História Um amor quase perdido - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~kagomehig20

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Inuyasha, Kagome, Personagens Originais
Tags Inuxkah, Lembranças, Reencontro, Romance, Separação, Traições
Visualizações 85
Palavras 1.365
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Agradecemos aos favoritos e comentarios
Desculpem-nos pela demora
Eu queria uma imagem em que o Inuyasha observava Kagome dormir mais não encontrei então resolvi colocar esta
Boa Leitura

Capítulo 3 - Cap 3


Fanfic / Fanfiction Um amor quase perdido - Capítulo 3 - Cap 3

Inuyasha

No meio da noite acordei um pouco suado e completamente excitado à única imagem que vinha na minha cabeça era de Kagome vindo ate mim abrindo seu uniforme de empregada e deixando seu lindo e delicioso corpo a mostra. Eu realmente não deveria ter a observado antes de ir dormir, principalmente a ver rebolando enquanto andava dentro de casa, olhei para o lado e Kikyou ainda dormia tranquilamente. Me levantei e sai do quarto a passos lentos, desci as escadas e fui ate o quarto de Kagome, por sorte estava só encostado. Entrei sem fazer barulho e a observei se virar em minha direção acabando por se destapar inteira e me dar à visão mais gostosa do mundo, sua camisola vermelha transparente era uma tentação eu podia ver com clareza de detalhes seus seios um pouco rijos, tinha visão perfeita de sua intimidade coberta apenas pela calcinha devida que sua camisola tinha subido bastante, me aproximei mais da cama e a vi virar o rosto deixando o pescoço livre para mim.

"Ela é nossa verdadeira fêmea, a marque logo." - rugiu minha fera interior me fazendo aproximar os lábios de seu pescoço e o beijar levemente, louco pra marca-la, tirando um suspiro dela.

"Eu não posso marca-la, ela nem se lembra de mim." - me repreendi um pouco triste.

"Se a marcar as memórias vão voltar." - respondeu minha fera, mas eu não podia simplesmente a marcar ainda mais estando noivo de Kikyou, mais eu a quero, e não consigo me conter, passei a mão de leve sobre seus seios sentindo a maciez e desci ate sua coxa dando um pequeno aperto tentando me controlar e não a possuir de uma vez.

A vi se mexer e achei que tinha acordado, mas seus olhos continuavam fechados e sua excitação cheirava cada vez mais forte, sua mão desceu de encontro à própria intimidade e adentrou a calcinha, podia ver os movimentos que ela fazia e acabei por segurar meu membro já duro numa tentativa de chegar ao prazer junto dela. Seus gemidos começaram abafados e eu aumentei meus movimentos com a mão imaginando como seria estar dentro dela e a fazer gemer dessa forma, ou melhor, gritar meu nome enquanto me enterrava por completo dentro dela. A vi dar um ultima gemido agudo e gozar relaxando seu corpo, gozei em seguida gemendo seu nome.

- hm, tem alguém ai? - perguntou com a voz sonolenta, a vi abrir os olhos e nem pensei direito, sai correndo de seu quarto quase que caindo pelo caminho, subi escadas a cima e fui direto para o banheiro tomar um banho bem gelado.

''Que merda eu estava fazendo? Ela quase me descobriu, eu não deveria fazer essas coisas com ela dormindo, mais foi tão excitante... Eu a desejo tanto, que dói o fato de não a ter. ''

- Inu amor, esta cedo para um banho. - Kikyou apareceu atrás de mim me abraçando, suspirei cansado.

- não estava conseguindo dormir, vou reinar esse banho e voltar a dormir. - disse a afastando de mim, terminei meu banho e depois voltei para a cama me cobrindo e ficando de costas para Kikyou.

- esta tudo bem amor? - perguntou.

- sim. - respondi e logo acabei adormecendo.

Acordei cedo e me arrumei rápido indo para a cozinha, quase cai pra traz com sua roupa de empregada que a Kagome usava, mesmo estando comportada estava extremamente sexy, com o decote moderado que deixava só a beirada dos seus seios amostrar, marcava sua cintura fina e o bumbum avantajado, apertei minha mão com força pra não ataca-la, ''mesmo sem querer ela me excita e provoca ao extremo, imagine na cama então, ela ia me pagar por tudo não ia ter descanso '' pensei com um calor incontrolável no corpo, me contive e aproximei na mesa, me sentei e ela veio me servi o café da manha com um sorriso doce nos lábios me fazendo lembrar-se dos tempos em estávamos no curso, quando eu a vigiava ela de longe.

- bom dia senhor Taisho. - disse alegre.

- bom dia senhorita Higurashi. - respondi tomando meu café me controlei ao ter ela tão perto de mim, a visão do seu corpo da noite passada veio a minha cabeça, soltei um baixo rosnada de decepção por não poder toca-la, ao término sai sem nem mesmo olhar para Kagome, estava sendo difícil me manter perto dela por muito tempo, seria difícil conviver com ela.

 

Kagome

Foi dormi já era tarde, não estava me sentido bem com o vertido de empregada que a senhora Kikyou tinha me dado, além de veio parecia uma camisola de velha, lavei ela, encurtei ela ate um pouco a cima do coelho e coloquei uma fita nas costas pra modelar minha cintura, e uns babados brancos pra realça a roupa, e por último, cortei a gola que parecia querer me enforcar, e coloquei um decote discreto e um babado em volta ''pronto, esta perfeito '' pensei gostado do resultado, tomei banho e fui dormi, no meio da noite acabei sonhando com o senhor Taisho e em seu corpo delicioso, parecia ate que suas mãos passeava em meu corpo, comei a me excitar e sem querer minhas mãos tocaram em meu ponto sensível e imaginei o senhor Taisho me levando ao orgasmo imediato, o que não foi nada descente, o que não ajudou muito, ate por que não sei como vou encara-lo agora de manha, afinal eu nunca vou dê-lo mesmo... que diferença faz?

Mais... Eu nunca senti que um sonho pudesse ser tão real como esse foi eu não sei se depois que gozei tinha alguém em meu quarto ou se eu ainda estava sonhando, depois disso resolvi me levantar e me arrumar para o trabalho.

Assim que me aprontei coloquei a mesa do café e esperei pelo senhor Taisho que se sentou, o cumprimentei e o servi o deixando a vontade, antes de sair ele nem se que me olhou ou se despediu de mim, ''que diferença faz, eu sou só a empregada, ele não deve satisfação '' pensei um pouco triste, apos ele sair eu limpei e louça e deixei tudo arrumado para a senhorita Kikyou tomar café.

- você realmente esta dando duro, levantou tão cedo que eu não ouvi nem a porta de seu quarto abrir ou fechar. - disse Kaede cruzando por mim.

- bom é que... Eu não consegui dormir direito então resolvi adiantar um pouco o serviço. - disse corada.

- se continuar adiantando o serviço vai acabar seduzindo o patrão. - Kaede disse saindo da cozinha e me deixando com cara de tacho

Pouco depois a senhorita Kikyou desceu, olhou torto pra minha roupa, como se não tivesse gostado, mais não falou nada e tomou café sem nem olhar na minha cara, depois saiu sem nem dizer tchau, mas fazer o que? Pelo menos fiz um bom trabalho.

 

Autora

Kikyou saiu de casa indo direto para seu carro, deu partida e assim que saiu de casa iniciou uma chamada de voz.

- o que quer tão cedo Kikyou. - disse a voz mal humorada.

- Inuyasha esta estranho comigo desde ontem. - respondeu.

- e o que eu tenho a ver com isso? - perguntou.

- Naraku você se beneficia do dinheiro dele também e por isso que esta sentado na presidência da editora hoje. - respondeu.

- Kikyou você só tem de seduzir ele mais um pouco e logo você engravida e tudo ficará bem. - respondeu Naraku.

- isso esta difícil, Inuyasha não parece querer ter relação comigo ultimamente e muito menos querer ter filhos, e agora o que eu faço? - pendurou Kikyou.

- você apenas tem de engravidar não importa quem seja o pai, ate por que aquele hanyou é idiota de mais para saber que você engravidou de outro, se você usar o cheiro dele. Assim você casa antes da criança nascer e seu futuro será garantido. - disse Naraku rindo.

- não acho isso uma boa. - respondeu.

- venha me encontrar e vou lhe dizer o que exatamente terá de fazer. - respondeu Naraku, a ligação foi encerrada e Kikyou seguiu de encontro de Naraku.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...