História Um anjinho para nós - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Asmodeus, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Ithuriel, Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Maryse Lightwood, Raphael Santiago, Raziel, Robert Lightwood, Simon Lewis
Tags Alec, Anjos, Instrumentosmortais, Magnus, Malec
Exibições 95
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiii seus lindos!!! Quer não gosta de receber um presente de dia das crianças, né? Por isso decidi postar mais um capítulo!!!! Espero que gostem!!! Tá curtinho, mas sei que vocês vão ficar imprecionados!!!

Capítulo 9 - Dia dos pais part. 3


Fanfic / Fanfiction Um anjinho para nós - Capítulo 9 - Dia dos pais part. 3

O almoço/jantar se prolongou já que Enzo chegou e foi correndo para a área recreativa. Jace se revezava entre olhar seu amado sobrinho e gargalhar com as lembranças de quando Jace, Alec e Magnus eram apenas confusão. Depois de muito insistir conseguiram convencer Enzo de ir para casa.

A noite estava quente, as ruas vazias e silenciosas. Havia tempo que os amigos não viam New York tão pacata. Jace sentiu novamente aquele cheiro de enxofre e parou para procurar de onde vinha, Magnus parou um pouco mais a frente e treme ao sentir uma magia negra tão poderosa quanto a sua. Alec ao notar a reação dos rapazes pega seu filho no colo e se coloca ao lado do amado.

- Magnus está ouvindo isso? - passo são escutados vindo do beco a direita deles.

- Sim, Jace! Fique em posição… Alec sai com Enzo daqui… - a última parte sussurrou e suplicou para o amado, porém sabia que de nada valia. Alec nunca deixaria seus parabatai, muito menos Magnus para trás.

Os passos ficaram mais altos até a que um rapaz com uma túnica preta e olhos de dragão vermelhos apareceu. Magnus se pôs a frente de Alec, que em qualquer outra situação mudaria suas posições, aceitou a proteção do asiático e se colocou Enzo atrás de si mesmo. Jace já estava com a espada a posta, Magnus com seus temíveis olhos de gato e Alec com seu arco e flecha quando o rapaz começou a falar:

- Lamento pelo incomodo e pelo que estou prestes a fazer Magnus Bane, Alto feticeiro do Brooklyn. Todavia minhas intenções são justas… - aqueles olhos eram família a Magnus, porém não se lembrava da onde. - Este menino tirou a vida de minha amada filha, por causa dele ela foi morta… aqueles malditos sangue frios… aquela maldita frase… a sua maldita lei Filho do Anjo! - a raiva tomou conta da face do feiticeiro.

O rapaz abriu seu manto e de lá saiu uma rota de demônios menores. Jace correu em direção a eles e começou a mata - los um a um. Magnus quase foi atingido por uma bola de jogo e logo revidou. Alec estava logo atrás protegendo Enzo dos demônios.

A batalha estava difícil para todos, quanto mais demônios matavam mais pareciam surgir. Magnus usava toda sua força para atingir o feticeiro, porém tal era muito rápido. Quanto finalmente um de seus golpes passaram de raspão viu a face de seu  inimigo. Era Hefesion Erudon, líder do clã de feiticeiros da Rússia. Não entende por que seu velho conhecido queria matar seu filho, mesmo após suas palavras. O breve devaneio de Magnus o levou a ser atingido por um demônio, o que permitiu que Hefesion  alcançasse Alec e Enzo.

- Deixe - me mata - lo! Ou matarei você e ele...

- Jamais! - Alec que pôs a frente e estava pronto para tirar uma de suas flechas quando um forte bola de fogo o atingiu.

Alec continuo de pé, porém a parte direita de sua barriga queimava, alguns segundo depois caiu no chão. A última imagem q viu foi o terrível feiticeiro pegando Enzo.

Uma fúria ardente tomou Magnus, fazendo com que seu corpo arde - se em chamas azuis. Seus olhos brilhavam de ódio enquanto corria até Hefesion. O rapaz  tenta se esquiar dos golpes do feiticeiro, porém Magnus o prende pelo pescoço na parede de uma loja. Olha novamente para o corpo inerte de seu amado e de Enzo chorando nos braços de Jace todo cheio de sangue sendo consumido assim por mais uma onda de ódio. Sem pensar duas vezes enfia sua mão no peito de Hefesion e arranca friamente seu coração. As últimas palavras do feticeiro são: " foi por amor".

Magnus ainda tomado pela raiva segura o corpo de seu amado já  inerte e abre um portal para o loft. Jace e Enzo entram logo atrás dele.
 
O feticeiro segue para o quarto e tranca a porta.

- Alexander! Alec por favor! - as lágrimas escorriam por sua face.

O asiático usa toda a sua magia para tentar fazer seu coração bater de novo. A cada tentativa uma dor crescente arte do peito do feticeiro.  Tenta todos os feitiços que conhece, porém o moreno nem se mexe.  O chão e as paredes tremem com a força e o poder que emanava do corpo do feticiero. Segura as mãos frias de Alec e implora para o amado voltar:
- Alec! Volta! Você não pode me deixar! Não agora… não pode deixar seu filho! ALEC!!

Senta ao lado do corpo do amado e coloca sua cabeça em seu peito gelado e sujo de sangue. Olha para aqueles grandes olhos azul marinho, que outrora era cheio de vida e desmancha a chorar.

- Alexander, meu amor! Me perdoa, desculpa! A culpa é toda minha, eu deveria ter morrido… não você… o céu não será o mesmo… imploro ao céus você aqui… da magia mais profundo deste mundo imploro que volte pra mim. - Seu corpo ardeu em chamas azuis que insendiaram o corpo do moreno também, porém de nada adiantou. Magnus esgotou seus poderes e sua energia caindo sobre o corpo do rapaz. Um sonho cheio de lembranças imbalou Magnus naquela noite.

                               ***
Jace e Enzo estavam no quarto do garoto, enquanto seus amigos e parentes não chegavam. Enzo não conseguia parar de chorar. Só de imaginar que seu pai tinha se machucado ou estivesse sido morto por sua causa o consumia por dentro. Queria gritar maia não podia.

O rapaz abraçava o pequeno e segurava suas lágrimas para não apavorar o menino. Tinha que ser forte pelo menino. Usou de todas as suas palavras e carinho para tentar acalma - lo, porém nada adiantou. Enzo só parou de chorar quando foi vencido pela exaustão e desmaiou no colo do tio. O loiro o colocou na cama e foi para a sala, onde alguns minutos depois Clary, Simon, Izzy se encontravam preocupados.

Jace contou o que havia ocorrido e como foi confuso. Nenhum deles até agora entenderam o porque do ataque. O loiro se derramou em lágrimas junto com Izzy, que ao saber do grave ferimento do irmão perdeu o chão, ficou pálida como a neve, sentiu seu peito arder em chamas e chorou até não haver mais lágrimas. O grupo passou a noite dialogando e chorando com a pussivel morte de Alec.


Notas Finais


Não esqueçam que eu amo vocês em hahahahhahaha
Não pode matar a escritora em!!!! Sou boazinha vocês vão ver, ou não!!! (Risada do mal)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...