História Um Amor Mortal - Death Note - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens Kanzo Mogi, L Lawliet, Light Yagami, Misa Amane, Raito Yagami, Rem, Ryuuku, Shuichi Aizawa, Soichiro Yagami, Touta Matsuda, Watari
Tags Death Note, Lawlight, Lxkira, Lxlight, Yaoi
Visualizações 994
Palavras 2.766
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie Minna-san, eu tô pensando nessa história a muito tempo, então espero que gostem.🌸

PS.: A história se passa logo após o capítulo 24 do anime, quem já assistiu Death Note a um tempo, recomendo rever esse capítulo pra entender melhor a história.

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Um Amor Mortal - Death Note - Capítulo 1 - Capítulo Único

Kira tem o plano perfeito, ele sabe exatamente como matar o L, então porque, em nome de Deus, algo o está impedindo?

P.O.V. Light

Tudo está de acordo com o plano, agora que Misa fez o acordo com Ryuk, a vida dela diminuiu mais ainda, se tudo sair como planejado, o seguinte irá acontecer:

L irá testar a regra de 13 dias no Death Note, e Rem, ao saber disso, perceberá que caso o L descubra que a regra é falsa, Misa irá voltar a lista de suspeitos, como aquele é o Death Note da Amane, tem sua caligrafia nas primeiras páginas, antes de ela ter abdicado o Death Note, e Assim ela será acusada como o segundo Kira, e terá pena de morte, ao perceber isso, Rem será obrigada a matar L, fazendo a investigação voltar a estaca zero, e por salvar a vida de Misa e a minha, Rem irá morrer.


É o plano perfeito, apesar do fato que se isso acontecer, irei ter que conviver com Misa por mais um tempo, mas isso é questão de prioridade.

- Misa, vá para casa, agora não é o melhor momento para matar Ryuga, te chamo quando for possível, está bem?

- Certo, estou indo, Light - ela me dá um beijo na bochecha e vai embora, e eu volto para a sala do Q.G.

- Voltei - digo ao entrar no Q.G.

- Que bom que voltou, Light-kun, quero lhe pedir algo, se não lhe for um incômodo - Ryuzaki se pronunciou.

- Provavelmente não será, o que é?

- Quero que passe a noite no Q.G. comigo, quero confirmar algumas coisas e preciso de sua ajuda para isso - O detetive propõe sem rodeios, e por algum motivo meu coração acelera ao pensar em passar a noite com Ryuzaki, pego uma maçã que estava junto do carrinho de doces de Ryuzaki.

- Claro, não será incômodo nenhum, ficarei - respondo para logo depois morder um pedaço da maçã, e me pergunto o que ele quer investigar, torcendo para que seja a regra dos 13 dias.

- Certo, obrigado por isso.

Depois disso estudamos um pouco o caderno, fazendo algumas perguntas a Rem, mas estranhei o fato de Ryuzaki não ter perguntado nada sobre a regra falsa, pois era meio óbvio para mim que aquela seria a regra que mais o deixaria intrigado, mas resolvi não comentar nada sobre, pois pensei que ele gostaria de ver esse assunto comigo essa noite.

Meu coração acelera novamente só em pensar nisso, de novo, mas o que merda está acontecendo aqui?

Quebra de tempo

- Filho, estamos indo, lembre-se da faculdade amanhã, certo?

- Certo, pai, tenham cuidado, Mogi-san, Matsuda-san e Aizawa-san. - digo me fingindo preocupado, enquanto via os quatro saírem do Q.G. - então, o que precisamos investigar, Ryuzaki?

- Na verdade, nada em especial.

- o que quer dizer com isso?

P.O.V. Ryuzaki

O que eu quero dizer com isso? Estou desconfiado da regra dos 13 dias, mas algo me diz que não devo tocar no assunto com ninguém, além disso, faz um tempo que tenho sentido coisas estranhas quando Light-kun está por perto, e como não sou burro nem nada, sei muito bem que se chama amor, mesmo que ele ainda seja o principal suspeito -- pra mim, pelo menos -- de ser Kira, não posso negar meus sentimentos, não é isso que os livros de romance sempre dizem? Que deve se entregar aos seus sentimentos sem nenhum remorso, ou algo do tipo?

- o que eu quero dizer? Light-kun, eu estou apaixonado por você.

- EEEH? Como assim? O que quer dizer com isso? - Light arregalou os olhos ao ouvir aquelas palavras, deve ser bem chocante mesmo.

- Que eu te amo, Light-kun.

- vem cá, isso não é mais um dos seus testes pra ver minha reação e me avaliar como Kira não, ou é?

- Não, de jeito nenhum, estou falando o que sinto, somente isso, além do mais, você sabe muito bem que sempre fui direto em dizer o penso apenas estou sendo sincero, somete isso.

- não acredito, você sabe que a maioria das pessoas, quando se declaram, ficam nervosas, gaguejam ou coram, certo? Como acha que vou acreditar no que estais a me falar se você pronunciou palavras com tanto significado do mesmo jeito que se pronuncia um simples oi?

- não se engane, Light-kun, eu estou nervoso, mas nunca fui bom em expressar meus sentimentos de forma corporal, isso inclui o amor, estou nervoso, mas não consigo mostrar isso de outra forma a não ser verbalmente, acho que é um dos motivos pelos quais dou tão sincero - o expliquei calmamente e ele novamente arregalou os olhos, mas isso n devia ser uma informação tão interessante assim, certo? Então porque ele me parecia tão chocado?

P.O.V Autora

Light não arregalou os olhos pela fala de Ryuzaki, mas sim porque naquele momento percebeu algo, o motivo de o coração dele ter acelerado tanto esses últimos dias, e o porquê de ele não estar incrivelmente feliz com um fato de ter um plano perfeito para matar L, esse motivo se resumia em uma palavra:

Amor

Light estava apaixonado por Ryuzaki.

Na verdade, isso nem devia ser uma surpresa tão grande, já que Light já sabe que é homosexual a um tempo, -- isso, homosexual, ele apenas namorou aquelas garotas pelo bem de Kira  -- porém L é seu inimigo, se apaixonar por ele era para ser algo impossível de acontecer, porém aconteceu.

- Entendo - Kira diz mais para si mesmo do que para L - acabei de perceber algo extremamente importante.

- e o que seria? - L perguntou, no fundo torcendo para que fosse correspondido em seus sentimentos.

- que eu... - Light respira fundo, tentando afastar o nervosismo, L também o amava, certo? Eles podiam ficar juntos, mesmo que só por essa noite, porque, querendo ou não, apesar da amizade que eles demonstram um pelo outro, são inimigos - eu também, também estou apaixonado por você, Ryuzaki.

L deu um sorriso, o que assustou, mesmo que apenas um pouco, o japonês.

- você sorriu - comenta Light, surpreso.

- Quem não sorriria ao descobrir que tem seus sentimentos correspondidos? - L indaga, se aproximando do mais novo a passos lentos se permitindo ficar de tronco reto, pois sua habilidade de dedução não seria necessária para o que ele iriam fazer a seguir.

- é, verdade - concorda Light, também se aproximando,e eles param de frente para o outro, os dois sorrindo, L se permite deixar seus sentimentos aparecer, levando sua mão direita ao rosto do japonês e levando seu braço esquerdo a cintura do mesmo, fazendo os seus corpos se colarem, Light entrelaça seus braços no pescoço de L, sabendo que aquele era um sinal de que ele seria o uke da parada, mas, nas poucas vezes em que Light foi o uke -- pois, como o gênio popular que é, quase sempre conseguia ser o seme na hora do sexo -- ele adorou, então decidiu deixar esse pequeno detalhe de lado.

Enfim os lábios dos dois colaram, começando um selinho casto demais, mas aos poucos esse se tornou um beijo digno de novela, com língua e tudo, Light pensava no fato de a boca do detetive ser doce, quase açúcar puro, e apesar de ele não gostar de doces, adorou esse fato, enquanto isso, L apenas sentia gosto de maçã naquela boca deliciosa que era a do mais novo, -- alguém começou a comer maçãs demais por causa da influência de algum Shinigami, hihi -- de qualquer forma, o beijo foi ficando cada vez mais profundo, e eles foram subindo as escadas em direção a um dos quartos -- provavelmente o de L --  que ficava no segundo andar, parando apenas por alguns segundos para retomar o ar.

Ao chegarem no quarto, L fechou a porta rapidamente enquanto tirava sua própria camisa, mostrando a Light a parte superior de seu corpo, ao ver isso, o menor só conseguia pensar em uma única palavra: perfeito. Light também tirou sua camisa, e foi a vez de L pensar naquela palavra, retomaram o beijo e apenas alguns minutos depois os dois estavam apenas de boxer na cama, com Light dando chupoes e mordidas por todo o pescoço e mamilos de L, se dirigindo lentamente a parte que realmente importava, o membro do maior.

Ao chegar naquela parte, Light se apressou em tirar a box de L, o dando a visão do enorme membro do detetive, o surpreendendo um pouco -- para não dizer um monte.

- o que foi? - L pergunta com pressa.

- é só que... você definitivamente não é asiático - Light comenta, fazendo L rir.

A risaga se tornou um gemido quando o menor pôis o membro do detetive em sua boca, sem nenhuma preliminar, e começando a chupar, lamber e fazer tudo o que era possível ali, após um tempo de chupadas da parte de Light e gemidos da parte de Ryuzaki, o detetive chegou ao ápice, porém não avisou ao menor, que teve que engolir o gozo de L -- o que não foi necessariamente algo ruim.

Minutos mais tarde -- novamente, pois as preliminares não são de muita importância aqui -- a boxer do mais novo já havia sido tirada L já tinha colocado a camisinha e o lubrificante na entrada do mais novo, que estava de quatro esperando L penetrar, e assim o detetive fez, logo começando a estocar, fazendo ambos gemerem, -- alto o suficiente para se escutar no térreo, e olha que o quarto tem isolamento acústico --  após algumas estocadas, L encontrou a próstata do mais novo, e ficou estocando por ali, fazendo ainda mais barulho.

Cerca de 20 minutos depois, os dois se cansaram -- claro, depois de fazer em 3 posições diferentes da forma mais intensa possível, quem não se cansaria? -- e Light se aconchegou nos braços de L, sentindo seu cheiro extremamente doce, mesmo depois de tanto suor.

- Light-kun, você acha que a regra dos 13 dias é falsa? - L pergunta sem pensar.

- não acho que um shinigami teria algum motivo para mentir, a não ser que fosse a pedido de Kira, e Rem me parece ser muito imparcial em relação a suas opiniões. - Light mentiu, mesmo sabendo que arruinaria seu plano, a morte de L não era a prioridade agora, e sim achar um jeito de eles ficarem juntos --  obviamente, só tem uma solução para isso, mas acho que é difícil demais para Kira enxerga-lá depois de tanto tempo se dedicando ao caderno.

Quebra de tempo - P.O.V. Yagami-san

Estávamos todos no Q.G, faltava apenas Light e L, Light provavelmente está na faculdade, porém onde está L?

- Gente, a Misa-Misa está aqui, ela quer ver o Raito-kun - Matsuda se pronunciou após entrar -- novamente, pois tinha ido a entrada depois de a campainha tocar -- na sala do Q.G.

- o Light não está na faculdade essa hora? - Mogi fala antes que eu pudesse me pronunciar 

- eu passei lá e ele não estava, disseram que ele faltou, liguei para Sayu e ele também não estava em casa, então achei que estivesse aqui - Misa-Misa se pronuncia, saindo detrás de Matsuda.

- Estranho, será que ele dormiu aqui?

- como assim? - Misa-Misa indaga.

- Ryuzaki pediu para que ele passasse a noite aqui e o ajudace em algo, porém pensei que ele iria ficar apenas até umas 00:00 e depois voltaria para casa. - a respondo.

- tem apenas dois quartos no prédio todo, provavelmente ele dormiu no quarto que a Amane-san ficou quando estava aqui - Watari se pronuncia pela primeira vez na manhã.

- certo, vamos olhar lá então! - Misa-Misa diz animada, provavelmente pela ideia de que Light dormiu na mesma cama que ela já dormiu um dia, coisa de mulheres.

Todos nós subimos -- inclusive Watari -- para o andar do quarto de Misa, abrimos a porta e ficamos surpresos ao perceber que não havia ninguém ali.

- se quiserem, posso ver a localização do celular do Light-san - Watari sugere.

- se puder fazer isso, por favor - peço.

Mais uma vez decemos a sala do Q.G, e Watari usa o computador central para localizar o celular de meu filho.

- A localização do celular do Light-san... é o quarto de Ryuzaki - Watari fala.

- porque diabos Light estaria no quarto de L? - Misa-Misa se pergunta, e Matsuda concorda.

- tem como nos levar lá, Watari? - pergunta Aizawa.

- Claro, por aqui - Watari nos leva ao segundo andar, e todos paramos em frente à uma porta.

- então aqui é o quarto do L? Eu sempre quis saber o que tinha no segundo andar! - Matsuda se pronuncia antes de Watari abrir a porta, e todos nós chocamos com o que vemos.

Light e L estavam dormindo juntos, e pelados, com apenas um lençol cobrindo a intimidade dos dois.

P.O.V. Light

- RYUZAKI, LIGHT! - escuto a voz do meu pai e abro os olhos devagar, vendo todos --inclusive a Misa -- nos olhando, Misa e Meu pai com cara de raiva, Mogi, Matsuda e Aizawa-san com cara de surpresa, e Watari com a mesma cara de sempre, Olho pra cima e vejo L os encarando sem expressão alguma.

- Ohayo, Minna-san, posso pedir que nos dêem licença para que possamos nos vestir? Assim que decermos retornaremos a investigação - L fala como se essa não fosse a pior situação do mundo.

- DE JEITO NENHUM! O que aconteceu aqui? - Misa pergunta, estava evidente a raiva dela.

- acho que é meio óbvio o que aconteceu aqui - minha vez de se pronunciar, fiquei até surpreso comigo mesmo, aparentava estar mais calmo do que realmente estava.

- Como pôde fazer isso com a Misa-Misa, Raito-kun? - Matsuda me pergunta.

- querem detalhe por detalhe? - digo sorrindo maliciosamente

- Não esse tipo de detalhe! - grita Misa, chorando.

- de qualquer forma, acho melhor nós decermos e os deixar se vestir, quando eles decerem perguntamos tudo com mais calma - Aizawa-san sugeri.

- certo, faremos isso - fala meu pai, ainda visivelmente chocado, logo todos tinham saído do quarto e assim que a porta foi fechada Ryuzaki começou a rir, foi a primeira vez que escutei um som como aquele, me permiti sorri enquanto o olhava.

- o que foi? - pergunto.

- Gomen, a reação deles foi muito engraçada - depois de um tempo rindo, L fica por cima de mim e me beija, e eu correspondo, aprofundando o beijo e sentindo o gosto de açúcar dele novamente.

- acho que devemos nos vestir e responder às perguntas deles logo - sugiro.

- não é como se eu quisesse fazer isso, mas tudo bem - fala L, se levantando e começando a se vestir, faço o mesmo, e antes de abrir a porta, nos permitimos mais alguns beijos.

Ao chegar na sala do Q.G, Matsuda estava consolando Misa.

- Misa, posso falar com você, a sós? - ela me olha ainda chorando, e se levanta, me seguindo até a entrada, onde não tem escutas -- Rem nos segue, provavelmente para ter certeza que a vida de Misa não está em perigo.

- então, você transou com seu pior inimigo, interessante - Ryuk se pronuncia, reviro os olhos.

- Você feriu Misa, está preparado para as consequências? - Rem.

- Misa, quero que renuncie a posse do caderno.

- o que quer dizer com isso? Se eu renúnciar não vai ter mais Kira!

- Apenas faça o que estou lhe pedindo, está bem? Eu tenho um plano, e preciso que você esqueça do Death Note para isso - Menti, a única coisa que eu iria fazer era desistir do Kira, não quero mais ser o Deus do novo mundo, quero ser o namorado de Ryuzaki, e pra isso Kira precisa morrer.

- eu... está bem assim que chegar em casa irei abdicar, mas quero que me explique o que aconteceu depois, está bem? - ela fala, enxugando as lágrimas.

- Está bem - falo, ela me dá um beijo na bochecha, e sai, porém Ryuk fica.

- Você vai abandonar Kira por ele, não é? - Ryuk pergunta, e eu fasso que sim com a cabeça, então ele volta a seguir Misa.

- Deve está feliz, certo Rem? Kira não irá mais existir, o que significa que Misa não irá mais sofrer, pelo menos a longo prazo.

- Só não te mato pois agora Misa irá se afastar de você, e isso é a melhor coisa que eu poderia pedir, mas o que vai fazer enquanto a investigação? Você ainda terá acesso ao caderno, por isso não irá esquecer que é Kira.

- Depois de um tempo sem mortes de Kira, a força tarefa vai ter que se desfazer, quando isso acontecer, eu abdico o caderno.

- Tudo isso por seu amor a Lawliet?

- Sim, tudo isso por ele - então esse é o nome dele? Lawliet, combina com ele, mais um fato naquele panda que eu passei amar.


Notas Finais


Gostaram? Eu ameii demais escrever essa OneShot💙, espero que tenham gostado de ler, e desculpa qualquer erro, bye👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...