História Um bad boy em minha vida - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~tataoliver11

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Cato, Clove, Finnick Odair, Gale Hawthorne, Katniss Everdeen, Madge Undersee, Peeta Mellark
Tags Everlark, Jogos Vorazes, Katniss Everdeen, Peeta Mellar, Romance
Exibições 20
Palavras 1.928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eai galera! Segue o terceiro capítulo da minha Fic, espero que gostem amigos!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Um bad boy em minha vida - Capítulo 3 - Capítulo 3

 O dia passou rápido e Peeta não apareceu no colégio... Não deu nenhum sinal de vida.
Tento parar de pensar nos beijos que trocamos na noite passada, a sensação do seu toque ainda estava tão vivo em mim!

Eu odiava admitir isso, mas Peeta estava mexendo comigo, balanço minha cabeço e afasto meus pensamentos.

Quando escuto alguém esmurrar a minha porta! 
Não sabia o que fazer, era tarde e ninguém costumava vir aqui há essa hora. Pego meu celular, tento ser o mais silenciosa possível, precisava ligar para policia.

Olho ao meu redor tentando achar algo para me defender, vejo caso o taco de beisebol que minha mãe tinha deixado ali pra esse tipo de imprevisto. Nunca sabemos quando um maníaco pode aparecer na sua porta!

Escuto uma voz conhecida do outro lado...

—Kat abre! Sou eu. 
Era ele! Batendo em minha porta a essa hora

—Peeta, você esta louco?

Jogo o taco para longe e abro a porta, levo as mãos na boca horrizada! Peeta estava acabado e todo machucado, o cheiro de bebida e cigarro penetra minhas narinas.

—Kat... Tava com muita saudade precisava te ver. Ele vem para perto de mim e me da um abraço apertado.

—Peeta, o que aconteceu? Senta aqui, vou pegar a maleta de primeiros socorros.

Droga! Eu realmente queria saber o que passava na cabeça de Peeta. Só de imaginar a reação da minha mãe ao pegar ele aqui, meu estomago revira!

Abro o armário à procura do Kit de primeiros socorros, minha mãe sempre deixava por aqui. Enfim encontro e começo a pegar algumas coisas para fazer um curativo, algumas gases e um pouco de anticéptico.

Volto até ele e começo a passar o antiseptico, ele faz uma cara de dor, mas continuo limpando o ferimento.

—Peeta agora me fale o aconteceu? Coloco  firmeza em minhas palavras, ele precisava me falar a verdade.

—Tive uma briga na sinuca Kat... É foda lidar com aqueles ignorantes, eu ganhei e ele não queria pagar.
Olho para ele deixando transparecer o quanto achei sua atitude estúpida!

—Já pensou pela sua cabeça que ele poderia ter te machucado ainda mais, ou pior, ele poderia ter te matado.

—Kat não seja exagerada! Te garanto que ele ficou bem pior.

Sua voz sai mole, grogue, realmente estava bêbado.

—Kat, será que eu poderia tomar um banho? Prometo ser rápido.

Ele já estava quase dormindo.

Sempre deixo meu banheiro limpo e organizado, as toalhas já estavam lá então era só ajudar ele chegar até lá. Ele estava apagando no sofá.

—Vem te ajudo a subir.

Peeta apóia o braço em meu ombro e o ajudo a subir, ele era mais pesado do que eu imaginava! Coloco-o na cama

—Peeta o banheiro e logo ali, vou ver se acho alguma coisa do meu pai pra você vestir.

—Kat, será que você poderia me dar uma ajudinha no banho? Ele fala enquanto tira sua camiseta.

Sinto meu rosto esquentar, seu peitoral e bem definido e ele tem algumas sardinhas.

—Ahh, você já é bem grandinho, se vira ai!

Saio pela porta e vou até o quarto da minha mãe, papai foi embora já faz algum tempo, mas deve ter algo por aqui. Começo a vasculhar o armário e acho uma calca de moletom cinza, essa deve servir! Entro no quarto e ouço o chuveiro, estava nervosa, minhas mãos estão suando... Afinal Peeta Mellark estava nu no meu banheiro.

Bato na porta e aviso que tem toalha no armário. Ele sai do banheiro com o cabelo molhado, deixando cair algumas gotas de água pelo seu tórax. Eu estava babando nele, esses hormônios estão me matando!

—Errr, achei uma calca pra você.
Falo enquanto mostro a calca pra ele.

Peeta me puxa fazendo  encontrar com seu corpo sinto uma corrente elétrica passar pelo meu corpo, estava dura travada! Ele pega em meu queixo e levanta meu rosto, nossos olhares se encontram e nossos lábios também.
Peeta começa com beijo calmo, um ritmo delicioso, passo as mãos pelas suas costas e seu corpo vai me empurrando para trás ate que sinto minhas pernas bater na cama.
Nos deitamos os olhos azuis de Peeta deixa transparecer todo seu desejo... Seus beijos pelo meu pescoço me fazem sentir meu sexo úmido, nunca senti isso antes! As mãos dele são rápidas estavam por todo meu corpo, e as minhas também passeavam por ele! Estou me deixando levar pelos seus toques, que se tornam mais apertados quando nossos beijos ficam mais intensos.
Peeta toca meus seios, deixo escapar um gemido, sinto sua ereção em mim!  Nossos corpos se colam, ele estava apenas de toalha e meu short era bem fino... Eu realmente podia sentir seu membro! Porem volto à realidade e afasto-o.

—Peeta eu ainda não estou pronta! 
Ele para e me olha com seus lindos olhos.

—Kat eu não vou te forçar a nada! Só quero te dar carinho.
Ele volta a me beijar, suas mãos continuam a tocar meus seios, uma delas escorrega pelo meu corpo, ele toca a barra de meu pijama e me olha como se pedisse permisão.

Deixo-o tirar, não estou usando sutien, estava apenas com meu pijama. Sinto-me muito envergonhada!

Peeta os olha como se fosse devora - los, ele massageia e passa sua língua quente, me contorço toda em baixo dele. Ele chupa meu seio intensamente e isso só me faz ficar mais úmida, meus gemidos ficam mais alto e chamo seu nome. Sua boca volta a me beijar, roçamos a nossa intimidade, rebolo sentindo ele ainda mais duro!

Estava muito ofegante e molhada, não sabia o que pensar, apenas sabia que queria mais!

—Katzinha, vou parar se não vou ter tomar outro banho, só que agora vai ter que ser gelado.

Quando ele se levanta, meus olhos automaticamente param sobre o volume na toalha, ele era bem grande. Minhas bochechas queimavam, mas eu queria sentir ele dentro de mim.

Ele sai do banheiro vestindo o moletom, seu jeito de andar já deixava transparecer o quanto ele era encrenca!

Mas acabei de ligar meu botão do foda-se! Quero aproveitar tudo o que Peeta quiser me oferecer.

Ele se deita e me puxa, sinto suas narinas cheirando meus cabelos e passa as mãos pela lateral do meu corpo.

— Kat seu cheiro é maravilhoso, estou viciado em você.

Olho para ele e lhe dou um beijo, não consigo me frear, Peeta e o errado que se torna certo quando o sinto perto de mim! Ficamos nos beijando e trocando caricias ate que ele me deita em seu peito e eu acabo adormecendo, tudo tinha sido tão perfeito naquela noite.

Acordo com o sol batendo em meu rosto sinto um peso em minha cintura era o braço de Peeta me aconchego, um sorriso escapa dos meus lábios, mas algo me vêem a cabeça, mamãe esta chegando!

— Ahhhh! Dou um grito agudo e Peeta da um pulo tentando se localizar.

—Peeta levanta agora! Vou pegando a camiseta dele e jogando, eu estava tremendo!

—Calma Kat, você quase me matou do coração! Ele leva sua mão ao peito, fazendo um draminha.

—Minha mãe vai me matar se te pegar aqui Peeta! 
Ouço um barulho la embaixo... Meu deus! Alguém de ajuda, por favor, não sei qual seria a reação da minha mãe, mas minha intuição me diz que não vai ser nada boa!

Ele me olha com uma cara de quem esta com o riso engasgado na garganta.

— Não tem graça! Vai logo, estou quase chorando de medo já.

Ele olha pela janela e avisa por gestos que vai descer, posso ouvir os saltos de minha mãe na escada, meu coração esta quase saindo pra fora do meu peito, Peeta me da um beijo e vai fugindo pelo telhado. Fecho a janela e volto correndo para a cama, me deito bem na hora que minha mãe abre a porta, abro os olhos lentamente e faço uma ceninha de quem acabou de acordar.

—Bom dia mamãe! Abro um belo sorriso.

—Lindinha, acordou de bom humor! Que bom minha filha.
Ela aparentava estar muito cansada.

—Mamãe você parece estar abatida, aconteceu alguma coisa?

Pergunto realmente preocupada, mamãe não costumava ficar desse jeito.

—Não é nada filha, e que mesmo depois de plantões ainda vou ter que fazer uma viagem de conferencia.

— Não tem problema! Já sou bem grandinha, posso me cuidar sozinha.


—Ok meu amor, depois falamos mais sobre isso... Agora vou descansar um pouco.

Ela se aproxima, acaricia meu rosto me da um beijo.


Solto um suspiro por pouco não sou pega com um homem semi nu no meu quarto! Fico vermelha só de lembrar a noite passada, seu cheiro ainda estava na cama... Fecho meus olhos e tento dormir mais um pouco, se eu pudesse escolher um sonho, seria com o bad boy mais lindo que já conheci.

 

                             *              *              *
Estou me arrumando pra sair com Peeta, ele simplesmente não sai mais da minha cabeça! Só posso estar ficando louca, mas não quero voltar a ser a garota racional.


—Vai sair de novo filha? Minha mãe parecia desconfiada.

 
—Sim mamãe, mas volto cedo, prometo! 
—Katniss você ta saindo com algum garoto? Ela sempre descobre tudo.

 
—Não, só fiz novos amigos, nada demais. Prefiro mentir, mas é tudo muito recente não quero falar sobre o Peeta com minha mãe agora.


— Só não faca nada errado filha se cuide em todos os sentidos!

Estar com Peeta e como andar em uma roda gigante e cheio de emoções, ele me leva as alturas! E eu deveria colocar os pés no chão e não esquecer de me cuidar... Ouço a buzina e meu coração pulsa! “E ele” desço as escadas e correndo lhe dar um beijo.


—Pra onde vamos? Pergunto olhando no fundo de seus olhos.
—Vou te levar ao meu lugar predileto, Katzinha. Ele abre o sorriso que aprendi a amar em tão pouco tempo.

Rodamos com a moto pela cidade até chegar a um prédio abandonado. O que seria isso agora? Peeta me puxa pelas mãos, para e estoura o cadeado da porta com um ferro. Droga! Isso e invasão! Tremenda burrada 


—Peeta podemos ser presos, isso é errado! Falo olhando para os lados.

—Kat tenta esquecer as regras por um momento, deixa acontecer gatinha. Ele me oferece sua mão e sem pensar aceito sua proposta. Subimos varias escadas ate que chegamos ao terraço, ele me leva ate o parapeito, a visão e deslumbrante! As luzes fazem tudo ficar lindo.

Peeta acende um cigarro e fica admirando...

 
—Peeta e lindo! Estou encantada. Sorriu para ele.
—Venho aqui quando preciso fugir de meus problemas. Ele é um enigma pra mim, sei muito pouco dele, só que e um ou dois anos mais velho que e eu e ainda esta no ensino médio.


—Peeta me fala um pouco sobre você?
—O que você quer saber? Ele pergunta e da uma longa tragada em seu cigarro.


— Quantos anos têm o que seus pais fazem coisas desse tipo.
—Tenho 18 anos, meus pais são empresários bem sucedidos que só lembram que tem filho pra encher o saco com a merda de um futuro brilhante que eles acham que você deve ter.

Seu semblante se torna triste...

 - Gosto de rachas, beber, fumar e também gosto de como você gemeu meu nome ontem! Como você fica vermelhinha com vergonha.

Dou um tapa em seu braço pelo comentário


—Peeta seu grosso! Dou uma risada ele me puxa pra perto, me da um beijo de tirar o fôlego! Nos sentamos admirar a paisagem, seus braços me envolvem, me protegem.

Pela primeira vez na minha vida eu sabia, estava apaixonada por ele!


Notas Finais


Esses personagens pertencem a Suzane Collins, mas a história é minha!
Lembrando plágio é crime!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...