História "Um café, por favor." - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Amizade, Amor, Ciumes, Drama, Got7, Homicidio, Jyp, Rivalidade, Romance
Exibições 118
Palavras 918
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Madrugada Turbulenta


Fanfic / Fanfiction "Um café, por favor." - Capítulo 17 - Madrugada Turbulenta

Parte 17


Mark havia saído do quarto para ver o que era, desceu e foi olhar lá embaixo.

-Você me deixou aqui sozinha até agora!-disse Han Na sussurrando com uma expressão de raiva em seu rosto.

-Merecidamente!

-Aish!

-Han Na, você não respeitou o espaço deles, invasão domiciliar é crime!

-Sinto muito, mas eu queria ver tudo o que você vê todo dia… queria o seu trabalho, na verdade.

-Mesmo assim! Isso não coisa que se faça. Ia gostar que invadissem sua casa?

-Se fosse o Got7 eu nem reclamaria.

-Aigooo!-Você deu um tapa na cabeça dela.

-Aaaai!-ela tentou não gritar enquanto esfregava onde estava dolorido.-Vai me pagar por isso também!

-Calada!

-Tem alguém aí?-disse Mark entrando no quarto em que vocês duas estavam.

Rapidamente você levantou, assustando de imediato o rapaz.

-Sou eu!

-Aigooo!-ele quase gritou, colocando a mão no peito e massageando-o, pois o coração estava agora abalado, então começou a rir.-O que está fazendo aí, S/N?

-Estava procurando uns barulhos que eu ouvi antes de sair.

-Já achou o problema?

-Ani, não era nada.

-Tem certeza?

-Absoluta.

-Ok, então. Vou dormir. Komawo~.-ele agradeceu e logo foi para o quarto.

Você voltou o olhar furiosamente pra sua amiga e a puxou pelo braço até o lado de fora da casa.

-Vai pra casa que temos provas essa semana, vai estudar!

-Ne!

Cada uma seguiu para o seu lado. Você chegou em casa por volta das 02:00 am deixando sua mãe extremamente preocupada como sempre. Ela estava cochilando no sofá, pois cansou de esperar.

Cuidadosamente pegou um lençol e cobriu-a, foi pra o seu quarto, tomou um banho e deitou para tentar dormir.

Infelizmente isso não foi possível, então decidiu estudar já que o sono não se fazia presente naquele momento. A noite foi uma bagunça e o dia que estava chegando em poucas horas seria mais problemático ainda, pois você precisava conversar com a Han Na sobre que ela havia feito, pedir desculpas ao JB por estar sendo uma idiota e tentar prevenir que mais coisas ruins aconteçam.

Porém, nem tudo acontece como planejamos. Seu telefone tocou, eram quase 03:30 am.

~

-Yeoboseyo?

(Filhota? Como está?)

-Pai? Eu… bem, bem… e você?

(Bem também. Que horas são aí mesmo? Não me lembro bem como funciona esse horário…)

-São 03:32 am.

(Uh… sério? Te acordei?)

-Não.. eu já estava acordada.

(Porquê? Aconteceu algo?)

-Só muito trabalho e estudo, entro na semana do provas amanhã.

(Ah, entendo. Boa sorte nas provas, querida.)

-Obrigada, pai.

(E… sua mãe?)

-O que tem ela?

(Anda muito ocupada?)

-Trabalho, somente.

(Sempre que ligo ela parece cansada.)

-O senhor tem feito o que pedi?

(O quê?)

-Parou de beber?

(Como você sabe, é difícil… mas já não bebo nas madrugadas.)

-Então está bebendo agora?

(Não pretendo.)

-Pai, se esforça mais. A mamãe quer voltar pra você, mas assim não dá.

(Quem disse isso? Ela?)

-Ela não precisa dizer… está claro nos olhos dela.

(Só vou acreditar quando me provar que ela não está com o meu irmão.)

-Ah, pelo amor de Deus!

(S/N, você nem está prestando atenção, não é?)

-Como assim?!

(Ele tem feito de tudo para agradá-la… e sabe que esse é um dos grandes fracos de sua mãe.)

-É seu irmão! Está cuidando da sua família enquanto você não tem condições de fazer isso.

(É tarde demais… ele já te tomou de mim também…)

-Ah, boa tarde aí pra o senhor, tenho que estudar.

(Depois não diga que não houveram avisos.)

~

Você desligou sem pestanejar. Aquilo virou mais uma das paranóias de seu pai e ele nem aparentava estar bêbado dessa vez.

Preocupada com todas essas confusões na cabeça, não conseguiu se concentrar novamente então desceu para beber um pouco de água e relaxar os nervos. Ao chegar lá em baixo, viu que alguém estava abrindo a porta da frente… você ficou parada na escada, observando quem era e se deparou com seu tio, que entrou com umas sacolas nas mãos, sem fazer nenhum ruído.

-Aigo!-ele quase gritou ao te ver parada na escada.-Que susto, S/N… o que está fazendo aí?

-Vim beber um pouco de água… e o senhor o que está fazendo aqui a essa hora?

-Sua mãe havia me chamado, pediu que eu comprasse um remédio, mas acabei fechando o Coffee mais tarde e me atrasei.-ele disse colocando as sacolas na mesa da cozinha.-Tive que fazer uma reunião com os funcionários, porque alguns estavam tirando fotos de uns idols que iam pra lá tomar um café.

-Aish…

-Daí passei numa farmácia vinte e quatro horas e consegui, mas ela fica muito longe daqui, o que me atrasou mais ainda.

-Porque não deixou pra entregar de manhã?-Você perguntou receosa, enquanto se aproximava de seu tio.

-Porque tenho que abrir cedo o Coffee.-ele se virou para você, percebendo seu incômodo.-Não deveria ter vindo?

-É que essa hora… são quase quatro horas da manhã, tio.

-Eu sei… me perdoe. É que... como se tratam de remédios, decidi vir logo.

-Tudo bem.

Enquanto ele os guardava, você sentou para observá-lo. Ele colocou um post-it na porta da geladeira, deixando um aviso de que já havia comprado os remédios e estavam guardados, no final do papelzinho amarelo, ele deixou um “Melhoras.”, que por algum motivo te incomodou um pouco.

-S/N, o JYP disse que caso precise de alguma coisa, avise a ele.-falou entregando-lhe um envelope, que era bem familiar.-Aqui está seu pagamento do mês.

-Kamsahamnida…

-Você está bem?

-Ne.

-Estou feliz que esteja me ajudando assim, querida.-ele disse com um enorme sorriso no rosto, enquanto esfregava o topo de sua cabeça.-Você nunca me decepciona.

-Ne…-por mais que quisesse abraçá-lo, algo te impedia e mal conseguia olhar o homem nos olhos.

Mais uma vez ele percebeu que estava estranha, então decidiu ir embora. Foi até a porta e antes de sair, se despediu.

-Me desculpe se incomodei. Boa sorte com as provas.-disse deixando mais um sorriso e finalmente saindo.

“Miane.. tio… mas preciso saber se o meu pai está falando a verdade ou não.”


Notas Finais


⚫"Um café, por favor." : Segunda, Quarta e Sexta.
⚫Apenas me Abrace : Terça, Quinta e Sábado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...