História Ultraviolence - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Àstrid Bergès-Frisbey, Candice Accola, Kit Harington, Michael Fassbender, Nina Dobrev, Sam Claflin
Personagens Àstrid Bergès-Frisbey, Candice Accola, Kit Harington, Michael Fassbender
Tags Abuso Psicológico, Casamento Arranjado, Drama, Gravidez, Mistério, Sadomasoquismo, Violencia
Visualizações 35
Palavras 2.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui estou eu novamente! Tudo bem com vocês? Então, mais personagens novos: Henry, que será o maravilhoso Sam Clafin. Annie será a Candice Accola e a princesa Victória será a Nina Dobrev.

Capítulo 3 - Capítulo III - O noivado, o aviso e a punição.


Fanfic / Fanfiction Ultraviolence - Capítulo 3 - Capítulo III - O noivado, o aviso e a punição.

Arabella acordou e abriu os olhos devagar. Ela estava dolorida. Então as lembranças da noite passada vieram à tona e ela é dominada por uma amargura horrível.

Ela estava no quarto dele. Ele não estava lá e ela ficou aliviada. Seus olhos pararam no criado-mudo que estava ao seu lado, rosas brancas; num jarro com água. Lindas e cheirosas. Havia um bilhete também.

" Bom dia, querida.

Mandarei sua empregada particular levar seu café da manhã em meu quarto. Você será avisada quando tiver que ir almoçar. Vá passear pelo jardim, o dia está lindo.

Com amor, seu querido noivo. "

Ela suspirou, logo em seguida Annie entra no quarto com uma bandeja.

- Bom dia, senhorita. - ela diz sorridente. - Tenho ordens do Rei para cuidar da senhorita. - seu rosto tenta esconder a pena.

- Bom dia, e sabe que pode de chamar de Arabella.

- Desculpe, tudo bem. - ela coloca a bandeja em cima da cama e começo a comer. - Coma tudo, são ordens do Rei.

Arabella

Depois de tudo que fez comigo ainda tem coragem de mandar Annie cuidar de mim ?

Após comer, vou para meu quarto tomar banho sozinha. Tomo um banho demorado e depois Annie me ajuda com os ferimentos.

Eu mal conseguia sentar, era muito ruim. Ela não perguntou absolutamente nada sobre os ferimentos, mas sua face expressava pena. Coloco um vestido longo rosa chá de alças finas. Coloco um colar simples dourado e deixo meus cabelos soltos. Eu estava abatida.

Nunca imaginei que Erick fosse um sádico, nunca. E agora tenho que me casar com ele, pelo bem da minha família, principalmente. Não consigo entender porque me escolheu, porque ele é assim. Eu só não entendo...

- Quer que eu te ajude com a maquiagem? Me parece pálida. - ela dá um sorriso triste.

- Sim.

Ela faz uma maquiagem bem simples em mim, é o suficiente.

Desço para o andar de baixo. Vou para o roseiral, no jardim. Haviam várias rosas, de vários tipos. O cheiro era maravilhoso. Fecho meus olhos, sentindo aquele ambiente incrível.

- Pois não? - alguém diz e me viro para ver quem é. É um homem, parecia ser um pouco mais velho que eu.

- Ah, eu... Vim ver as rosas. - Sorrio, sem graça.

- Meu nome é Henry, ao seu dispor. Eu cuido do roseiral. - ele era muito bonito. - Bom, eu vou continuar minhas tarefas, fique à vontade, senhorita.

- Espera! - ele se vira para mim. - Eu poderia te ajudar. Amo cuidar de rosas e eu estou nesse castelo gigante sem nada para fazer. - ele me olha vacilante. - Por favor.

- Tudo bem, a senhorita venceu.

Antes de minha avó falecer, eu sempre ia em sua casa brincar no roseiral e ajudar a colher rosas. Foi um bom tempo.

- Me chame de Arabella. - sorrio.

(...)

Eu já estava toda suja. O roseiral era imenso.

- Seu rosto está sujo. - Henry diz e suja meu rosto.

- Ei ! - rio, surpresa. Jogo um pouco de terra nele também e começamos uma guerrinha de terra. Eu ria muito, Henry era muito divertido e simpático.

- Arabella. - uma voz nos pega de surpresa e meu sorriso se esvai.

- Majestade. - Henry faz uma reverência e eu também.

- Henry. - Erick acena com a cabeça para ele. - Como vai ?

- Bem, senhor. - ele sorri.

- Venha comigo, Arabella. - ele não tinha gostado dessa cena.

- Até logo, Henry. Foi muito divertido.

- Até. - ele sorri.

Vamos andando e Erick se pronuncia.

- O que você pensou que estava fazendo? - ele diz rude.

- Eu só estava fazendo algo para passar meu tempo.

- Não quero que isso se repita. Não quero você com essa proximidade com outros homens. - entramos em seu escritório.

- Ele é apenas um novo amigo. Até nisso quer me proibir ?

- Meça suas palavras, docinho. - ele segura meu queixo com brutalidade e solta, indo até o outro lado da sala.

Ele dá um riso anasalado e coloca as mãos na cintura, me olhando. Ele me lança um olhar diferente. Erick caminha até mim em passos largos e dou um pequeno passo involuntário para trás.

- É incrível como até nesse estado você seja tão linda. - ele coloca uma mecha de meu cabelo atrás da orelha.

Minha respiração era pesada. O que estava acontecendo ali ? Sua mão deslizou pelo meu rosto. Ele estava perto demais. Ele iria me beijar ! Eu nunca tinha beijado ninguém e meu primeiro beijo seria logo com ele ? Não. Minha única reação foi lançar um tapa em seu rosto. Me arrependo na hora.

- Erick...

- Saia, Arabella. - ele diz seco. Eu corro dali e vou para meu quarto.

Ele iria me matar, ele realmente iria. Eu deveria ter deixado! E se ele fizer algo com meus pais?

Passei o resto do dia no quarto. Annie trouxe todas minhas refeições.

- Arabella ? - Annie me chama, entrando em meu quarto.

- Olá, Annie.

- O Rei estará ausente durante o resto do dia de hoje e amanhã. Negócios do reino. Ouvi uns conselheiros do Rei conversando.

Me tranquilizei. Eu não queria ver Erick depois do que aconteceu. Eu estava com medo do que ele poderia fazer comigo.

Um dia depois

Hoje será minha festa de noivado. Vou ser apresentada para toda a nobreza como a futura rainha. Eu estou ansiosa, o castelo está cheio, estão a todo vapor nos preparativos para hoje. Não vi mais Erick e agradeci por isso.

Alguém bate na porta.

- Entra. - vejo minha mãe entrando. - Mamãe!

- Oh, querida! - nos abraçamos. - Como você está?

- Estou bem, mãe. Quando chegaram ?

- Ainda pouco. Seu pai está conversando com alguns duques na sala principal. Eu vou me preparar para mais tarde, querida. Faça o mesmo, você tem que estar estonteante! - ela diz animada e rimos.

- Até logo, mamãe. - ela sai e a vontade de chorar me consome. Deixo vir. Ela está tão feliz por mim e nem sabe o que está acontecendo.

Um tempo depois algumas empregadas entram com Annie em meu quarto.

- Senhorita, viemos te ajudar a se preparar. Esta é Rachel. - ela aponta para uma mulher loira. - E esta é Joana. - aponta para uma mais nova.

Passamos o dia conversando e nos divertindo enquanto elas me ajudavam. Por um momento esqueci de tudo.

- Como irá querer seu cabelo? - Rachel me pergunta.

- O que vocês acham? - pergunto a elas.

- Solto, com duas tranças embutidas na cabeça. Vai ficar lindo! - Annie diz.

Quando Rachel termina, me visto. O vestido era lindo. Bege, de mangas 3/4, com detalhes dourados. Era perfeito. Minha maquiagem foi delicada, eu nunca gostei de muita maquiagem. Coloquei luvas brancas e uma pulseira dourada.

- Falta alguma coisa, mas não sei identificar o que é. - Joana diz com a mão no queixo.

- Senhoritas? - uma voz nos surpreende. Erick.

Narradora

- Majestade. - elas dizem em uníssono, fazendo uma reverência e saindo.

Erick fecha a porta e olha para Arabella sem piscar. Ela estava muito bonita, como ele nunca tinha visto antes.

- Você está linda. - ele diz a encarando.

- Obrigada. Você está muito elegante também. - ela se vira para a janela. - Erick?

- Sim, querida? - ele diz se aproximando mais dela. Ela conseguia ouvir seus passos.

- Me desculpa pelo que aconteceu, por favor. - seus olhos marejam, estava morrendo de medo. - Eu só não sabia o que fazer, por favor. - ela se vira para ele.

Erick apreciava a beleza de sua bonequinha. Ela era linda demais, lembrava sua falecida. Será que foi isso que fez Erick desejar Arabella? Erick pensa. Não. Ela era perfeita demais, Arabella apesar de linda, não chegava aos pés dela. Lembrar dela era difícil. Mexia com Erick.

Quando Erick viu Arabella pela primeira vez não teve como lembrar de sua falecida. Elas tinham os olhos da mesma cor, a mesma cor de cabelo, mas eram diferentes. Arabella era muito inocente. Já ela era uma mulher forte. Ela o deixava louco de um jeito diferente, ele a amava. A única que ele amou. Arabella era o oposto e talvez isso o fez se encantar pela garota.

- Não vou deixar passar, querida. Você será punida. Não chore! Sorria, Arabella. Esta noite você está muito feliz.

- Eu não entendo... - ela balançava a cabeça.

- Venha, vamos logo. Engula o choro.

Eles entram no salão. Os olhares se viram todos para eles. Conforme eles andavam, todos faziam reverências. Arabella sorria para todos, estava realmente linda e causando inveja.

- Erick, meu amigo! - o Príncipe Richard vai até eles com sua esposa, Princesa Victória.

- Richard! É um prazer revê-lo, amigo. - eles se cumprimentam. - Esta é minha futura esposa, Arabella.

- É um prazer, Alteza. - Arabella o cumprimenta.

- Esta é Victória, minha esposa, Arabella.

- É um prazer, Arabella. - ela sorri.

- O prazer é meu.

Após cumprimentarem todos do salão, eles vão falar com os pais de Arabella.

- Mamãe, papai ! - ela abraça eles.

- Você está tão linda, querida! - o pai dela diz. - Estava com saudade.

- Eu também, pai.

- Majestade. - eles reverenciam Erick.

- Como estão ?

- Muito bem. - O conde diz.

- Bom, vamos fazer logo o anúncio do noivado. Venha, querida. - Erick diz pra Arabella. - Não esqueça de dizer sim. - ele diz em seu ouvido.

Ele vai até a escadaria e rapidamente todos se viraram para o rei e ficaram em silêncio.

- Boa noite! Hoje é uma noite muito especial para todos e principalmente para o reino. Esta é Arabella de Martell, minha futura esposa. Arabella, querida - ele se vira para ela e se ajoelha. - aceita esse anel como sinal da nossa união e do nosso amor?- Ela força um sorriso.

- Sim. Eu aceito. - ela sorri e todos aplaudem. Erick coloca o anel no dedo dela e depois se levanta. Ele dá um selinho demorado nela e depois percebe sua face corada.

Depois de um tempo, Victória vai até Arabella.

- Arabella! Fico feliz por vocês, formam um casal bonito.

- Obrigada, Alteza.

- Precisamos conversar. - a princesa diz baixo. - Me encontre em alguns minutos no toilette.

Arabella ficou nervosa. O que Victória queria com ela ? Após alguns minutos ela vai ao local combinado e encontra a princesa.

- Alteza ?

- Preciso te falar algumas coisas. Eu soube o que Erick fez com você, Arabella. - Victoria tem o semblante triste.

- Como assim? - Bella pergunta nervosa.

- Você precisa me ouvir bem, entendeu ? Nós chegamos há dois dias no reino. Erick e Richard se encontraram ontem no alojamento onde estávamos. Eu os segui e ouvi a conversa. Sinto muito por você. Não deveria sofrer por culpa dela. Ela nunca foi boa, Arabella, nunca. Ela nunca gostou de mim, tentou me separar de Richard. Na verdade, ela não gostava de ninguém, até mesmo de Erick. Se o rei é o que é, é por causa dela. Não deixe que o fantasma dela fique na sua vida. Você é linda, jovem e me parece bem diferente dela. Você pode amá-lo e pode fazê-lo te amar também. Você ainda tem essa saída, porque se livrar de Erick você não vai. Estou te dizendo isso como uma amiga, Arabella. Espero realmente que sejamos.

- Eu não posso ficar com ele, a princesa não entende! Não sabe o que ele fez comigo! Não sentiu na pele!

- Eu imagino sim, Arabella! Eu sei que ele é assim por culpa dela!

- Quem é "ela"?

- Alice . Princesa Alice. Ex-noiva de Erick que morreu. Ninguém pode saber que tivemos essa conversa. Ninguém. Me entendeu? Ninguém fala sobre ela, ninguém sabe sobre ela e quem sabe finge que ela nunca existiu.

- Sim, tudo bem.

Elas voltaram para o salão. Arabella passou os olhos no salão em busca de Erick. Ele estava conversando com o Rei do país vizinho e alguns outros cavalheiros que ela não reconhecia. Ela estava confusa, não sabia o que fazer, se deveria confiar em Victória. Ele a olhou, com o mesmo olhar sério de sempre. Arabella desviou o olhar apenas e evitou Erick o máximo que pôde.

A festa acabou tarde e ela estava cansada. Depois de tomar banho e vestir sua camisola, ela sai do banheiro encontrando Erick sentado em sua cama e leva um susto.

- Erick! Que susto! Oh, meu deus, você não deveria me ver assim. Saia, por favor! - ela tenta se tampar com os braços. Erick acha graça daquilo e ri. - Do que está rindo ? - ela pergunta nervosa.

- De você. Não deveria ficar assim, em breve seremos marido e mulher. Vou te ver sempre assim ou até pior. - ela desvia o olhar dele. Ele sabia que tinha algum poder sobre ela. Erick se aproxima dela e toca seus ombros nus. - Está linda assim. - ele vira seu rosto com um pouco de força para ele.

Arabella observa Erick.

- Obrigada. - ela tenta sair de tão perto dele, mas ele a segura pelo braço.

- Não negue meu toque!

- Não sou obrigada a deixar você me tocar! - a outra mão de Erick vai até o cabelo de Bella e aproxima o rosto dela do dele. - Você é minha, bonequinha. Vai aprender isso agora.

Ele joga Arabella na cama com força e sobe em cima dela. Arabella se debatia. Ele lançou um tapa no rosto da garota, que soltou um soluço.

- Erick, não faça isso comigo, por favor. - ela se afundava em lágrimas. Ele rasga a camisola dela e observa os seios nus da menina. - Por favor, não faça nada, eu lhe imploro! - Erick queria dar um susto nela, apenas. Era sua punição.

Ele passou a língua em seus seios e mordeu, tirando um grito da menina.

Ele observou que ela tremia e chorava descontroladamente e parou. Saiu de cima dela e a observou se encolher na cama. Ela chorava alto e estava descontrolada.

- Você é minha, Arabella! Eu faço o que eu quiser com você!

Ele olhou sua bonequinha lhe encarando com os olhos cheios de medo.

Ela chorava descontroladamente. Sentia-se frágil, ridícula. Estava com muito medo e desesperada. Naquele momento Arabella estava sozinha, sem ter com quem contar. Teria que enfrentar isso para o resto de sua vida.

Ele apenas saiu do quarto, deixando Bella ali. Sozinha.


Notas Finais


Eu quero saber o que vocês estão achando, comentem, favoritem! O que acharam da aparência dos personagens?

Beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...