História Um amor violento - Capítulo 108


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Dimitry, Iris, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Violette
Tags Alexy, Ambre, Amor Doce, Armin, Castiel, Dimitry, Iris, Kentin, Leigh, Lysandre, Melody, Nathaniel, Rosalya, Viollet
Exibições 177
Palavras 2.913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drabble, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


- Olá tudo bem?
Postando mais um capitulo do dia...

Espero que gostem!

Obrigada por sempre acompanharem!

Boa leitura!

(Erros corrigidos mais tarde)

Capítulo 108 - Não acredito mais em você Armin!


Fanfic / Fanfiction Um amor violento - Capítulo 108 - Não acredito mais em você Armin!

24/11/2016 – Londres

Que isso eu só gosto de te ver feliz...

11/09/2011 - Londres

Armin On.

Íris: Eu estava com muitas saudades de você!

Ela dizia deitada na cama enrolada no lençol.

Armin: Eu também! (Estava colocando minha camisa). Mais agora... Eu preciso ver alguém!

Íris: Gustavo?

Armin: Claro!

Sair do quarto, deixando ela deitada. Andei até o quarto e encontrei-o brincando com um mordedor.

Armin: Oii... (Peguei-o no colo).

Ele sorriu a me ver.

Armin: Como você está bonito e grande! Rsrs... (Cheirei perto do seu pescoço). Como trataram você? Comeu bem? Vamos ver o seu corpo se está tudo bem com você...

Deitei-o na cama e verifiquei o seu corpo se tinha algum hematoma ou algo parecido, mais não tinha nada, estava tudo bem.

Armin: Está tudo bem... (Ele ria me olhando). Está feliz a me ver? Oh... (Peguei-o no colo). Logo eu e sua mãe vamos está longe... E ai podemos ser bem felizes o que você acha? Está com saudades da mamãe? Eu também estou... Uma pena que ela está com aquele mala sem alça né? Mais podemos nos livra rapidamente dele...

Fiquei com ele no colo conversando um bom tempo, quando eu ouvir alguém chamando a Nina na frente da casa. Ainda bem que estamos longe de civilização, coloquei o Gustavo no berço novamente e dei o brinquedo a ele. Verifiquei se minha arma estava ainda comigo, e sair do quarto.

Íris: E aquele moleque novamente! (Ela veio em minha direção se arrumando).

Armin: É hoje que coloco minha arma para funcionar! (Verifiquei se arma estava carregada)

Íris: Armin? Armin? O que você vai fazer? (Ela veio ao meu lado).

Armin: O que já devia ter feito antes... (Coloquei minha arma na parte de trás da calça).

Abri a porta e vi aquele ridículo novamente.

Armin: O que você quer?

Júlio: Vim atrás do que é meu... Verifiquei a conta... Não tem nada lá!

Íris: A Nina que te contratou... Então é ela que faz o pagamento para você!

Júlio: Então cadê ela? Preciso falar com ela...

Armin: Olha você serviu de grande ajudar para nós, mais se não for muito incomodo... Poderia sair... Sua voz me irrita!

Nina: SOCOOOROOO! SOCOOORROOO!

Merda!

Júlio: Essa é a Nina? O que? Vocês não podem fazer isso? V-vocês...

Íris: É melhor você ir...

Armin: Não... Agora que você não vai mesmo... (Coloquei minha mão na arma atrás).

Júlio: Olha eu grampeei a casa dos avôs da Alana, coloquei escuta na casa da Ana e do Lysandre... Fiquei vigiando a casa deles... Mais seqüestro... Vocês não me disseram que iriam fazer isso... (Ele estava muito assustado, dava até para sentir o medo dele).

Íris: Você conseguiu isso graça a nós... Por disfarce de montador de moveis de bebê.

Júlio: Sim... Mais... A Nina... Ela não pode ficar assim...

Armin: Olha cara... Você não manda nada aqui, você só recebe ordens... Mais ultimamente você tem se tornado um pé no saco... Então... Pessoas como você, eu tenho uma única maneira... (Saquei a arma para ele).

Ele automaticamente deu alguns passos para trás e com as mãos levantadas.

Júlio: Q-q-q-que i-i-isso Armin? Não é isso... E-e-e-eu...

Armin: Se você corre... Vai ser pior...

Júlio: N-não! (Ele começou a correr).

Segurei bem a arma e mirei na sua cabeça, e deu um tiro, pegou em seu ombro. Ele caiu no chão se lamentando.

Nina: O QUE ESTÁ ACONTECENDO? TIRA-ME DAQUI...

Armin: Vai até lá e faça essa louca cala a boca, antes que eu vá e faça o mesmo com ela... (Mostrei a arma para ela).

Íris parecia assustada, saiu correndo para dentro da casa.

Armin: Agora sou eu e você... (Andei até ele).

Júlio: Ah... Meu ombro! (Pisei em sua barriga). AH...

Armin: Eu disse para você não correr... (Mirei em sua cabeça). Quais são as suas últimas palavras?

Júlio: VAI PRO INFERNO SEU FILHO DA PUTA!

Armin: Tsc! Tsc! Desperdiçou suas palavras... (Dei um tiro no meio de sua cabeça e morreu na hora com os olhos abertos). Poderia ter mandando um beijo para a mamãe... Hahaha....

Guardei a arma novamente na calça, e voltei para a casa. Logo veio a Íris correndo.

Íris: Eu ouvir mais um tiro, então... ARMIN? O QUE VOCÊ FEZ?

Armin: Livrei-me dele... Simples! (Dei um beijo em sua testa).

Íris: Mais... E agora? E as informações? O que vamos fazer com esse corpo?

Armin: As informações não importam mais... O plano já entra em andamento amanhã mesmo... E enquanto o corpo... Depois eu dou um jeito... Agora... Quero comer alguma coisa, estou com fome...

Deixei a Íris atordoada na porta e entrei.

Armin Off.

Ana On.

Lys: Droga! (Ele disse frustrado já na última tentativa de ligar para Lia). Ela não me atende!

Ana: Talvez ela esta ocupada!  (Disse antes de comer um pedaço do meu bolo de cenoura).

Lys: E problema é que tenho medo dessa ocupação dela... Lia é meio doida e junto com o Castiel ainda... (Ele ficou pensativo).

Ana: Deixa-os... Provavelmente eles estejam em algum lugar e não escutou o celular tocando, ela vai retorna... Fique calmo!

Lys: Você tem razão... Vou ficar calmo...  (Ele sorriu com resposta).

Ana: Ai como é bom recorda isso tudo... Paris é uma cidade tão linda!

Lys: Sim... Não que seja a cidade que morei muito anos, mais é um dos lugares favoritos!

Ana: Mesmo? Também gosto... Mais sempre tive vontade de conhecer Estados Unidos!

Lys: Hum... Qual lugar especifico? (Ele tomava o seu suco).

Ana: Hum... Colorado talvez... (Dei de ombros).

Lys: Legal... Quem sabe não vamos lá!

Ana: Você tem que para de ficar fazendo meus gostos...

Lys: Que isso eu só gosto de te ver feliz...

Ana: Rsrs... (Corei com isso). Terminei...

Lys: Maravilha... Quer sabe aonde vamos agora?

Ana: Não... Onde! (Me apoiei na mesa para olhá-lo).

Lys: Em um lugar, onde causa dor... (Ele falava isso sorrindo).

Ana: Meu Deus... E você ainda ri disso... Que lugar é esse?

Lys: Vamos lá fazer sua tatuagem! (Ele pegou sua carteira e eu peguei a minha). Não precisa paga...

Ana: Mais eu ínsito... E ponto final! (Retirei o meu dinheiro e entreguei).

Ana: Fiquei feliz com a tatuagem... Ai que legal! (Falei sorridente). É algo bem simples... Tomara que eu não sinta tanta dor assim...

Lys: É preenchida? (Ele se levantou e eu fiz o mesmo).

Ana: Não... Só contornada mesmo!

Lys: Vai doer um pouquinho...

Caminhamos lado a lado para um lugar.

Ana: É muito longe daqui?

Lys: Não muito... Vamos caminhando o dia hoje está bom.

Ana: Tudo bem... E aonde vamos depois?

Lys: Perto da loja, tem um lugar que tenho certeza que você vai amar... Como estávamos perto da primavera, tenho certeza que o lugar agora deve está bem lindo...

Ana: Estou curiosa para saber onde é isso...

Lys: Você vai amar... Conhecendo você... Você vai ficar de boca aberta...

Ana: Ai então vamos nos apresar... (Peguei em sua mão e andei mais rápido).

Lys: Ei... Calmo ai... Hahaha... (Ele tinha uma risada tão boa, que ri junto com ele).

Ana Off.

Dimitry On.

Como eu essa noite eu dormi na casa da Joana, aproveitei para ficar mais um pouco ela, ela parecia tão feliz, eu também estava o mesmo. Está com ela é tão prazeroso para mim, em todos os sentidos.

Estávamos na cozinha almoçando e conversando sobre coisas aleatórias e rindo de coisas bobas. Até a Viollet entrar e levar um susto comigo.

Viollet: D-d-dimitry?

Dimitry: Bom tarde Viollet... (Levantei o copo de suco para ela). Vamos almoçar?

Joana: Até que fim acordou em... Pensei que eu tinha que ir lá te acorda!

Viollet: Até parece! Sua boba! (Ela ficou toda vermelha e se sentou em minha frente). V-você dormiu aqui? Essa noite? (Ela não me olhava, estava constrangida, mais sabia que a pergunta era para mim).

Dimitry: Sim! Eu entrei para conversar com você... Mais você estava dormindo, então aproveitei e fiquei um pouco com a Joana!

Viollet: S-sei...

Joana: Bom... Meu bem? (Ela tomava seu copo de suco). Porque não conversa com ela agora? Aproveita logo, antes de você ir para a Delegacia!

Dimitry: É mesmo!

Viollet: M-m-mais... Mais o que vocês querem conversar comigo?

Dimitry: Fique tranqüila Viollet! Eu só quero saber de uma coisa... É muito importante!

Viollet: Mesmo? (Ela me olhava com medo segurando o seu prato).

Dimitry: Sim... E se você me responder tudo que eu preciso... Você vai ser uma grande ajuda para a polícia!

Viollet: Acho que até sei o que você quer me perguntar! (Ela abaixou a cabeça).

Joana: Está tudo bem? Você parece pálida!

Viollet: ... (Ela continua com a cabeça baixa).

Dimitry: Viollet? Está tudo bem?

Viollet: Snif...

Joana: Viollet? Você está chorando? (Ela ficou ao lado da irmã). Dimitry?

Dimitry: Olha... Se não quiser fazer isso agora... Tudo bem eu entendo! Talvez você não esteja com cabeça para isso... Então...

Viollet: NÃO! (Ela falou alto de repente, me fazendo levar um susto, o mesmo a Joana).

Joana: Viollet?

Viollet: Não! Eu não agüento mais... Snif! (Lágrimas saiam descontroladamente de seus olhos). EU PRECISO FALAR!

Joana: Tudo bem! Tudo bem! Pode falar!

Viollet: É sobre o Armin o que você quer saber, não é?

Dimitry: Sim... É justamente sobre ele...

Viollet: Não se engane com ele... Ele é a pior pessoa que possa existe nessa face da terra... Ele consegue manipular as pessoas, conseguir fazer o que ele bem quer... (Ela tinha uma respiração descontrolada, como tivesse corrido uma maratona). Ele... Ele... Ele me enganou!

Joana: Como assim?

Dimitry: O que ele fez para você Viollet?

Viollet: Certa vez ele ficou conversando comigo por mensagens, então eu entrei em um assunto sobre o pai dele... Ele estava agindo diferente sabe, estava até falando que não queria mais fazer mal a ninguém, mais era tudo plano dele... Eu expliquei a situação de como eu falei com o pai dele pela última vez, já que eu o conhecia ele quando o Alexy me apresentou a sua família enquanto estudávamos na Sweet Amoris... Eu sempre fui apaixonada pelo Armin... Joana sabe disso...

Joana: É verdade!

Viollet: Eu faria qualquer coisa por ele... Qualquer coisa mesmo! E quando eu contei como o seu pai foi para no meu atelier para compra um quadro meu... Ele ficou todo sentimental pela mensagem do celular... Foi então que me disse que estava chorando e queria conversar comigo por ligação... E então eu aceitei... Foi então... Foi... (Ela começou a chorar novamente).

Dimitry: O que houve? (Joana ficou acariciando suas costas).

Viollet: (Ela deu um longo suspiro e continuou). Foi então que ele me ligou, e se transformou completamente... Ele falou que sempre me odiava, e o que eu estava falando era pura mentira, o pai dele não iria fala nada daquilo para mim... Que eu nem merecia de estar perto dele, e que agora que eu estava conversando com ele diariamente, eu tinha que fazer tudo o que me mandasse fazer... Se não a minha irmã iria sofre com isso... Ela sabe que a Joana é a única família que eu tenho, já que o nosso pai não está mais aqui...

Dimitry: Ele fez isso? (Eu cerrei o punho).

Viollet: Fez... Ele me obrigou a ajudá-lo... E caso eu não o ajudasse... Joana sofria, e todos que estava perto de mim, por isso que ficava sempre distante de vocês... Não queria que nenhum de vocês corresse perigo!

Dimitry: Mais que filho da PUTA! (Dei um soco na mesa, fazendo as coisas da mesa tremer). Desgraçado! Como ele é INSOLENTE!

Joana: Mantenha a calma Dimitry! (Ela se levantou e me olhou preocupada).

Dimitry: Eu vou manter... Vou manter quando eu pega esse infeliz pelo pescoço! O que mais ele te pediu?

Viollet: Ele... Ele... Snif! Ele me obrigou na verdade a ajudá-lo a cuidar do bebê, mais que eu não poderia fala para ninguém... E que a Joana fosse examiná-lo... Mais eu disse que ela não iria fazer isso... Mais ele insistiu com sua voz sínica! Eu disse para ele trazer até aqui, porque de alguma forma a Joana poderia fugir com a criança e ficava com ele...

Joana: Ainda bem que ele não chegou a trazer não é verdade?

Viollet: Porque diz isso? Gustavo agora estaria com os pais... (Ela estava bem triste olhando para sua irmã).

Joana: Porque se ele tivesse trago, e eu tivesse fugindo... Eu não sei que ele poderia fazer com você... E não posso perde você... Amo você por demais...

Viollet: Também amo você!

Dimitry: Certo! Que bom que agora você reconheça quem ele é realmente Viollet!

Viollet: É,,, Agora sei o que é, e o que ele pode fazer...

Dimitry: Lamento muito por você ter se apaixonado por esse cara idiota! (Eu me agachei em fiquei ao seu lado).

Viollet: Pois é... Meu coração não foi legal comigo dessa vez! (Ela sorriu triste).

Joana: Não fique assim... Eu tenho certeza que você vai encontrar alguém muito bom para estar com você!

Dimitry: Verdade! Agora posso lhe pedi outro favor?

Viollet: Claro!

Dimitry: Almoce... Preciso que você vá comigo a delegacia!

Viollet: Fazer o que?

Dimitry: Você não vai ser presa nem nada, mais preciso que você leve o seu celular... Para conseguimos rastrear ele...

Viollet: Ele disse que troca de celular sempre...

Dimitry: Não importa... Vamos mesmo assim... Tudo bem para você?

Viollet: Claro!

Joana: Legal! Vai almoçar! (Ela deu um beijo na bochecha de sua irmã e veio até mim). *Sussurrando* Será que ela vai ficar bem?

Dimitry: *Sussurrando* Sim... Com o tempo ela vai conseguir esquecer esse trouxa!

Joana: *Sussurrando* Torço muito para ela encontre alguém e faça ela feliz!

Dimitry: *Sussurrando* Eu também! (Abracei-a e dei um beijo em sua cabeça).

Dimitry Off.

Alexy On.

Estava na loja da Rosa e do Leigh, precisava mostra novos modelos que tinha feito para eles. Estava tão feliz e ansioso para que a Aninha volte.

Rosa: Bom... Ficou muito Alexy!

Leigh: Por mim... Estão perfeitos... Juntos com os meus que eu fiz, a coleção fica completa!

Alexy: Sim... Imagina a nossa Aninha usando essas roupas magníficas? Uhuuu... Vai arrasar! Ah... Mais quando que ela volta? (Disse guardando o mostruário).

Leigh: Não sei ao certo... Talvez amanhã? (Ele deu de ombro).

Rosa: Espero que o Lysandre experimente o presente que entregamos para ele.

Alexy: Hahaha... Sim! Claro!

Leigh: Rsrs... Vocês são muito mal com meu irmão... Devo até imagina a cara que ele ficou quando recebeu o presente de vocês...

Rosa: Ah meu bem... É para eles se prevenir... Vai que eles fazem isso? (Ela disse dobrando um tecido).

Leigh: Mais a menina nem se lembra dele direito, vai fazer isso?

Alexy: Não precisa... Faz sexo para se lembrar!

Rosa: Hahaha... Alexy... Temos clientes na loja! Hahaha...

Alexy: Ai gente pelo amor de Deus... Quem não sabe o que é isso hoje em dia? Todo mundo nasceu disso!

Rosa: Haha... Eu não agüento!

Leigh: Haha... Alexy você não existe!

Alexy: Claro meu amor... Alguém tinha que me inventar! Hahaha....

??: Olá pessoal!

Rosa: KENTIN? Você voltou!

Virei-me para olhá-lo, estava com o cabelo mais curto e com uma cicatriz no rosto, mais musculoso e com cara de mais adulto.

Alexy: Kentin!

Kentin: Alexy!

Alexy: Como você está? Nunca mais nós nos falamos!

Kentin: Pois é... Agora que fui promovido a Coronel, quase não estou tendo tempo!

Leigh: Sério? Meus parabéns Kentin!

Kentin: Obrigado! Meu pai me indicou... Eu fiquei com receio de ir, algo estava me prendendo aqui...

Alexy: Até imagino quem seja!

Rosa: Quem?

Leigh: Rosa... Vai atender os clientes!

Rosa: Daqui a pouco meu amor!

Kentin: Não é nada Rosa!

Alexy: É sim... Foi por causa disso que não damos certo não é verdade?

Kentin: Sim... Mais espero que você não tenha ficado magoado comigo por conta disso...

Alexy: Não imagina! Eu fiquei com medo de perde sua amizade!

Kentin: Isso jamais iria acontecer!

Rosa: Fico feliz por isso...                                           

Kentin: Mais e as novidades? Perdi muita coisa?

Leigh: Muita coisa... E bota coisa nisso!

Kentin: Mesmo?

Alexy: Mais antes de contamos tudo, será que poderia nos contar como foi que conseguiu essa cicatriz enorme no rosto?

Rosa: Eu achei charmoso! Ficou perto dos olhos!

Alexy: Ficou quase cego se você quer dizer né meu amor? Porque ela o tamanho disso?

Kentin: Pois é! Mais está tudo bem... Foi em uma guerra que enfrentei esse tempo atrás... E acabei levanto um corte no rosto... Mais fico feliz por ele, foi por causa dele que hoje fui promovido e estou vivo...

Alexy: Ai... Parece interessante... Depois nos conta... Mais senta aqui... (Apontei para a cadeira e a Rosa ficou do outro lado do balcão). Vamos conversar aproveitar que o Pedro ainda não chegou!

Kentin: Seu namorado? (Ele se sentou).

Alexy: Sim... E já deixo avisado, ele não gosta de você!

Kentin: Ué? Eu hein? Rsrs...

Rosa: Mais antes... Eu quero saber... Estou curiosa... Quem é essa pessoa que fisgou teu coração...

Kentin: Ai... Acho melhor trocarmos de assunto!

Alexy: Não mesmo! Ele sempre gostou da Viollet!

Rosa: Viollet!

Kentin: Sim... Mais ela nunca gostou de mim... E eu também era meio tímido para chegar nela e fala dos meus sentimentos...

Alexy: Você era? Hahaha... Ainda é né!

Kentin: Olha... Vamos mudar de assunto... Agora isso para é pagina virada! Meu foco agora é meu trabalho!

Alexy: Mais...

Kentin: Fim de papo Alexy... (Ele franziu a testa).

Rosa: Bom... Já que ele não quer tocar no assunto... Bom teve muitas coisas...

Alexy: Por onde começar?

Rosa: É... Rsrsrs...

Alexy Off.


Notas Finais


- Isso Viollet! \o

Espero que tenha gostado!

Até a próxima!

Beijos e queijos!

Curtam a página: https://www.facebook.com/fanficumamorviolento/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...