História Um amor por acaso - Capítulo 23


Escrita por: ~ e ~rafa1

Postado
Categorias Teen Wolf
Tags Derek, Sterek, Stiles, Teen Wolf
Exibições 285
Palavras 2.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Adivinha quem voltou para alegrar vocês com esse capitulo fresquinho dessa fanfic que ta meio morta meio viva?
Isso mesmo amiguinhos, eu, o dolinho
zoas
Mas bem, continuamos conversando nas notas finais:3

Capítulo 23 - Bebida, sexo, morte e voo.


-John, o Scott não está se curando...

 

Você já percebeu p quão incrível pode ser o ser humano? Bem, humanos teoricamente...

         Existe um termo usado constantemente na área da saúde para distinguir quando alguém tem algum problema que realmente existe e quando, na verdade, é apenas o seu subconsciente refletindo como você está se sentindo. Para essas situações fora dado o nome de Psicossomas.

Quando Scott fora baleado sua mente estava longe, pensando em tudo que fizera e o que não fizera... Principalmente o que se arrempendia ou não de ter feito.

         Saber que seu melhor amigo e quase irmão estava namorando o Derek o lembrou de quando Isaac morava junto dele, dos sentimentos que surgiram e se intensificaram da noite pro dia.

         Quando soube que Isaac queria ter beijado a Alison, ele ficou furioso, mas não pelo fato do loiro querer beijar sua ex-namorada, mas pelo simples fato de estar totalmente frustrado pelo garoto que gostava querer beijar outra pessoa que não ele, e mais frustrado ainda por não ter coragem de admitir isso.

         Todo tempo em que moraram juntos Scott teve péssimas noites de sono, não por pesadelos nem nada do gênero, apenas pelo simples fato de que o cheiro doce e viciante de Isaac não o deixar dormir. Ele estava tão perto e ao mesmo tempo tão longe.

         Certa noite Scott fora até o quarto de Isaac falar com ele mas assim que entrou pela porta viu que ele não estava lá, mas escutou o barulho do chuveiro ligado e olhou para a porta do banheiro (que era dentro do quarto) e viu que a mesma estava entreaberta.

         A curiosidade e o desejo estavam mandando que Scott olhasse o que tanto queria, mas o bom senso mandava que ele saísse correndo do quarto. Agora, o que  você imagina que o Alfa fez?

         Se você falou “Olhou o Isaac tomando banho”, você não poderia estar mais... correto.

         Scott foi lentamente até a porta, controlando seus batimentos para que Isaac não o notasse ali, na esperança que o garoto estivesse tão focado em seu banho que nem sentisse seu cheiro. Assim que ficou em frente a porta, olhou pela brecha e o que viu o fez ficar, literalmente, paralisado.  

         Cada gota de água que escorria desde seu cabelo, passava por seu rosto, pescoço, tórax, barriga... ah, que barriguinha... Scott só pensava em entrar ali e o prensar contra a parede, tocar cada centímetro, cada milímetro do corpo do loiro sem o deixar falar nem um ai, cada gota que escorria por sua virilha, e passavam por seu membro que possuía uma leve curvatura para a esquerda (N/SM:  não tem problema não... meu queixo também tem) (N/A: fica na tua, sua bixa enrustida, deixa eu continuar minha fic pq já estamos a éons atrasados) (N/SM: ei, a culpa é sua. Mas ok, vai logo) e nenhum pelinho se quer naquela área... escorrendo logo por aquelas pernas definidas até para o chão...

         Scott passou tanto tempo ali paralisado e boquiaberto que começou a babar, não demorou muito Isaac desligou o chuveiro , logo despertando o Alfa de seu transe e o dando o aviso pra correr pra fora do quarto, e assim ele o fez.

         Repetidas noites Scott teve meio que um ritual antes de ir dormir. Sair de seu quarto silenciosamente enquanto Isaac  tomava banho e ficar o olhando. As vezes ia um pouco mais longe, o via tomar banho, saia e voltava para o ver dormir só de boxer, as vezes só parando quando o dia amanhecia e Isaac estava prestes a acordar, o que acabava gerando várias advertências dos professores por estar sempre dormindo nas aulas, exceto do treinador, pois ele ficava tremendamente feliz por não ter que aturar a dupla dinâmica.

         Por muito tempo foi assim, Scott suprindo uma paixão secreta pelo amigo enquanto ele namorava sua ex mas, com a morte de Alison, Scott decidiu que não aguentaria esconder aquilo por muito tempo, então revelou para o loiro tudo que sentia. Para a tristeza do Alfa, Isaac não falou nada, apenas passou a o ignorar e, se isso não bastasse, na mesma noite pegou suas coisas da casa de Scott e foi embora, nunca mais dando as caras por Beacon.

         Depois de ser rejeitado pelo garoto que amava, Scott passou a ser cético quanto ao “amor verdadeiro” e pensava, até, que passara a suprir um certo sentimento de ódio à relações homossexuais, mas, na verdade, odiava apenas a si mesmo, por não ter sido o bastante para Isaac, por não ter o amor de sua vida consigo, por todos os seus amigos estarem felizes com seus pares e ele sozinho e por não ter coragem de admitir nem mesmo para sua mãe ou Stiles, que sabia tudo sobre ele, sobre sua sexualidade. Não demorou muito decidiu que não ligaria mais pra relacionamentos e que arranjaria alguém para “namorar” apenas por aparência, já que era o capitão do time de lacrosse.

         Para sua sorte, ou azar, Kira apareceu em sua vida e serviu como um estepe para um pneu furado mas que, no fundo, não seria tão bom quanto o original e mal se pode esperar para substituir novamente.

         Os meses foram passando, eles foram ficando mais próximos e, quando Scott achava que realmente poderia amar a kitsune, lembrava do corpo de Isaac, de seu cheiro, da sensação que era o ter por perto e, novamente, Scott voltava a ser frio com a garota mas não entendam errado, a culpa não era dele, claro que Scott poderia colocar as coisas em panos limpos com ela e falar quais seus reais sentimentos por ela e quem realmente amava mas, o tempo passou, Kira se aproximou muito dele e de toda alcateia e Scott não tinha coragem suficiente para ferir o coração da raposa.

 

 

Londres.

                                         Pub Cittie Of Yorke

 

-O que um garoto como você faz num pub confessionário como esse?

-O que um garoto como eu pode fazer em um dos pubs mais famosos de Londres? Beber, é claro- Isaac respondeu com um sorrisinho sínico estampado nos lábios.- Me acompanha?

-Claro...-Retribuindo o sorriso, o homem se senta junto do garoto loiro dos olhos bonitos- Mas, para agradecer minha sorte, quais seus pecados você irá confessar nesse tão específico pub?

         O tempo todo sem perder o típico charme londrino e o sorriso atraente dos lábios, o homem puxava uma conversa com Isaac, o garoto bonito em um pub mundialmente conhecido por ser um ótimo local para confessar seus pecados e arrependimentos enquanto toma uma boa bebida e tem companhias agradáveis, imaginando tamanha sorte que tivera por, nessa específica noite chuvosa, ter escolhido o mesmo lugar para tomar uma dose que um garoto aparentemente estrangeiro de olhos bonitos e sorriso atraente, não que o resto de seu corpo não fosse, claro, estava se mordendo por dentro para se segurar e não o atacar ali mesmo e tirar suas roupas.

-Meus pecados? Bem... –Isaac finge pensar em algum em específico, quando, na verdade, sabia muito bem qual seu maior pecado e arrependimento- No momento só consigo pensar que seria não ter bebido mais- ri, enquanto, por dentro, se martirizava.

         Mais uma vez Isaac estava caçando. Geralmente uma vez por mês o lobo saia pelos diversos pubs da cidade para procurar alguém que substituísse a pessoa que deixara pra trás, nem que pelo menos por uma noite. Saia a procura de uma transa fácil e sem compromisso, apenas transa.

         Nesse mês, Isaac já havia feito sua caçada habitual mas, nessa noite em específico, seu coração apertara de um jeito horrível, que o garoto não sabia explicar, apenas uma necessidade incessante de estar com alguém, para suprir aquele vazio no peito, onde, por meses, fora preenchido por uma paixão secreta por um certo alguém.

-Para sua sorte, eu sou um bom samaritano. Não se preocupe, hoje você não sairá daqui sóbrio- disse e sorrio. Por trás desse sorriso atraentemente angelical, escondia-se um desejo insaciável de ninguém menos que o herdeiro de Jack o Estripador .

-Sorte a minha...- Isaac estava tão necessitado daquilo que nem notou o cheiro de morte exalando do homem a sua frente. Para ele, seria mais uma típica transa com um homem extremamente atraente e que, provavelmente seria extremamente quente na cama também.

         Depois de beberem por quase três horas, ou melhor, de Isaac beber enquanto o cavalheiro que lhe pagava bebidas ficava apenas brincando com o líquido no copo, o homem educadamente se oferece para levar Isaac para sua casa, já que o mesmo estava “bêbado de mais para ir sozinho, principalmente numa noite chuvosa como essa” e Isaac, prestando seu papel de gatinho manhoso necessitado, prontamente aceita a ajuda.

         Saíram do pub e, depois de caminharem por algumas quadras, o homem vira para Isaac e o prensa na parede com um sorriso extremamente atraente nos lábios, faz o garoto imaginar que ambos transariam ali mesmo e o lobo, imaginando que não teria problema algum, já que não havia mais ninguém naquela parte da cidade, ainda mais com essa chuva incessante.

-Sabe, garoto... Você não deveria sair bêbado por ai com qualquer homem...

-Ah é...? Acho que você tem razão... pode me punir se quiser... Afinal, eu fui um garoto mau, não fui?- Isaac falava com um tom de voz manhoso e pervertidamente atraente.

-Ah sim... você foi... e eu vou te punir por isso...-O homem beija Isaac e aproxima ainda mais seus corpos mas, para a surpresa do garoto, um calor surge em sua barriga, e não era um calor bom.

         Ele havia esfaqueado Isaac bem na barriga.

         Isaac o empurra e coloca a mão no local em que doía e vê o sangue que era lentamente lavado pela chuva e, descrente, olha para o homem em sal frente que ria assustadoramente.

-Eu disse que iria te punir...-Disse entre as típicas risadas dos psicopatas de filmes.

         Assustado, Isaac corre para dentro da rua escura, com a mão no ferimento, tentando estampar o sangue, e desaparece em meio ao breu.

-Sabe, garoto... Você deveria pensar melhor em onde entra... Eu conheço essa cidade com a palma da minha mão... você acabou de entrar em um beco escuro, esfaqueado, sendo seguido por um assassino em série...-Falou, enquanto adentrava o beco com a faca em mãos.

-...- E Isaac nada responde.

-O que foi... O lobo comeu a sua língua? –ri –vamos... eu quero ouvir suas ultimas palavras... Eu quero ouvir você implorando por sua vida enquanto sinto seu sangue doce e quente escorrem em minhas mãos pelos seus cortes... –ri.

-Sabe... “você deveria pensar por onde entra”-Isaac repete, no escuro.- Você acabou de entrar em um beco escuro, numa noite chuvosa, sem ninguém para escutar seus gritos de socorro...

-O medo subiu a cabeça e você enlouqueceu?-ri- isso acontece as vezes... o medo de morrer as vezes faz as pessoas se sentirem mais fortes ao ponto de acharem que conseguem me ferir...- ri, mas subitamente para, ao ver um brilho amarelado a sua frente, se aproximando cada vez mais.

-É... deve ser isso –Isaac fala, agora com a voz mais grossa, pela transformação.

         Isaac salta das sombras sobre o homem que, assustado, grita por socorro.

-SOCORRO. MONSTRO. SOCORRO. OQUE É VOCÊ?

         Sem nem se dar ao trabalho de responder o ser nojento que tentara o matar, Isaac rasga sua garganta com os dentes e, com as garras, rasga sua barriga e em um só golpe, decepa seu membro.

Vendo a cena, Isaac volta ao normal, sentindo o cheiro de sangue enquanto era levado pela gotas de chuva que fariam o trabalho de limpar a cena de qualquer vestígios que levassem o caso até ele, não que isso fosse possível, já que qualquer provas encontradas revelariam que fora ataque de um lobo e Isaac era apenas um pobre garoto órfão que veio de outro país para esquecer do passado...

         Chegando em casa, Isaac tira suas roupas e as joga no cesto de lixo, olha onde havia sido esfaqueado e já havia sarado. O loiro caminha até o banheiro e entra no Box. Liga o chuveiro e sente a água escorrer por seu corpo, levando junto toda a tensão da noite.

         Após se secar e vestir uma cueca Box, Isaac fora para a cama dormir. Até certo ponto fora apenas um sono tranquilo mas, do nada, Isaac acorda gritando.

-SCOTT.

         Tanto tempo havia se passado que Isaac até se considerava um ômega mas, na verdade, no fundo do coração tanto do beta quanto do alfa, ambos ainda se sentiam ligados.

Isaac não sabia o que era, apenas sentiu uma tristeza horrível, junto com uma dor insuportável e uma necessidade insuperável de voltar para seu alfa.  O garoto fez as malas as pressas, vestiu qualquer roupa e pegou tudo de seu apartamento, que nem eram tantas coisas. Ele chamou um taxi e foi para o aeroporto, pegando o primeiro avião que partia para o sul da Califórnia que já partiria em dez minutos e ainda havia uma vaga no voo.

Isaac passou o voo inteiro chorando baixo em seu canto, sem nem saber o motivo, apenas sabia que precisava ver Scott. Apenas sabia que precisa do Scott.


Notas Finais


Eu voltei com um capitulo até que grandinho né :/
É pra alegrar seu dia das crianças de amanhã...
Sim, eu to um pouco afastado...
"UM POUCO? TA MAIS DE MÊS SEM UM CAPITULO DESGRAÇA"
Eu sei, eu sei... a culpa é minha mesmo... eu estava criando uma lista com tocentas musicas pra essa fic e pra outra que eu queria criar mas, para minha sorte de sempre, o meu computador deu pane e o pai, quando mandou arrumar, não avisou o tiozinho da manutenção que precisava de um backup. Eu pensei, ok,. ainda tenho tudo salvo em pendrive. Ai eu vou procurar... cadê? sumiu. Fui roubado... sou um cara de sorte né... okok... que seja... são águas passadas... mas quem sabe quando eu postarei outro cap... espero que logo... torçam pra isso ein...
Eu estava com saudades de vocês, meus caupcakes... S2
Nos vemos nos comentários :3
Rafa, seu autor que nem posta
~Um Semideus Qualquer


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...