História Um amor inesperado - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Restart
Personagens Koba, Pe Lanza, Pe Lu, Personagens Originais, Thomas
Exibições 12
Palavras 1.228
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Sepse


Fanfic / Fanfiction Um amor inesperado - Capítulo 10 - Sepse

  Tomei banho, na verdade o Pedro me deu banho, ele passava a mão por todo meu corpo.

  Acabamos e fomos dormir, dormimos abraçados, era bom ficar em seus braços, me sentia protegida.

  Acordei no outro dia, Pedro não estava na minha cama, então fui para o banheiro, Pedro estava tomando banho, com o box aberto, eu estava só de calcinha e sutiã, Pedro me puxou pra dentro do box, eu tentei me soltar mas ele me deixou. Nem tomamos banho direito, ficamos abraçados sentindo a água quente no corpo, aproveitando o momento.

  Depois de um tempo decidimos sair, me enrolei na toalha, Pedro também, enrolou a toalha na cintura.

  Pedro já havia se trocado, estava me trocando, e senti seus braços me abraçando pelas costas, me virei e Pedro me beijou, fomos em direção a cama, sem parar o beijo, Pedro se deitou em cima de mim, e continuou me beijando.

  Ele desenrolou a toalha do meu corpo, e passou a mão pelo mesmo. Alguém bateu na porta, Pedro saiu de cima de mim e disse num sussurro:

  - se cobre com o cobertor, e finge que tá dormindo - assim fiz.

  Depois que Pedro disse isso, escutei ele dizendo "quem é", e alguém respondeu "sou eu, Mi" "entra" ele respondeu.

  Escutei a porta sendo batida, e passos vindo em minha direção, senti uma respiração em meu pescoço. E a Mi disse:

  - não precisa fingir, eu sei que você tá acordada - não respondi, apenas continuei parada - se não me responder eu tiro sua coberta - ela disse isso e eu me levantei, e segurei a coberta, cobrindo meu corpo - sabia que você tava acordada.

  - eu tava quase dormindo.

  - você não sabe mentir Gi - ela disse rindo - Pedro sai do quarto - ela continuou.

  - pra que? - ele respondeu.

  - eu quero conversar com  a Gi, ué.

  - agora eu vou resolver uns negócios da banda, vai pro seu quarto.

  - ela precisa se trocar.

  - ela se troca e vai.

  - tá chato em.

  - você sabe porque.

  - aí porque eu atrapalhei o... - Pedro interrompeu ela.

  - exatamente, não precisa terminar.

  - tá vou pro meu quarto, e Gi se troca logo.

  - tá bom - respondi e a Mi saiu do quarto.

  - vamos continuar?

  - eu tenho que ir falar com a Mi, quero ver o que ela quer.

  - ela espera - Pedro disse se pondo em cima de mim, e me beijando.

  - deixa eu me trocar agora - disse em meio ao beijo, depois de um tempo.

  - você já sabe o que ela vai perguntar, não sei porque tá curiosa.

  - eu não sei não.

  - então tá, você vai ver o que ela quer.

  Me levantei e fui me trocar, eu realmente não sabia o que a Mi queria.

  Acabei de me trocar e fui no quarto da Mi.

  Bati na porta e recebi um entra como resposta.

  - que foi Mi?

  - senta aqui - ela disse batendo do lado da cama, fui e me sentei - você era virgem né.

  - e por que não sou mais?

  - tu tava nua, deitada na cama do Pedro, não vem me falar que não rolou.

  - eu tinha acabado de tomar banho.

  - da outra desculpa.

  - mas eu tinha mesmo tomado banho.

  - Gi.

  - rolou ontem, mas eu tava daquele jeito por causa do banho.

  - então tá, mas me fala, como foi?

  - normal.

  - quero detalhes.

  - eu cheguei, ai a gente tava se beijando, ele me jogou na cama, a gente continuou se beijando, ele tirou minha blusa e me sutiã, aí foi rolando.

  - mas ele não te obrigou a nada né.

  - não, ele perguntou mil vezes se eu não queria, ou queria ir mais devagar e tal.

  - meu irmão é muito fofo - concordei com a cabeça.

  - era só isso?

  - não - ela disse e ficou um tempo em silêncio - a duda ela...

  - o que tem a duda?

  - ontem ela tava mal, aí levei ela no médico.

  - o que minha afilhada tem?

  - ela tem sepse?

  - o que é isso? É muito grave? Tem tratamento?

  - a médica me deu esse papel aqui, explicando tudo - ela disse me dando um papel.

  No papel estava escrito "Sepse é uma condição com risco de vida, que ocorre quando um agente infeccioso - tais como bactérias, vírus ou fungo - entra na corrente sanguínea de uma pessoa. A infecção afeta todo o sistema imunitário, o que então desencadeia uma reação em cadeia que podem provocar uma inflamação descontrolada no organismo. Esta resposta de todo o organismo à infecção produz mudanças de temperatura, da pressão arterial, frequência cardíaca, contagem de células brancas do sangue e respiração. As formas mais graves de sepse também podem causar uma disfunção de órgãos ou o chamado choque séptico. A sepse requer cuidados médicos imediatos"

  - Mi minha sobrinha pode morrer!! - eu estava visivelmente aflita - mas como ela pegou isso?

  - ela teve pneumonia no mês em que você viajou.

  - e você não me avisou?

  - não queria estragar sua viagem.

  - tá, mas tem alguma forma de tratamento?

  - ela vai ter que ficar internada, como ela é só um bebê o risco é maior.

  - Mi já falou para os seus pais?

  - ainda não.

  - quando ela vai se interna?

  - amanhã.

  - eu vou ficar com ela.

  - não, eu vou, você, o Luan, o Pedro e meus pais, por mais preocupados que eles estejam, só vão poder visitá-la 3 vezes na semana.

  - eu não vou aguentar.

  - vai ter, minha filha tem que se tratar, não quero perdê-la.

  - tá bom.

  - vamos descer?

  - claro.

  Descemos, e eu não tirava da cabeça a duda, estava muito preocupada com ela.

  - bom dia!! - disse assim que cheguei na cozinha.

  - bom dia - Pedro disse - aconteceu alguma coisa?

  - depois eu falo com você.

  Eu estava tão preocupada, que até o Pedro percebeu.

  Acabei de tomar café, olhei para Pedro como se tivesse dizendo para que ele me seguisse, ele entendeu e foi atrás de mim.

  - Gi - ele me chamou - eu me virei e o abracei.

  - a dudinha tá doente - disse ainda no abraço.

  - o que ela tem? - ele perguntou saindo do abraço.

  - é tipo uma infecção, causada por vírus, bactérias e essas coisas, ela teve pneumonia a Mi disse, e isso causou a doença, é mais ou menos isso.

  - mas tem tratamento? E pode levar a morte?

  - sim e sim, ela vai ter que ficar internada.

  - ela vai ficar bem - Pedro disse botando a me abraçar.

  - espero.
   


Notas Finais


Gente essa parte sobre a doença eu peguei no Google, assim vocês entendem melhor. A história da doença não vai render muito, tive essa idéia pra mostrar pra vocês (que lêem) que essa doença que é gravíssima. Pesquisem no Google sobre ela...



Espero que tenham gostado, favoritem a história, e comentem oq acharam


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...