História Um amor complicado... - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Aruan Felix, Júlio Cocielo, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Lucas Lira (Invento na Hora), Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?)
Personagens Aruan Felix, Daniel Mologni, Júlio Cocielo, Lucas "LubaTV", Lucas Lira, Lucas Olioti, Lukas Marques, Personagens Originais
Exibições 25
Palavras 1.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa Leitura :3

Capítulo 3 - Primeira vez?


-Você também é maravilhoso- falei
Prolongamos o beijo que se tornou algo quente e prazeroso. Portuga subiu por cima de mim, mas não depositou todo seu peso. O momento foi se tornando único como se existisse apenas nós. Ele não depositou todo seu peso, controlou-o rodendo suas mãos em meu corpo. 
Sem quebrar o beijo, ele puxou minha blusa com um pouco de dificuldade. O seu beijo era lento, delicioso e molhado. Um gosto agridoce com um misto de malícia. Estava ficando louca apenas com uma "troca de salivas". 
Minha regata foi parar em algum canto que não me importei muito, já que a mesma estava molhada. Portuga apertou minha cintura desnuda e sussurrou entre o beijo. 
- Não vai acontecer nada que você não queira. - sussurrou. Cravo minhas unhas em suas costas  e ele solta um gemido.  - Pra quem é virgem... Nossa senhora!
Dou uma risada baixa. O seu beijo foi para meu pescoço, descendo pela barriga chegando na barra do meu shorts, ele me olhou com os olhos carregado de luxúria e prazer e deslizou sua língua sob minha barriga desnuda, o que me fez arrepiar ao sentir o contato de sua saliva quente em minha barriga gelada. 
Deu um chupão com avidez em meu pescoço, puxando a pequena pelinha me fazendo contorcer. Com uma mão, agarro os cabelos dele e com a outra, arranho suas costas por baixo da camisa. 
Em minutos, estávamos nus como viemos ao mundo. Ele deslizava a ponta do seu dedo indicador pela minha cintura, analisando as curvinhas. Cada uma delas.
- Você é gostosa pra caralho. - deu um tapa estalado na minha bunda. - Certeza que é virgem? 
- Sim. - respondo meio tímida. 
- Será um prazer ensinar o que eu sei pra você. - arrepio-me quando sua voz soou. Parecia intimidador. - Eu prometo não machucar você.
Eu apenas assinto com a cabeça, meio amedrontada e ao mesmo tempo confiante. Era um misto de sentimentos: confusão e desejo. 
Confusão por ser a minha primeira vez e desejo por quere-lo agora e á qualquer custo. 
Nossos corpos se envolveram e tornaram-se um só. Ele subiu por cima de mim e acariciou cada parte de mim. Os seus toques eram gélidos e prazerosos. 
- Você tem certeza? - perguntou mais uma vez. 
- Sim, Portuga. - respondo decidida. 
Ele me beijou com volúpia. Uma de suas mãos alpapava meus seios e outra brincava com minha intimidade. Os meus gemidos - nem tão alto, nem tão baixo - ja podiam ser ouvidos.
Ele me beijou com volúpia. Apertou minha cintura desnuda e segurou forte em meus cabelos, dando um puxão para trás. Arqueio minha coluna para trás, ajudando Portuga a me saciar. 
Logo ele desceu para minha intimidade, iniciou com um gostoso sexo oral que me fez ir ás alturas. Assim que me trouxe aos espasmos, estimulou-me com três dedos. Sinto-me meio desconfortável por ainda ser virgem, reclamo baixinho e ele parou. 
- Machuquei? - perguntou preocupado. 
- Não, tudo bem. Quero que continue. - respondo. - Mostre-me o que você sabe. 
Ele riu malicioso, voltou a me beijar apressadamente e com certo desejo. Os seus beijos molhados desceram para meu pescoço, puxando a pele fininha da mesma, me fazendo gemer. 
- Acaba logo com isso. - exigo. 
- Calma neném. - puxou meu cabelo, me dando um certo tesão. 
Portuga puxou um pacote prateado, vestiu seu pênis com a camisa e a roçou na entrada da minha intimidade. 
- Prometo ser cuidadoso. - sorriu. Assenti. 
Penetrou-me cautelosamente. De início, foi doído, mas logo a dor foi tornando-se prazer. Portuga começou a acelerar os movimentos de acordo com que eu mandava. 
Ele equilibrava seu peso com suas mãos rodeando minha cintura. O seu membro entrava e saia num ritmo frenetico e eu gemia, gemia alto, sem me preocupar se iriam ouvir. 
Arrisco-me subir por cima. Inverti nossas posições e comandei a situação, Portuga revidava com tapas em minha bunda que provavelmente resultaria em vermelhidão. 
- Gostosa, quica pra mim. - apertou e em seguida bateu em minha bunda. 
Arrisquei um 360. Rebolo no pau de Portuga, que segurava em minha cintura e ajudava-me nos movimentos. Em seguida, cavalgei sem dó. Subi, desci, quicei, até a minha entrada mastigar o membro de Portuga e eu chegar ao meu segundo orgasmo. 
Logo Portuga estava por cima, novamente. Colocou-me de quatro e me penetrou. Tapas estalados foram dados em minha bunda, e meus cabelos foram puxados com tesão. 
Comprimi os lábios, reprimindo o gemido. Arrebitei mais a minha bunda e Portuga penetrou mais forte, gozando em seguida. 
Puxou-me pelo cabelo, beijou meu pescoço e arranhou minhas costas. Tirou a camisinha do seu pênis, desceu da cama e me chamou com o dedo. 
- Chupa! - disse malicioso, apontando pro seu membro. 
- Mas... eu não sei fazer isso. - quase gagejo. 
- Eu te ensino. - puxou-me e me colocou de joelhos. - Agora chupa pro pai. 
Assinto, vagarosamente. 
- Ok... - digo baixo. 
- Não use os dentes, e o que não couber na sua boca, você usa a mão. - disse. Assinto.
Levei o mastro grande e considerávelmente grosso de Portuga até minha boca. Círculo minha língua em sua glande e dou uma raspada com meus dentes, fazendo Portuga revidar com um tapa na minha cara, me dando mais tesão. 
- Vai... deixa eu foder tua boca. - sorrio malicioso. 
Masturbei a base, brinquei com a suas bolas e em seguida caio de boca por completo. Me veio uma ânsia, mas logo me acostumo. Portuga segurou meu cabelo e prensou minha boca para trás. 
Ele me ajudou nos vai e vem, fodendo, literalmente, minha boca. Sinto seu jato vir, tiro da minha boca e o mesmo voa na minha cara. Limpo com as mãos, e coloco um pouco que estava no meu dedo, na minha boca.
Em seguida, caímos exausto na cama. Beijei-o fazendo o provar do seu gosto. Ele arranhou minhas costas e finalizou o beijo com três selinhos. 
- Porra, você pra uma virgem é nota 10! - disse, aninhando seu corpo ao meu e eu sorrio, envergonhada.
-Vamos Nath- era a voz da Juh 
-Estou indo- falei me levantando e vestindo minha roupa 
-Te espero lá em baixo- Juh falou e logo escutei passos na escada
-Já vai Nath? - Portuga me perguntou 
-Tenho que ir- Falei
-Quando vou te ver de novo? - ele sorriu com malícia 
-Espero que em breve- falei e dei um beijo nele
Desci as escadas e a Juh estava na sala me esperando
-Nath, você tem que gemer mais baixo- ela falou segurando o riso
-AAAH, vai te fuder- falei sentindo minhas bochechas queimarem
-Vamos logo menina pegadora- ela falou
Fomos pro carro, olhei no meu celular e já si passavam das 3 da manhã 

POV Portuga

Depois que a Nath saiu, me levantei e fui tomar um banho
Vesti só uma bermuda e desci
-Uai Aruan, cadê todo mundo? - perguntei quando vi ele catando as latinhas
-Foram embora já, depois que você subiu com a Nath, ficamos aqui bebendo ainda- ele falou jogando umas latinhas dentro do saco de lixo
-Mas e ai Portuga, pegou de jeito ou não? - Afreim perguntou
-Lógico né, o pai aqui arrasa- falei e logo depois ri
-E ela é boa mesmo? - Matheus me perguntou 
-M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.A, ela tem um corpo que deixa qualquer um louco- falei me lembrando daquele incrível corpo 
-Usou camisinha ne? Quero ser tio por agora não- João falou 
-Lógico né tonto - falei - bom vou dormir, to cansadão 
-Vai lá pegador- alguém falou rindo 
Subi pro meu quarto, me deitei e logo dormir 

POV Nath

Cheguei em casa com a Juh, passei direto pro meu quarto
Tomei um banho quente, aquela noite tinha sido mais que perfeita 
Sai do banheiro, vesti um short de moletom folgado e um blusão de panda
Me deitei e logo dormi

POV Juh 

Acordei com a campainha berrando, lembrei que em dia de domingo meus pais saem cedo
Calcei minha pantufa, e me arrastei até a porta
-Porra Aruan, ta cedo velho- falei 
-Oi pra você também Juh- ele falou e entrou 
-Oque você quer aqui às * olhei as horas no relógio da parede *  10 de manhã- falei resmungando 
-Chamar você e a Juh pra irem á um sítio- ele falou esparramado no sofá 
-Voltar que dia? - perguntei com um certo interesse 
-Terça à tarde- ele falou- e aí você vai?
-Claro! -falei
-E a Nath, vai? O Portuga estava enchendo meu saco- ele falou e revirou os olhos 
-Vou lá falar com ela, já volto- falei e subi as escadas correndo 

POV Nath

Acordei com um peso em cima de mim
-Porra Júlia, me deixa dormir- falei 
-Então fica ai, vou pro sítio com os meninos, e você fica aí dormindo- ela falou
-Espera, já estou levantando- falei sentando na cama 
-Vai arrumar a mala, só vamos voltar terça- ela falou e saiu do quarto
Me levantei, e fui pro banheiro, fiz minhas higiênis matinais, e fui banhar
Sai do banheiro, vesti minha calcinha, vesti um short cós alto preto e um cropped branco (sim eu não coloquei sutiã, odeio usar sutiã) 
Peguei uma mala média minha,  me sentei na frente do meu guarda roupa e comecei a arrumar minhas coisas 
Assim que terminei, fui arrumar meu cabelo, apenas passei os dedos nele, deixei ele solto mesmo, passei um batom nude, calcei meu tênis e desci
-Que linda- Juh falou assim que me viu 
-Obrigada- falei
Senti alguém me abraçando por trás 
-Ta muito linda
Me virei 
-Obrigada Portuga- falei
Ele me puxou para um beijo, as mãos dele estavam na minha cintura, e as minhas mãos estavam na nuca dele 
-Ou, vocês dois ai, podem dar um tempo? -Juh falou 
-Aaaah vai dá vai- falei 
-Cadê tua mala Nath? - Juh perguntou 
-Ta la em cima- falei 
-O Portuga vai lá te ajudar- Aruan falou e sorriu safado 
Eu estava subindo as escadas com o Portuga, ele me abraçava por trás, beijava meu pescoço, e apertava minha bunda
-Portuga, calma- falei abrindo a porta do quarto enquanto ele me beijava
-Não dá pra esperar por você- ele falou
-Ei, agora nós temos que ir, esqueceu? Estão todos esperando nós - falei pegando minha mala
-Vamooos- ele falou e te virou os olhos
Ele pegou minha mala e nós descemos 


Notas Finais


Oque falar desse Hot M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O que minha amiga Cazzle escreveu??
Vão lá ler as fics delas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...