História Um amor mais que real - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Andrei Soares "Spok" Alves, Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Andrei Soares "Spok" Alves, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Rafael "CellBit" Lange
Tags Malepok, Maryssa
Exibições 129
Palavras 2.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 41 - Noite juntinhos?


P.O.V Spok

 Iria passar a noite na casa da Malena. Liguei para a minha casa avisando. Depois de ter avisado, a Malena me levou para o quarto dela.

- O que eu não faço por você? - Falei a puxando para um abraço. - Te amo demais... Você não tem idéia do quanto...

- Acho que tenho idéia sim...- Ela falou. - Por que se não me amasse assim.. Não  me procuraria... E pode ter certeza que eu te amo muito mais do que você me ama.

- Acho que não...- Falei a pegando no colo. - Eu te amo tanto, que prefiro mil vezes que me matem ao que encoste um dedo em você.

- Own..- Ela falou beijando minha bochecha. - Eu te amo tanto que tem sacrifícios que valem a pena se é pra você...

- Te amo... - Falei selando nossos lábios. Mordisquei seus lábios enquanto a mesma apenas suspirava.  Aprofundei o o beijo a puxando para mais perto.

- Se forem se comer fechem a porta...- Moira disse da porta. Nos separamos completamente corados.

- MOIRA! - Malena gritou. - Que saco me deixa em paz!

- Ixi tá nervosinha? - Moira. - Já volto...- A mesma falou indo até seu quarto.

- Não.. Não tem essa de voltar...- Malena.

- Vocês duas parecem gato e cachorro..- Falei rindo um pouco.

- Ela é muito chata...- Ela falou - Não sei por que minha mãe não coloca ela pra fora de casa.. Que raiva..

- Ei fica calma...- Falei acariciando seus cabelos.

- Voltei...- Moira. - Malena tó.. - A mesma entrou e entregou uma caixinha a Malena. - Bom pelo menos eu acho que não temos que conversar.. Boa noite.. - Ela disse saindo do quarto e fechando a porta.

- Que chatice...- Malena disse colocando a caixa em cima da cama. - Popok temos um problema... Você vai ter que pedir uma camisa pro meu irmão... Ou pode dormir de cueca...- A mesma corou.

- Sei lá...- Falei. - Se não for te deixar mais envergonhada que já está..

- Tudo bem... - Ela falou. - Bom vou colocar meu pijama..

Começamos assistir nos trocar. Ela se trocava ali mesmo porém estava de costas para mim. Eu me despia apenas ficando de cueca. Dobrei a roupa e coloquei em cima da escrivaninha que tinha no quarto.

- Que que será que tem nessa caixa hein? - Perguntei curioso.

- Abre.. - Ela falou dobrando a roupa que havia retirado. 

- Ah... Ela foi até legal de ter te dado isso...- Falei me aproximando da caixa.  - Olha só que caixa bonitinha...- Falei pegando a mesma e a abrindo. - Meu Deus... - Fechei a caixa rapidamente corando e rindo.

- Que foi ? - Malena disse se aproximando de mim. - Do que você tá rindo?

- Nossa ela é pior que eu...- Falei tendo uma crise de risos.

- Que foi? - Ela perguntou. - Que que tem nessa caixa?

- Nem olha...- Falei ainda rindo. 

- Ah eu quero ver... - Ela falou abrindo a caixa. - Meu Deus... Que que é isso?- Ela gritou corando. - Porra... Nem sei como se coloca isso...- Ela falou pegando uma lingerie. - E eu te achava pervertido... Da onde ela tira essas coisas?

- Sua irmã... Olha..- Falei pegando um arquinho de gatinho e o colocando. - Fiquei bonito?

- Ficou.. Tá tem alguma coisa não muito... É... Erótica pra mim zoar também? - Ela falou tirando um monte de coisas de lá de dentro.

- Tem essa luva aqui... - Falei a entregando.

- Eeeee..- Ela a colocou. - Ela pensa que eu sou o que?

- Não sei... - Falei. - Tô me sentindo em um Sex Shop.. Tem mais camisinha do que quando minha mãe teve a excelentíssima idéia de que não queria ser avó..

- Que horror... Toma coloca...- Ela me entregou uma gravata. Eu a coloquei. - Pronto... Meu gatinho..

- Miau..- Falei rindo.

- Popok seduzente... - Ela me deu um selinho. - Não... Você não tá ronronando pra mim..- Ela falou rindo.

- Ué.. Não sou seu gatinho? - Perguntei.

- É..

- Então... - Falei me aproximando dela. A puxei para um beijo. Logo nos separamos. 

- Vamos guardar isso antes que alguém entre aqui e pense o que a Moira imaginou quando me deu essa caixa. - Ela falou retirando as luvas e eu retirei o arquinho e a gravata.

 Fomos para o banheiro. Ela guardou a caixa dentro do armário e me deu uma escova de dentes. Escovamos nossos dentes juntos e fomos para o quarto.
  Me deitei na cama enquanto ela pegava um cobertor e apagava a luz. Logo ela já havia deitado comigo.
 Ficamos deitados de conchinha.

- Boa noite meu gatinho..- Ela falou me dando um selinho.

- Boa noite minha loira...- Falei dando um outro selinho nela.

 Fiquei assistindo TV por um bom tempo. Lá fora chovia forte, e eu estava acariciando os cabelos dela.

- Hmm...- Ela falou se virando para mim. - Tô sem sono... - Ela falou fazendo biquinho.

- Não é só você...- Falei colocando uma mexa de cabelo atrás da sua orelha.

- É a vida.. - Ela falou, a luz piscou. - Atividade paranormal.. Me protege...- A mesma me abraçou.

- Vem cá minha rainha..- Falei a puxando para cima de mim. Ficamos assim até a luz acabar de vez. - Eba... Acabou a luz e eu tô sem sono.

- Eeeee... - Malena. Mudamos de posições. Ficamos assim por um tempo. - Ai... Popok tira a mão daí...

- Que? - Falei. - Mor minha  mão tá aqui..- Coloquei minhas mãos em sua barriga.

- Tá.. O que que isso? - Ela perguntou se sentando na cama. Só pude ouvir um latido. - Filho! 

- Então era isso que tava atrás de mim.. - Falei.

- Eii.. Como você entrou aqui?

- Onde ele tava? - Perguntei.

- Quer que eu realmente responda?

- Ué queria se esconder.. Ainda me culpa..- Falei.

- Claro.. Meu bebê não tem mente poluída.

- Nossa.. E eu tenho?

- Tem... - Ela falou rindo baixinho. Ficamos trocando carícias por um longo tempo. - Popok..

- Tá agora fui eu...- Falei corando.

- Pera... Você tá me alisando? - Malena. - Só queria saber se estava dormindo...

- Ata... Mesmo assim desculpa..- Falei.

- Depois não é pervertido.. - Ela se virou para mim. - Meu pervertido..

- Te amo..- Falei beijando sua bochecha. - Que que isso?

- O que?

- Mano o Pomodoro tá deitado em cima da minha bunda...

- Que fofo.. Filho pode dormir na bunda do papai.

 Ficamos trocando carícias por um tempo. Eu acabei adormecendo. Porém alguns minutos depois eu acordei com ela se mexendo.

- Mor? - Perguntei sonolento.

- Desculpa...- Ela falou.

- Ainda não conseguiu dormir?

- Não..

- Vem cá..- Eu a abracei. Fiquei acariciando suas costas por um bom tempo. Logo ela adormeceu e eu também.

{No dia seguinte}

Acordei um pouco tarde. Ela ainda dormia. Me levantei cuidadosamente para não acorda-la e fui fazer minhas higienes. Me vesti e levei o Pomodoro para o andar de baixo.

- Bom dia! - Falei entrando na cozinha.

- Bom dia..- Mãe da Malena. - Estamos sem luz...

- Ainda? - Perguntei.

- Pois é... Pelo visto vai demorar umas longas horas para voltar.

- Que chato.. - Falei. Tomei café junto a ela. Conversamos um pouco e depois eu a ajudei com a louça.

- Bom.. Vou fazer uns relatórios... - Ela falou. 

- Tudo bem...- Falei sorrindo.

- Até daqui a pouco...- Ela falou subindo as escadas.

 Fiquei brincando com o Pomodoro durante um tempinho, mas logo voltei para o quarto da Malena.
  Fiquei acariciando seus cabelos até ela acordar.

- Bom dia minha princesa...- Falei beijando sua testa.

- Bom dia Popok... - Ela falou sorrindo.
 
Ela levantou e foi para o banheiro. Provavelmente fazer suas higienes. Logo depois ela saiu do banheiro.

- A Luz ainda não voltou...- Falei.

- Affs... Vamos fazer o que então?

- Que tal isso....- Falei indo até ela. A puxei para um beijo.  Um beijo completamente apaixonado e cheio de desejo. Cessamos o beijo quando o ar foi necessário. Eu a peguei no colo e levei para a cama. Me sentando na cama com ela no meu colo. Ataquei seus lábios novamente, dessa vez dando leves mordidas em seus lábios. - Te amo...

- Te amo muito mais....- Ela falou sorrindo. Dei um selinho nela. Fiz uma trilha de beijos dos seus lábios até seu pescoço dando beijinhos ali.  Dei um chupão deixando uma marca bem visível. Ela apenas suspirava.

 A encarei e ataquei seus lábios novamente,  dessa vez com mais voracidade. Ela acariciava minha nuca, em quanto minhas mãos ficava passeando em suas costas.
 Logo as coloquei por dentro de sua blusa, tocando sua pele macia. Desci minhas mãos em sua cintura e da sua cintura fui até sua barriga.
Cessamos o beijo por pura falta de ar. Ficamos ofegantes.

- Ma..- Ela me puxou para outro beijo.

Eu aproveitava cada segundo daquele momento.  Que saudades eu tive de sentir sua pele macia, o sabor doce dos seus lábios tocando os meus,  dos seus suspiros e dos seus leves gemidos.
  Subi minha mão devagar, chegando assim em seus seios, ela não usava sutiã, então não tive esse problema. Fiquei os massageando enquanto ela suspirava. Desci minha boca até seus seios os beijando por cima da blusa a provocando. Eu a deitei na cama ficando por cima,  a beijei de novo. Enquanto nos beijávamos ela entrelaçou suas pernas em volta do meu tronco. Aos poucos levantei sua blusa, o suficiente pra  deixar seus seios à mostra,  separei nossos lábios, fiz uma trilha de beijos  até seus seios.
  Abocanhei o esquerdo e fiquei massageando o direito com a minha mão.  Ela gemia baixinho,  a mesma ia a loucura. Fiz questão de deixar algumas marcas nela. Ela gemia demais porém eu mal escutava. Desci minha mão até seu shorts colocando minha mão em sua intimidade por cima da roupa. Fazia pequenos movimentos ali a fazendo gemer mais alto. Passei minha mão para dentro de seu shorts e sua calcinha. Massageava ali, ela corou e fechou seus olhos. Fiquei brincando com sua intimidade por um tempo. Ela tentava conter seus gemidos os abafando com a mão. Ela se contorcia e com a mão livre apertava várias vezes o lençol que havia na cama.
  Retirei seu short e sua calcinha a deixando apenas com a blusa do seu pijama. Fiquei encarando seu rosto corado por um tempo. Ela estava com os olhos fechados, e mordendo seu braço, provavelmente contendo seus gemidos. Retirei seu braço dali e comecei a beija-la. Ainda não havia parado de mexer em sua intimidade, portanto ela gemia durante o beijo. A penetrei com um dedo, como resposta ela acabou gemendo muito alto.

- Aw...- Ela gemeu.

- Mah desculpa... - Falei corando, retirando minha mão da sua intimidade e saindo de cima dela. - Desculpa... Por favor me perdoa... Eu sou um monstro..

- P-popok.. T-tudo be-em... - Ela falou corada.

- Será que alguém ouviu? - Perguntei mais corado que antes. - Droga eu sou muito burro...

- Popok.. Calma.. - Ela falou. - Qual quer coisa eu invento alguma coisa...

- Eu te deixei toda marcada... Desculpa... - Falei me levantando da cama. - Toma..- Falei pegando a roupa dela do chão. - Droga..

- Popok.. Tudo bem.. Aconteceu, foi apenas um acidente... - Ela falou em quanto se vestia.  - E um dia iremos bem mais longe... Não pode ficar se culpando.

- Mas Malena, Seus pais estão em casa.. E se eles ouviram? Você acabou de sair de um castigo...- Falei.

- Eu já falei que arranjo uma desculpa... Popok tá tudo bem.. - Ela falou. -  E eles vão fazer o que? Me colocar de castigo pra quando eu sair acontecer a mesma coisa?

- Desculpa... - Falei de costas para ela.

- Vira aqui.. - Ela falou. - Não fica assim. Coisas do tipo acontecem... Vem cá...- Ela levantou e me abraçou.  Retribui o abraço. - Quer ajuda? - Ela falou corando.

- Não precisa... Já fiz merda demais hoje.. - Falei me afastando dela.

- Para de ser chato... - Ela se aproximou. Com muito receio ela colocou a mão por dentro da minha roupa, tocando meu membro completamente ereto. Gemi apenas com o contato. Ela me empurrou até sua cama. - Posso?

- S-sim..- Nós dois estávamos completamente corados. Ela abaixou minha bermuda juntamente com a cueca. - Não precisa fazer is...- Ela novamente tocou aquela área,  dessa vez fazendo movimentos de vai e vem. Ela me beijava, era minha vez de não gemer.

Não demorou muito para mim me desfazer. Ela me deu um selinho e foi até o banheiro. Me vesti e aguardei ela voltar.

- Estamos quits? - Ela perguntou.

- Sim... - Falei.
 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...