História Um amor miraculoso - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Tikki
Exibições 43
Palavras 1.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá otakos e otomes...
Para o povo que é ou se considera criança um feliz dia das crianças!!! (um pouquinho trasado né) mas valeu a intenção.

Então sem mais delongas vamos para o capítulo.

Capítulo 6 - A primeira aula


Fanfic / Fanfiction Um amor miraculoso - Capítulo 6 - A primeira aula

   Adrian acordou bem cedo aquele sábado, por mais que não precisase, ele gostava de ser dedicado em qualquer coisa que definisse importante. Ele arrumou as coisas que seriam necessárias em seu ponto de vista, como um caderno e uma caneta para escrever coisas importantes que aprenderia, avental, algumas coisas de cozinha que tinha em casa e sua incrível vontade de aprender!

   Pegou suas coisas e as colocou na mochila. Estava preparado para a sua aula, a não ser pelo fato de estar bem adiantado em relação ao horário, porém pensou que não haveria problema em esperar alguns minutos em frente a casa dos Chengs.

    Ele pegou a mochila, que estava em cima da cama, desceu as escadas e saiu de casa. Pediu para o seu motorista que o levasse até a padaria dos Chengs, e assim foi feito.

   Ao chegar, adrian se encontrou com a porta e a encarou por alguns minutos, ele não sabia se estava disposto a fazer aquilo,não que fosse incapaz, mas ficava com um pouco de frio na barriga por estar fazendo algo novo, e se ele estragasse tudo, ou fizesse tudo errado e ainda por cima, na frente de marinette, uma de suas primeiras amizades que fez no colégio, gostava muito de sua amizade, não queria estragar isto.

   Parou de pensar no que poderia dar errado, se encheu de coragem e bateu na porta, o tempo que estava pensando já havia passado alguns minutos, chegando perto da hora marcada.

   Marinette escutou a bater, assim ficando desesperada, ela estava costurando em quanto falava com tikki, e ainda por cima um pouco desarrumada.

-Deve ser a cliente da minha mãe, vou atender.

   Ela tentou pentear rapidamente o cabelo em quanto descia as escadas.

- tikki, se esconde. - falou mostrando a sua bolsa.

   Após tikki se esconder ela colocou o pente em cima da mesa, e abriu a porta.

   Do outro lado da porta viu o loiro com uma mochila nas costas e um lindo sorriso. Marinette poderia jurar que sentiu sua pressão abaixar, ela tinha sido pega de surpresa.

- Ah... ADRIAN!! - Falou Marinette com a boca aberta e os olhos arregalados.

-  Ham... Sim, não era hoje a aula?

- (ai meu Deus, como eu pude me esquecer?)...    C-claro era hoje... Bem... V-vou chamar os meu pai. Pode esperar aqui na sala.

- Obrigado.- ele disse se sentando no sofá da sala em quanto marinette trancava a porta.

- E-eu... Já volto. - Marinette saiu de fininho e correu em direção ao seu pai, que se encontrava na bancada da padaria.

- Pai!! Pai!! O Adrian está aqui!!!!!!!- Ela disse quase puxando os cabelos.

- Calma filha, você chamou ele para entrar?

- Sim, ele está na sala... Vamos pai, vamos !- Marinette saiu empurrando ele até a sala. Ela o deixou lá e saiu correndo, se escondeu a trás da porta e ficou ouvindo.

- Ham... Então vamos lá senhor agreste? - Perguntou o pai de Marinette.

- Por favor, me chame de Adrian. -Falou levantando-se.

- Claro, como quiser Adrian. - O pai de marinette o acompanhou até a cozinha em Quanto falava.

-(Ai, eu tenho que arrumar um jeito de ver ele fazendo a aula, não posso deixar meu pai fazer algo que o magoe ou coisa parecida, senão minhas chances com ele vão acabar) - Pensou Marinette.

     Ela foi de fininho até a cozinha e sem eles perceberem ela ficou atrás de uma pilastra que havia na cozinha.

  Meu deus né, uma pilastra NO MEIO DA SALA... Vai entender esse povo... Mas continuando...

    Eles não perceberam que marinette estava por perto e logo começaram a aula. Pelo motivo de "a aula" estar em cima da mesa, marinette conseguia observar adrian, em momentos que estava concentrado olhando para a mesa.

     O pai dela começou mostrando os ingredientes, em seguida mostrou quais devia misturar primeiro e como sovar a massa. Marinette tinha chegado um pouco depois que seu pai falou qual seria a receita, mais ela conhecia aquela muito bem, era um dos seus tipos de biscoito favorito, com recheio de pistache. Após adrian sovar a massa fez os formatos dos biscoitos, o pai de marinette entregou o recheio para ele. Logo depois de fazer isso, celular começou a tocar. Ele conversou com a pessoa por pouco tempo e desligou.

- Desculpe, tenho que entregar um bolo que já está pronto para uma cliente que está aqui na porta, se importa de esperar um pouco?

- De forma alguma, pode entregar o bolo.

- Obrigado adrian, volto em um minuto.

      Ele se retirou. Adrian nem tinha começado a colocar o recheio, e decidiu iniciar sem as o intrusões do pai de marinette. Como adrian estava concentrado, a garota teve tempo de olhar por mais tempo para ele. Marinette já conhecia como a palma da mão aquela receita, percebendo logo o erro de Adrian. Estava colocando directamente o recheio, mas deveria ser colocado em movimentos circulares. Até hoje, marinette não sabe de onde tirou coragem para fazer isso, mas quando me contaram essa história, falaram que ela se encheu de coragem e foi ajudar o Adrian.

    Ela saiu de trás da pilastra e foi andando na direção dele, ele não à viu sair de lá.

     E imagina se visse... Kkkkkkk, ia ser muito bom... Tá parei...

    Ele a percebeu depois que ela estava no meio do caminho, quando o loiro olhou para ela, ela teve vontade de desistir, mas já era tarde de mais. Ela se posicionou atrás dele, colocou suas mãos sobre as dele da qual segurava o recheio e falou.

- Tente fazer desta forma - ela fez o movimento circular em um dos biscoitos junto a ele.

    Adrian olhou para ela, o seu coração estava batendo pouco mais rápido do que o normal, o que o fez repensar a frase que falou mais cedo, sobre gostar da "amizade" dela. Isso acabou o deixando meio confuso, pois o amor da vida dele era realmente Ladybug. Ele parou de se distrair com seus pensamentos e olhou para marinette que estava corada e seu coração batendo o mais rápido que já batera antes. Ela quis sumir naquele momento  não sabia o que dizer, mas não precisou.

- Obrigado marinette, vejo que você conhece bem a receita - Disse adrian FINALMENTE quebrando o gelo.

- Ham... É... Na verdade é um dos meus biscoitos favoritos! - Ela falou ainda meio corada.

- Bem, neste caso, você será a primeira a experimente os meus primeiros biscoitos!

- Você tá falando que vai me dar seus primeiros biscoitos?!!

- Claro! Se não fosse por você eu provavelmente teria estragado a receita toda, e além disso, é um dos seus biscoitos favoritos, não negaria fazer isso por uma amiga como você!

    Seus rostos se aproximavam, Marinette sentia sua pressão abaixar novamente, ela pensava que ia morrer, além disso, suas bochechas estavam tão vermelhas que  se ficasse mais um pouquinho correria o risco de explodir. Foi quando...

- Voltei...

    Haaaaa fala sério, eles não podiam ter chegado só um pouquinho mais perto?  Eu juro que se eu fosse viva na época e estivesse no local ia empurrar os dois... Eu falei que ia parar né... Tá desculpa...

- Filha o que você esta fazendo?- perguntou o pai de marinette com uma de suas sombrancelhas levantadas.

- Ham... Eh.... Bem... Eu... - ela foi interrompida

- Ela só estava querendo me ajudar, eu estava colocando o recheio de forma errada,fui empaciente e quase estraguei a receita, e o quase é graças a Marinette!

- Você conhece essa receita muito bem não é filha, obrigado.

- Tudo bem, agora tenho que ir.

     Ela saiu correndo dali, subiu para o seu quarto e se jogou na  cama.

- O que foi isso? - Ela não conseguia parar de pensar no que havia acontecido.

- Isso foi amor marinette, ele gosta de você!- Falou Tikki saindo da bolsa de marinette.

- Não tenho certeza, mas foi forte...

   Passando o tempo um cheiro maravilhoso invadiu o quarto de marinette, o que a obrigou a descer as  escadas, e, no andar de baixo, uma bandeja cheia de biscoitos a esperava.

- Pegue um - falou Adrian erguendo a bandeja em sua direção.

    Marinette pegou um dos biscoitos e deu uma mordida. O sabor não era tão divino quanto o do seus pais, mas era muito excelente para uma primeira vez, diferente dos primeiros dela, que saíram totalmente queimados, Adrian é bom em tudo que faz, ele aprende rápido.

- Estão.... EXCELENTES!!!!!

- Que bom que gostou... Pegue, quero que fique com o resto.

- O-obrigada.

    O pai de marinette chegou por trás de Adrian e falou.

- Você aprende rápido garoto, logo logo você será um grande padeiro.

- Obrigado... E ... Da próxima vez... Podemos fazer croissants? Eu amo tanto que casaria com um.

       Todos deram uma pequena risadinha.

- Claro, podemos tentar.

- Tudo bem, nós vemos semana que vem? - Adrian falou apertando a mão do pai de marinette.

- sim, até lá -falou o pai da garota.

- Bem, pra você até segunda- Adrian falou olhando na direção de marinette que ficou cotada.

- A-Até.

     Ele saiu da casas dos Chengs e foi em direção a casa dele.

  


Notas Finais


Então foi isso, e vocês meus queridos otakos e queridas otomes, dei muita dica de quem é o(a) "narrador(a)" tá... (comentam ai quem é). E outra, a parte dos croissants foi baseada em um comentário do capítulo 4, beijos MiihCase, E um beijo para vocês também, até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...