História Um anjinho para nós - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Asmodeus, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Raphael Santiago, Raziel, Robert Lightwood, Simon Lewis
Tags Alec, Anjos, Instrumentosmortais, Magnus, Malec
Exibições 99
Palavras 1.940
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como prometido mais um capítulo!!!!!! Espero que gostem!!!!!

Capítulo 8 - Dia dos pais part.2


Fanfic / Fanfiction Um anjinho para nós - Capítulo 8 - Dia dos pais part.2

Alec já está na sala quando Magnus e presidente Miau se aproximam e se sentam ao seu lado no sofá.

- O que estava fazendo?

- Vendo nossas fotos! - um lindo álbum de fotos do casal e do bebê está aberto em seu colo.

- Lembra dessa? - disse apontando para a dele com o menino.

- Como não lembrar hahhaha! Você está super nervoso para trocar ele... você ficou cheio de xixi!!! - Alec morre de rir só de lembrar da cena.

- Safadinho, ele gosta de fazer xixi só em mim!!

- Verdade!! Magnus Bane o peniquinho ambulante!

- Uma das minhas inúmeras qualidades! Lembra quando ele ganhou o andador?

- Sim tem uma foto aqui! Ele saio correndo o apartamento todo.

- Coitidinho do presidente miau - Magnus não consegui parar de rir com seu amado.

- É quando ele fez seus primeiro animal com magia...

- O Jace saiu correndo - Magnus gargalhava ao lembrar do pato que Enzo criou, segundo o loiro o pato queria morder seus dedos.

- Até hoje acredito que foi influência sua!

- Que isso amor sou inocente.

- Ah é? Depois que Enzo aprendeu a gritar bambam e você saiu com ele vestido de bambam pelo central Park inteiro, não duvido nada da loucura senhor Magnus! - um sorriso arteiro surgiu no moreno.

- Foi engraçado, pode admitir eu deixo! Ah e quando o senhor fez ele bater na comida e sujar a copa toda?? Em hahahaha ou quando levou ele na casa da Clary e ele quis trazer vários bichinhos pra casa? Ou pior quando você jogo ele na piscina pra aprender a nada e ele saiu igual um peixinho!

- Nosso menino tá crescendo...

- Eu sei Alec... admito que estou com medo.

- Pelo anjo!! Magnus Bane com medo??

- Ei eu tenho medos, ok -  Magnus  faz um beicinho.

- Oh,para de fazer isso!!! - Alec beijou os suaves lábios do amado. - Eu também tenho..   não é dele crescer, mas sim de quando tiver que ir para a escola... Não somos uma família tradicional…

- Meu amor olharemos muito bem antes de colocar -lo em algum lugar.... e conheço nosso menino, ele não vai ser de levar desaforo para casa. Igual o pai dele!!

- Magnus!

- Amor você é terrível, só tem olhos de santo e essa boca imaculada! Porem ai daquele que te desafiar, leva flechada!- Magnus se aproxima para um longo beijo, quando toca a campainha.

- Oh céus, tinha quer ser o loiro aguado!

- Magnus!

- Ok ok! Vou atender a porta. - caminha em direção a porta e se depara com Jace e mais um presente para Enzo.

- Olha dessa vez você acertou! Ele estava louco para ganhar um martelo do Thor!

- Sou um ótimo tio!

- Opa!!! Super tio, só vem aqui pra filar a bóia.

- Olha!! Pra começar minha namorada cozinha muito bem….

- Jace!!! Você veio!! Que bom!! Sente - se e me conte como andam as coisas..

- Alec interrompe a picuinha dos dois é arrasta o loiro para o sofá. Magnus senta ao seu lado, enquanto o convidado explicava as novidades.

- Clary está com a mãe e o Luke, Izzy e Simon estão com Maryse e Robert... e eu decidi passar o dia dos pais com irmão mais lindo do mundo e seu namorado, que já deveria ser marido, chato.

- Sempre gentil, Jace!

- Você sabe que gosto de você, né pastel de flango!

- Olha que eu compro um pato só pra te afastar daqui! - os três homem riram da situação.

-  Mudando de assunto o que vamos comer? - pratos deliciosos passavam pela mente de Jace.

- Eu disse que ele só veio comer! - Jace pensa em revidar, mas desiste.

- Hummm, pensei em um aparmediana?

- Alec e vai cozinhar?? Chamem os bombeiros!!- o loiro não se aguentava de tanto rir.

- Trouxa!! Vai engolir suas palavras Jace! Vou fazer o melhor almoço que já comeu!

- Magnus pega Enzo e sai correndo, deixa que apago o fogo!

- Se tudo der errado a gente chama a brigada de incêndio inteira Jace! - Ambos riam sem parar, deixando o moreno com raiva.

- Greve de sexo, Magnus! GREVE!

- Não, amor! Volta aqui! Vamos conversar! - saiu correndo atrás do amado que já estava na cozinha, pegando os ingredientes.

- Tenta fazê uma cara de cachorrinho sem dono que ele não resiste! Só cuidado para não levar uma flechada!

- Jace! - fechou a cara.

- Alec! Não tenho culpa que você é agressivo!

- Falo o loiro delicado! Olha que eu chamo o pato! - solta uma leve gargalhada.

- Vou falar nada! Não sabe brincar! - o loiro saiu em direção ao quarto de Enzo, enquanto os dois rapazes morriam de rir na cozinha.
 
Caminhou pelo corredor até se deparar com a porta de madeira com a plaquinha que ele mesmo deu: "aqui dorme um feticeiro shadowhunters". Abriu a porta devagar para não acorda - lo, gostava de observar o sobrinho dormindo, era como ver um anjo.

- Papai diz que é feio olhar os outros dormindo! Tio Jace! - pulou da caminha em direção ao pescoço do loiro.

- Seu pai também fica te olhando! - brincou com o nariz do menino risonho.

- O que vamos fazer hoje?

- Um não sei! Deixa eu pensar...

- Ah tive uma ideia! - diz o menino já pulando do colo e correndo em direção ao baú de brinquedos. - ganhei um arco e flecha igual do papai!

- Lembra quando quebrou o dele?

- Você que quebrou!

- Euuuu!!!! Você que criou aquele pato! Aí tive que fazer algo para me proteger.

- Por isso papais proibiram feitiços em casa. - fez uma pequeno beicinho ao lembrar da bronca que levou.

- Tive uma idéia, lava no chão e samurais das sombras!

- Tio Jace! Coisas bonitas!

- Ok, Ok! Vamos brincar de pega Enzo! - o pequenino saiu correndo gritando pela casa, enquanto seu tio fingia correr atrás do pequenino para fazer cócegas.
 
Na sala Jace consegue pegar Enzo, enquanto o menor luta bravamente por sua barriguinha. Porém é jogado para cima e caiu no colo do tio.

 - Tá sentindo esse cheiro? - pergunta o menino com careta.

-  Parece cheiro de... - um estrondo e estilhaços são jogados por toda a sala. Jace rapidamente pega o menino e pula em direção ao corredor.Alguns vidros acertam a costas do loiro, porém Enzo só se rala devido a queda. Quando a fumaça abaixou Magnus e Alec aparessem desesperados na porta de entrada. O moreno corre em direção ao seu filho.

- Enzo! Você tá bem, amorzinho? Se machucou? Jace o que aconteceu aqui? - o loiro se levanta do chão com as costas doloridas e sangrando.

- Eu que pergunto! Acho que o fogão explodiu, não sei... Um obrigada Jace, por salvar nosso filho, ia ser bom. - se senta com um pouco de esforço devido ao estilhaços que estão nas suas costas.

- Jace suas costas estão sangrando. - Magnus corre em direção ao quarto para pegar álcool, uma pinça e gases.

- Eu sei - diz o loiro revirando os olhos, enquanto seu parabatai aproxima.

- Desculpe irmão... muito obrigado por salvar meu filho! Magnus vai cuidar de você. -  deu-lhe um abraço, fazendo tal soltar um leve gemido de dor. - Eu jurava que tinha apagado o fogo e desligado o gás antes de sair.

- Pode ser que tenha esquecido… - Jace ficou intrigado com o ocorrido devido ao forte cheiro de enxofre que Enzo sentiu pouco antes da explosão, mas decidiu não comentar nada.
 
Magnus chega com os intrumentos de tortura como Jace os chamou e ambos seguem para o quarto do casal, já  Alec pega Enzo no colo e segue para o quarto. O moreno começa a brigar com seu filho enquanto alguns gemidos bem leves de dor são ouvidos ao fundo:

- Você acha que o tio Jace vai ficar bem?

- Lógico que vai! Seu tio é super forte, você não tem idéia.

- Papai me conta uma das história se vocês dois. - o pequenino faz um beicinho e junta as mãozinhas pedindo por favor.

- Deixe me ver! Ah tem uma, ainda não conheci seu pai nem a Clary . Eu, Jace e Izzy estávamos com a missão de matar um demônio da orla de Mamon. Chegamos no local de encontro um pouco antes de estar lotado, sua tia estava deslumbrante e logo conquistou o demônio, trouxe ele para a sala onde estávamos sem que ele percebesse que estava indo para uma armadilha, Jace tirou…
- Ah famosa espada dele???
- Sim! - o moreno riu ao ver os olhos do menino brilhar. - Izzy seu chicote…
- É você seu arco e flecha?
- Sim, eu sempre tive ele…
- Papi me falou que você se vestia muito mal, mas seu arco e flecha te deixava sexy… mas sei lá o que significa issooooo!!!!
- E nem queria saber! Esta muito novo para essas coisas!!! Voltando a história, rapidamente o prendemos… seu tio logo começou a tirar informações do rapaz, porém quando decidimos mata - lo Clary aparece gritando… todos ficamos  sem fala, nunca que uma mundana havia nos visto... Jace logo começo a confronta-la sem ver ao menos quem estava indo na direção dele, eu e Izzy tivemos que lutar para protegê - lo do demônio que havia se soltado, demorou um tempo até conseguirmos mata - lo, Clary começou a argumentar, porém só após a chega de Simon que ela percebeu que outros não conseguiam nos ver.  - Alec começou a gargalhar ao lembrar da cena. - foi o dia mais engraçados de todos. Mentira, a vez que seu tio tava na bad por causa da Clary foi melhor! Ele tinha bebido muito… nunca faça isso…. Aí ele decidiu ir caçar, só que não aguentava nem segurar na espada, acabamos indo parar em um cemitério com ele gritando " eu vou me matar" , " minha vida acabou" enquanto abraçava um pato!

Magnus se encontrava na porta rindo das memórias de como Jace havia ficado.

- Lembra de quando ele saiu igual um louco segurando todos e dizendo: " casa comigo! Por favor!"!

- Verdade! Ou quando ele foi na floresta e começou a abraçar as árvores achando que era a Clary! - Alec e Magnus morriam de rir só de lembrar.

- Isso foi culpa sua purpurina defeituosa! Se não fosse aquela bebida que você preparou eu estaria muito bem. - Jace vem gritando até chegar na porta.

- Ei loiro do camelo, nem vem! Você que pediu e já estava mal, quando chegou arrastado pelo Alec até em casa.

- Ei vocês dois! Nada de discutir! Se amem menos, daqui a pouco vou ficar com ciúmes Magnus Bane!

- Papai! Não fica assim! O Papi te ama muito!

- Ama tanto que deveria pedir o Alec em casamento logo, não aguento ouvir a Izzy reclamando de não ver o Alec de branco. - Magnus fica sem jeito e da um cotovelada no loiro.

- Jace, quando Magnus quiser e se ele quiser vamos nos casar. Até lá estou feliz com o que já temos! - a barrigada de Enzo faz um barulho enorme, fazendo todos se lembrarem que ainda não haviam comido.

- Acho que devemos sair para comer!

- Pela primeira vez no dia Magnus disse algo sábio!

- Vamos na hambúrgueria da esquina! - diz o pequenino.

- Pode ser! - todos concordaram.


Notas Finais


A história está andando super bem agora hahahhaa preparem seus corações para amanhã hhahaha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...