História Um Brilho Na Escuridão - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chiyo, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Kizashi Haruno, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Amor Profundo, Cego, Drama, Narusaku, Naruto Uzumaki, Preconceitos, Romance Época Vitoriana, Sakura Haruno
Exibições 159
Palavras 1.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Espero q gostem^^
Boa leitura;

Capítulo 9 - Capítulo 8 - Zombaria


Sasuke não parece nem um pouco surpreso, ao ver minhas mãos unidas com as de Naruto, nem mesmo parece se importar com o que está vendo. Mais a zombaria é evidente em seu olhar. E seu comentário despudorado nos deixou levemente constrangidos, e pensar que Sasuke havia descoberto nosso segredo, perturbou ainda mais a nossa paz de espírito. Sinto a tremedeira tomar conta do corpo de Naruto e aliso seus dedos para tranquilizá-lo.

- O que você quer? – pergunto ríspida. – Pare de nos fitar como se fossemos duas crianças desavergonhadas.

Ele sorri cinicamente.

- Mais são exatamente isso – diz ele secamente. – Como havia dito antes irmãos não se beijam na boca.

Um suspiro pra me acalmar.

- Isso não é da sua conta! – eu grito. - Mas se te interessa tanto saber. Não somos irmãos de sangue. Desde que de meu pai adotou o Naruto, fizemos um juramento de sermos irmãos para sempre – digo a Sasuke, mesmo eu tentando manter um tom de voz manso, já começo sentir a raiva começar a borbulhar em minhas veias.

- Que tocante – disse ele com um ar de pouco interesse. – Foi por isso mesmo que percebi, o parentesco entre vocês era mínimo. Afinal não se parecem nem um pouco. Mais ainda assim... – ele faz uma pausa deixando um suspense perverso pairar sobre nós: - Até mesmo irmãos adotivos não se beijam na boca é: nojento.

Garoto irritante”, penso zangada. “Estou começando a odiá-lo de verdade”. Naruto ainda está perturbado, sofrendo com o comentário lascivo de Sasuke. E sei que ele também se culpa por ter trazido à tona um assunto tão delicado como aquele, e ver esse menino estúpido dizendo aquelas palavras tão tranquilamente: chegava a dar-me nos nervos. Poxa! Foi nosso primeiro beijo! Mesmo que tenha sido algo completamente acidental, ainda assim pelo menos pra mim foi meu primeiro beijo; e acredito que sem sombra de dúvida, tenha sido o mesmo pra Naruto.

- Está tudo bem, Sakura – murmurou Naruto olhando fixamente para o chão. – Não precisa preocupar-se comigo.

- Mais é claro que preciso – respondi docemente. – Se eu não cuidar de você. Quem vai cuidar, então?

Um estouro de gargalhada sarcástica, bloqueou minha linha de raciocínio. Sasuke está rindo de nós e eu não consigo achar graça para seu divertimento explosivo, e lágrimas começaram a se acumular no canto de seus olhos, e ele passa a ponta dos seus dedos sob os olhos, pra limpar as águas de sua repentina alegria. Soltei minhas mãos entrelaçadas as de Naruto. Me ergui do banco bruscamente, e parei de frente a Sasuke, fuzilando ele apenas com meu olhar. Eu estava furiosa e queria deixar bem claro minha irritação referente a ele, e não permitiria que Sasuke ficasse se divertindo as nossas custas, e principalmente que não ficasse debochando e constrangesse Naruto. Pressionei meu dedo indicador em seu peito com força. Mesmo ele sendo um pouco mais alto, eu não me deixo esmorecer, e indaguei a ele raivosa:

- Qual é o motivo pra tanta risada?

Ele me olhar com extrema frieza ao me dizer:

- Vocês dois são completamente ridículos.

Grunhi com ódio.

- O único ridículo que existe aqui é somente você! – gritei enraivecida.

Sasuke não se deixa intimidar e se esquiva de meu toque, como se em qualquer momento ele fosse se contaminar com lixo tóxico. Ele lança um olhar venenoso a Naruto e depois para mim. Deu para perceber que empatia era recíproca.

- Por favor, Sakura. Não de atenção a esse garoto e muito menos ouvidos para o que ele fala. Deixei-o em paz! – Implorou Naruto, e senti a angustia em sua voz tremida.

- Mas, Naruto ele está nos insultando...

- Por favor – ele gemeu angustiado.

Solto suspiro tremulo em sinal de rendição, e olho pra Sasuke cansada. Quando estou prestes a me sentar novamente me congelo e me endureço no mesmo lugar - uma pedra gigantesca de iceberg foi jogado em meus ombros, a ponto de me despedaçar por inteira. E uma irá alucinante começou a tomar conta de mim; ao ouvir o comentário maldoso de Sasuke em relação a Naruto.

- Deve ser insuportável deixar uma menina irritante como ela tagarelando sem parar, tomar conta de você. Imagino que ser cego é um castigo terrível que Deus te deu, e certamente você deve ter sido na vida anterior, algum vagabundo trombadinha que vivia roubando aquilo que não te pertencia e decerto, aposto que até mesmo matava pessoas inocentes. Você não consegue ver mais eu enxergo. E sabe o que eu vejo? Eu vejo uma pessoa fracassada e covarde demais para mudar aquilo que ela já é, e aceitou ser: uma pessoa inútil e inteiramente derrotada. Então, acredito que a cegueira é a ideal penitência a você! – diz Sasuke cruelmente sem um pingo de emoção em sua voz mortalmente fria.

É quando eu vejo lágrimas saírem dos olhos de Naruto. Instantaneamente, sinto meu corpo inteiro começar a tremer, labaredas incandescentes explodindo-se dentro de mim, a raiva e a dor começaram a martelar minha cabeça e em meu coração desraigado. Estou furiosa e sinto muito ódio. Choques elétricos se entrecruzam pelos meus braços e não consigo, controlá-las. Fecho minha mão direita em punho e com um grito de fúria me volto para Sasuke, e acerto um soco em cheio no seu rosto. E escuto o barulho de osso se partindo. Meu murro foi tão forte e tão certeiro que acabei quebrando seu nariz com a irá fervorosa que estava acumulado e escondido em mim, e sangue começa a gotejar e a escorrer abundantemente, inundando seu casaco com o líquido vermelho. Sasuke começa gritar e a gemer de dor.

- Esqueci de ti avisar que eu também havia feito uma promessa de proteger o Naruto acima de qualquer coisa. E não permitirei que nenhum menino feioso e arrogante, humilhe e maltrate meu irmão... – eu digo a ele. – Eu não conheço absolutamente nada sobre os Uchihas. Mais só quero que saiba de uma coisa. Nós os Harunos somos reconhecidos pela nossa perseverança e instinto protetor. E eu não deixarei ninguém machucar a um membro querido de minha família!

Sasuke parece perplexo e pressionou ambas as mãos sob o nariz, na medida preventiva de querer estancar o sangue que jorra e respinga no chão. Flexiono meus dedos, tentando fazer com que a dor lancinante produzida pela força do soco finalmente amenize. Um prazer relaxante toma conta de meu ser, ao ver a exaltação violenta estampada nos olhos negros de Sasuke.

- Eu odeio você, Haruno! – gritou ele furioso.

- Igualmente, senhor Uchiha – respondo sarcástica.

É quando ouço passos firmes e fortes vindos em nossa direção. Papai e o Sr. e Sra. Uchiha andam apressadamente até nós, e quando a senhora Mikoto vê seu filho sujo de sangue, ela corre pra alcançá-lo arrastando a barra de seu vestido marrom de musselina, totalmente agoniada. Quando finalmente nos alcança a senhora Uchiha examina o rosto de Sasuke e diagnostica que seu nariz está quebrado e que terão que ir até algum consultório médico para que possam colocar o osso quebrado no lugar. Toda vez que ela tocava em seu nariz por mais delicado que fosse - ele soltava gemidos de dor, murmurando sem parar do quanto doía. Mais ela ordenou a Sasuke que mantivesse a cabeça deitada pra traz numa medida para irromper o sangue que aflora sem parar de seu nariz partido. Naruto ficou em silêncio o tempo todo, tentando talvez digerir a situação tumultuada. Eu queria me sentar ao seu lado, abraçá-lo, e, confortá-lo e dizer a ele que não se importasse com as palavras cruéis desse menino mau. Não podia, não com todos nos observando, e percebi que tinha que esperar pelo momento certo. Meu pai me fitava intrigado, e, eu sentia que estava em maus lençóis, e que muito em breve teria que falar detalhadamente sobre esse assunto empolado e o que me levou a socar Sasuke tão violentamente. Ninguém perguntou sobre como seu nariz havia realmente se fraturado, mais eu sabia que todos sabiam e viam, meus dedos e meu vestido sujos com um sangue tão revelador. O senhor Fugaku estava com uma expressão indecifrável no rosto, mas por algum motivo absurdo, sentia que ele me admirava por dentro.

Por fim o sangue havia parado de transudar do nariz de Sasuke. No entanto, no momento em que a carruagem da família Uchiha finalmente estava pronta para sua partida. Sasuke não deixou escapar a oportunidade de irritar-me pela última vez, ele olhou para mim e em seguida para meu pai, e disse o mais gentilmente possível:

- Sir Haruro, espero que perdoe-me pela minha falta de educação, e que certamente não culpe sua filha, pelo soco que ela acabou desferindo em mim. Lhe confesso que fiquei extremamente surpreendido com a sua coragem e ainda mais surpreso com seu instinto protetor. Eu a provoquei ao extremo. Desafiando-a e provocando-a, senhorita Haruno e também provoquei seu irmão. Incitando-a fazer algo contra mim... – Sasuke faz uma pausa e me lança um olhar penetrante: - Confesso que fiquei consternado com o resultado e que decerto eu nunca mais irei provocá-la novamente. Mais uma coisa lhe confidencio. Mal posso esperar pelo o dia em que finalmente poderei cortejá-la, e por fim o dia em que poderei casar-me com sua preciosa filha! - Sasuke sorri, e papai e a senhora Mikoto bateram algumas palmas totalmente, emocionados.

Mais por traz de seu sorriso gentil - seu sorriso inteiramente artificial. Eu sinto um veneno letal por atrás de suas palavras surpreendentemente sínicas. Lanço um olhar preocupado pra Naruto, e percebo que ele está pensando a mesma coisa que eu. Ele não pode ver. Mais sei que a única coisa que Naruto pode realmente enxergar e reler perfeitamente bem: é o interior da alma de uma pessoa boa e reconhecer um grande coração generoso.

E deduzo que a alma de Sasuke deve ser plenamente fétido, e seu coração absolutamente desumano.

 

 

 


Notas Finais


Eu sempre quis que a Sakura desse em soco bem forte no Sasuke no anime. Infelizmente isso nunca aconteceu, não que eu me lembre :(
Obrigada a todos,
Até o próximo;
Kisses...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...