História Um ano de safadeza - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Aniversario De Namoro, Bts, Jikook, Jimin, Jung Kook, Kookmin, Pwp, Safadeza Q, Um Ano
Visualizações 332
Palavras 1.983
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá! Minha primeira yaoi sendo postada, eu tive a ideia atráves de um video, fake-subs que eu adorei, amei muito e pensei ''preciso criar uma fanfic pra isso'' link: wwwyoutube.com/watch?v=VMk4FQwulrY

Por favor, veja o video depois de ler a fanfic, ou antes, durante, os dois ou os três. Espero que gostem! Rythm ta, auuu!

Capítulo 1 - I wanna be yours.


Fanfic / Fanfiction Um ano de safadeza - Capítulo 1 - I wanna be yours.

Jeon estava cansado de esperar, o namorado prometeu que não atrasaria daquela vez, ele tinha prometido e promessas devem ser cumpridas. Faziam exatos trinta minutos e nada de ver a figura ruiva no pequeno apartamento que dividiam. Sempre que sentia-se angustiado com algo o mais novo utilizava suas belas cordas vocais para espantar os próprios medos que borbulhavam em seu amago, ele era tão inseguro... Como poderia manter-se firme quando estava no ensino médio e seu namorado na faculdade? E não bastava ele ser um universitário, ele era lindo, extremamente cativante e quente, admirar o Park não era uma tarefa difícil. A parte mais difícil era o fato do homem trabalhar como garçom em uma boate, era sua maneira de ajudar a pagar o aluguel do pequeno buraco que viviam e ainda sim ter dinheiro para gastar com o mais novo, com o estudante. Ele também ajudava claro, Jeon ajudava seu amado a pagar as contas, tudo isso graças ao trabalho incessante em um café pela tarde e início da noite, quando chegava lidava com a solidão de não ter o ruivo no quarto, estava trabalhando.

Porém, superando todas aquelas jogadas que o tempo e espaço faziam eles se amavam na calada da manhã, Jung Kook ia pra escola cheirando a sexo e café, precisava da cafeína para manter seu cérebro acordado e seus olhos bem abertos. É bastante prejudicial para um estudante, um adolescente, porém depois que resolveu assumir para seus pais que amava um homem, ele teve de superar todas essas dificuldades e no início não fora nada fácil, foram inúmeras brigas com o amado, xingamentos, gritos altos e um sexo selvagem para engolir toda raiva e saudade misturadas, todos os sentimentos. E ali estava o jovem estudante, cantando melodias aleatórias a fim de livrar de sua cabeça toda a ansiedade que o fazia suar a espinha; tremer os dígitos e faltar a respiração. Ele não queria acreditar que o seu namorado tinha esquecido o aniversário de um ano. Um ano de superações, brigas, beijos, abraços e além disso tudo, de amor. Talvez o Park tenha caído fora, desistiu de acompanhar o estudante ou então ele apenas tenha se atrasado por estar ocupado, ocupado demais para lembrar que era aniversário de ambos.

A campainha tocou, não era horário para visitas, duas da madrugada... O moreno ignorou e continuou a cantar sua música, balbuciando as palavras com extremo cuidado. Nunca fizera aula de canto, porém tinha um dom tão bonito... Logo em seguida um barulho conhecido fizera o tremer nas bases, aquelas chaves, o barulho delas balançando e batendo contra o enfeite que tinha presenteado o namorado a uns dias atrás, ele realmente veio. O Park tinha chego em casa, um sorriso infantil estampado no rosto, porém fora ignorado pelo estudante que apenas prosseguiu com sua música. Jimin riu, era tão lindo observa-lo cantar... Tinha um anjo encarnado no corpo de seu homem. Jeon apertou o tecido da calça moletom que vestia, ele iria fraquejar, o namorado foi se aproximando ainda mais do cômodo em que estava escondido, o quarto de ambos, não demorou muito para que estivesse à sua frente encarando-o com as orbes brilhantes e curiosas, felizes.

— Por que você não veio me atender? – Ele, o ruivo tão amado pelo pequeno –não tão pequeno assim- Jeon.

— Você se atrasou muito dessa vez. – O moreno tentou parecer o mais ríspido possível, porém encarar a Jimin e se pronunciar era uma tarefa tão difícil.
 

— Não foram nem quarenta minutos de atraso. – Respondeu com aquela voz tão gostosa de se ouvir, ainda mais acompanhada de uma risadinha. E céus, aquilo deixava o mais novo ainda mais irritadiço.

— E daí? Você ainda está muito atrasado. – O mesmo tom anterior permaneceu em seu dito, ríspido, rígido com o mais velho.

Jimin suspirou, ele tinha percebido o motivo de toda aquela frieza para consigo, o seu pequenino pensava que ele tinha esquecido do aniversário de ambos, mas como ele esqueceria? O dia mais importante de sua vida fora quando aceitou o pedido de namoro de um jovem adolescente, inconsequente. Manteve um sorriso nos lábios e sentou-se ao lado do moreno, sua mochila estava no chão ao pé da cama, ela guardava o presente que demorou muito para ficar pronto.

— Ah! Esse meu namorado está muito bravo... Acho que não vai querer o presente que trouxe pra ele. – O ruivo se pronunciou, soando um tanto quanto convidativo e o Jeon já tinha desviado os olhos em sua direção, acompanhando o seu movimento de pegar uma pequena caixinha de dentro da enorme mochila, foi ao ver aquilo que a face do estudante desemburrou-se sendo ocupada por um sorriso alegre em meio as lagrimas que ameaçaram aparecer.

— Você lembrou... – Uma risada nasalada acompanhou o seu dito, ele estava tão feliz de que suas preces estavam corretas, foram atendidas.

— Você acha que eu esqueceria uma coisa dessas? – Esticou um de seus braços me direção ao namorado, como que se dissesse ‘’ pega’’. — Bem... Você não disse nada o dia todo... – Resmungou, aceitando com carinho a caixinha mediana, ele sequer imaginava o que teria ali.

— Eu não esqueceria algo como isso... Eu só fiquei ocupado para mandar uma mensagem, pensei nisso o dia todo. – Ele se pronunciava enquanto assistia o amado abrir o presente, o tão demorado álbum de um ano de namoro, repletas de fotos que tiraram no dia que se conheceram até hoje, trezentos e sessenta e cinco dias em diversas fotos. — Você gostou?

— Esse é o melhor presente do mundo. – Sorriu, encarando ao namorado com a face alegre. Sentiu a gola de sua camisa ser puxada e num piscar de olhos, tinha os lábios unidos aos do amado, um beijo sincero, tão sincero quanto o amor de ambos, não tardou para que ambas as línguas dançassem e se enroscassem, emitindo alguns estalos, o contato teve um breve fim.

— Hmm, você está com gosto de bebida. – O Park questionou, puxando o inferior do namorado entre os dentes.

— É eu bebi um pouco. Foi porque pensei que passaria a noite sozinho. – Sua resposta foi acompanhada de um suspiro de sua parte, em alivio talvez.

Jimin sorriu...

— Ah, querido... Você sabe. Você sabe que eu sempre estarei aqui pra você. – Ambos os narizes se roçaram e fora a vez de Jeon iniciar algum contato, mais um beijo sincero e repleto de amor fora iniciado. 

O contato estava durando, as mão do Park passeavam pelos fios morenos do cabelo de Jung Kook, arranhava sua nuca diversas vezes, puxava os fios com vontade apenas para ter o prazer de sentir o musculo áspero do amado ir se afastando de si, para que pudesse suga-lo novamente. Mesmo sem a total intenção, ambos conseguiam ser tão pornôs... As mãos do adolescente puxaram as coxas do mais velho para que ficassem sobre o seu colo, dava apertões por ali mesmo por cima da calça jeans preta com rasgões no joelho. Foi subindo os dígitos até que alcançassem a jaqueta de couro preta que o ruivo vestia, ele retirou-a do seu corpo e jogou a peça no chão, que foi seguida pela camisa preta que também trajava. O mais novo cortou o beijo apenas para espalhar selares molhados por toda a mandíbula do ruivo, logo o lóbulo de Park era alvo de suas mordidas e sucções, desceu pelo pescoço e pomo-de-adão e sem delongas ele selava todo o peitoral do seu amado, deixando algumas mordidas pelos mamilos róseos, até que o jovem resolveu suga-los com vontade.

— Aa-hh... Porra, Jeon. – O mais velho gemeu entre dentes, sem perceber seu corpo já se ondulava contra o alheio, e o moreno tinha seu membro sendo estimulado pelas nádegas fartas do namorado, que se esfregava contra si e gemia manhosamente o seu nome ou palavras de baixo calão.

Ambos já ardiam no mais puro prazer, podiam entrar em combustão a qualquer momento e tudo isso era graças ao desejo que sentiam um pelo outro, não tinha dia ruim, dia bom, todos os dias eram feitos para que ambos se amassem e se desejassem ainda mais. Jimin deixou que as mãos escorregassem pelos ombros largos de Jung e parou-as em seu rosto, acariciou ali por breves segundos e estabeleceu um contato visual. Eles se encararam por um bom tempo, talvez uns cinco minutos apenas admirando o brilho do olhar de ambas as orbes.

— Ei, vá e coloque alguma música. – O ruivo quebrou ao silencio, roubando um selar dos lábios finos do moreno em sua frente.

Jung Kook apenas esticou-se para pegar a caixinha de som em cima da escrivaninha, o celular já estava plugado via bluetooth, o homem permanecia em seu colo. Assim que colocou a música, o estudante lançou um sorriso ladino para o rapaz, Jimin sentiu um frio na espinha e um arrepio se espalhou por todo seu corpo, seu pênis pulsou, ele queria tanto os toques do seu pequeno, queria ser amado ao som de sua música favorita, I wanna be yours. 

Voltaram a se beijar asquerosamente, igual antes, partilhavam do sabor um do outro naquele contato e dividiam entre si o desejo que crescia. Beijas apenas os lábios carnudos do mais velho não estava sendo o suficiente para o mais novo, ele voltou a atacar a região do pescoço e peitoral definido, os mamilos voltaram a ser o alvo das mordidas e sucções, enquanto o mamilo livre era acariciado pela palma da mão do moreno. Aquilo era tão gostoso.

— Ahh, Jeon... – Ele já estava entregue aos toques de seu amado, sua jeans já estava no chão junto de sua boxer, e um gemido agudo escapou... — Isso é tão bom. - Puta merda, ele já estava tão molhado. Jeon passou a masturbar o pênis rígido e úmido do companheiro, conforme as batidas da melodia iam seguindo um ritmo mais acelerado.

— Jimin-ah, você está com tanto tesão assim? – Maldito seja ele, ainda abusava do tom de voz grave para perturbar os pensamentos do Park. O ritmo de sua mão era tão acelerado, o mais velho estava prestes a gozar se ele continuasse com aquilo, porém como um belo filho da puta, ele parou o movimento, desacelerando-o gradativamente até que cessasse por completo. Aquilo não ficaria assim, o mais velho revidaria.

— Eu quero que você me foda... Uhn? Mete em mim, Jung Kook-ah. – Aquele tom manhoso que só o Park conseguia fazer, mexia totalmente com a cabeça, com a sanidade do mais novo que naquele ponto, tinha seu pênis pulsando por debaixo da calça moletom. Jimin aproveitou que poucas roupas os impediam de serem felizes e rebolou contra o pau coberto de seu homem, provocando-o, queria instiga-lo a meter bem gostoso em si.

— Você quer isso? Hm? Quer sentir o meu pau dentro de você? – Ele impulsionou o quadril para cima, procurando provocar quem está provocando-o. Porém estava tão difícil manter-se firme, apenas voltou a beijar o seu amado, aquele beijo estalado que ambos gostavam, sugadas na língua, no inferior... O estudante retirou a calça que vestia, ela era a única peça que o cobria, sua camisa tinha sido jogada no chão a muito tempo atrás e era um costume seu não dormir de cueca, talvez porque de manhã cedo ele fodesse gostoso a bunda do Park.

Jimin estava deitado na cama, os fios alaranjados espalhados no travesseiro, os lábios inchados pelas mordidas que o homem depositou ali minutos antes, agora o adolescente quem iria comandar a relação, posicionou a glande contra a entradinha enrugada, esfregando-o ali apenas para lubrifica-lo e claro, provocar o seu homem; este que não ficou parado, impulsionou o corpo para baixo e fez com que o namorado se enterrasse dentro de si. Ele era tão grande, tão bom... Os gemidos do ruivo ecoavam junto da melodia que estavam escutando, eles tinham uma pressa, um desejo tão forte. Era possível ouvir o som das bolas de Jeon batendo contra as nádegas fartas do Park, porra, aquilo era bom demais...

Eles eram viciados um no outro, pra sempre.

 


Notas Finais


Alô. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...