História Um Amor Incondicional " A conquista do Sub Mundo" - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Amor, Drama, Homossexualidade, Romance
Visualizações 55
Palavras 3.812
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mais um pedacinho da nossa Historia.

Capítulo 17 - Nunca Alguém como você


Fanfic / Fanfiction Um Amor Incondicional " A conquista do Sub Mundo" - Capítulo 17 - Nunca Alguém como você

...Um ano depois.

_Hum!!! Mas que cheiro é esse._ Alec pergunta enquanto se encaminha para cozinha onde Jace preparava um macarrão com queijo, uma das comidas preferidas do caçador.

_Oi lindo, você demorou hoje. _Jace se aproxima dá um beijo na boca de Alec que retribui e solta um suspiro de cansaço. 

_ É hoje não foi fácil, tivemos várias conversas com representantes da Clave e eles querem uma reunião com os principais líderes do submundo.

_ E isso significa que?...

_Que terei que me reunir com eles...

_Quando você diz eles quer dizer que vai falar com Magnus?

_Jace... Não começa... Magnus é um representante assim como Rafael e Luke, e sim vou ter que falar com ele.

Jace faz uma cara de quem não gostou, mas se desculpa.

_Desculpa é que já faz um tempo desde a última vez que vocês estiveram juntos, e eu sei que tudo que aconteceu foi muito doloroso... 

_Jace, estou com você agora. _Alec o beija e sai da cozinha.

Ele entra no quarto, vai em direção ao banheiro e fecha a porta. Alec pára em frente ao espelho olha seu reflexo e vê o pequeno pingente de cristal em formato de anjo pendurado na delicada corrente de ouro, um presente que Magnus havia dado a ele na última noite deles juntos. Ele o toca, fecha seus olhos e é invadido pelas lembranças mais intensas dos olhos, da boca, do cheiro e do gosto do feiticeiro.

_Pelo anjo! Como posso ser tão ligado a ele ainda...

Alec sabia que Magnus não lembrava nada do tempo que estiveram juntos, Ragnor  havia escondido  suas lembranças em uma parte remota de sua  mente   e aquele pequeno pingente continha a essência das memórias do feiticeiro. Alec só não entendia porque todas as vezes que ele o tocava se lembrava de tudo tão nitidamente, era possível sentir o perfume, o sabor a textura da pele de Magnus. Alec se sentia horrível por ainda ter esse sentimento tão forte dentro de si, pois ele estava com Jace  e o loiro tinha sido importante para a sua recuperação, ele havia entrado em uma depressão terrível após Ragnor ter apagado as memórias de Magnus, mas não podia evitar, as lembranças do tempo junto com o feiticeiro não abandonavam seus pensamentos. Ele toma um banho rápido, se veste e vai ao encontro de Jace novamente, o encontra sentado na sala de jantar olhando para a travessa de macarrão a sua frente.

_Ei... Tudo bem estava me esperando?_Alec se senta ao lado de Jace que o olha e pergunta.

_Alec você ainda ama Magnus?

_Jace... De novo essa conversa, até quando ficaremos voltando neste assunto?

_Alec eu sei, eu vejo nos seus olhos... Já faz um ano, mas parece que você não deixa ir, eu sinto como se ele ainda estivesse aqui...

_Deixa de bobagem Jace, isso tudo é porque terei que falar com ele? Eu mando Rafael no meu lugar, mas agora chega desta conversa._Alec se levanta da mesa e sai...

_Não vai jantar?

_Não, perdi a fome._Alec responde batendo a porta do quarto.

_Droga... _Jace pega a travessa de comida e leva para cozinha guarda tudo na geladeira, tinha perdido a fome também. Ele fica ali um tempo olhando para o nada e decide que não iria deixar a noite acabar daquela forma, ele iria fazer Alec esquecer Magnus e começaria agora.

Ele entra no quarto Alec estava em pé olhando a noite pelas grandes janelas, ele adorava ficar assim só observando as pessoas os carros, ele sente a presença de Jace no quarto e sem se virar pede desculpas.

_Jace, sinto muito, estou cansado a clave tem pressionado querendo que tomemos uma posição a respeito da fuga de Valentine e a rainha Silie não tem facilitado as coisas, sei que não tenho o direito de descontar em você, mas... 

Jace já estava bem próximo do moreno quando o abraça e começa a dar pequenos beijos na nuca do caçador, Alec adorava aquilo tudo, com Jace era simples, fácil de uma serenidade e paz inigualável. Ele se deixa levar pelos toques doces se entregando, Jace o vira e toma sua boca tirando devagar as roupas de Alec.

_Vem vou te fazer esquecer tudo, me deixa  cuidar de você.

Jace era um homem forte de personalidade dominadora, mas quando estava com Alec era doce e carinhoso, como se precisasse de Alec para domar toda agressividade dentro dele.  

Alec deixa Jace o levar para a cama e tirar o restante sua roupa e a sua própria , tudo sem deixar o olhar do caçador uma única vez, quando estavam ambos nus Jace vira Alec de costas pega um vidrinho de óleo de massagem que estava sobre a cabeceira da cama e senta sobre os quadris do moreno, derrama aquele líquido perfumado em suas  costas, Alec se deixa levar pelas carícias que Jace agora fazia, movimentos leves relaxantes que foram fazendo Alec realmente se esquecer de tudo que o afligia.

_Jace..._Com uma voz rouca de desejo Alec chama pelo homem que o acariciava com tanto amor.

_Sim meu lindo...

_Quero você agora...

Alec gostava de fazer amor com Jace, não era um sexo quente, exigente e lascivo como era com Magnus, mas era prazeroso. Jace sabia como tocar Alec delicadamente trazendo toda ternura e doçura que o sexo pode ter, mostrando a Alec que fazer amor podia ser lento e suave e ainda sim ser tão gostoso quanto um sexo sujo e cheio de luxúria. 

Jace vira Alec para que ficasse de frente para ele, queria olhar em seus olhos quando estivesse dentro dele. Perdido naqueles olhos tão azuis Jace entra vagarosamente atendendo ao pedido de Alec que gemia baixinho sentindo todo cuidado de Jace com ele. Se deixando levar pelo ritmo que Jace havia imposto Alec fecha os olhos. Tudo com Jace era calmo, lento, fácil sem dificuldades, tudo era paz e mansidão. Jace intensifica os movimentos, tocando o rosto de Alec ele pede que o moreno abra olhos.

_Lindo abra os olhos...

Alec obedece, abre os olhos e vê aqueles olhos verdes, mas não eram os de Magnus então ele os fecha novamente, Alec ultimamente estava  sentindo muito falta de Magnus, quando estava na cama coma Jace não se lembrava do feiticeiro, mas de uns tempos para ca ele não conseguia afastar as lembranças de sua mente, mesmo quando estava transando com Jace.

_Abra os olhos Alec... Olhe para mim...

_Eu não posso Jace... Não me peça isso...

Alec deixa uma lágrima escorrer... E quando finalmente abre os olhos novamente vê Jace olhando para ele com uma tristeza imensa e pergunta com uma voz dura.

_Você nunca vai esquecê-lo não é? 

_Eu sinto muito Jace...

Jace levanta, veste suas roupas e sai do quarto deixando Alec sozinho e angustiado.

Jace se senta na varanda do apartamento, como ele pode ser tão idiota, Alec nunca deixaria de amar Magnus. Eles eram um, mesmo Magnus não se lembrando de nada Alec ainda era ligado ao feiticeiro suas almas ainda eram ligadas pois a Runas de Ligação de Alec não havia mudado depois que Ragnor apagou as memórias de Magnus.

Alec encosta no batente da porta que dava para a varanda observando Jace olhar para o nada e pensa.

"Porque não se apaixonava por Jace, tudo seria mais simples. Jace o conhecia tão bem, sabia do que ele gostava... das coisas que o irritavam, mas mesmo depois de um ano Magnus ainda estava em seu sistema, habitava seus pensamentos e pelo anjo, Alec sentia falta do jeito que Magnus o tocava, o fazia gemer com um simples beijo, com um olhar ele já se derretia todo para o feiticeiro, e quando faziam amor era tudo tão quente e selvagem, uma tempestade de luxúria, paixão e desejo, ele ainda amava Magnus do mesmo jeito, ele não podia mais fazer isso com Jace, ele não merecia.”

_Jace... Podemos conversar?

Jace dá um suspiro e olha para Alec fazendo um sim com a cabeça.

_Jace eu sinto muito... Eu ... Droga eu...

_Você ainda o ama não é?

_Sim...como no primeiro dia em que o vi.

_Eu fui um idiota em pensar que poderia fazer você esquecê-lo.

_Não, o idiota sou eu por não amar você como você merece tudo seria perfeito.

_Eu sempre soube que você nunca olharia para mim do jeito que você olhava para ele, mas eu acreditei que poderíamos ser felizes juntos, eu acreditei que aquele sentimento de quando éramos adolescentes poderia ainda estar guardado dentro de você, mas eu me enganei, o que você sente por mim Alec, não é amor.

_Jace, não é verdade eu amo você... Eu nunca faria nada para te magoar...

_Não Alec, você não me ama como ama Magnus, quando estamos fazendo amor eu vejo nos seus olhos Alec que não sou o que você quer, e por mais que você se esforce fica claro que nunca serei.

_Jace eu sinto muito... Não me odeie por isso, não foi minha intenção nós tivemos momentos lindos é só que...

_Só que eu não sou Magnus Bane, para de negar Alec é ele que você quer e sempre quis, vai atrás dele, Magnus pode não se lembrar de tudo que vocês viveram, mas não significa que não possam ter novas lembranças conquiste ele novamente. Se o amor dele por você for forte como o seu por ele, deve estar em algum lugar dentro dele, basta você despertá-lo.

_Jace... Eu amo você... Não como um namorado, mas você sabe que eu faria qualquer coisa para te ver feliz, só não consigo mais...

_Eu sei Alec, eu sei... Agora eu queria ficar sozinho, por favor.

_Jace eu sinto muito...

_Está tudo bem Alec...

Alec sai deixando Jace sozinho que chora deixando toda dor sair, sabendo que aquela parte de sua vida se encerrava ali, agora era se concentrar no trabalho e deixar a vida trazer novas surpresas.            

Já era quase 13:30hs, havia um mês que Alec tinha  marcado a reunião com os representastes do sub mundo tinha visitado um por um entregando o comunicado e deixando claro a importância da presença de todos,  a reunião estava marcada para as 14:00hs e Alec detestava atrasos. Todos já estavam lá menos Magnus, ele ainda não havia chegado, Alec olhou uma última vez para o relógio e decidiu se dirigir para a sala de comando onde seria feita a reunião.

Após a guerra no inferno a Clave tinha aceitado o novo governo levantado pelos principais líderes do submundo. Juntamente com Rafael, Luke, Magnus e Melyor como representante da Rainha Silie, Alec tinha estabelecido uma sede de comando onde conseguiam monitorar tudo que acontecia no submundo sendo agora reportado a eles e não mais a clave todos os incidentes e crimes praticados pelos sub mundanos. A sede não deixava nada a desejar, era bem equipada com os melhores computadores e equipamentos uma sala de armas e uma de treinamento, tudo muito bem organizado, Jace era o responsável por toda a segurança e treinamento dos soldados, Izzy acabou se desligando da clave também e agora era a médica forense, já que era esta sua área de atuação. O prédio era localizado em uma área central do Brooklin com uma fechada de um conjunto de escritórios de advocacia, os recursos que eles dispunham facilitava tudo então não levantavam suspeitas.

Alec toma o elevador para a sala de comando, pois a central ocupava os quatro últimos andares do prédio, sendo a sala do comando no último andar. Ele entra de cabeça baixa e quando a levanta perde todo o ar, Magnus estava encostado na parede de trás do elevador, lindo como sempre. Ele olha para Alec e o chama pelo nome...

_Alexander ... como vai?

_Magnus... eu...estou bem...

_Nervoso com alguma coisa?

_Sim...Não..é a reunião, estes encontros me deixam nervoso.

As portas do elevador se abrem, mas Alec continua ali parado olhando Magnus, como se ele fosse um copo de água bem gelado no dia mais quente de verão.

_Vamos, acho que estão nos esperando.

_Claro...

Alec sai do elevador com o coração acelerado batendo tão forte que achou que todos na sala poderiam ouvir, ele pede um segundo e se dirige ao banheiro para tomar um fôlego, entra joga água no rosto para se acalmar e escuta a porta do banheiro sendo aberta.

_Alec você esta bem? _Izzy pergunta dando uma risadinha.

_Izabelle este banheiro é masculino... 

_Eu sei... Mas não consegui me segurar, vi você sair do elevador e Magnus estava lá dentro com você então... Pode ir me contando tudo que aconteceu lá dentro.

_Izzy já estamos atrasados para a reunião e não aconteceu nada dentro do elevador, por tanto dona curiosa vamos logo, e além do mais não fico querendo saber o que se passa entre você e Rafael.

_Ué! É só você perguntar que eu te conto.

_Não Izzy, não preciso ter em minha mente minha irmãzinha fazendo... Pelo anjo Izzy,vamos  todos estão nos esperando.    

Estavam todos esperando para o início da reunião inclusive Maryse a clave a havia mandado como sua representante.

_Desculpem o atraso, podemos começar?

_Creio que estamos todos aqui senhor Alexander _Magnus diz o nome do caçador vagarosamente.

Alec fica tão vermelho que Rafael toma a palavra vendo o constrangimento do amigo.

_Bem como todos sabemos estamos aqui para traçar um plano para a captura de Valentine, alguém gostaria de sugerir alguma coisa?   

_A clave já está com seus melhores soldados patrulhando as ruas, creio que é uma questão de tempo até acharmos Valentine._Maryse fala como se o assunto já estivesse resolvido.

_Acho que a Clave não está fazendo favor nenhum ao submundo, uma vez que foram vocês que permitiram que ele fugisse._Magnus fala indignado com a presunção de Maryse em achar que o assunto já estava resolvido.

Alec olhava tudo completamente sem ação, parecia estar tendo um déjà vu, como podia estar acontecendo de novo, sua mãe e Magnus discutindo em uma reunião que ele presidia, só que desta vez seria diferente ele não era mais o mesmo, tinha amadurecido como líder e não permitira esse tipo de atitude de nenhum dos lados.

_Parem os dois, não estamos aqui para nos acusarmos e sim para acharmos uma solução juntos para este problema.

_Claro... desculpe meu filho não quis causar nenhum desconforto.

_Aqui você não é minha mãe e sim uma representante da Clave, não será tratada de forma diferente e nem terá privilégios.

_Não esperava outra coisa de você Alec.

_E Magnus, a clave não teve culpa na fuga de Valentine, pelo contrário se não fosse o treinamento eficaz dos soldados muitas vidas poderiam ter sido perdidas, então vamos cooperar uns com os outros, é para isso que estamos aqui.

_Com toda certeza Alexander, não tive a intenção de provocar nenhum tipo de desacordo.

O restante da reunião correu bem todos sairão satisfeitos com tudo que foi acordado, Alec se despede de todos e já estava alcançando os elevadores quando ouviu seu nome ser chamado.

_Alexander posso falar com você um minuto? 

Alec para e respira fundo, se ouvisse Magnus pronunciar seu nome mais uma vez não responderia por seus atos, ele se vira devagar para responder o feiticeiro.

_Claro Magnus do que precisa?

_Bom podemos conversar no seu escritório?

Pelo anjo como ele suportaria Magnus pronunciando seu nome com aquela voz rouca e sexy, dentro de um ambiente fechado sozinhos, sem falar que tinha mais de um mês que ele não... Que o anjo o ajudasse. 

_Alexander... Você me ouviu?

_Magnus você poderia me chamar de Alec, em vez de Alexander.

O elevador que Alec tinha chamado chega e os dois entram, as portas se fecham Alec aperta 21º andar, mas Magnus aperta o botão de emergência fazendo o elevador parar,

_Mas!... O que você esta fazendo? Ficou maluco?

Magnus olha para os olhos azuis de Alec e sente como se aqueles olhos lhe pertencessem, chega um pouco mais perto do caçador e sussurra bem perto de seu ouvido.

_Eu acho Alexander um nome muito sexy você não gosta?

Alec perde todo o ar ele não iria resistir... Ele olha para a boca de Magnus, aquela proximidade era enlouquecedora e quando ia beijá-lo, as portas se abrem Rafael e Izzy olham a cena querendo esconder o riso, mas falhando absurdamente.

_O alarme de emergência do elevador tocou na sala de comando e..._Izzy estava a ponto de estourar de rir da cara de seu irmão quando Rafael a puxa pelo braço.

_Vamos linda... Acho que Alec e Magnus têm assuntos inacabados... E o ar do elevador é propício para esse tipo de conversa. Há!!! Alec só não se esqueça das câmeras de vigilância._E os dois saem rindo alto da cara de constrangimento do caçador.

Alec olha para o feiticeiro que agora estava rindo também e pergunta.

_Podemos conversar outra hora Magnus?

_Isso vai depender Alexander.

_Alec, por favor, me chame de Alec.

Magnus estava tão perto que dava para sentir sua respiração.

_Eu não vou te chamar de Alec, porque gosto de como seu nome sai da minha boca, e sim podemos conversar hoje a noite no meu apartamento as 21:00hs estarei esperando, não se atrase.

Magnus sai sem esperar resposta deixando Alec precisando urgente de um banho frio.

Já era 20:40hs quando Alec sai do quarto todo perfumado ele estava vestindo o de sempre calça preta, camisa preta, jaqueta preta. Izzy olha para o irmão e faz uma cara de reprovação.

_Mas o que foi? Ta tão ruim assim?

_Alec sua paleta de cores é resumida em duas né? Preto e branco pelo anjo coloca um pouco de cor parece que esta indo a um velório.

Rafael que estava sentado ao lado de Izzy dá uma risada alta que irrita o caçador.

_Rafael você não tem um clã para tomar conta? Porque sempre que olho para este sofá você está sentado nele, se gosta tanto dele assim vou mandar entregá-lo no Dumor’t o que acha?

_Ei! Cunhadinho não precisa ficar bravo, saiba que acho seu visual... Hum!!! Imponente...

Alec solta o ar com mais força pela boca mostrando sua insatisfação com o comentário, mas não diz mais nada.

_Se seu encontro é as nove você já está atrasado._Izzy fala olhando para Alec com divertimento.

Ele sai bate a porta está nervoso não tinha voltado a conversar com Magnus desde sua última noite juntos, o relacionamento desde então era em comprimentos nas partes comuns do prédio onde moravam e troca de palavras nas reuniões na SDSM (Sede do Sub Mundo). Alec manteve o máximo de distância do feiticeiro era doloroso demais ter ele tão perto e ao mesmo tempo tão longe. Ele agora está parado em frente a porta do loft tomando coragem para bater, quando sente alguma coisa roçar suas pernas, ele olha e vê Presidente Miau se enroscando nele pedindo colo, Alec se abaixa pega o bichano nos braços e bate na porta.

Magnus já estava irritado com a demora do caçador andando de um lado para o outro pensando em como Alec mexia com ele, era como se já o conhecesse e isso era muito estranho. Magnus era um feiticeiro experiente e sabia que tinha algo errado ele pressentia isso, e sem contar que feiticeiros não sonham e ele sonhava com Alec quase toda a noite, só que isso nunca o incomodou uma vez que ele achava Alec um gato, porém de uns tempos pra cá ele notou que mesmo quando estava acordado tinha  Flashs de momentos que ele não sabia se eram imaginação ou se tinha realmente acontecido, e ele já estava cansado disso estava disposto a conseguir respostas mesmo que para isso tivesse que seduzir o diretor do SDSM.

Magnus escuta o bater na porta e se apressa em atender.

_Olá... vejo que você trouxe um certo gato fujão para casa, posso dizer que você é meu herói.

Alec dá um sorriso envergonhado ficando vermelho sentindo seu rosto queimar, era incrível como Magnus despertava nele sentimentos tão contraditórios. Alec era tímido apesar de ser um líder e ter um poder de liderança excepcional ele era extremamente inibido no que dizia respeito a relacionamentos, mas com Magnus ele era tão safado e desinibido, não tinha vergonha de seus desejos mais sórdidos ele se sentia livre.

_Você vai ficar parado aí até quando, entra eu não mordo, a não ser que você queira. 

_Você é sempre assim, fala tudo que vem a sua cabeça?

_Bom... Isso depende Alexander.

_Você, não vai mesmo parar de me chamar assim não é?

_Me dê um motivo Alexander, um motivo convincente para que eu pare de chamar você assim, se você conseguir me convencer eu paro.

Alec estava com a respiração acelerada, talvez aquele encontro tivesse sido uma má idéia, ele não conseguiria conversar com Magnus como se não o conhecesse, como se não tivessem vivido coisas intensa e marcante, talvez fosse melhor ele esquecer tudo isso e ir embora.

_O que foi Alexander? Não tem um bom motivo que possa me convencer?

Magnus agora estava bem perto do caçador que já tinha perdido todo sentido e raciocínio, tudo que Alec tinha em mente agora era que queria beijá-lo. E foi isso que ele fez sem pensar, ele queria tanto aquilo, tomou Magnus em um beijo cheio de saudade, desejo, luxúria.  Magnus a princípio se assusta com a atitude do caçador, mas depois era como se já conhecesse a boca de Alec, o gosto que ela tinha.  Ele assume o beijo prendendo-o contra a parede pressionando o caçador sentindo cada músculo do seu corpo reagir, mas era tudo tão familiar como se Alec fosse sempre seu, como se o caçador o pertencesse. Alec solta um gemido e aquele som leva Magnus a loucura pressionado ainda mais seu quadril contra o de Alec que agora já não tinha mais controle de seu corpo, tudo estava perdido ele não conseguiria voltar atrás, mas Magnus para o beijo ainda prendendo Alec contra a parede ele olha na imensidão azul daqueles olhos que era tão familiar e pergunta.

_Quem é você Alexander, porque te quero tanto assim sem ao menos te conhecer.

Alec respirava com dificuldade não sabia o que dizer.

_Me solta me deixe ir...

_Não até você me falar o que está acontecendo.

_Não tenho nada para te falar não sou especial sou uma pessoa comum.

_Você esta longe de ser comum não existe e não vai existir, nunca alguém como você meu anjo

Alec não acreditava no que estava ouvindo ele não podia ficar ali ele tinha que sair, ele tenta se soltar dos braços de Magnus quando percebe que o feiticeiro o prendia com um feitiço, Alec começa a se desesperar e Magnus percebe e libera o caçador.

_Ei calma não só quero saber o que esta acontecendo não precisa ficar assim, tudo bem se quer ir embora. Disse Magnus com ternura na voz.

_Desculpe... Eu vou embora isso foi um erro... Não posso sinto muito...
Alec sai deixando Magnus totalmente confuso.   


Notas Finais


Ai gente espero que estevam gostando da historia. fazemos tudo com muito carinho, a revisão que é feita pela minha miga kkk Ayme23 e espero que estejam gostando da capas do inicio de cada capitulo são todas feitas por mim adorooora fazer para deixar o capitulo bonito. Beijos e até amanhã, e vou te falar o capitulo de amanhã ta foda...kkkkkkkkkk.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...