História Um amor, um segredo - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Castiel, Lysandre, Nathaniel, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya
Tags Amordoce, Castiete, Incesto
Exibições 16
Palavras 1.205
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Artes Marciais, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii amores, to viva ainda😂
Aqui está mais um capítulo fresquinho pra vocês, espero que gostem😘💖😘💖
PS: dicas e sugestões são bem-vindas

Capítulo 4 - Dragon...



Dia seguinte...



- CASTIEL, SAI LOGO DESSE BANHEIRO - grito enquanto bato na porta

- Calma aí, nervosinha. Já tô saindo - disse depois de abrir a porta e, com uma toalha na cintura, saiu. Tive uma visão privilegiada de sua bunda, ainda tampada pela toalha, e não pude deixar de ter pensamentos inapropriados ao encarar. - tira foto, dura mais - corei e depois revirei os olhos, mais pra disfarçar do que outra coisa, já que não reclamaria de ter uma foto assim no meu celular.

- cala a boca - entrei no banheiro e tranquei a porta. Pude ouvir ele rindo "Ele ainda vai de deixar louca", ri com meus pensamentos e fui tomar banho.



Quando saímos de casa, fomos pra escola de carro. Ao Castiel fazer uma curva, vi uma criaturinha preta correndo pela calçada. Olhei melhor e percebi que era um cachorro, provavelmente com a patinha machucada, já que o mesmo mancava.

- Cass, para o carro - digo e, num impulso, seguro seu braço para chamar sua atenção. Ele não me dá ouvidos. - para o carro cacete - quase grito e viro o volante pra cima do meio-fio, ele freia com tudo.

- ta louca garota? Quer nos matar? - ignoro seus questionamentos e saio do carro. - aonde você vai? - ele vem atrás de mim. Ignoro sua pergunta e vou até o cachorro - ta brincando que você me fez parar pra brincar com um cachorro - disse revirando os olhos.

- ele tá machucado, Castiel - digo pegando o pequeno no colo - se não for pra ajudar pelo menos não enche - digo indo pra casa, ele vem logo atrás.

- me dá ele - diz seco - temos que leva-lo ao veterinário.

- eu vou pra casa. Se quiser você vem, senão até mais tarde. - digo indo pra casa e ouço ele entrando no carro - ta brincando que ele preferiu ir a aula ao invés de ficar com a gente - digo pra mim mesma revirando os olhos.



(X)



Quando cheguei em casa fui direto dar comida e água pro pequeno. Após ele comer, fui dar um banho nele e o sequei com uma camiseta do Castiel.

 Enquanto o secava, ouço um carro chegando. Achava que fosse minha tia, e imaginei o quanto eu ouviria dela por ter trazido um cachorro de rua pra casa, não que eu ligasse pra isso, mas quem chegou fora Castiel.

Ele foi até o andar de cima e me jogou uma sacola cheia de remédios e ataduras.

- se vamos cuidar dele, então vamos fazer direito - o olhei surpresa, mas ele continuava sério - é a minha blusa? - disse apontando pro meu colo, onde o cachorro estava enrolado

- eu não tinha nada pra secar ele - digo dando de ombros.

- nunca mais mexa nas minhas coisas - disse meio bravo - e não podemos secar ele com uma camiseta, idiota, temos que seca-lo com o secador - disse pegando o filhote da minha mão e ligando o secador em cima da pia.

- eu até te daria um tapa na cara se você não estivesse ajudando - ele deu um meio-sorriso, parei alguns segundos pra admira-lo quando ele me tira dos meus pensamentos.

- eu sei que eu sou lindo, mas será que você poderia ajudar aqui? - revirei os olhos e segurei o cachorro na frente do secador. - agora só falta dar o remédio pra ele - disse logo depois de acabar.

- como sabe tanto sobre cuidados de animais? - digo curiosa, ele para alguns segundo se mexer na sacola e suspira.

- eu já tive um cachorro - respirou fundo novamente - mas ele morreu. - Por um momento pude sentir o amor que ele sentia pelo animal e desejei poder diminuir essa dor ao máximo possível. Não queria vê-lo sofrendo, ele era meu irmão... ou talvez essa fosse só uma desculpa esfarrapada minha para não dizer que eu o amava. 

Me assustei com meus pensamentos, não querendo admiti-los, os afastei.

- sinto muito - ele assentiu e decidi que era melhor mudar de assunto - você dá o remédio e eu seguro ele? - digo enquanto ele separa um comprimido.

- óbvio - se preparou pra dar o remédio - segura ele direito - revirei os olhos até que ele tentar colocar o remédio na boca do filhote e o mesmo pula dos meus braços, mas estava prestando muita atenção no celular apitando no bolso de trás da calça Jeans do Castiel. - presta atenção, caramba - disse bravo enquanto corria atrás do cachorro.

- vai se ferrar - corro atrás do mesmo. Quando chegamos na cozinha, o pote cheio da água estava virado no chão, junto com toda a ração, molhando todo o piso da cozinha. - a tia vai matar a gente - digo rindo e ele também ri.

- ele tá ali - diz pulando a poça. Faço o mesmo, ou tento, pois caio.

Enquanto caía, me segurei em Castiel, que, sem esperar, acaba caindo em cima de mim. Ele se apóia nos braços, próximos ao meu rosto, e nos perdemos no olhar um do outro. 

Ele afasta uma mecha de cabelo do meu rosto e se aproxima cada vez mais. Sua respiração era quente em meu rosto e seus lábios roçavam nos meus. Sem aguentar mais esperar, selo nossos lábios, iniciando um beijo calmo.

Seus lábios macios tinham um gosto doce e sua língua movimentava-se de forma calma na minha boca, eu fazia o mesmo. Ele desce suas mãos de forma lenta até a minha cintura, e aperta o local, solto um gemido fraco e ele sorri de leve entre o beijo.

Ele levanta lentamente a minha blusa até a altura do umbigo enquanto arranho seu torço. Logo toda a calmaria vai embora e iniciamos um beijo rápido, desejoso.

Nos levantamos do chão sem separar o beijo e ele me põe sentada em cima da ilha. Quando perdemos o ar, ele desce os beijos para o meu pescoço e eu arranho suas costas.

Assim que ele tira minha blusa, escutamos um barulho alto no quintal, como se algo grande tivesse caído. Paramos o que estávamos fazendo e fomos correndo pro lado de fora. 

Quando chegamos lá, vimos uma caixa andando pelo quintal. Dou risada ao perceber que era o cachorro embaixo dela. Castiel tira a caixa dele e observa a bagunça que ele fez na "casa" dos fundos.

- acho que vamos ter mais coisa pra limpar - diz enquanto pega algumas coisas espalhadas no chão e joga na caixa.

- acho que deveríamos dar um nome à ele - digo enquanto o ajudo a pagar algumas coisas do chão. Ele pensa um pouco e logo depois assente.

- Dragon - estranho um pouco - para algumas pessoas, esse nome daria medo - ele da um meio-sorriso.

- é exatamente por isso - ele me encara.

- é, gostei... Dragon então - olho em volta - à propósito, cadê ele? - digo olhando ao meu redor. Castiel aponta pra varanda, onde Dragon estava deitado, nos observando.

- só mais uma coisa - se aproxima do meu ouvido - seios bonitos - coro ao perceber que ainda estava sem blusa.

- idiota - rio sem-graça - vou por uma blusa. - ele ri fraco enquanto caminho até a varanda. Pego Dragon no colo e o levo pro quarto comigo.






























Notas Finais


E ai, amores, gostaram?
Desculpem a demora pra postar, estava sem ideias (aliás estou escrevendo esse capítulo desde ontem em busca de inspiração😂) mas consegui, próximo capítulo sai em breve e me desculpem a demora... espero que tenham gostado, amo vcs 😘💖😘💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...