História Um Bebê Entre Nós - Capítulo 23


Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais
Tags Bebê, Justin Bieber, Romance
Exibições 418
Palavras 2.868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello babes

Capítulo 23 - Capítulo 22


Fanfic / Fanfiction Um Bebê Entre Nós - Capítulo 23 - Capítulo 22

Estava sentindo meu coração bater acelerado, tinha sido assim o dia todo praticamente, não conseguia me acalmar por nada e a cada segundo eu me sentia mais nervosa ainda.

Desde ontem que não vejo o Justin e nem o meu pequeno loirinho e isso me deixava mais apreensiva ainda, queria saber como eles estão, se estão precisando de mim como eu estou precisando deles, talvez se eles estivessem aqui agora, eu não estaria tão nervosa assim.

— Você precisa se acalmar Anna, vai explodir daqui a pouco. E se eu bem me lembro, na primeira vez você não estava tão nervosa assim. — Jazzy diz e coloca meu vestido em cima da cama, logo eu iria vesti-lo, e daqui a uma hora estaria entrando na igreja para o meu casamento.

— É? Falar é fácil, quero ver quando for você aqui no meu lugar.

— Bom, talvez isso não demore. — Olho para ela e arqueio a sobrancelha.

— Então quer dizer que o Ryan vai tomar vergonha na cara e vai assumir o que vocês tem? — Ela me olha assustada e depois suspira.

— Meu pai, Justin e Jaxon vão surtar, mas não queremos mais esconder. — Falou.

—Bom, talvez eu te ajude nessa parte e controle a fera chamada Justin. — Digo e sorrimos, ate que a porta abre e Pattie entra trazendo consigo Drew, que quando me ver se anima todo.

— Ai meu bebê. — Digo e caminho ate eles e pego meu pequeno no colo, ele estava simplesmente lindo. Drew vestia um terninho preto e ainda tinha uma gravatinha borboleta, gravata essa que ele estava puxando, e calçava um sapatinho preto. Estava com os cabelinhos que, agora estavam em tom loiro escuro, bem penteados e sorria para mim mostrando seu primeiro dentinho que estava começando a nascer.

— Ai meu Deus, ele esta lindo. Um pequeno príncipe! — Jazzy diz segurando sua mãozinha, e ela tinha razão, Drew tinha acabado de completar oito meses e a cada dia que passa ele fica mais lindo.

— Sim, o principezinho da mamãe. Estava com tanta saudade! —Digo e me sento com ele em meu colo e ele começa a murmurar, ultimamente ele faz bastante isso, e acredito que logo ele comece a falar.

— E ele de você, foi difícil fazer ele parar de chorar nem o Justin conseguiu, mas bastou traze-lo para cá que ele ficou calminho. — Olho para meu pequeno que agora mexia no meu colar e acabo sorrindo. Eu o amava a cada dia mais, e não importava que ele não tivesse saído de mim, era meu filho e faria tudo por ele.

— Da pra ver que assim como o Justin, nosso pequeno Drew também não vive sem você Anna. — Jazzy diz.

— Eu é que não vivo sem ele. — Digo e dou um beijo estralado na sua bochecha, o que faz ele sorrir.

— Agora me dê ele aqui, você tem que terminar de se arrumar. Daqui a pouco é o seu grande momento minha querida. — Pattie pega Drew do meu colo e ele resmunga um pouquinho, e logo Jazzy volta a me maquiar e a cada segundo que passa me sinto mais nervosa ainda.

Justin P.o.v

Jeremy mais uma vez veio até onde eu estava e perguntava se eu estava bem. — Sim Pai, estou bem. — Digo respirando fundo, olhando a igreja com todos nossos amigos e parentes que assim como eu, esperavam a chegada da minha Anna.

— Se ela não vier para o casamento meu amigo, ou você vira celibato ou prostituto. — Disse Ryan zoando com a minha cara, mas a única coisa que recebeu em troca foi a bronca do padre. — Tô brincando padre, mas agora falando sério, é melhor você começar a fazer aqueles exercícios de respiração pois você tá pálido.

— Quando for sua vez, você me paga. — Digo e ele dá uma gargalhada, minha mãe aparece na porta da igreja e faz um sinal pro pessoal da música. — É agora! Vou para o meu lugar, Boa sorte Drew. — Diz e logo o som da marcha nupcial é ouvida por toda a igreja.

Agora sim, eu seria completamente feliz.

Anna olhou para mim e sorriu e começou a caminhar na minha direção, ao seu lado estava seu pai, Paul, ele tinha me ameaçado antes da cerimonia, dizendo que se eu magoasse sua filha mais uma vez, eu nunca mais sairia da cadeira de rodas. No momento aquilo me assustou um pouco mas agora nem tanto. Olho novamente para a minha loirinha e seu sorriso só aumentava a cada passo que ela dava, ate que os dois chegaram ao altar.

— Espero que se lembre do que eu te disse mais cedo Bieber, porque eu cumpro com as minhas promessas. — Paul diz outra vez.

— Pai! — Anna o repreende.

— Tudo bem querida, e pode ficar tranquilo Paul, eu vou cuidar muito bem dela. — Ele assente e vai para o seu lugar. Olho para Anna e beijo a sua mão e ela sorrir para mim, e logo se ajoelha ao meu lado e o padre começa com a cerimonia.

— Estamos aqui reunidos para a celebração deste casamento, meus irmãos e irmãs, felizes, aqui nos reunimos na casa do Senhor, no dia em que estes nossos amigos Justin Drew Bieber e Anastácia Davies resolveram estabelecer o seu novo lar. Justin Drew Bieber e Anastácia Davies, viestes aqui para unir-vos em matrimônio. Por isso, eu vos pergunto perante a Igreja: É de livre e espontânea vontade que o fazeis?

— Sim! — Respondo.

— Sim! — Anna responde e sorrimos um para o outro.

— Abraçando o matrimônio, ides prometer amor e fidelidade um ao outro. É por toda a vida que o prometeis? — O padre volta a perguntar.

— Sim! — Respondo.

— Sim! — Anna responde.

— Estais dispostos a receber com amor os filhos que Deus vos confiar, educando-os na lei de Cristo e da Igreja? — Nós dois olhamos para Drew e respondemos.

— Sim! — Falamos juntos.

— Para manifestar o vosso consentimento em selar a sagrada aliança do matrimônio, diante de Deus e de sua Igreja, aqui reunida, dai um ao outro a mão direita. — Demos as mãos.

— Eu, Justin Drew Bieber, te recebo, Anastácia Davies, por minha esposa, e te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, todos os dias da nossa vida, ate que a morte nos separe.

— Eu, Anastácia Davies, te recebo, Justin Drew Bieber, por meu esposo, e te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, todos os dias da nossa vida, ate que a morte nos separe.

— Ó Deus, abençoai estes vossos filhos e santificai-os no seu amor: que estas alianças, sinal de fidelidade, recordem a Anastácia e Justin a sua promessa. Por Cristo, nosso Senhor.

— Anastácia Davies, recebe esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. — Digo e coloco a aliança em seu dedo e beijo a sua mão.

— Justin Drew Bieber, recebe esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade. Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. — Ela faz o mesmo que eu.

— Eu vos declaro marido e mulher, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Não separe o homem aquilo que Deus uniu. Amém. Pode beijar a noiva! — Olho para Anna e ela esta com os olhos marejados, e sem perder tampo a beijo, com todo amor e carinho que eu sentia, e se dependesse de mim eu nunca sairia dali. Mas infelizmente o Ryan era meu padrinho, e ele sempre estraga meus momentos.

— Já chega Justin, você vai tirar o atraso à noite. Não precisa querer comer a Anna aqui na frente do padre e toda a igreja. — Ryan diz e eu o fuzilo com o olhar.

— Meu rapaz, mas respeito. — O padre também o repreende e ele levanta as mãos em defesa.

...

Depois da cerimonia e do padre quase expulsar meu amigo da igreja por ele só falar merda, viemos todos para a festa que minha mãe organizou, diferente da primeira vez que foi apenas uma reunião familiar, agora tínhamos uma verdadeira festa.

Olhava para Anna que conversava alguma coisa com algumas amigas e ela fez questão de levar Drew com ela, e apresentou ele para todos como seu filho, mas era isso que ele era, seu filho. E aquilo só me deixa mais feliz do que nunca.

Anna se despede das amigas e vem na minha direção, e simplesmente senta no meu colo e me beija.

— Esta gostando da festa? — Pergunta.

— Esta boa, mas preferia estar em um quarto com você. — Digo e ela fica vermelha.

— Justin, eu quero ser sua o quanto antes, eu simplesmente não aguento mais tudo isso.

— Você já é minha Anna, só iremos concretizar o que já é certo. — Digo e ela sorrir. Andrew coça os olhinhos e abre a boquinha, em um claro sinal de que esta com sono. — Temos que levar ele pra Jazzy, ela irá ficar com ele durante esses dois dias. — Digo.

— Não queria ficar dois dias longe do meu bebê. — Anna diz e beija a bochecha rosada de Drew.

— Pense pelo lado bom, você terá outro bebê para cuidar essa noite. — Digo e ela rir.

— Acho melhor eu procurar a minha cunhadinha.

—Acho melhor você procurar a minha irmã, porque ter você assim é torturante para mim, não vejo a hora de tirar esse vestido Anna. — Digo e mordo lentamente sua orelha e ela geme, mas logo levanta do meu colo.

— Vou procurar a Jazzy, porque quem não aguenta mais sou eu. — Diz e sair a procura da minha irmã, e eu fico contando os segundo para ter ela inteiramente para mim.

Autora P.o.v

Os dois tinham um sorriso enorme no rosto, enfim havia chegado a hora da dança dos noivos e logo eles podiam usufruir da presença apenas um do outro. Thinking out loud do Ed sheeran ecoou pelo local, Justin sorriu para a esposa se posicionando no meio da pista de dança e a puxou para seu colo, e logo começou a girar a cadeira por todo local, havia sido difícil para o Justin aprender aquela coreografia na cadeira de rodas mas com a ajuda de Lorenzo amigo de Ryan e professor de dança o ajudou a preparar uma dança especial com sua esposa no dia do seu casamento.

Anna tinha seus olhos marejados enquanto tinha seus braços ao redor do pescoço de seu Amado, Justin cantarolava a letra da música em seu ouvido fazendo com que ela chorasse baixinho em seu pescoço, ele movia a cadeira de rodas num ritmo gostoso pela pista, quando a música finalizou e começou uma animada para os demais convidados Justin segurou o rosto dela e selaram seus lábios.

— Eu amo você, e dessa vez vou fazer tudo certo. — Enxugou as lágrimas que insistiam em escorrer. — Será que agora podemos ir embora? Não vejo a hora de tirar seu vestido e ver o que tem por baixo desse vestido, vestido esse que está me dando um puta tesão em ver no seu corpo.

— Acho que já estamos liberados. — Sorriu maliciosa enquanto rebolava vagarosamente no colo de Justin que mordeu o lábio enquanto apertava a cintura dela.

— É melhor irmos logo antes que eu faça uma loucura. — Anna sorriu contra o pescoço dele deixando um fraco chupão antes de levantar.  — Tão provocativa. — Sussurrou indo atrás da esposa.

[...]

Assim que entraram na casa de campo que foi dada de presente de casamento para eles por Ryan, Anna bateu a porta e quando se virou pulou no colo de Justin colocando suas pernas uma de cada lado do corpo de Justin. Ela puxou Justin pela gravata e juntou os lábios aos dele.

Justin agarrou as coxas dela por baixo do vestido apertando o local fazendo Anna arfar entre o beijo. As mãos de Justin subiram por toda as costas de Anna e ele desceu o zíper do vestido levando suas mãos para as mangas do vestido as abaixando, desceu os beijos pelo pescoço de sua esposa que arfava com os lábios dele no local, ela terminou de abaixar a parte de cima do vestido ficando com seus seios cobertos apenas por um sutiã pequeno que apertava seus seios deixando Justin louco de tesão e mais louco ainda para tirar aquele pequena peça, o vestido foi levantado deixando uma parte das coxas de Anna descobertas.

— Preciso de você, como nunca precisei de alguém antes.  — Anna sussurrou contra a boca de Justin enquanto com as mãos trêmulas tentava abrir sua camisa.

— Também preciso de você, mas para isso acontecer é melhor irmos para o quarto. — Anna levantou do colo de Justin, e seguiu para o quarto na frente enquanto tirava o vestido ficando apenas de lingerie, Justin ao entrar no quarto mordeu os lábios vendo a mulher quase nua.

Justin tirou seu blazer, camisa e gravata e jogou em algum canto do quarto, desfivelou o cinto de sua calça e abriu o botão da mesma, Anna ajoelhou na frente de Justin tirando seus sapatos e meias.

— Quero mostrar algo para você. — Anna franziu o cenho e levantou ficando em pé o encarando, Justin travou as rodas de sua cadeira e se apoiou nos braços da mesma. — Pode não parecer muito, mas para mim é muito importante. — Dizendo isso ele fez impulso com os braços e conseguiu se equilibrar em pé fazendo Anna arfar de surpresa.

— Meu Deus! — Anna diz exasperada antes de se jogar contra ele fazendo eles caírem na cama e Justin gemer baixinho de dor.  — Eu... desculpa... meu Deus, machuquei você? Desculpa amor. — Justin apenas sorriu fraco antes de puxar Anna para ele e juntar os lábios no dela.

— Não machucou! Você gostou? Sei que é pouca coisa, mas para mim já é uma grande Vitória...

Anna soluçou contra o peito de Justin. — Isso é maravilhoso meu amor, estou tão orgulhosa de você. — Anna terminou de tirar a calça de Justin e ele se ajeitou na cama enquanto ela sentava em seu colo. — Amo você.

— Amo você. Sei que não imaginou que a sua primeira vez fosse assim, mas espero que seja bom para você. — Justin juntou os lábios no dela, o beijo era calmo e suas mãos acariciavam todo o corpo de Anna que arfava a cada pequeno toque, o sutiã dela logo estava jogado em algum canto e seu peito colado ao de Justin.

Anna rebolava sobre a ereção de Justin, que agradecia a Deus por pelo menos uma coisa estar funcionando desde o acidente. Justin segurou Anna sobre seu membro enquanto ela continuava a se esfregar nele mas agora com sua ajuda, a calcinha de Anna foi arrancada de seu corpo e a cueca de Justin também.

Anna gemeu fechando seus olhos ao sentir os lábios de justin em seus seios e sua língua acariciando seu mamilo, quando o membro de Justin esfregou contra sua intimidade seu corpo tencionou e ela sabia que agora sim, ela seria completamente dele.

— Vai doer um pouco, anjo. — Anna assentiu enquanto Justin pressionava seu pênis em sua vagina, quando ele já estava dentro da Anna por completo ela gemeu de dor e seus olhos marejaram.

— Dói muito. — Um gemido sôfrego escapou de seus lábios, Justin conteve a vontade de se mover dentro dela.

— Eu sei Babe. — Justin beijou Anna para que ela relaxasse um pouco e logo segurando a cintura de Anna fez com que ela se mexesse um pouco. — Quer que eu continue? — Ela assentiu fechando seus olhos. — No seu tempo, então, quando se achar à vontade para continuar lhe ajudarei com os movimentos. — Mesmo sentindo dor, Anna apoiou as mãos nos ombros de Justin que entendeu como um passe livre para prosseguir.

Justin gemeu mordendo os lábios enquanto apertava a cintura de Anna, que assim que relaxou sentiu o quão gostoso aquilo era, apesar da pequena dor que ela ainda sentia o prazer começava a se apossar de seu corpo, ela gemeu baixinho enquanto Justin colava seus lábios novamente.

O único barulho que ecoava no quarto agora, eram os dos gemidos de ambos, Anna arranhava os ombros de Justin que agarrou sua cintura possessivamente aumentando ainda mais a velocidade das estocadas, Justin sentiu seu membro inchar ainda mais dentro da intimidade apertada de Anna e ele sabia que era o seu orgasmo que estava se aproximando. Anna gemeu alto quando sentiu espasmos por todo o seu corpo e seu ventre parecia queimar de tanto prazer.

— JUSTIN. — Ela gritou de prazer ao sentir o seu primeiro orgasmo e mordeu o ombro de Justin, que gemeu contra o seu ouvido se despejando dentro dela, suas respirações estavam entrecortadas e ofegantes.

Justin retirou os cabelos dela que grudavam no seu rosto bonito e beijou seus lábios. — Foi bom pra você? — Anna se agarrou ainda mais ao corpo de seu esposo enquanto acariciava sua nuca.

— Melhor do que imaginei, Eu te amo. — Justin sorriu largo para ela.

— Eu também amo você senhora Bieber.


Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...