História Um amor duas vidas e um destino - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias F(x)
Personagens Amber Liu, Krystal Jung
Tags Kryber
Exibições 24
Palavras 1.124
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


buuuuuuuuuuuuu , fantasminhaOwl chegando pra zarpar na nossa historia niijjaaaaaa, cap curto pq a vida ta hard, desculpa a eternidade pra att, acho q vai ser preciso de vcs relerem para lembrar da historia ahhahahahahhaaha SORRY

vejo vcs lá em baixo

Capítulo 4 - O assassino


Fanfic / Fanfiction Um amor duas vidas e um destino - Capítulo 4 - O assassino

A noite começou a cair, estava na hora do jantar com o imperador, acompanhei Katsumi durante todo o trajeto ao salão aonde seria servido o jantar, quando estávamos quase chegando ele simplesmente parou e me ordenou

- Volte a seu quarto e não saia de lá, se Ujio te ver, duvido muito que você saia com vida daqui essa noite Amber, seja invisível enquanto a lua nos ilumina, e não faça a besteira de ir atrás dela

Assenti e sai, alguma coisa estava errada, Katsumi estava me escondendo algo, mas o obedeci, sabia do poder do Ujio e que não seria difícil mandar me executar, retornei ao quarto e fiquei à espera, nada iria me impedir de me encontrar com krystal, fiquei repassando o que ela tinha me dito, ‘‘ ao cair da madrugada vá para o jardim de cerejeira da área leste, lá você vai encontra um pequeno templo ao fim da ponte, estarei a sua espera meu amor’’

As horas iam passando e com ela minha ansiedade crescendo, estava quase na hora, o movimento do palácio já estava bem menor, via apenas a guarda fazendo a ronda e alguns monges pela janela, decidi me vestir com roupas leves para facilitar o movimento, e escuras para poder me esconder junto a noite

Olhei para o céu, estava carregado de nuvens o que deixava a noite ainda escura, estava na hora, subi sobre a janela e me joguei dela, escorregando pela parede para diminuir o empaqueto, devia ter uns quinze metros de altura, fui para área leste, me esgueirando entre as sombras, consegui chegar nas áreas dos jardins, o movimento dos guardas eram mínimos nessa área, fui passando de jardim a jardim, até chegar ao de cerejeira, encontrei um córrego e ó segui por alguns minutos, encontrei a ponte e o templo, percebi que não havia guardas nesse jardim estava completamente vario, segui para o templo, era pequeno, e ficava ao centro de um pequeno lago, só era possível o acesso pela ponte ou nadando, segui com cuidado e decidi que não iria pela ponte, era ariscado ser vista, mesmo sem guardas, a ponte se destacava entre a vegetação, decidi que iria pela parte de baixo da ponte, mergulhado no lago, o que não me parecia uma boa ideia também, já que a noite estava fria , mas era a única maneira no momento para chegar até o templo, o que posso dizer, a água estava fria pra caramba, quando finalmente cheguei ao templo só tinha  uma entrada e estava trancada

- Puta que pariu que frio, será que a krystal ainda não chegou? -  falei esfregando as mãos tentando me esquentar, ouvi passos vindo de dentro do templo, e a porta se abriu

- Acho melhor você tirar essa roupa molhada, se mais alguém te ver assim vou ter concorrência – Krystal falou me puxando para dentro e sorrindo

Ao entrar percebi que ela tinha arrumado todo o lugar, estava quente lá dentro, tinha brasas em vários vasos para aquecer, todas as brechas que poderiam denunciar a luz das velas dentro do templo estavam cobertas, tinha alguns tecidos dobrados ao chão que parecia se tornar uma cama improvisada e a frente tinha um belo jantar, não era grande, mas iria satisfazer duas pessoas com certeza

- Não te vi no jantar, imaginei que estaria com fome – falou tocando a minha mão e me guiando para o jantar

Poderia contar o que aconteceu a seguir, mas deixo a imaginação de vocês a cargo disso, como o título de melhor noite da minha vida.

Ainda durante a madrugada tivemos que partir do nosso pequeno paraíso, sair dos braços da krystal não foi algo fácil, mas tínhamos obrigações a cumprir, e daquele dia em diante eu pertencia krystal e ela a mim, selamos aquela noite com uma promessa de que nada nos iria impedir de voltar para casa juntas.

Voltar para meu quanto foi uma tarefa fácil, a segurança não era das melhores, me restava torcer para não terem notado a minha falta e nem da krystal

Logo o sol nasceu e com ele o início do festival de outono, ouço a porta do meu quarto se abrir e um Katsumi furioso aparecer

- Não sei o que vocês pensaram para fazer essa burrada, mas agora uma guerra vai começar e vidas serão perdidas por causa de uma noite de inconsequência, e você vai ser acusada por sequestro e traição, krystal vai ser forçada a casar imediatamente ou se tornar uma gueixa, e quando falo gueixa quero dizer outra palavra. Não sei se salvo você ou krystal uma das duas terá que ficar e aguentar as consequência e julgamento.

- Todos já sabem?

- Ujio sabe, o que é suficiente para um desastre. Eu te avisei para não ir atrás dela Amber, você achou mesmo que ele não colocaria seus melhores homens para vigia-la, ele e obcecado por ela

- Então a salve Katsumi, eu assumo tudo

- E você acha que ela iria sair daqui sem você? Vocês duas poderiam ter esperado mais, apenas mais uma estação, estaria tudo pronto, agora não temos exército e estamos na casa do inimigo

A porta se abre, e uma krystal ofegante surge – tenho uma notícia boa e uma ruim qual vocês querem primeiro?

- A boa – dissemos juntos eu e Katsumi

A boa é que não vou mais casar com o filho do imperador

- E a ruim? Perguntei

- Ujio acabou de assassinar o pai dele na sala do trono, porque não queria que seu filho se casasse comigo. E agora ele é o imperador, acho melhor a gente correr e sair daqui antes que ele ache a gente

Peguei minha armadura joguei em minhas costas, pegue a mão da krystal a puxando em direção a janela, ela e katsumi entenderam e todos pulamos a janela em direção a multidão que se formava para comemorar o festival, nos misturamos entre todas aquelas pessoas e fomos indo em direção da saída do palácio, tentando ser o mais rápido possível sem chamar a atenção, quando estávamos quase nos portões das muralhas que cercava a área do palácio ouvimos as trombas soarem, avisando os guardas que algo tinha acontecido e os portões começaram a ser fechados, no último momento conseguimos passar, por sorte vimos a carruagem do katsumi nos esperando, entramos e eles ordenou ao cocheiro ir para dojô do clã Taira

- Ainda bem que pedi para que a carruagem se mantivesse a posto durante toda nossa estadia, agora precisamos de ajuda para sair da capital Edo, creio que os Taira vão nos ajudar – disse o Katsumi

Fomos em silencio pelo caminho todo, a única coisa que consegui sentir além do medo era a mão da krystal sobre a minha.

 


Notas Finais


é ai a culpa e dos hormônios ou a krys q nao resistiu a lhama dlç?

eu tinha falado que seria 3 cap, mas já estamos no quarto :p e ai o que vcs tao achando? aceito dicas, sugestões, vai que sua ideia acaba aqui na fic né

bjs na bunda ninjjaaaa pq hoje estou muito niinnjaaaaaaaa http://2.bp.blogspot.com/-G4NHHkaUPw8/ToFvxS7xbyI/AAAAAAAAC3U/7BLsHfQD5ZY/s1600/owlninja%2Bcopy.jpg


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...