltou o pescoço de Calvin, o deixando respirar, no momento em que ele abriu a boca para puxar o ar, ela pôs o arame, como uma mordaça, o arame cortava sua boca, ele parou instantaneamente ao sentiu o fio metálico tocar sua boca, raspou a língua pelo mesmo. Ela passou as pontas do arame nos braços dele, forçando até que os mesmos furassem sua pele, ela apertou forte nos braços, fazendo o gritar de dor, remexeu os braços na tentativa vã de se soltar, mas ao faze – lo, fez com que o arame que passava por sua boca o ferisse, sentiu o gosto metálico do próprio sangue na boca. Riley sorriu. Calvin deixava as lagrimas caírem.

Fechou os olhos tentando se acalmar, os braços doíam por causa da posição, mas se ele se movesse, cortaria sua boca. Ouviu sua blusa ser rasgadas, e então algo afiada e gélido passar pelo seu abdômen, gemeu de dor, sentiu o objeto afundar mais em sua pele, remexeu se por impulso, o arame cortou as laterais de sua boca, deixando o sangue viscoso escorrer para dentro da boca. Sentiu um puxão de cabelo, Riley o fizera se inclinar para poder ver o que ela fizera.

- Bonito corte, Não? – Sorriu sádica. O corte sem eu abdômen deixava sangue escorrer, muito, por sinal, a pele cortada até os músculos, ou muito mais. Ela jogou a cabeça dele, bateu a cabeça com tudo no chão, os braços moveram se pelo impacto, sua boca foi cortada novamente, mais fundo nas laterais.  Então sentiu algo adentar seu corpo. Sentiu a pressão em seus órgãos. Choramingou. Sentiu a dor agoniante em seu rim.

- Oh! Você é forte! A maioria morrer assim que eu aperto rim! – Ela soltou o órgão passando a mão pelos outros. O gosto do sangue em sua boca já era facilmente desconsiderado naquele momento, a chuva piorava, e sentia as gostas molhando seu interior.

Então sentiu uma dor mais forte, por impulso novamente moveu os braços, gritou de dor, e sua boca fora cortada mais profundamente. Chorou em desespero, queria pedir para ela parrasse, mas não conseguia. Ela então apertou novamente seu coração. Calvin gemeu novamente. Riley sorriu novamente com a careta do rapaz. Continuou a dar apertadas leves. Ele gemia e choramingava de dor. Então de repente o som da voz dele sumiu, os olhos ficaram vidrados, a cabeça despencou para o lado, os braços amoleceram, caindo, o arame afundou na pele, rasgando até o fim da mandíbula a boca de Calvin. Ela retirou a mão vermelha de dentro do rapaz. Então ela viu a câmera. Abaixou se ao nível dela, podendo então perceber que toda a cena havia sido gravada. Levantou se e saiu.

 

 

Troye já estava esperando a um bom tempo, as pilhas da lanterna haviam acabado. A chuva diminuíra. Então ouviu o som baixo de sirenes. Abriu a porta da cabine saindo correndo em direção ao portão. Ainda longe do portão viu a câmera com a luz acesa caída, para fora das grades viu as luzes vermelhas e azuis, e o som alto de sirenes.

Aproximou se da câmera, gritou. Calvin estava morto, numa aparência terrível, pegou a câmera.

- Eu sou Troye Sivan! – Disse para a câmera, olhou para o celular que estava junto vendo que ainda estava ao vivo. – Calvin Harris está morto... – Disse com os olhos novamente encharcados. – O resgate chegou. Irei com eles, e então pedirei para procurarem Demetria Lovato– Ele começou a gravar o seu caminho, andando cautelosamente para o portão, parando novamente ao ver o corpo de Demi no chão. Respirou fundo passando por ela. Saindo portão viu o carro do resgate, as luzes iluminado o local, e o som da sirene sendo trilha. Foi então que percebeu. Corpos, caídos no chão, mirou a câmera, e pode ver ser o seu resgate todo ali, caído na estrada de terra, mortos.

Então de um dos carros pulou um homem, a silhueta aproximando se.

- Quem é você!? – Perguntou o homem.

- Troye! Troye Sivan!

- Ótimo... A silhueta se aproximou. – Por favor não grave me, abaixe isto. – Ele baixou a câmera, fazendo que não pudessem ver o rosto do seu resgate. Ele se aproximou - Como pode ver eu fui o único a sobreviver a um massacre. - Tocou-lhe a testa. – Sem febre...

- Obrigado... – Começou a agradecer.

- Há, um problema... – Disse o homem a interrompendo. – Ponha a câmera no chão. – Ele o fez, agora só podia se ver os pés de ambos.

- Qual é o problema? – Disse Troye aflito.

- Ninguém pode sair vivo na Última Noite.- Sentiu a pele ser resgada, seu interior cortado por algo afiado e gélido, o sangue, chegando a garganta. Um grito. Então sentiu girar dentro de si, raspando em suas paredes, rasgando seu interior. Um grito mais intenso. Então o seu resgate tirou a faca, se afastou e Sivan caiu.

 Charlie e Meghan, assim como os outros, Zendaya, Connor, Miley,  assistiam juntos ao vivo os acontecimentos, a pouco viram Calvin morrer, agora o resgate finalmente chegara para Troye.

Os corpos no chão, e então o resgate.

- Não está com febre... –Viam apenas a roupa amarela do homem.

- Obrigado. – A voz do amigo.

- Há um problema.... Ponha a câmera no chão. – Então agora só viam os pés. De repente o grito, então outro mais intenso, então o homem se afasta. Desliga luzes e som, o carro sai, e então o corpo de Troye cai próximo a câmera.

 

Troye caiu vendo o “resgate” sumir. Sentiu o sangue esvair de seu corpo, sentiu frio. Então ouviu os passos. Abriu os olhos vendo Shawn.

- Troye! Eu vim te buscar! – Disse Shawn se aproximando. Tudo a sua volta sumiu, agora só via ele, e mais a longe os seus outros sete amigos... Demi, Calvin, Taylor, Justin, Selena, Lauren e Camila. – Eu te ajudo. – Estendeu a mão, Troye pegou a mão do amado. Então sorriu. Shawn sorriu também. Então veio o beijo, e belas lembranças de seus amigos... – Desculpa a demora, meu amor. – Então tudo se dissipou se tornando branco... 

Do outro lado, apenas podia ver o liquido escarlate escorrendo por de baixo de Troye, chegando até a borda da lente da câmera, manchando a tela de vermelho. Então a câmera desligou...

Fim


Notas Finais


Agradecimentos: Obrigado a todos que favoritaram, comentaram e acompanharam a fanfic!
Essa fanfic chegou ao fim, mas há outras caso queira dar uma olhada:
1 -Mansão - Terror, suspense e Mistério: https://spiritfanfics.com/historia/a-mansao-5786518
.
2- The Ship Wonsp - Sequencia de A Mansão: https://spiritfanfics.com/historia/the-ship-wonsp-5860435
.
3- Versão original De Ultima Noite: https://spiritfanfics.com/historia/ultima-noite--interativa-6288814


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...