História Um anjinho para nós - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Asmodeus, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Raphael Santiago, Raziel, Robert Lightwood, Simon Lewis
Tags Alec, Anjos, Instrumentosmortais, Magnus, Malec
Exibições 146
Palavras 2.227
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero que gostem@!! Beijinhos

Capítulo 14 - A grande noite


Fanfic / Fanfiction Um anjinho para nós - Capítulo 14 - A grande noite

P.o.v Alec

Sinto uma brisa suave como de praia quando chegamos onde o portal dava. Quando meu olhos notam onde estamos uma alegria imensa preenche meu coração. Era uma espécie de casa sobre o mar, meio rústico, porém muito confortável.

- Onde estamos? - Magnus sorri e me abraça por trás.

- Nas ilhas maldivas. Izzy me contou que sempre quis conhecer este paraíso. - deposita um beijo em meu pescoço.

- Vou ter que mata - lá depois. - Magnus se aproxima e coloca o dedo em meus lábios.

- Vai nada! Agora vem! - Me puxa para dentro do quarto.

Fico sem fala ao ver aquela linda cama com lençóis brancos e pétalas vermelhas espalhadas por todo local. O ambiente está aluminado apenas por velas que exalam um cheiro de maçã e canela. Adimiro cada detalhe do local.

- Você pensa em tudo mesmo! - um enorme sorriso surge em meus lábios. - Nunca imaginei ser tão feliz!

- Prometo fazer todos os seus dias felizes como esse meu Alexander! - seus braços me envolvem num longo e caloroso abraço.

Ele me pega no colo como os noivos fazem e parte de mim acha um mico enorme, todavia outra adora o que ele está fazendo. Deito - me na cama com aqueles olhos sobre os meus. Magnus me surpreende com aquele seu sorriso maravilho. Me aproximo e depósito vários beijos sobre seus olhos, nariz e boca.

Inicíamos um beijo calmo e suave. Mas necessito de mais contato entre nós e peço passagem, minha língua invade sua boca com toda a gentiliza que consigo. Todavia meu corpo está sedento pelo dele. Sento - me sobre seu colo e começo a tirar sua camisa, enquanto aprofundo nosso beijo.

Nossas línguas travam uma batalha infindável, até que com uma agilidade incrível seu colocado sob seu corpo. Magnus beija delicadamente meu pescoço, deixando leve chupões e mordidas por todo local. Solto baixos gemidos, deixando - o  mais louco de desejo.

  Seus olhos percorrem todo meu corpo já exposto, o desejos nos seus lindos olhos me deixa sedento por mais contato. Ao morde seus lábios de desejo,  roubo um beijo o que o deixa feliz, voltando a distribuir mais beijos e chupões. Cada toque dele me leva a loucura, meu corpo esquenta e minha respiração fica pesada.

- ahah! - um gemido involuntários sai quando o feticeiro começa a fazer carinho em um dos meus mamilos enquanto chupava o outro, fazendo me soltar altos suspiros. Arranca sua calça e a minha, sentando se sobre o meu membro.
Rebolava enquanto beijava cada runa presente no meu corpo. Seus olhos negros bilhavam e penetravam minha alma.

  Não estava aguentando mais aquele deliciosa tortura.

- M - Magnus… não m-me torture assim. - sai entre os gemidos de prazer.

- Te torturar? Magina! - olhou bem fundo dos meus  olhos e sorriu aquele sorriso safado que apenas Magnus Bane sabia dar. - peça e eu faço!

Ficou rosa só de imaginar aquelas palavras saindo da minha boca. Vendo minha timidez do parceiro Magnus tira a única peça de roupa que cobria meu corpo e começa a lamber lentamente meu membro.

- M-Ma… maa. .. - massageava todo comprimento, enquanto chupava um de meus mamilos. - MAGNUS ME CHUPA AGORA! - grito tirando um lindo sorriso do parceiro.

- Seu pedido é uma ordem moranguinho! - abocanhou o membro iniciando as suquições.

Raspou seus dentes por todo o comprimento levando -me a loucura. Não aguentava mais aquela tortura, Magnus sabia meus pontos fracos como ninguém. Sabia como aquela boca quente e gostosa me leva a loucura. Enfiava cada vez mais fundo em sua boca fazendo com que ondas de prazer percorresse todo meu corpo. Cada pelo do meu corpo estava arrepiado, ondas de prazer me faziam gemer auto o suficiente para todos no hotel hovissem em auto e bom som.

Sinto que estou chegando ao limente, quando em um movimento rápido troco as posições e coloco Magnus rendido a mim, se ele acha que essa tortura vai sair impune está muito enganado. Prendo suas mãos sobre a cabeça, enquanto rebolo freneticamente em seus colo e aprofundo nosso beijo cheio de prazer e luxúria. Ouço dizer entre um gemido:

~ Lightwood  sempre tendo que ter a última palavra~

-  Você foi um garoto muito mal, agora vai pagar por isso. - sussurro em sua orelha, deixando arrepiado e logo em seguida mordo seu lóbulo.

- Alexander! Ah….. - antes que pudesse terminar a frase já estava o sendo chupado com força.  Faço questão de olhar em seus olhos enquanto o beijo sua glade.

Percebendo que Magnus chegaria ou se limite paro as suquições, sento em seucolo do e o beijo com todo o amor, desejo e tesão. Magnus se entrega ao beijo, aprofundando e encrementando ao levar suas mãos nas minhas bunda, apertando e dando alguns tapinha. Solto gemidos entre os beijos e chupões. 

Quando sinto seu dedo me penetrar, sem aviso preciso, deixo um gemido dolorido sair o preocupando. Demorou um tempo pra me acostumar e entrar ao prazer que seus movementos me proporcionavam. Quando comecei a rebolar, sou penetrado pelo segundo e logo em seguida o terceiro, fazendo leves movimentos de vai e vem.

- Magnus! - supliquei com os olhos para que me penetrasse logo, mas aquele sorriso pervertido me negou o pedido.

- O que? Não tá gostoso assim? - faço um bico enorme e tomo atitude… se esse trouxa acha q vai me torturar mais esta muito enganado.
Me viro de costas para ele  e sento no seu membro já ereto.

- Hummmm… Ale…. - começou a quicar, tirando autos gemidos do feticeiro. - Alexander!

Magnus retira seu membro, deixando me chateado... Segura minha cintura e me deita sob ele, abre minhas pernas, beija delicadamente minha entrada, levando um arrepio percorrer -me.

- Meu amorrr - imploro para que né foda logo, não aguento mais não te-lo dentro de mim.

- Pede Alexander! - Magnus ri ao ver como já estava rosa, e como reviro de prazer com os chupões em minha entrada.

- M- Ma-Magnus Bane! Me fode como nunca fez em todos esse anos! - aquelas palavras o levaram a loucura. Seus olhos se arderam de desenho, fazendo seu corpo arde em chamas quando me adentrou.

Penetrava-me com toda a força que podia, tirando vários um gemido dolorido como resposta. Os movimentos de vai e vem ficavam rápidos e depois devagar. Quando atingiu a próstata o meu corpo estremece e reviro os olhos de tanto prazer.

- Aí Magnus! De..  ah… aiii…. Vai…. Mais rápido M-Ma aaaaaaaa - estoca com força. Começou a masturbar-me para almentar o prazer e gozar junto, porém Magnus logo assumiu isso também.

Estou completamente rendido aquele homem, tento controlar mas os gemidos são cada vez mais altos. Vejo que uma chama azul nos cerca. Magnus nunca havia perdido o controle de seus poderes durante noite algo, mas nesta noite ele se entregava totalmente.

Ia cada vez mais rápido e mais fundo levando ambos a loucura. Magnus sentia seu orgasmo chegando e começou a masturba-me mais rápido, levando ao êxtase. Um fogo sobe por meu corpo, que fica fraco e mole… naquele instante o ar me falta e minha única reação é gemer o mais alto que posso de fazer

- Magnuuuussssss. - gemo gozando sobre todo o  tórax do rapaz. Quando Magnus sente o quando apertado fico deveido a onda de prazer chegou ao seu êxtase.

- Alexanderrr.. - gemeu enquanto gozava dentro dentro mim, um líquido quente me preenche.

Nossas respirações estão pesadas, nossos corpos suados,  corações disparados e corpos moles. O feiticeiro deitou ao lado e o trouxe-me para deitar em seu peito. Olhou em meus olhos azuis e inícia um beijo suave, pediu permissão e sua língua me invadiu sedenta, uma guerra estava sendo travada naquela boca e nenhum dos dois queria interromper aquele beijo, porém quando o ar faltou se afastaram.

- Ah como eu te amo Alexander Lightwood Bane! - deu mais um beijo no rapaz.

Aquela palavras me levam nas nuvens. Nem eu meus devaneios mais profundo esperava carregar o nome de Magnus comigo.

- Eu também te amo Magnus Bane Lightwood!

Ficamos ali em silêncio ouvindo apenas o barulho das ondas, até que um profundo sono nos carrega.

                           ***

Uma fresta de luz que invade o quarto pela janela. Acordando o feticeiro. Procura onde está Alec e noto - o deitado sobre meu peito. Sua respiração é pesa e seu sono profundo.  Decido ficar deitado por mais algum tempo observando o moreno.

Lembro me da noite passada e de como fui a loucura com ele. Me concentro em sentir como nossos beijos foram profundo e arrebatadores, o prazer que tive o vendo corar e gemer meu nome. Sinto minha ereção matinal incomodar e com muita relutância levanto e vou em direção ao banho.

P.o.v Alec.

Acordo o procurando pela cama, porém encontro apenas um vazio. Ao poucos meu corpo vai recobrando os sentindo, talvez Magnus estivesse certo demoro demais para acordar realmente. Ouço o chuveiro liga e decido surpreende - lo.

P.o.v Magnus

Estou quase acabando o banho quando Alexander adentra o banheiro.

- Então a bela adormecida decidiu acordar?

- Meu travesseiro não estava mais lá então tive que acordar. - ouço soltar um leve gargalhada.

Abro o box para fitar aquele lindos olhos azuis. E noto que ainda está nu. Pensamentos maliciosos passam por minha mente e inconcientemente sorrio.

- Não me olhe assim Magnus Bane! - pude o ver corar, antes que virasse o rosto.

- Assim como moranguinho?

- Como se estivesse me comendo com os olhos! - passou por mim e entrou no box. - Nosso cabe umas cinco pessoas aqui brincando.

Vou em direção a ele e deposito um beijo em suas costas. Traço um caminho até suas nádegas onde deixo uma forte mordida.

- Magnus! Machucou! - virou e fez aquele beicinho irresistível.

- Não me provoque com esse beicinho maligno! Ou vou deixar você mancando hoje. - Sussurrei em seu ouvido deixando arrepiado.

Alec ligou o chuveiro e começou a se lavar. Ignorando totalmente minha presença. Abriu seus olhos e sorriu ao me ver observando - o. Só para porvoca-lo levo minha mão e colocou em seu peito nu, descendo até pegar em seu membro.

- Não me provoque! - o moreno se aproxima e sussurra em meu ouvido.

- Sabia que nunca transamos no chuveiro. -  digo começando a masturba-lo.

A água cai sobre nossos corpos enquanto Alec solta leves gemidos com o carinho. O viro de costas e noto as marcas de unha da noite passada. Deposito vários beijos por toda a região e vou descendo a chegar em sua entrada.

- Coloca as mãos no banquinho. - Com a respiraçao ja pessada o moreno faz o que peço.

Traço um caminho de beijos da sua nuca até aquela doce e gostosa entradinha rosada. Começo apenas depositando beijos e algumas mordidas. Quando penetro minha língua ouço solta um pesado suspiro de prazer. Deixo o local bem molhado e dou um dos dedos para ele chupar. Alec me olha nos olhos enquanto molha meus dedos da maneira mais sexy do mundo.

Penetro apenas um, tirando - o um leve gemido. Depois o segundo fazendo movimentos de tisoura quando percebe que já seu prazer estava maior que a dor, entro com tudo.

- Ahh.. - uma lágrima sai de seus precioso olhos.

- Perdão…. Vou ser mais delicado, meu amor! - beijo sua bochecha e espero ficar confortável para iniciar os movimentos.

- Alexander v-você é… Ahh. .. como consegue ser…ahhh… tão gostoso! -  o prazer dificulta meu pensar, minhas chamas já estam começando aparecer quando Alec se endireita e encosta sua cabeça em meu ombro.

- Me beija! - seus olhos me fitam levando a um outro universo.

Nosso corpos se completavam perfeitamente, moviventandosse em armonia, nossos corações em uma só frequência e nossas respirações ofegantes e um único som. Comeu a masturba-lo no ritmo dos movimentos de entrada e saída.

- Ma-mais rápido, m-meu a-mor! - o rapaz estava louco de prazer como eu. - aiii… ahhhh…. Assim mm Maagnuuss, v-vai!

Seus gemidos ecoavam por todo banheiro. A água molhava nossos corpos enquanto enlouqueciamos com todas aquelas seções.

- Ahh. … Aaallexxannder… e-eu t-te a-mooo! - o moreno jogou sua cabeça para trás, batendo em meu ombro, e se desmanchou completamente em minhas mãos. Algumas estocadas a mais e eu logo me desmanchei dentro dele.

Alec respirava fundo enquanto tentava voltar ao seu estado normal. Suas bochechas rosadas e seus lábios inchados me deixam louco. Coloco meus braços envolta de sua cintura e o beijo. Um beijo suave, delicado e cheio de amor.

- Eu sou perdidamente e completamente apaixonado por você, Magnus. - olho em seus lindos olhos e abro o maior sorriso que consigo.

Aquelas palavras ecoaram em minha mente por um bom tempo, levando - me a um estado de completa paixão e euforia.

Ficamos ali abraçados por alguns minutos, sentido a água caindo suavemente por nós. Quando um ronco é audível.

- Acho que estou com um pouco de fome! - diz o rapaz, já corado.

- Alexander seu estômago consegue contar o clima bonito. - dou uma gargalhada. - Acho bom tomarmos banho rápido, vou pedir café na cama hoje.

Alec agradece com um beijo e já começa a se lavar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...