História Um amor que fere (Jikook) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Bdsm, Dominação, Jikook, Markjin, Markson, Namjin, Submissão, Taegi, Yoonseok
Visualizações 41
Palavras 2.289
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Tão hétero quanto pensa?


Fanfic / Fanfiction Um amor que fere (Jikook) - Capítulo 4 - Tão hétero quanto pensa?

É segunda novamente e não me importo se Jungkook se lembrará do que ocorrera no fim daquela sexta e início de sábado, o importante a saber agora é que Jungkook não é tão hetero quanto diz ser ou mesmo o tanto que pensa que é, o que me deixa livre para trabalhar em meu novo projeto por nome sedução, vulgo tomada de posse.

Ao chegar no escritório noto que ainda era cedo, poucas pessoas já estavam presentes, uma delas era Yugyeom, a quem fui cumprimentar e com quem fui jogar papo fora antes de oficialmente ser iniciado nosso horário de trabalho.

Jm: Bom dia Yugy_ digo assumindo o que gosto de pensar ser meu personagem meigo, útil para manipular as pessoas sobre quem não tenho controle

Yy: Bom meu anjo, e aí como passou o finde

Jm: Normal, em casa mesmo..._ como por hábito judiando de alguns de meus bichinhos prediletos_ e o seu como foi?

Yy: Bem, muito bem, baladinha até quando deu só sucesso, devíamos ir juntos qualquer dia, você não tem cara de quem vai nesse tipo de lugares, mas eu gostaria de te levar

Jm: Ah não sei, eu acho que talvez não seja uma boa ideia, eu não combino mesmo com esses lugares_ não com pessoas de meu convívio, para quais tenho que criar uma imagem impecável para não criar suspeitas de meus hobbies questionáveis, e muito menos correndo risco de perder mordomias úteis para mim

Yy: Ah bebê, vamos, eu ainda vou te convencer, todo mundo tem que curtir uma baladinha enquanto é jovem, faz parte do regulamente né não chefe?_ diz aumentando o tom ao direcionar-se para trás de mim, onde avisto Jungkook chegar com o ânimo de sempre

Jk: Provavelmente não, se vem de você com certeza não presta, bom dia pessoal_ a última parte é direcionada a todos presentes na sala

Yy: Que isso, que péssimo julgamento de minha pessoa, eu estou chamando o pequeno Jiminnie para uma baladinha, nada de mais, essa pobre criança sempre passa seus fins de semana fingindo ser um móvel da própria casa.

Jk: Se é do que ele gosta, por que interfirir?

Yy: Ah claro, esqueci que você é outro fazendo treinamento para mobilia... apesar de que... ao que parece seu finde foi bem do bom né_ sua expressão era maliciosa, o que me leva a olhar da mesma direção que ele encarava, vendo que Jungkook não havia se dado ao trabalho de usar uma roupa que escondesse a marca que eu havia deixado há dois dias atrás

Jk: Foi bom, mas não estou entendendo o seu tom_ então Jungkook não tinha uma queda de Q.I. apenas sob efeito do álcool ou ele realmente não havia visto aquilo em momento algum?

Yy: Hum... por que será meu tom?..._ Yugyeom forçava o tom de modo sarcástico enquanto passava o dedo indicador em seu próprio pescoço indicando o local equivalente à marca de Jungkook, não aguentando mais a lerdeza, pego uma pequena plaquinha retangular de metal com a superfície reflexiva que estava sobre a mesa de Yugyeom e entrego a Jungkook, que olha o local indicado em seguida tomando em seu rosto uma expressão de espanto, descrença e dúvida

Jk: Eu não sei como isso foi parar aí

Yy: Mas eu posso imaginar

Jk: Não, não é isso, eu não estive com ninguém durante o fim de semana inteiro

Yy: É... mas essa coisa não tava aí sexta meu amigo

Jk: Não, mas a última vez que estive com alguém foi durante a festa na sexta, apesar de ter apenas um clarão em certo ponto da minha memória

Yy: Pequeno Jimin te levou pra casa, então não foi nesse dia não

Jk: Jimin... você sabe de alguma coisa? Você fez isso? Como alguma piada?

Yy: Não espera_ Jinyoung ria escandalosamente_ você não pode estar mesmo insinuando que essa coisa fofa e inocente aqui_ ele aperta minhas bochechas fazendo meu sangue ferver de ódio_ tenha feito isso, olha só ele até ficou corado tadinho_ disfarço minha raiva com uma expressão tímida

Jk: Não... eu.. aish, desculpa Jimin eu não quiz te constranger..._ apenas aceno com a cabeça indicando que não me importo_ enfim, eu tenho que ir, organizar nossa agenda agora que encerramos um projeto.

Yy: Vai lá pegador, temos que trabalhar também né anjinho?

Jm: É sim_ sorrio e cada um segue segue seu rumo, tenho que aguardar alguns minutos até que Jungkook me chame para informar qual seria meu próximo projeto

Jk: Nosso cliente tem uma pequena franquia de lanchonetes eles trabalham com produtos naturais buscando ser o mais saudáveis possível, ainda não nos encontramos, essas informações aqui foram passadas através de um e-mail, pedi a Irene que marcasse uma reunião ainda para esta tarde, assim que ela conseguir contacta-los ela irá te informar, alguma dúvida?

Jm: Tenho. Você não se lembra de nada mesmo?_ uso um tom levemente insinuante, enquanto aponto para si, no sentido da marca_ Jungkook fica visivelmente incomodado

Jk: N-não... f-foi você?

Jm: E por que teria sido? Só por que eu sou gay acha que eu me aproveitaria de qualquer cara bêbado por aí?

Jk: Não! Claro que não! Não foi isso que eu quiz dizer_ gosto de vê-lo nervoso

Jm: Que bom...

Jk: Eu vou... voltar para minha sala

Jm: Tudo bem_ ele vira-se de costas abrindo a porta e sumindo de meu campo de visão

Estávamos em um restaurante não muito próximo nem tão distante, conversando com os possíveis novos clientes, representantes da empresa "Vida leve", Dogn-Sun e Dong-Yul, irmãos de aparente idades próximas, provavelmente diferença de 3 a 5 anos, lhes apresentando nossa maneira de trabalho, para saber se nossas propsatas são compatíveis com seu objetivo, nesse momento Jungkook exemplificava algumas das empresas, marcas e afins a quem ja havíamos auxiliado em suas necessidades.

Dy: Nossa, isso é incrível, vocês trabalharam com nomes tão famosos, será possível nos tornamos tão grandes quanto eles?

Jk: Claramente, antes de trabalharem conosco todos os anteriormwnre citados se encontravam com aproximadamente a mesma visibilidade de vocês, e é aí que nós entramos.

Jm: Uma boa imagem é o essencial para tudo na vida, se o produto é bom, mostre isso para aqueles que ainda não o conhecem. Quando você cuida da boa aparência e atrai olhares, você deixa as pessoas curiosas para saber do que o seu produto é capaz_ por baixo da mesa apoio minha mão sobre a coxa de Jungkook pressionando os dedos levemente sobre o local_ e logicamente elas irão querer experimentar, quando a imagem é chamativa, querer tirar uma prova é praticamente inevitável_ aumento consideravelmente a pressão sobre os dedos, Jungkook parece me encarar incrédulo_ não é mesmo Jungkook?_ sorrio para ele, relembrando-o de manter uma boa compostura

Jk:S-sim, claro_ ele pigarreia após dizer as palavras em meio a um sorriso forçado

Dy: Gostei disso, e você Sun, o que acha?

Ds: Acho que nós temos um acordo, onde assinamos?_ após algumas assinaturas e um pouco mais de conversa, encerramos nossa pequena reunião e nos despedimos de nossos mais novos clientes.

Jk: O que foi aquilo lá dentro?_ parecia nervoso ao perguntar, me fazendo rir de sua reação

Jm: Achei que tivesse ficado bem claro, aquilo foi uma reunião de negócios Jungkook.

Jk: Não estou falando disso, estou falando daquela coisa que você fez.

Jm: Coisa? Conversar?_ me faço de desentedido atiçando seu lado impaciente

Jk: Não aquela coisa. Com a sua mão. E não se faça de bobo, você sabe o que.

Jm: Ah, não foi nada de mais, não achei que fosse ficar bravo com algo tão simples_ dei de ombros enquanto atravessavamos a rua

Jk: Bravo não é bem a palavra, é só que não é algo comum.

Jm: Para mim é bem comum.

Jk: Claro, você é gay.

Jm: E você não?

Jk: Não!

Jm: Não foi o que pareceu sexta-feira a noite_ digo baixo, mas em tom suficiente para que ele possa ouvir.

Jk: O que? Do que você está falando?

Jm: Ah... nada não, olha só a hora, já está no fim do nosso expediente, ja vou para casa, até amanhã Jungkook_ vou no sentido do estacionamento enquanto Jungkook fica para trás esperando alguma resposta que não irá receber.

Ligação on

Jm: Então ele ficou lá com aquela típica cara de quem nada entendeu, mas no fundo nós sabemos que ele entendeu muito bem o que eu estava fazendo, e se ele continuar agindo assim tão passivo melhor para mim.

Nm: É, você realmente não bate bem da cabeça, com tanto homem no mundo por que você tem que sismar logo com quem pode tirar seu emprego?

Jm: Ele não vai fazer isso, eu sou cauteloso, não faço nada que poderia colocar minha carreira em risco_ ao fundo eu ouço Jin "é o Jimin? Me dá. Me dá logo esse telefone Namjoon"

J: Oi querido, nem tão querido assim nesse momento.

Jm: Oi... olha eu ía aí fim de semana passado mas

J: Mas você achou qualquer coisa que fosse melhor do que dar as caras, como sempre. É assim que você retribui tudo o que eu fiz por você? Fiz das tripas coração para te dar alguma condição na vida e agora eu não sirvo mais de nada pelo visto_ quando eu saí de casa era muito jovem e despreparado, Jin me acolheu e foi como a mãe de que eu precisava por todos esses anos.

Jm: Me desculpa, é sério, eu te amo omma, vou pra casa esse fim de semana sem falta.

J: É bom que venha! Ou eu mesmo te busco pelas orelhas não me importantando em cima de qual vadia você esteja! E tem mais! Eu, sai Namjoon, tira a mão, Namjoon!_ sua voz gradualmente vai ficando mais baixa_ você não se atreva, Namjoon!_ até praticamente ficar inaudível

Nm: Desculpa cara, ele pegou de mim a força, esses dias ele tá sensível para um cacete, e ele fica preocupado com você, não deixa de vir não.

Jm: Não vou deixar, peça desculpas a ele por mim, eu realmente não tive a intenção de sumir por tanto tempo, é que as coisas foram intensas ja que estou me readaptando a uma nova rotina e um mês passou sem que eu visse, agora tenho que desligar, preciso reunir material de referência para a nova campanha, te ligo depois.

Ligação off

Jm: Não... acho que está fraco, está apagado não concorda? Precisamos de mais vida, tente usar tons mais vibrantes, mantenha a mesma cartela de cores, deve ser o suficiente

Yy: Tudo bem, faço isso em 1 minuto

Jm: Obrigado. Vou mostrar a Jungkook o que temos até agora_ caminho até sua sala enquanto os arquivos são enviados da nuvem até o e-mail de Jeon, bato na porta e como ja era de custune abro passando por ela em seguida_ Jungkook, pode abrir seu e-mail um segundo? Te enviei a primeira amostra de imagens

Jk: Claro, só um segundo_ após digitar algo em seu computador, ele faz o que eu havia pedido, sua expressão no início parece surpresa_ eu não esperava algo tão intenso, por estarmos falando de produtos mais naturais e saudáveis achei que seria o clássico tema calmo que remete a serenidade, e isso não está sereno_ ele sorri enquanto aguarda uma explicação

Jm: É eu sei, é o mais convencional, mas sabe, depois de pensar um pouco me perguntei, por que tem que ser convencional? Tem que ser atrente, não clássico, quando vemos comerciais de fast food lotados de gordura, eles são intensos, e os fast foods sempre estão lotados, lotado é bom.

Jk: Sim, mas as pessoas não estão acostumadas com tanta intensidade em coisas assim tão leves.

Jm: E talvez isso seja um problema, eu nunca vi muita graça em Mc'donalds mas sempre que eles lançam um novo sanduíche eu não resisto a tentação de experimentar, pois é tudo tão marcante, parece o certo a fazer quando eu vejo esse tipo de imagem_ aponto para a tela de seu computador_ as pessoas estão acostumadas a imagens leves, e as pessoas que gostam de coisas assim, experimentam, as que não gostam não sentem vontade. Você não sentiria mais vontade de experimentar algo forte e intenso, do que algo calmo e insoso?_ analiso seus olhos apoiando minhas mãos sobre sua mesa enclinando o corpo em sua direção_ você não fica curioso? Para saber se é gostoso? Você não quer provar?_ passo a língua entre os lábios, descendo meu olhar pela pouca pele exposta de seu pescoço, e pelo tecido fino de sua camisa sobre sua clavícula_ pois eu quero.

Jk: É... eu_ Jungkook raspa a garganta, limpando sua fala antes de continuar_ eu..._ seus olhos vagueiam pela sala, enquanto brinca com os dedos das mãos que estavam antes sobre a mesa mas agora repolsavam em seu colo_ do que... você... o... a imagem... sim a imagem_ sua mão agora batia nervosa sobre sua coxa direita_ acho que.. É isso, está bom, pode ir_ coça a nuca ainda evitando meu olhar

Jm: Tudo bem então, estarei em minha sala, com licença.

Jk: Jimin!_ chama antes que eu abra a a porta, me viro em sua direção notando seu rosto corado

Jm: Sim?

Jk: Você... está... quero dizer... você é gay... eu não... isso está soando estranho. O que eu quero dizer_ seu rosto enrubrecia a medida em que ele tentava se explicar_ não me entenda mal, mas é que está parecendo, quando você fala assim desse jeito como disse antes, parece que você tem segundas intenções... não me intenda mal, eu so estou tentando entender_ sorrio enquanto busco as palavras certas

Jm: Sim

Jk: Sim o que?

Jm: Sim, eu tenho segundas intenções_ seu rosto assume um tom escarlate que eu julgava ser impossível

Jk: Eu.. gostaria que você parasse_ aproveito minha proximidade da porta para virar a chave trancando-a por um momento_ o que está fazendo?_ sua voz saía com um certo medo, me aproximo de sua cadeira, virando-o para mim

Jm: Jungkook, você tem certeza que é tão hetero quanto pensa?


Notas Finais


Ai... estou ficando insegura com a história, eu até sei o que vai vir por aí e tudo mais, o problema é que eu não sei mais se está tão legal assim.. estou pensando em descontinuar ela...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...