História Um Amor de Amigo - (Imagine Seokjin) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Romance
Exibições 266
Palavras 3.056
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Visual Novel
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meus amores desculpem a demora...
Tive alguns contra tempos, não consegui postar antes por isso, mas espero que me perdoem pelo atraso e também que eu consiga compensa-los com esse capítulo!
Agora eu só irei postar o próximo Segunda-Feira, Ok??!
Boa leitura...😉

Capítulo 9 - NOVE


Fanfic / Fanfiction Um Amor de Amigo - (Imagine Seokjin) - Capítulo 9 - NOVE

Meu dia tinha começado otimamente bem, depois aquela sonsa veio aqui e acabou com a minha alegria. Também tem aquela mensagem anônima que me mandaram. 

Era muito suspeito! 

O resto da tarde foi tranquilo, na medida do possível. Manu queria a todo custo saber o que havia acontecido e eu tive que contar para ela, de início ela ficou triste, mas logo entendeu tudo. 

- Yvi que confusão. – Manu me olha espantada. 

 - Você acha? – perguntei irônica e depois ri. – Eu não queria que o Kookie tivesse falado isso porque não era verdade e eu sabia que o Jin iria ficar irritado. 

- Pudera também neh, ele é louquinho por você, óbvio que se sentiu ameaçado pelo ‘Kookinho’. – ela faz uma voz enjoada e engraçada igual a da sonsa, nós caímos na risada. 

- Ela soube como estragar o meu dia. – eu falo parando de rir e bufo frustrada. 

- Ela é muito fresca, como o Jin aguenta ela? – ela diz o mesmo que eu também penso. 

- Também queria saber. – eu falo pensando encostada no balcão. 

- Bom, mas nosso expediente já está terminando e você vai se encontrar com o Jin daqui a pouco. – ela diz com um sorrisinho malicioso. 

- Sim, eu preciso avisar a minha prima que irei demorar pra chegar em casa. – eu tirei meu celular do bolso para avisa-la e me encaminhei para o vestuário. 

- E vê se aproveita bem com ele hein?! – ela diz e eu mostro a língua para ela. 

Eu liguei para a Pam para que ela não se preocupa-se pois eu chegaria tarde. Ela, logicamente quis saber com quem eu iria sair, quando eu disse com quem ela começou a gritar feito louca no celular. 

Eu desliguei largando ela falando sozinha. Meu expediente havia terminado, eu e Manu fomos para o vestuário se trocar. Eu ainda estava com as coisas que o Seokjin me deu. Depois que terminei de me arrumar eu saí com uma certa dificuldade. 

Seokjin olha rindo da minha situação, que não é nada mais que culpa dele mesmo. Seokjin estava em frente ao meu serviço encostado em seu carro como da última vez, estava mais lindo que nunca. 

Ele me olhou dando um sorriso mais lindo ainda. Eu sempre me perguntei como é que ele conseguia essa faceta? Ele pega meu urso e joga no banco de trás do carro depois vem até mim. 

- Ooi. – ele me cumprimenta me dando um abraço. 

- Olá. – eu digo sem muito ânimo. 

- Que carinha é essa? – ele percebe e se afasta um pouco me observando. – Ainda está brava comigo... 

- Não, não tem nada a ver com você... quer dizer... tem e não tem. – eu falo cabisbaixa. 

- Eita, explica isso direito que eu não estou entendendo nada. – ele pede erguendo meu queixo para que eu o encara-se. 

- Sua “Namorada” apareceu aqui na loja mais cedo. – eu disse e ele fica visivelmente irritado. 

- A Sook veio aqui? – ele pergunta bravo. 

- Sim. 

 - E o que ela te disse? – ele pergunta confuso. 

- Veio me atormentar perguntando se eu ainda estava namorando com o Kookie. – eu respondo e ele fica com seu semblante sério. 

- Há, isso... – ele fala parecendo incomodado. – E o que você respondeu?

- Que...não. – Jin ficou calmo de repente. 

- Não se preocupe com isso, ela não vai mais te incomodar, vamos para o que eu planejei. – ele diz alisando sua mão em meu rosto. 

- E o que é que você planejou? – perguntei curiosa. 

- É surpresa. – ele diz me mandando uma piscadela. 

Eu e Seokjin saímos do carro nos encaminhamos até um jardim muito bonito que dava para a vista do rio Han em Seul. Já estava anoitecendo, o que tornava tudo mais perfeito. 

 Ele estacionou o carro e desceu, depois abriu o porta malas para retirar as coisas de dentro. Eu o ajudei segurando uma cesta enquanto ele fechava o porta malas. 

- Então isso era a sua surpresa? Um piquenique ao luar? – eu digo sorrindo e ele me encara. 

- Sim, porque... você não gostou? – ele parecia preocupado. 

- Calma Jin, claro que eu gostei, a gente sempre fazia isso em Busan se esqueceu?! 

- Não, exatamente por isso que eu decidi fazer isso hoje. Eu poderia te levar em um restaurante chique só para te impressionar, mas eu queria fazer algo mais caseiro para nos lembrarmos da nossa infância. – ele sorri. 

- E posso ser sincera? – perguntei e ele me olhou esperançoso. 

- Claro. 

 - Você acertou em cheio. – eu falo sorrindo e ele sorri orgulhoso de si mesmo. – Estou impressionada. 

- Sério? – ele me fita com os olhinhos brilhantes. 

- Sério. – eu sorriso envergonhada. 

Ele estendeu uma toalha xadrez no gramado e foi tirando as coisas da cesta. Ele pediu para que eu esperasse que ele iria pegar algo no seu carro. Logo Jin volta com uma garrafa de vinho e um lampião para iluminar o local. 

Eu me sentei de um lado e ele do outro, enquanto eu admirava a beleza do local, Jin ajeitando as coisas em cima da toalha. Tinha torta de frango, frutas frescas e um bolo que pela cara estava delicioso. 

- Uau, você fez tudo isso? – olhei surpresa. 

- Sim, eu preparei tudo hoje mais cedo. 

- Eu sabia que você tinha dom para cozinhar, bom você tem o dom para muitas coisas. – principalmente para mexer com o meu coração, eu penso nisso e coro levemente. 

- Obrigada baixinha, eu me lembro a primeira vez que eu ajudei minha mãe a cozinhar e você foi em casa e jantou lá, você achou que minha mãe tinha feito o bolinho de carne. 

- Há verdade rsrs, eu pensei mesmo que fosse ela porque estava muito bom e você também nunca tinha cozinhado antes. - a torta estava maravilhosa, ele poderia montar uma cozinha e trabalhar nisso porque suas comidas eram divinas. Um sabor sem igual. 

- Viu só, nunca se surpreenda com os meus dotes culinários. – nós dois rimos. 

- Não, eu nunca duvidaria. – eu digo e ele fica constrangido. – Jin, porque você está namorando a Sook? – eu perguntei e ele me olhou surpreso. – Eu tentei entender o motivo que te fez se apaixonar por ela, mas sinceramente eu não encontrei nenhum e não venha me dizer que estou dizendo isso porque estou com ciúmes de amiga porque não tem nada a ver com isso. 

- Então qual é o motivo de sua implicância com a Sook? – ele me encara com um sobrancelha arqueada e um sorrisinho sapeca. 

Meu Deus...eu vou acabar perdendo o controle com ele me fazendo de boba assim. Foco Yvi, foco! 

 - Vocês dois não tem nada a ver um com o outro, ela muito antipática, esnobe e narizinho em pé. Você é sorridente, brincalhão, ama a simplicidade e é uma ótima pessoa. Você é o oposto dela. 

- Eu sei. – Jin fala sem brilho no olhar. – Mas não dizem que os opostos se atraem? – ele quer enganar quem com esse papo? 

- E você gosta disso nela? Essa antipatia toda, uma mulher sonsa e sem vida, é isso que você quer para viver ao seu lado? – eu pergunto e ele tenta desconversar.  

- Então... 

- Me diz, porque você está com ela? – ele me olha impaciente, acho que ele estava pensando se me contava ou não. 

- Por causa do meu pai. – ele diz cabisbaixo. 

- Hã? – de novo tinha um dedo do pai dele na situação. 

- Meu pai se tornou meu empresário Yvi, o pai da Sook é um grande empresário na Big Hit, ao dois meio que se tornaram amigos e o meu pai pensou que se eu me aproximasse da Sook, meu futuro como cantor estava garantido. – ele diz cabisbaixo brincando com uma cereja. 

- Então você só está com ela por interesse?! – minha voz saiu mais baixa do que eu pensei, isso me deixou triste. Nunca imaginei que o Seokjin pudesse enganar alguém para proveito próprio. – Como você foi capaz de aceitar uma falcatrua dessas? 

- Yvi, meu pai... 

- Seu pai, seu pai, sempre seu pai Seokjin, mas e você? Onde está suas vontades e seus anseios nessa história? A vida é sua ou do seu pai? – eu não consegui e peguei pesado com ele de novo, estava farta de ver ele agindo pela vontade do próprio pai, e a vida dele, será que não valia de nada? Ele me encarou com um misto de surpresa e medo. 

- Eu sou um covarde mesmo. – ele fala triste e cabisbaixo. – Você está decepcionada comigo não é mesmo? 

- Um pouco, eu esperava um pouco mais de coragem da sua parte. – me lembrei do Kookie nessa hora, nunca imaginei que usaria uma de suas frases. – Mas eu te entendo. – eu digo sorrindo solidária para ele. 

- Mas e você? Porque aceitou namorar com o Kookie? – ele pergunta cabisbaixo, se eu estava incomodada com a sua pergunta, imagine ele? Eu suspirei e respondi. 

- Eu e o Kookie não estávamos namorando de verdade. – eu confidenciei e ele me olhou surpreso. 

- Como assim? Então quer dizer que era tudo mentira? – ele me encara totalmente pensativo. 

- Na verdade foi ideia do Kookie de te provocar. – eu falo sorrindo travessa. 

- Aquele pirralho. – Jin estava irritado. 

- Não fica bravo com ele, o Kookie é uma boa pessoa, eu gosto dele... 

- Gosta? – ele me encara visivelmente alterado. 

- Sim, ele tem sido um grande amigo na sua ausência. – eu solto isso sem pensar e vejo ele murchar. 

- Eu não me ausentei porque eu quis neh Yvi?! Eu sei que fiz e falei muita idiotice e eu estou tentando reparar o meu erro, mas colabora vai, você não sabe como me incomoda essa sua aproximação com o Kookie. – ele fala chateado. 

- Me desculpa, mas ele é só meu amigo. 

 Ficamos um tempo em silêncio, Jin me olhou e em seu olhar eu percebi que havia uma intensidade de desejos e sentimentos. Por um leve momento eu o senti fitar meus lábios mas logo desviou seu olhar para outro lugar. Então ele resolveu quebrar o silêncio. 

- Yvi, o que você sente por mim? – ele pergunta me pegando de surpresa. 

- Oi? – eu o encarei sem palavras. 

- O que você sente por mim? – ele repete me analisando. 

- Porque, vai fazer diferença você saber? 

- Para mim sim. – ele responde sério. 

- E porque você quer saber? – perguntei o testando, será que finalmente ele se tocou que sente algo por mim? 

- Porque você sempre dá um jeito de fugir do assunto hein? – ele me olha sorrindo. 

- Eu não estou fugindo... 

- Yvi, eu já te disse tantas vezes que eu amo você e nunca obtive uma resposta sua. – ele diz chateado, eu me senti mau por ele, mas eu nunca amei ele como amigo, por isso não respondi. 

 - Eu também amo você Jin, você é meu melhor amigo... 

- Eu não quero saber se você me ama como amigo Yvi, olha pra mim. – ele me pede segurando minhas mãos e eu obedeço. – Esquece por um minuto que você está falando com o Jin seu melhor amigo, agora você está conversando com o Jin homem, o que você sente por esse Jin que está agora em sua frente? – ele me espanta com essa pergunta, então eu abaixo minha cabeça, eu precisava ser forte e dizer a ele de uma vez o que eu sentia por ele, era agora ou nunca. 

Meus olhos queimavam, minhas lágrimas queriam sair a todo custo, eu respirei fundo e comecei a falar. 

- Eu...eu...e-eu o amo, eu sempre o amei... – deixei as lágrimas caírem, já havia segurado demais. 

 Seokjin me olhou sorrindo, era um sorriso de esperança e alívio. Ele soltou minhas mãos e segurou meu rosto. Logo senti seus lábios quentes preencherem os meus. Como Manu mesmo me disse: Aproveite! Foi o que eu fiz, eu aproveitei o máximo que pude. 

Foi um beijo cheio de carinho, mas intenso com desejos escondidos. Acho que o vinho ajudou um pouco a deixar a gente mais soltinhos. Logo a falta de ar se fez presente, mas ele não me soltou, Jin apoiou sua testa na minha e eu conseguia sentir sua respiração quente em minha pele. 

- Eu também amo você! – ele diz eu arregalei meus olhos. – Eu quero fazer a coisa certa dessa vez, eu quero você do meu lado Yvi, onde você sempre deveria ter estado. – eu não conseguia mais conter minhas lágrimas, finalmente ele estava me dizendo o que a tanto tempo esperei ouvir ele dizer. – Como o Kookie mesmo me disse, eu fui um idiota mas mais do que isso eu fui um covarde e te afastei de mim. – eu o abracei forte e ele me apertou em seus braços. 

 O tempo mudou e a gente nem percebeu. Estava nublado e ventando um pouco. Ia chover logo, mas estava tão bom que eu não queria me desgrudar dele. 

Estávamos deitados no chão abraçados, eu fiquei com a minha cabeça apoiada no peito dele. Eu conseguia ouvir seu coração acelerado. Jin fazia cafuné em minha cabeça e eu me sentia relaxada com seus toques. 

Eu me lembrei de quando dava tempestade e eu morria de medo de trovão e ele corria em casa para ficar comigo, ou ficava no celular falando comigo para me distrair e cantava para mim. 

- Jin. 

- Hum. 

- Canta pra mim? - eu peço e ele ri.

- Claro amor. – eu ainda não me acostumei a ouvi-lo me chamar assim, mas confesso que era ótimo ouvi-lo dizer que me ama e não como amigo. 

 Logo ele começou a cantar uma melodia linda que me deixou totalmente encantada. A voz dele havia modificado um pouco, seu timbre estava mais entonado e ele estava mais confiante para cantar. 

Amugeotdo saenggakhaji ma... 

Neon Amu maldo kkeonaejido ma... 

Geunyang naege useojwo... 


Nan ajikdo mitgijiga anha...

I modeun ge da kkumin geot gata...

Sarajiryeo hajima... 

 

Is it true? Is it true?... 

You, you ... 


Gyeote meomulleojullae... 

Naege yaksokhaejullae... 

Son daemyeon naragalkka buseojikka... 

Geobna, geobna, geobna... 


Siganeul meomchullae... 

I sungani jinamyeon... 

Eobseotdeon iri doelkka neol irheulkka... 

Geobna, geobna, geobna... 


Butterfly, like a butterfly... 

Machi butterfly, bu butterfly cheoreom... 

Butterfly, like a butterfly... 

Machi butterfly, bu butterfly cheoreom... 

 Eu estava quase dormindo quando senti gotas de água atingirem o meu rosto. Tinha começado a chover, eu me levantei e Jin veio logo em seguida guardando as coisas dentro da cesta. Ele colocou dentro do porta malas as coisas e eu ia entrar no carro quando ele me puxa. 

- O que você vai fazer? – perguntei confusa. 

- Vem comigo. – ele diz pegando a minha mão e começou a correr e a me puxar junto com ele. 

- Espera, a chuva está aumentando. – falo em vão. 

- E daí, vai me dizer que você nunca tomou banho de chuva? – ele me olha sorrindo. 

 - Nunca. – eu disse eufórica e sorrindo também. 

- Então essa será a sua primeira vez. – ele pisca para mim. 

- Você ficou maluco? – eu falo preocupada a chuva estava aumentando consideravelmente. 

- Talvez. – ele ri. 

- Nós vamos ficar doentes seu maluco. 

- Não se preocupe eu cuido de você. – ele põe suas mãos em minha cintura me puxando e colando meu corpo ao seu. 

Ele estava quente, mesmo com nossos corpos molhados pela água fria da chuva o clima entre nós ainda se encontrava quente. 

- Eu pareço estar sonhando. – eu falo um pouco tímida e ele me olha com doçura. 

- E se eu fizesse isso? – ele põe uma de suas mãos em minha nuca e sela meus lábios novamente e depois me fita. – Você ainda acha que está sonhando? -

- Hum...deixe-me pensar? – eu finjo estar pensativa. – Eu acho que ainda estou. – eu digo rindo e ele sorri também. 

- Então eu vou me encarregar de te acordar dos seus sonhos. – ele me beija de novo, mas dessa vez ele aprofunda o beijo. 

 Nossas línguas brincavam como duas espadas guerreando por espaço. A chuva escorria em nossa face deixando tudo mais perfeito ainda. Nossos sentimentos estavam bem visíveis nesse momento. 

Só que eu já estava começando a sentir frio. Um vento arrepiou minha pele e ele percebeu me apertando em seus braços. Logo ele separou do beijo e ficou me fitando com um sorrisinho lindo. 

- Quer namorar comigo? – ele me pega de surpresa. 

Eu não sabia o que dizer, eu fiquei atônita por um momento que já estava esquecendo de responder pra ele. Então ele me chacoalhou um pouquinho me despertando do transe e eu soltei. 

- Não. – eu falei e ele me encarou assustado e um pouco até decepcionado. – Não vejo porque não aceitar o seu pedido. – eu falo rindo e ele respira aliviado. – Sim, eu aceito ser sua namorada. – ele sorri com seus olhinhos brilhando. 

- Quer me matar do coração é? – ele pergunta ofegante com a mão em seu peito. 

- Pelo visto você passou no teste porque você não morreu então isso quer dizer que o seu coração está funcionando maravilhosamente bem. – eu disse rindo e ele me encara com um olhar travesso. 

- Você é muito danadinha senhorita Yvi, e isso haverá consequências. – ele diz isso me encarando e eu me solto dele e vou me afastando devagarinho. 

- Consequências? – pergunto já entendendo o que ele iria fazer. 

- Uhum. – ele murmura sapeca. 

- Por acaso isso é uma vingança? – ele iria me encher de cosquinhas. 

- Sim. – a cada passo que eu dava me afastando dele mais um passo ele dava para se aproximar. 

- Jin, não! – eu o repreendo rindo, não conseguia me manter séria na frente dele. 

- Sim. – ele avança em minha direção. 

- Não! – eu gritei escandalosamente e saí correndo. 

Foi a noite mais divertida que eu já tive em toda a minha vida. Eu queria ter o poder de parar o tempo nesse momento e grava-lo em minha mente cada detalhe, cada gotícula de água que caía, cada risada e gargalhadas dadas. 

Tudo era simplesmente perfeito. Mas uma coisa que me fez ficar chateada era saber que ele ainda era namorado daquela metida da Sook. Será que eu estou fazendo bem em levar isso a diante?

...Sook On... 

- Essa garota não perde por esperar. 

 Sook estava dentro do seu carro um pouco afastada observando Yvi e Jin de longe com ódio mortal dos dois. 

...Continua... 


Notas Finais


E aí o que acharam?
Comentem!!!
Bjokass 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...