História Um amor que fere (Jikook) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bdsm, Dominação, Jikook, Markjin, Markson, Namjin, Submissão, Taegi, Yoonseok
Visualizações 114
Palavras 2.039
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa, tamo chegando

Capítulo 3 - Primeiro mês


Fanfic / Fanfiction Um amor que fere (Jikook) - Capítulo 3 - Primeiro mês

Já estava completando um mês desde que me uni a esta empresa, e hoje eu finalmente terminava minha primeira campanha, nesse exato momento apresentava para os clientes e para a equipe envolvida com o projeto o resultado final, após as palmas apertamos as mãos e os clientes se foram

Jk: Pode passar na minha sala um minuto?

Jm: Claro _ sigo seus passos calado, confiante de que meu trabalho havia mostrado meu pontencial

Jk: Sente, fique a vontade, fiquei muito satisfeito com o seu trabalho, nossos clientes adoraram e isso é o que mais importa, sinto que posso confiar em você totalmente para os próximos projetos, o que é ótimo

Jm: Obrigado senhor Jeon

Jk: Jungkook_ dou uma breve risada lembrando a briga que foram os últimos 30 dias relativos à forma de tratamento

Jm: Obrigado Jungkook, fico muito feliz de ter feito da forma que lhe agrada

Jk: Sim, mas deixando de falar de trabalho, vamos falar de trabalho, com o fim de um projeto e também completando um mês da sua contratação, o pessoal pediu para comemorarmos, e eu gostei da ideia, tem um pequeno pub a algumas quadras daqui se estiver tudo bem para você

Jm: Mas é claro que está tudo bem, eu não saio para beber desde que comecei a trabalhar aqui, isso será ótimo, ainda mais considerando o fato de que você vai estar lá_ dou um sorriso singelo observando sua reação, e acho que mais uma vez fui ignorado em minha investida

Jk: Isso é bom, irei apenas terminar de assinar uns documentos e sairei, os outros já devem ter ido você prefere que eu te dê o endereço, ou me esperar para irmos juntos?

Jm: Eu espero, precisa de ajuda?

Jk: Não, é só assinar mesmo, eu até já os li, serei breve, pode me aguardar em sua sala, o chamo quando terminar

O estabelecimento tem um clima leve e agradável, a decoração segue o estilo rock com capas de discos espalhadas pela parede e algumas guitarras autografadas, próximo ao bar até mesmo uma bateria, eu conversava com Yugyeom com quem acabei desenvolvendo uma certa proximidade nos últimos dias devido ao trabalho até que um Jungkook levemente alterado se aproxima introduzindo-se na conversa

Jk: Hey vocês dois, não estão interagindo com ninguém, que feio, monopolizando o Jimin quando ele é o motivo principal de estarmos aqui_ seu lindo rosto se contorcia formando um biquinho lindo que prendia minha atenção, sugerindo que sua alteração estivesse agora mediana, facilitando meu trabalho de deixá-lo bêbado

Jm: Vou pegar mais bebidas, volto em um instante_ e assim o faço, trazendo uma garrafa de soju, que não seria difícil de convencer Jungkook a beber a maior parte

Yy: Jimin, você quase não bebe, é fraco para bebida?

Jm: Sim, bastante_ na verdade minha resistência é convenientemente bem alta, quando se tem o poder em mãos deve-se sempre controlar a lucidez

Jk: Nossa, que... como é mesmo aquela palavra? Aquela, que diz que a pessoa não é legal? Sim, chato! Que chato você não consegue nem beber! Eu consigo!_ seu estado de embriaguez talvez já fosse suficiente, mas sempre é bom garantir

Jm: Ata... até parece, você todo certinho consegue beber? Eu duvido.

Jk: Não duvide de mim, Jimin_dá uma risada estranha provavelmente se dando conta do trocadilho que formara, ou talvez ria sem ter ao menos um motivo 

Jm: Tarde de mais, já estou duvidando.

Jk: Eu vou provar!_ dito isso, pegou a garrafa em mãos direcionando-a até seus lábios finos e rosados, derramando desesperadamente o líquido entre eles, fazendo com que algumas muitas gotas fossem parar em seu terno, levo a mão até a garrafa impedindo que continue, retirando-a de seu poder e depositando sobre a mesa próxima a nós

Jm: Certo certo, acho que foi um pouco de mais, olhe só sua roupa

Jk: Ah_ estalou a língua emitindo um som de reprovação_é só lavar com água bobinho_ deu risadas sobre nada novamente enquanto observava a bagunça que fizera

Jm: Me sinto responsável..._ talvez por que eu seja_ deixe-me levá-lo para casa, nesse estado não poderia te deixar ir sozinho, venha_ apoio meu braço em sua cintura erguendo seu corpo mole fazendo com que passe um de seus braços em torno de meus ombros_ isso, agora vamos chamar um táxi. Pessoal, já vamos indo, até segunda._ digo para meus colegas, que ainda estavam bebendo e confraternizando entre si, atraindo seus olhares que nos responderam com despedidas, chegando até a calçada Jungkook balbuciava coisas sem nexo, e por vezes ria sem motivo aparente, conseguimos parar um carro e depois de certo esforço consigo fazer com que Jungkook diga claramente seu endereço.

Após alguns minutos de incansável cantoria do ser embebido em álcool ao meu lado o carro para em frente a um alto prédio de luxo

Jm: Me dá dinheiro Jungkook, você ganha bem melhor do que eu, vamos pagar o táxi

Jk: Podes pegares senhor cavalheiresco_ soltou de maneira embolada em uma espécie de diálogo formal inexistente, introduzo a mão no bolso do paletó que o vi guardar a carteira mais cedo, retirando as notas equivalentes ao valor que devíamos, saindo em seguida com certa dificuldade do carro arrastando Jungkook a tiracolo, paro em frente à portaria aguardando o responsável liberar nossa entrada

Pt: Nossa, tudo bem com ele? Nunca o vi assim

Jm: Acabou exagerando um pouco, mas não se preocupe, cuidarei muito bem dele, pode me dizer o andar?

Pt: Claro senhor, sétimo andar apartamento 739_ ao dizer isso o segurança segue até o elevador pressionando o botão do andar anteriormente citado segurando a porta para que passassemos sem maiores problemas

Jm: Obrigado_ o segurança apenas acena com a cabeça deixando que a porta se feche assim que passamos_ tudo bem Jungkook? Está muito silencioso

Jk: Shhhh, tu não sabes que deves fazerdes silêncio ao entardeceres cavalheiresco?_ talvez pareça patético seu chefe nesse estado para a maior parte das pessoas, mas para mim é tão tentador, por fim o elevador anuncia nossa chegada, me dirijo até o número que me fora dito e aguardo que Jungkook tente sem sucesso inserir a chave na fechadura_ aaaah Jimin.... acho que minha chave estragardes

Jm: Me empresta_ realizo o ato que inutilmente Jungkook tentara anteriormente_ prontinho, tira esse paletó fedido_ o ajudo a retirar e faço o mesmo com o meu_ onde fica seu banheiro? Vamos dar um banho em você

Jk: Ah, eu não quero banhar-me eu

Jm: Eu vou te ajudar, vamos me mostra onde fica

Jk: Você é tão não legal, é ali naquela portinha marronzinha...rdes, ah eu perdi!

Jm: Perdeu o que?

Jk: O jogo medieval

Jm: Ah... então era isso, tá eu posso te mostrar outro jogo bem legal depois do banho se quiser

Jk: Sim! Eu quero jogar um jogo legal_ quase me sinto mal ao ver o quanto Jungkook fica lerdo e vulneravel ao beber, mas a culpa se esvai apenas de observar as características tentadoras e irresistíveis de seu corpo e rosto

Jm: Tira a camisa_ ele simplesmente me obedece, talvez ele seja um submisso nato apenas esperando para se libertar_ isso, agora se apoia em mim, e tira a calça_ novamente ele segue minhas instruções_ Não. Deixa a cueca_ ou eu não serei capaz de resistir aos impulsos e nem terei tempo de tirar o horrível cheiro de álcool antes de fazê-lo meu, eu adoraria lhe dar um banho gelado, mas isso reduziria mesmo que minimamente o efeito do álcool e nós não queremos isso, logo somente o deixo entrar no chuveiro quando a água ja está devidamente aquecida, passo as mãos em seus negros cabelos macios, em seu pescoço rígido pela musculatura que o reveste, nos ombros largos, limpando a pele branca de toda aquela região

Jk: Lava meu cabelinho_ não consigo não rir diante do pedido ingênuo da criatura indefesa em minha frente, pego o shampoo que estava em uma prateleira próxima e derramo um pouco do líquido em seus fios, massageando até que se forme uma espuma densa e branca, deixo que a água leve-a embora.

Jm: Sabe Jungkook, pensando bem eu acho melhor você tirar a cueca também, precisamos lavar tudo não é mesmo?

Jk: Você vai ficar olhando?_ ele protege a região íntima com as mãos sobre a cueca

Jm: Eu fecho os olhos para que você possa tirar, tá bom?_ por alguns segundos ele parece exitante, mas no segundo seguinte balança a cabeça positivamente, tapo os olhos com a mão enquanto crio uma parcela de controle para não atacá-lo ao retomar a visão

Jk: Já tirei_ sua voz sai com timidez, lentamente afasto as mãos dos olhos, e baixo o olhar para avaliar sua intimidade, que devo dizer não ser exatamente pequena_ não encara!

Jm: Desculpa_ pego o sabonete deslizando pelas mãos criando um pouco de espuma, levo a destra em direção de seu membro, que é interrompida a poucos centímetros de tocá-lo

Jk: Hey, tá louco? Eu lavo aí!

Jm: Deixa eu ajudar_ digo com a voz calma enquanto aproximo meu corpo do seu

Jk: O que está fazendo?

Jm: Vendo se você já está cheiroso_ aproximo meu rosto o suficiente para que meu nariz toque suavemente a pele molhada de seu pescoço, vendo seu corpo reagir graciosamente com arrepios por toda sua extensão_ está sim, uma delícia

Jk: V-você n-ão devia

Jm: O que..? Sentir seu cheiro? Estar tão perto? Tocar sua pele macia com meus dedos assim?_ toco sua pele tão leve quanto uma brisa, e causando a mesma reação

Jk: É... e-eu não g-gosto..._ sua voz sai com dificuldade quase como um sussuro, abaixo o tom de minha voz ficando semelhante ao seu

Jm: Não parece que não está gostando_ desço meu toque ainda coberto pela espuma até seu falo, gentilmente criando contato com a pele, Jungkook se retrai e emite um som baixo de reprovação_ calma, relaxa_ seu corpo toma uma postura menos tensa e transfiro parte da espuma para seu membro, iniciando um movimento sutil estimulando seus nervos, seus olhos se fecham e suas mãos pressionam sobre meus ombros enquanto permite que eu continue o contato, ao que intensifico o estímulo seu membro reage ao meu toque e seus lábios se pressionam tentando conter qualquer som_ deixa eu ouvir_ sussuro em seu ouvido, seus lábios ficam ainda mais unidos e balança a cabeça em negativa, deixo que água leve toda a espuma, e retiro minha mão, após alguns segundos desde que cesso o contato Jungkook abre os olhos, deixando-os semi-cerrados_ quer que eu continue?_ fico sem obter uma reposta_ posso continuar se me deixar ouvir você_ novamente ele nada diz, apenas cerra novamente os olhos, retomo o contato, e o ar sai de seus lábios como se estivesse prendendo a respiração e enfim tivesse soltado, ao reiniciar o estímulo posso ouvir alguns arfares vindo de seus lábios apetitosos, a vontade de ser mais intenso falta dominar meu ser, mas não posso por tudo a perder por um capricho desesperado, então mantendo a calma, fecho meus olhos apreciando melhor o som de sua respiração ofegante, apoio a mão esquerda na parede atrás de si e sustento o peso do meu corpo ali, sempre mantendo minha calma em primeiro plano, meu rosto praticamente se encaixa em seu pescoço permitindo que eu sinta intensamente seu cheiro, movimento minha destra cada vez mais rápido ouvindo sua respiração acelerar, até que por fim, ele a prende impedindo que o som passe por entre seus lábios, seu corpo inteiro se contrai, e sinto um líquido quente escorrer por entre meus dedos e parte do meu braço. Nenhum maldito som foi emitido. Parte de mim quer castigá-lo por me privar desse momento, e essa parte faz meus lábios abertos envolverem a pele de seu pescoço cravando os dentes ali mesmo, porém a parte responsável de mim faz com que o encontro de meus dentes com aquela área não o machuque, ainda não_ Você foi um garoto muito malvado Jeon, e garotos malvados devem ser castigados.

Jk: O-o que? D-do que você está falando?

Jm: Estou falando... de algo que vou te mostrar outro dia, você possivelmente não se lembrará de nada disso amanhã, e o castigo é algo que você não pode esquecer_ puxo seu corpo através da cintura colando meus lábios em seu pescoço no local que estavam anteriormente sugando a pele fortemente, causando o rompimento de pequenos vasos concentrando o sangue em um pequeno círculo_ até segunda Jeon_ atravesso o apartamento trilhando o caminho rumo a minha casa.


Notas Finais


Agora tamo vazando hsiahsia xau mores bjos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...