História Último adeus Mitw. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Personagens Originais
Tags Mitw
Exibições 41
Palavras 1.205
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nesta Fanfic me baseei no filme é livro A Culpa é das Estrelas!

Capítulo 1 - Último adeus!


Fanfic / Fanfiction Último adeus Mitw. - Capítulo 1 - Último adeus!

Pov:Mike

Hoje era o último dia do mês de setembro, era um dia feliz para alguns e triste para outros, provavelmente era um dia feliz porque hoje era sexta-feira! Mas aquele dia para mim estava sendo um dos piores de minha vida. Estava a pensar em várias coisas aleatórias quando escuto minha mãe gritando da sala.

-Filho você já está pronto? Não queremos nos atrasar!-Mãe do Mike

-Sim eu já estou pronto, eu já vou descer mãe!-Mike

 Antes de descer as escadas, fui me olhar no espelho para ver se estava tudo certo, após isso desci as escadas e encontrei minha mãe me esperando.

-Filho você está bem?-Mãe do Mike

-Sim, na medida do possível.-Mike

-Iremos nos atrasar se vocês não andarem logo!- Diz meu pai já no carro

-Já iremos querido! Bom vamos filho?-Mãe do Mike

-Vamos sim.-Mike

Saímos de casa e logo entramos no carro, minha mãe informou onde seria o enterro e logo depois disso não houve mais conversas, ou seja fomos o caminho todo em silêncio até que meu liga o rádio, mas eu apenas fica olhando a janela e pensando como seria minha vida.

-Chegamos!-Pai do Mike

Meu pai abriu a sua porta e depois desceu do carro, logo depois eu é minha mãe saímos do carro também, andando um pouco em silêncio até vermos os pais de Tarik.

-Olá!-A mãe de Tarik fala chorando

-Olá,  meus pêsames!-Minha mãe fala indo abraçar a mãe de Tarik

-Mikhael, o Tarik falou muito de você nesses últimos dias!-Mãe do Tarik

 Eu apenas tentei esconder as lágrima nessa hora, e fiz um sorriso forçado. Alguns minutos depois eu pude ver que Maria Di Natale, fui em direção a mesma.

-Maria?-Mike

-Oi Mike, meus pêsames. Maria falou indo me abraçar

-Mas como você ficou sabendo que hoje era o enterro do Tarik?-Mike

-Cellbit havia me falado!-Maria

-Eu vou dar uma volta por aí!-Mike

-Certo até depois então.-Maria

-Até-Mike

Deixei a mesma conversando com a mãe de Tarik, é fui para um lugar cheio de flores azuis onde já se encontravam vários parentes de Tarik, fui em direção a enorme fila de cadeiras brancas e me sentei ao lado de minha mãe. Eu realmente não gostaria de fazer uma visitinha nem tão cedo para este lugar, mas a vida não cooperou desta vez. O padre já havia começado a falar é quase todos já estavam chorando, eu sou um daqueles 5% que está tentando conter as lágrimas. Se passou algumas hora até que a mãe do Tarik me chama para fazer um discurso. Me levantei e fiquei a frente de todos, confesso que fiquei um pouco tímido, peguei um papel que havia em meu bolso eu nem sei por que eu havia escrito um discurso em um papel, fiquei um bom tempo olhando para o papel, até que resolvo colocar o papel novamente no meu bolso.

-Cada pessoa que passa em nossa vida é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós. Fico feliz em saber que você fez parte da minha história. 
Quando eu olhar para trás, vou saber que você fez parte de um momento especial do meu passado. Quando eu lembro de nós, só vêm lembranças boas na minha cabeça, o que torna te esquecer ainda mais difícil. Mas não importa o quanto eu tento, eu nunca vou conseguir te esquecer. 
Meu primeiro namorado, primeiro amor de verdade, eu não posso te abraçar, nem posso ver você de perto e nem posso passar uma tarde perto de ti, mas saiba que cada sorriso que eu dou por aqui é pensando em você aí. E quando o dia de poder te ver de perto chegar então meu sorriso vai estar completo junto do seu.- Falo completamente chorando e ainda meio tímido.


Algumas pessoas me olham com um pouco de desprezo, mas eu não estava ligando para essas pessoas, eu simplesmente estava muito triste para pensar nisso agora, depois de mais uma hora o corpo de Tarik já estava sendo enterrado, só de pensar que era o meu pequeno que estaria a me deixar para sempre já me batia aquele desespero e angústia,  iria ser difícil superar tudo aquilo mas seria necessário, aquela tarde seria  inesquecível, não só para mim é sim para todos! Depois do enterro terminar, eu fui a procura da tal árvore que eu havia visto quando eu cheguei, não demorou muito para que eu a encontrasse, eu fui até a grande árvore e me sentei em um lugar cheio de folhas, eu fiquei completamente pensativo que nem vi que Maria estava ao meu lado.

-Ei Mike!-Maria

-Ah Oi Maria!-Mike

-Você estava pensativo, você ainda está pensando nele não é mesmo?-Maria

-Confesso que sim!-Mike

-Eu tenho certeza de que isso vai passar, você está sentindo falta dos momentos ao lado dele, eu sei que e difícil, mas conte comigo se precisar de ajuda!-Maria

-Obrigado Maria, você me fez sentir um pouco melhor!-Mike

-Eu queria te entregar uma carta!-Maria

-Uma carta? De quem seria está carta?-Mike

-O Tarik havia me dado está carta, ele já sabia que por algum dia ele iria te deixar...-A mesma me disse entregando-me a carta.

-Por que ele não me contou isso antes?-Mike

-Ele não queria que você ficasse preocupado, eu já vou indo! Se cuida-Maria

-Tchau Maria!-Mike

-Filho, finalmente te encontrei!-Mãe do Mike

-Oi mãe-Mike

-Filho, já vamos para casa-Mãe do Mike

-Mãe, eu quero ir sozinho para casa, eu quero pensar um pouco-Mike

-Você tem certeza meu filho?-Mãe do Mike

-Sim-Mike

-Então ok mas não demora-Mãe do Mike

Depois disso meus pais foram embora, e logo eu fui novamente ao túmulo onde Tarik estava e coloquei uma flor azul e outra verde, após isso eu fui para casa andando lentamente de cabeça baixa.

Não demorou muito para que eu chegasse em casa, subi as escadas de minha casa que levavam ao meu quarto, tomei um banho rápido e vesti uma roupa simples, peguei a carta que Maria havia me dado e fui para o jardim de minha casa, me sentei no gramado é abri a carta, e pude ver o que estava escrito.

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...


Eu sempre te amei Mikhael Linnyker! ♥

Coloquei a carta de lado e me deitei no gramado do jardim, e fiquei a olhar para as estrelas e pensar se você estava a me olhar do céu também, mas se você estivesse a me olhar eu gostaria que soubesse de uma coisa.

-Eu sempre te amei meu pequeno, você ainda vai encontrar alguém capaz de ter medo de te perder, alguém que não te trocaria por nada neste mundo, está sempre será nossa frase! ♥


Notas Finais


Até :3 <3 Okay? Okay


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...