História Um casal diferente (Yaoi). - Capítulo 28


Escrita por: ~ e ~Pamchu

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Casal Diferente, Drama, Drama Familiar, Drama Gay, Garotos, Garotos Capa, Gay, Gayteen, Lemon, Teen, Yaoi
Exibições 157
Palavras 6.617
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Para quem gosta de songfic esse capitulo ta ó, uma delicia, mas vamos para o capitulo, sera que eu faço vocês gostarem um pouco mais do Pedro depois desse capitulo?

Capítulo 28 - Queimem no inferno


Fanfic / Fanfiction Um casal diferente (Yaoi). - Capítulo 28 - Queimem no inferno

—Como foi o final de semana de vocês? —Fernando perguntou na mesa com o pessoal.

—Nada de mais, fiquei jogando e assistindo umas series. —Guilherme falou mordendo sua maçã.

—Foi ótimo. —Gabriel falou. —Deu para fazer muita coisa. —Sorriu.

—Bota muita coisa nisso. —Thulio deu um selinho nele.

—Eu só consegui fazer umas corridas e pintar meu quarto, isso com a ajuda de Rafael, senão... —Fernando falou colocando o braço no ombro de Rafael.

—O que seria de você sem mim né querido. —Rafael sorriu. —Cadê as garotas? —Ele perguntou.

—Elas falaram que quando acabássemos o café nós irmos para o auditório, aparentemente o Forbes vai dar uma aula teórica sobre música. —Thulio falou.

—Vamos lá de uma vez. —Fernando se levantou. —E você Gui, não quer ir conosco, podemos fazer o Forbes abrir uma vaga para você. —Ele falou encarando o Guilherme.

—Não obrigado. —Ele riu. —Cantar não é comigo, eu vou para a piscina. —Ele falou se levantando.

—Até mais então. —Gabriel falou.

[...]

—Bem alunos, é isso, agora anoite eu quero propor à vocês isso: Façam uma dupla com quem você não está se dando bem, e cantem uma música que descreva exatamente isso, entre tantas as músicas no mundo eu garanto que existe uma perfeita pra essa ocasião, certo? Até anoite.

Assim que ele falou e os alunos começaram a sair a banda começou uma música.

Wolf in sheep’s clothing – Set it off.

Uma risada insana foi dada e no palco apareceu ninguém menos que Pedro.

his is about you

(Isso é sobre você) Ele apontou para Fernando.
Beware, beware, be skeptical

(Cuidado, cuidado, seja séptico)
Of their smiles, their smiles of plated gold

(Com seus sorrisos banhados em ouro)
Deceit so natural

(Engano tão natural)
But a wolf in sheep's clothing is more than a warning

(Mas um lobo em pele de cordeiro é mais que um aviso)

Baa baa, black sheep, have you any soul?

(Baa baa, ovelha negra, você tem alguma alma?)
No sir, by the way, what the hell are morals?

(Não senhor, a proposito o que diabos são morais?)
Jack be nimble, Jack be quick

(Jack seja rigoroso, jack seja rápido)
You is a little whore, and yours alibis are turning tricks

(Você é uma putinha, e seus álibis estão se tornando em truques) Ele sorriu para Fernando.

So could you

(Como você pode)
Tell me how you're sleeping easy

(Me diga, como você consegue dormir)
How you're only thinking of yourself

(Como você só pensa em si próprio)
Show me how you justify

(Mostre-me como justifica)
Telling all your lies like second nature

(Contando as mentiras como se fossem uma segunda natureza)

Listen, mark my words, one day

(Escute, marque minhas palavras, um dia)
You will pay, you will pay

(Você pagará)
Karma's gonna come collect your debt

(O carma virá coletar sua dívida)

Maybe you'll change

(Mas talvez você mude) Ele sorriu.
Abandon all your wicked ways

(Abandone todos seus caminhos perversos)
Make amends and start anew again

(Fará as pazes e começará tudo de novo)
Maybe you'll see

(Mas talvez você veja)
all the wrongs you did to me

(Todos os erros que cometeu comigo)
And start all over, start all over again

(E vai começar tudo novamente)

Who am I kidding?

(Quem estou enganando?) Ele voltou a rir com a expressão irônica.
Now, let's not get overzealous here

(Não vamos pegar leve aqui)
You've always been a piece of shit

(Você sempre foi esse pedaço de merda)
If I could kill you I would

(Se eu pudesse mata-lo, eu faria)
But it's frowned upon in all twenty-six states

(Mas é condenado em todos os vinte e seis estados)
Having said that, burn in hell

(Eu já falei isso uma vez? ... QUEIMEM NO INFERNO)

...

—Vocês não acharam que eu ficaria fora por muito tempo, não é? —Ele falou no microfone.

Todos estavam olhando assustados para ele, era como uma miragem, simplesmente impossível de estar ali depois de tudo o que ele fez.

Eles foram todos para a direção.

[...]

—Não, você ‘ta de brincadeira né? —Fernando falou batendo as mãos na mesa do diretor.

—Já estava esperando os senhores. —O diretor arrumou sua gravata e se levantou. —Pedro vai continuar na escola. —Ele falou após pigarrear. —Seu pai veio aqui e pediu pessoalmente uma nova chance para seu filho, ele prometeu que não ocorreria nada novamente e que Pedro teria acompanhamento psicológico nos finais de semana. —Ele se virou. —E também esta é a única escola interna do estado, e ele não pode trocar de emprego desta forma.

—Isso é injusto. —Gabriel falou revirando os olhos.

—Tem outra coisa que quero falar com você meu jovem. —Ele olhou para Gabriel. —Vieram me informar hoje que o senhor é gay, essa informação procede? —Ele o fitou nos olhos.

—Sim. —Gabriel respondeu na hora.

—E é verdade que você e o senhor Thulio são namorados? —Ele olhou para Thulio.

—Claro que é. —Thulio falou segurando a mão de Gabriel. —Por quê?

—Vocês estão no mesmo quarto, isso não pode ocorrer, Gabriel você será realocado para o quarto de Pedro, já que é o único com lugar livre. —Eles tentaram protestar, mas o diretor continuou. —Da mesma forma que não deixamos as garotas dormirem com os garotos, não posso permitir que um casal fique no mesmo quarto, não tem nada a ver com a sexualidade de vocês, é só uma regra da escola, afinal é uma escola, não um motel.

—Justo no mesmo quarto dele. —Gabriel olhou para Pedro com desprezo.

—O psicólogo mencionou deixa-lo com um aluno exemplo, e suas notas até agora são as mais elevadas e o senhor é o mais esforçado dos que estão aqui. —Ele falou e se sentou novamente.

—Não se preocupe diretor, eu juro que vou cuidar muito bem do meu amiguinho. —Pedro piscou para Gabriel que o encarava com ódio.

—Então é isso o que tenho a falar com os senhores, podem se retirar. —O diretor apontou a porta.

Eles saíram e ficaram todos em silencio.

—Não vai ser ótimo sermos amigos de novo Gabriel? —Pedro falou o provocando. —Você era tão meu amigo quando pequenos, o que aconteceu? Eu tentei te matar? —Ele sorriu ironicamente.

Gabriel foi até seu quarto, pegou sua mala e começou a preparar a mudança de quartos.

—Gabriel? —Fernando entrou no quarto. —Isso é tão injusto...

—Também acho. —Falou colocando as roupas na mala. —Mas não se preocupe, se tem alguém que consegue aturar idiotas sou eu. —Gabriel sorriu.

—Vai ficar tudo bem meu amor, se ele tentar qualquer coisa eu juro que eu... —Thulio falou.

Gabriel deu um beijo nele. —Você não vai fazer nada, por que ele não vai tentar nada. —Ele sorriu.

—Como pode ter tanta certeza, ele tentou matar o Fernando, ele é doente para caralho. —Rafael falou uma voz de nojo.

Gabriel sorriu ironicamente.

—Ele que vai estar com problemas. —Falou e pegou sua mala e colocou no ombro indo em direção ao novo quarto.

[...]

O quarto de Pedro já não tinha mais as fotos na parede, nem o computador no lugar, estava reformado praticamente, tinham duas camas e dois guarda roupas, assim que Gabriel entrou viu Pedro deitado na cama enviando umas mensagens.

—Bem-vindo ao inferno Gabriel. —Ele falou sorrindo.

—Obrigado Pedro. —Ele respondeu jogando sua mala em cima da cama vazia.

—Como se sente dormindo com o inimigo? —Falou irônico.

—Não sei. —Gabriel se deitou ao lado de Pedro. —Me traz lembranças, quando você ainda tinha uma mente saudável.

—Você me fez doente roubando meu amigo. —Pedro falou o encarando.

—Ele era nosso amigo, não lembra? Nós jogávamos videogames na casa da minha avó em São Paulo, ou também esqueceu disso? —Gabriel o encarou.

Pedro ficou quieto uns instantes e subiu em cima de Gabriel e o segurou na cama.

—Eu ainda não entendi o que você está fazendo, você vem aqui e chega como se eu fosse virar seu amigo, o que você está pensando que vai fazer? Me jogar purpurina e vou mudar? —Pedro falou se aproximando do rosto de Gabriel.

—Não.... Eu só não tenho medo de você. —Gabriel sorriu. —E me solte, se eu quiser um cara em cima de mim eu pediria para Thulio o fazer.

Pedro saiu de cima dele e se sentou do seu lado.

—Interessante, então é só você ficar longe deles que muda de volta. —Pedro colocou a mão no queixo parecendo fascinado.

—Muda de volta? —Gabriel perguntou se sentando também.

—Sim, para aquele Gabriel que tinha alguma personalidade, aquele que eu gostava quando éramos crianças, sempre contestando os mais velhos, impondo suas opiniões. —Ele falou sorrindo.

—Aquele Gabriel que só sabia deixar os outros irritados, que não conseguia fazer amigos por falar muito? —Gabriel falou arqueando uma sobrancelha.

—Esse mesmo. —Ele falou sorrindo. —Agora olhe para você usando esse perfume de baunilha, aposto que alguém pediu, não é? —Pedro o encarou. —Você odeia baunilha.

—Odiava, as pessoas mudam sabia? —Gabriel respondeu.

—Hum, eu gostava mais antes, aí você parou de ser você para atuar em tempo integral, e aparentemente o Fernando preferiu ficar com a farsa que com o Gabriel de verdade, já que ele não falava contigo até então.

—Para você ver, se eu continuasse daquela forma só teria você como amigo. —Gabriel sorriu. —Sabe uma das nossas diferenças que fez o Fernando “te largar”? Eu sei quando tenho que mudar, eu corro atrás do que eu quero, não continuo fazendo as mesmas coisas esperando resultados diferentes, afinal depois da perda de seus pais ele precisava de um amigo, não de um fã. —Gabriel se levantou e foi para sua cama desfazer a mala. —E ter você como amigo hoje deve ser algo perturbador, vendo que tentou matar o Fernando.

Pedro chegou atrás de Gabriel e o deu um abraço e sussurrou em seu ouvido.

—Eu não tentei mata-lo, eu conseguirei eventualmente. —Pedro falou rindo no final.

—Você é podre. —Gabriel se soltou.

—Mas não o matarei fisicamente, quero tirar tudo dele, deixa-lo isolado e só. —Jogou Gabriel na cama e colocou o dedo em seus lábios. —Mas acho que isso vai esperar, afinal tenho outras coisas mais importantes agora.

Gabriel empurrou ele para longe com seu pé, Pedro riu daquilo.

—Até depois Biel. —Ele acenou e saiu do quarto.

Gabriel se sentou na sua cama e respirou fundo.

Flashback on.

—Por que eu não posso brincar com eles. —Gabriel falou com um garoto em uma pracinha.

—Por que você é pequeno. —Os garotos mais velhos riram.

—E daí, posso ser menor, mas sou melhor que vocês. —Gabriel falou encarando os outros.

—O que tu falou tampinha? ‘Ta querendo apanhar é. —Eles falaram pro Gabriel que queria jogar bola com os outros garotos.

—E quem vai me bater? Vocês? —Gabriel riu irônico.

Os garotos foram para cima deles.

—Ei, ele não queria falar isso. —Fernando falou ficando perto dele. —Ele só fala demais mesmo. —Riu.

—Bom mesmo seu namoradinho ter chegado, tira esse tampinha daqui antes que mudemos de ideia. —Eles falaram.

Fernando levantou Gabriel e tirou ele dali.

—Gabriel você tem algum problema? —Fernando falou. —Você fica arrumando problemas, os garotos mais velhos nem brincam mais conosco por que você é chato. —Deu as costas para o Gabriel e saiu.

Gabriel ficou com os olhos cheios de lagrimas.

—Ei Gabriel, não liga para isso, ele só está de cabeça quente por que perdeu uns tazzos para mim no jogo. —Pedro riu e mostrou para ele quantos tinha. —Você quer alguns? —Deu para ele alguns dos tazzos que ganhou do Fernando.

—Ei você quer jogar Sonic comigo lá em casa? —Gabriel falou sorrindo. —Minha avó me deu um máster system.

Pedro abriu um sorriso.

—Claro! —Respondeu sorrindo.

Flashback off.

O celular de Gabriel vibrou e era Thulio o chamando para ir para a piscina, Gabriel tirou os pensamentos do passado da cabeça, foi até o banheiro e se trocou, colocou um bermudão e foi até onde seu namorado estava.

—Que sol ótimo. —Gabriel falou chegando atrás de Thulio e dando um abraço nele.

—Não é, como foi com o doente? —Thulio se virou e beijou sua bochecha.

—Normal, ele foi irônico como sempre. —Gabriel falou sorrindo.

O celular de Thulio tocou e ele atendeu.

—Alô.... Ah oi pai... Sair da escola?... Hoje? ... Competição? CARALHO A COMPETIÇÃO.... Não sei... não sei... NÃO SEI... —Thulio desligou o celular.

—Thulio o que foi? Você está nervoso. —Gabriel falou o encarando.

—Gabriel, com tudo isso que aconteceu eu esqueci de te avisar... —Thulio se sentou na borda da piscina e colocou as mãos na cabeça. —Já faz uns seis meses que ‘to com isso marcado, tem uma competição em São Paulo, para cantores e é amanhã, só que eu esqueci totalmente.

—Bem a sua cara. —Gabriel riu. —Mas qual o problema? —Ele o fitou.

—Pedro? Ele voltou para a escola e não posso deixar você assim. —Thulio segurou a mão dele.

—Thulio Pedro não é problema mais, e essa competição é ótima para você, você mesmo me disse que quando sonhou com nosso futuro você era um cantor. Você sempre quis isso. —Gabriel sorriu. —Você nunca deve atrapalhar um sonho por causa de ninguém, ainda mais por causa de mim ou do Pedro.

—Eu vou cancelar, eu não consigo...

—Relaxa, você vai voltar, não é? —Gabriel o cortou.

—Sempre. —Ele respondeu sorrindo.

—Então não há problemas. —Gabriel apertou sua mão. —Eu consigo ficar vivo até voltar. —Falou rindo.

—Mas a competição dura o mês inteiro... —Thulio falou mudando o tom. —Não quero ficar longe de você esse tempo todo... —Ele encarou Gabriel.

—Já falei, não há problemas, você vai ficar só um mês longe, o que poderia acontecer nesse tempo?

—Você está certo meu amor, mas saiba que eu vou voltar para cá com um troféu enorme. —Thulio falou sorrindo e se levantando.

—Não espero menos que isso. —Gabriel falou sorrindo.

Thulio foi para a sala do diretor pedir a licença, Gabriel deitou na borda da piscina e olhou para o céu suspirando.

—Isso acontece sempre... —Ele falou para si mesmo.

—E de novo o pobre Gabriel foi largado sozinho. —Pedro falou saindo de um mergulho ao lado de Gabriel.

—Pedro... Claro que você sabe o que aconteceu com Douglas também, esqueci que você é meu maior fã. —Gabriel sorriu.

—Eu sei de tudo que aconteceu Biel, e eu sou fã de fazer vocês ficarem insanos e amo quando esses seus olhos azuis ficam com raiva e começam a brilhar. —Falou jogando agua no Gabriel.

—Me poupe. —Gabriel falou voltando para o seu quarto, Pedro o seguiu.

No meio do caminho viu Thulio entrando no quarto dele.

—Conseguiu a licença amor? —Gabriel perguntou.

—Sim, eu vou sair agora e... —Thulio encarou Pedro que chegou logo atrás. —Eu quero que você fique com isso. —Entregou a jaqueta que Gabriel deu para ele. —Cuida dela para mim. —Sorriu e deu um beijo em seu namorado.

—Eca.... Preferia bem mais Gabriel e Douglas. —Pedro falou sorrindo ironicamente.

—E você Pedro. —Thulio o prensou na parede e segurou em seu pescoço. —Se você mexer em um fio de cabelo do meu namorado eu juro que será a última coisa que vai fazer, e vai por mim, não sou um homem de ameaças como você...

—Não se preocupe, não vou arruinar só o cabelo dele, mas sim ele todo... —Thulio o largou. —Tchau Thulio, espero que bata de moto. —Falou acenando.

Quarto.

Gabriel tirou o bermudão e a sunga que estava por baixo e jogou-as em cima da cama.

Pedro entrou e sentou em sua cama e ficou encarando Gabriel.

—Não olha muito, pode acabar ficando cego. —Gabriel falou pegando uma box e uma bermuda preta e as colocando.

—Hum, eu gosto do que vejo. —Colocou um dedo na boca. —Pena que você é medíocre, por isso Thulio está te largando, você é tão sem sal, não sei como ele te aturou tanto tempo .... Não se impõe, não reclama, sempre foi assim não é Gabriel .... Uma tentativa falha da perfeição, mas tudo que consegue é afastar a quem ama.

Gabriel ouviu aquelas palavras e continuou calado se trocando, ele colocou uma camisa preta e a jaqueta de Thulio por cima.

Gabriel foi em sua direção e segurou em seu queixo com o dedão e o deitou na cama ficando por cima.

—Nem por um segundo pense que me conhece, você passou a infância comigo e com Fernando, mas isso já faz muito tempo, eu não vou mais aturar que você fale assim comigo, que essa seja a última vez. —Gabriel deu um beijo em sua bochecha e dois tapas logo em seguida no mesmo lugar.

—Na verdade eu sou a única pessoa que conhece todos vocês, é engraçado observar vocês por causa disso. —Pedro falou se sentando com um sorriso. —Mas por enquanto vamos continuar assim, até estar tudo perfeito para o próximo jogo, mas eu acho que já achei meu outro brinquedinho, um que está no meu quarto. —Foi até Gabriel e passou o braço pelo seu ombro, Gabriel o encarou, mas desistiu de contestar.

—Vamos para a aula, e a partir de hoje você vai ficar comigo, vinte e quatro horas por dia.  —Gabriel falou o encarando.

—Entendido, o inimigo mais perto, não é? —Pedro sorriu. —Só não espero que nos confundam com namorados.

—Meus amigos sabem que não tenho um gosto tão baixo. —Gabriel olhou para ele.

—Olha só, as presas estão aparecendo. —Pedro o encarou.

—Você não me queria assim? Agora me tem. —Gabriel falou indo para o prédio principal.

—Ótimo, que os jogos comecem de novo, agora estará bem mais divertido. —Pedro colocou o indicador nos lábios.

Gabriel sorriu ironicamente.

[...]

Pamella estava se arrumando para a aula, Mirian havia ido na frente, assim que ela passou pela porta jurou ter visto Yasmim passar, mas deve ser só alguém parecido.

Chegando no prédio principal ela viu a única pessoa que não queria, Pedro, ele estava junto de Gabriel com o braço passado pelos ombros dele.

—Viraram amigos? —Ela perguntou encarando Gabriel.

—Nem fodendo. —Gabriel respondeu no mesmo momento.

—O que é isso Gabriel, tudo o que temos acabou? Igual você e o Thulio? —Pedro falou.

—O que aconteceu com Thulio? —Pamella perguntou.

—Ele foi para uma competição em SP e vai passar o Mês todo fora.

—Nossa, que pena para você, mas cuidado com a cobra no seu pescoço, elas costumam dar o bote quando menos se espera. —Pamella falou indo para a sala.

—Para uma víbora até que você entende bem da própria espécie. —Pedro rebateu.

Pamella ficou furiosa e olhou para ele mordendo os lábios e fechando a mão.

—Sabia que o Alex está na escola? —Pedro falou e sorriu ironicamente, como sempre. —O que ele vai achar disso Pamella? —A expressão de Pamella mudou totalmente.

—Quem é Alex? —Gabriel perguntou.

—“É o amante dela, que ela conheceu no bar” —Pedro sussurrou no ouvido de Gabriel, que olhou para Pamella com os olhos arregalados.

—Eu vou indo para sala... —Gabriel achou que era uma mentira de Pedro. —Não de bola para ele. —Falou e foi para sala.

Pamella seguiu Pedro com os olhos olhando no fundo dos seus olhos.

Por um instante ela tremeu e ficou meio desconfortável com aquilo, ela foi para sala achando que era apenas um blefe, se sentou na sua cadeira e esperou pela aula de Português.

—Muito bem alunos hoje eu vou me apresentar meu nome é....

—Alex. —Pamella falou o vendo entrar na sala, logo em seguida cobriu sua boca com as mãos.

Eles se encararam, e Pamella ficou vermelha, ela só queria enfiar a cara num buraco e não sair mais.

—Exato, eu sou o novo professor de Português. —Ele continuou e deu a aula.

... Depois da aula ...

—Até amanhã, vocês estão liberados. —Ele falou fechando o diário e os alunos saíram. —Menos você senhorita Pamella.

—Nossa esse professor novo, bem que poderia me ensinar umas coisas ou outras. —Rafael falou com Fernando e Gabriel.

—Não é? —Pedro falou. —Pena que ele já dá aula particular para alguém. —Pedro encarou Pamella e mordeu o lábio.

—Alô, o que essa fodida está fazendo com nós? —Rafael estalou os dedos para o alto e apontou para o Pedro.

—Querido, eu sou o velho novo amigo do Gabriel. —Pedro piscou para ele, Rafael encarou Gabriel que deu de ombros. —Como de você eu ainda não sei nada pode ficar tranquilo. —Pedro sorriu. —Por enquanto.

—Gabriel eu não preciso te lembrar do que ele fez, não é? E nem por que ele fez. —Fernando falou tentando ignora-lo.

—Não, não precisa. —Gabriel respondeu. —Mas fiquem tranquilos, isso aqui é um problema meu. —Gabriel respondeu e pegou Pedro e saíram de lá.

—Desisto desse lugar. —Rafael falou saindo também.

—Pamella você... —Fernando tentou falar com ela, mas ela o ignorava dês daquele dia. —Esquece...

[...]

O lugar ficou vazio exceto pelos dois lá dentro.

—O que você está fazendo aqui? —Pamella falou o encarando.

—Pamella já devia ter desconfiado... Faculdade não é... —Ele falou colocando os dedos nas têmporas.

—Sim, eu menti sobre aquilo, as vezes as pessoas querem algo só para se distrair certo? —Pamella falou.

—Esse não é o problema, uma relação com menores de idade é crime. —Ele sussurrou perto dela. —Ainda mais com uma aluna.

—E o que vai acontecer agora? —Ela falou cruzando os braços, ela estava desconfortável ali.

—Você não pode falar o que fizemos para ninguém, isso nunca deve ser pronunciado novamente. —Ele falou e ela começou a sair, ele pegou em seu braço. —Estamos entendidos?

—Claro. —Pamella falou se soltando e saindo da sala.

Pamella se apoiou na parede e pensou em como Pedro poderia saber daquilo tudo, seria um problema para ela e Alex caso ele espalhasse isso.

—Pamella, você não vai acreditar. —Gabriel falou se aproximando dela. —Eu juro que eu vi a Yasmim na escola. —Ele falou aflito.

—Então é verdade, eu também achei que tinha a visto mais cedo no dormitório... como se já não bastasse esse aí. —Pamella falou se referindo a Pedro.

—Como foi a aulinha? Ele te ensinou mais algo? —Pedro falou irônico.

—Vai se foder Pedro... —Pamella saiu e foi para seu quarto.

[...]

Fernando foi até a academia após a aula, ele começou alguns exercícios de braço e a camiseta que ele pegou estava um pouco apertada, toda vez que o músculo se enrijecia ele sentia um desconforto, ele decidiu tira-la.

—Olá Fernando. —Uma voz feminina falou atrás dele, por um segundo ele pensou que fosse Pamella, mas o tom não era o mesmo. —Se lembra de mim? —Ela ficou em sua frente.

Ele olhou e revirou os olhos, tentou sair do lugar, mas ela colocou a mão em seu peito e o empurrou.

—Yasmim... Que surpresa desagradável. —Ele respirou fundo no final. —Veio aqui para que? Para falar que pegou minha namorada de mim? Ou para me fazer sentir um merda.

—Os dois. —Ela sorriu. —Mas Leticia agora também é minha ex. —Yasmim falou e passou a mão pelo corpo de Fernando. —Se eu não fosse lesbica eu estaria toda molhada com isso. —Ela mordeu os lábios. —Que evolução hein. —Falou rindo.

—Eu não tenho tempo para isso agora, posso passar? —Fernando perguntou meio nervoso com aquilo.

—Não... —Ela falou. —Fiquei sabendo que você vai ser adotado não é.

—Eu já fui, minhas mães realmente me quiseram. —Fernando falou.

—Pedrinho está aqui, não é? —Ela perguntou o encarando. —Você fica mais tenso quando ele está por perto. —Ela sorriu e passou os dedos pelos lábios dele.

—Esta, está no quarto 42, agora posso passar? —Falou irritado.

—Não, senta aí. —Ela o empurrou no chão. —Não acabamos.... Quero saber de tudo o que está acontecendo.

Fernando se levantou irritado.

—Vai se foder Yasmim. —Fernando a ignorou e saiu do lugar.

—Aproposito obrigado por ser você, eu nunca teria me descoberto lesbica e Leticia nunca gostaria de mulheres sem ter namorado você. —Ela falou antes dele sair.

Yasmim era amiga de Pedro, então era tão doente quanto, no ultimo colégio ela era a rival de Fernando para o cargo do grêmio, quando ele venceu ela só conseguia odiá-lo, mas nada se comparou ao ódio dele a ter rejeitado, alegando que amava a amiga dela, Leticia. Yasmim não conseguia lidar com aquilo, alguns meses depois Fernando pegou Yasmim e Leticia no dormitório fazendo sexo, ele ainda se lembra como Leticia parecia mais feliz que com ele, também lembra como Yasmim o encarou enquanto tirava os dedos de Leticia e colocava em sua boca.

[...]

Quarto 42.

Pedro estava vendo uma serie no seu computador e Gabriel estava em sua cama lendo cidade dos ossos.

Pedro sorriu e tirou o fone do computador. “Não subestime a beleza das trevas, Stefan. Até mesmo os corações mais puros são atraídos para ele. ” Gabriel levantou a cabeça sorrindo ironicamente para Pedro.

—Bem sua cara The vampire diaries. —Gabriel falou e voltou para sua leitura.

—Você ...

A porta se abriu bruscamente e assustou os dois ali.

—PEDRO! —Yasmim gritou se jogando nele.

—Bem-vinda querida. —Ele respondeu.

Ele se sentou com ela em seu colo e dei um beijo em seus lábios, Gabriel assistia com uma interrogação desenhada em seu rosto, Pedro tomava as costas dela e usava a língua, ela retribuía.

—Quanto tempo não é. —Ela falou se separando pela falta de ar.

—Você não faz ideia do que já aconteceu. —Pedro sorriu.

—Pera... —Gabriel falou fechando o livro. —Pedro você é gay, Yasmim você é lesbica, e agora vocês estão se pegando? —Ele arqueou a sobrancelha.

—É o nosso aperto de mãos. —Ele sorriu.

—O que o fantoche está fazendo aqui. —Yasmim perguntou indo para cima de Gabriel.

—Esse é o quarto dele. —Pedro respondeu também indo para cima dele.

—Vocês não estão se pegando né? —Yasmim Deitou Gabriel na cama e aproximou os lábios pertos dos de Gabriel, que tentou se afastar, mas a garota era mais forte.

—Claro que estamos. —Pedro falou sorrindo. —Ele é só o meu tipo, falso, medíocre e vazio. —Pedro se sentou perto da cabeça dele.

Gabriel conseguiu empurrar Yasmim de cima dele.

—O ruim de dividir o quarto com o Pedro é que sempre parece que ele quer me estuprar. —Gabriel falou o encarando.

—Thulio também fazia isso, mas eventualmente conseguiu. —Falou sorrindo.

—Você montou uma barraquinha perto da minha casa stalker do caralho. —Gabriel falou se levantando da cama e indo para a de Pedro que estava vazia.

—Meus métodos são mais atualizados. —Ele falou. —Mas Yasmim eu estou de folga por enquanto, graças a esses olhos azuis eu tenho que ir no psicólogo todo final de semana. —Ele falou encarando Gabriel que sorriu de volta.

—Isso que dá agir sem alguém par ajudar. —Yasmim falou. —Mas o que eu ainda não entendi é por que vocês ainda estão sendo amigos do Fernando, eu avisei para todos vocês o que ele estava fazendo, falei antes de você sair que foi por culpa dele que Thulio não se assumiu antes, falei para Thulio o mesmo, avisei para a Pamella que ele ia tirar todas as garotas do colégio, mas mesmo assim vocês o perdoaram? O que vocês têm na cabeça?

—Ele já fez mais coisas para ajudar que para atrapalhar, só colocar numa balança. —Gabriel falou abrindo seu livro novamente.

—Idiotas mesmo, mas foda-se vocês. —Yasmim falou. —Pedro, vamos na piscina, está tão lindo lá fora. —Ela falou o convidando.

—Claro querida, deixa só eu me trocar. —Pedro falou e foi para o banheiro.

—Eu vou com vocês. —Gabriel falou se trocando no quarto.

—Vai se trocar na minha frente? —Yasmim falou colocando o dedo na boca, Gabriel ignorou e tirou a roupa e colocou um bermudão.

[...]

Fernando estava com Mirian Rafael e Pamella na piscina. Pamella e Rafael estavam lendo, Mirian entrou na agua com Fernando e eles estavam competindo natação.

—O Gabriel está andando com o Pedro agora? —Rafael apontou para longe e viu eles junto de outra garota vindo naquela direção.

Todos olharam e viram a cena, Gabriel estava rindo com eles, eles contaram uma piada sobre o Fernando, a algo relacionado ao loiro.

—Acho que ele não entendeu que quase foi morto por causa daquele bosta. —Pamella falou fechando o livro.

—Mas não se preocupem com ele, o alvo deles não é o Gabriel. —Fernando falou chegando na borda da piscina.

—Mas não vai ficar assim mesmo. —Rafael falou observando-os.

Eles chegaram na piscina e Yasmim mergulhou na agua, assim que se levantou jogou o cabelo para trás e molhou o livro de Pamella.

—Querida? —Pamella falou olhando nos seus olhos. —Cuidado onde você joga sua crina mula. —Falou fechando o livro.

Yasmim riu e mergulhou novamente, Gabriel e Pedro riram pelo insulto.

—Oi falsiane. —Rafael falou chegando perto de Gabriel. —Está andando com esse cara por que? —Perguntou.

—Já te falei, sou um velho amigo do Biel. —Pedro falou dando um beijo na bochecha de Gabriel que limpou logo em seguida.

—Relaxa Rafael, esse cara aqui não é nada, só quer um pouco de atenção. —Gabriel falou dando de ombros.

—Depois que o Thulio saiu daqui as coisas estão mudando, não é? —Rafael falou encarando Gabriel. —Você começa a andar com Pedro, com essazinha ai. —Rafael falou se referindo a Yasmim. —Só falta você trair o Thulio com o Douglas né seu falso. —Rafael falou e todos no lugar olharam.

Gabriel arqueou uma sobrancelha e encarou Rafael, ele não acreditava naquela tempestade no copo d’agua que estavam fazendo, resolvei ignorar aquilo.

—Pedro, vamos ficar para lá. —Gabriel falou indo em direção mais afastada.

—Agora vai ficar mudo? —Rafael falou e pegou no braço de Gabriel.

Gabriel olhou para aquilo.

—Rafael... Eu te conheço a menos de uma semana, mas já te considero um amigo, então eu vou te avisar, não se meta nos meus assuntos que você não foi chamado, e por menos de meio segundo ache que você pode falar sobre eu e o Thulio e muito menos eu e Douglas. —Gabriel falou olhando dentro dos olhos de Rafael, que o soltou.

—“Finalmente” —Pedro sussurrou no ouvido de Gabriel e foi com ele para o lado mais afastado dali.

—Rafael acho que estou gostando de você, sabe quando tem que falar umas verdades. —Pamella falou sorrindo. —Mas não se preocupe com aquilo, Gabriel é desses, quando esta interessado em algo só some do grupo, igual quando ele conheceu o Thulio na última escola, ele deixou eu e Fernando de lado para correr atrás de macho. —Pamella falou rindo, Fernando também riu saindo da agua lembrando dos momentos.

—Por que vocês não viram quando ele me contou que era gay e ficou com vergonha de eu me trocar no quarto, não vi ele no quarto por um mês. —Fernando falou sorrindo.

—Ele se trocava no banheiro do teatro. —Pamella falou também sorrindo.

—Eu só acho uma puta sacanagem depois daquilo tudo ele chegar perto do Pedro de novo..., mas... bem eu vou indo tenho que fazer os deveres de biologia.

—Eu vou com você. —Mirian falou saindo da agua e se enrolando em uma toalha.

...

Ficaram Fernando e Pamella sentados um do lado do outro, mas sem trocar nenhuma palavra.

—Pamella... —Fernando falou.

—Não... —Pamella respondeu. —Eu não vou desculpar você.

—Mas...

Pamella se levantou.

—Ei volta aqui. —Fernando a puxou pelo braço e fez ela sentar. —Me desculpa, eu sei que eu errei fazendo aquilo, mas foi culpa do Pedro, me dá outra chance para ser seu amigo.

—Não comece com isso, eu não aguento ter meu coração quebrado de novo. —Ela falou se soltando.

—Mas a culpa não é minha de você gostar de mim. —Ele falou revirando os olhos. —Eu sempre falei para você que era seu amigo, em nenhum momento eu me aproximei de você querendo algo a mais... —Ele falou. —Eu só quero ser seu amigo de novo, você não sabe o quanto é chato você ter que conviver com uma pessoa que você considera como irmã e logo em seguida começar a ser ignorado...

—Eu posso tentar... —Ela falou logo após uma longa pausa. —Afinal a culpa foi minha por sentir algo por um idiota igual você. —Ela falou sorrindo. —E só vou te desculpar por que já arrumei outro.

—E quem seria. —Fernando perguntou.

—Não vou falar. —Ela saiu do lugar rindo.

...

—Com quem você vai fazer a tarefa do coral? —Pedro perguntou.

—Eu estava pensando no Nando, mas... —Gabriel falou saindo da agua.

—Vai fazer comigo. —Pedro falou. —O professor deixou eu entrar, e eu tenho a música perfeita.

 —Hmmm, está se apaixonando Pedro? —Yasmim falou da agua. —Entrou no coral, está pedindo um dueto com Gabriel.

—Me fala um mundo em que dois passivos do certo? —Pedro falou rindo. —Mas é mais pela música, se for com outra pessoa não vai combinar tanto. —Encarou Gabriel.

—Tanto faz. —Gabriel falou e deu de ombros.

—...Como você está um pouco mais.... Você mesmo. —Pedro falou. —Vou te dar uma dica, Douglas é o maior falso do lugar. —Pedro falou vendo Douglas entrar na agua.

—Por quê? —Gabriel perguntou.

—Vou deixar você descobrir. —Pedro falou e se levantou e apontou para Yasmim sair da agua. —Pergunta para ele o por que dele realmente ter vindo pra cá, e por que ele desistiu dos pais dele o deixaram na escola antiga, e por que ele não foi te ver quando Thulio o encontrou na rua. Você vai conhecer o Douglas embaixo da máscara. —Pedro falou e saiu do lugar mando um beijinho para Gabriel.

Douglas deu uns mergulhos e foi em direção à Gabriel quando ele percebeu que estava sozinho.

—E aí estranho. —Douglas falou emergindo da agua perto de Gabriel, tirou a agua dos cabelos com as mãos.

—E aí, posso te fazer uma pergunta Douglas? —Gabriel o encarou. —Você promete ser sincero.

—Claro, manda aí. —Ele sentou na borda da piscina.

Gabriel pensou em ignorar aquilo, mas Pedro não costumava mentir sobre essas coisas.

—Por que você veio para cá? —Gabriel perguntou o encarando.

—Porque meus pais me obrigaram ué, eu te falei no réveillon. —Ele falou sorrindo.

—Agora me fale a verdade, —Gabriel olhou dentro de seus olhos. —Por que você veio para cá mesmo seus pais deixando você ficar na escola antiga?

—Você descobriu não é... —Ele abaixou a cabeça. —Thulio deve ter tem falado, mesmo eu pedindo para ele guardar o segredo... Ok Gabriel, vou ser cem por cento verdadeiro, eu realmente te amei, você foi a primeira pessoa que me fez esquecer o Thulio, eu fiquei muito feliz quando eu te beijei e você falou que não precisava das desculpas porque gostou..., Mas eu nunca esqueci o Thulio, ele foi o cara que eu me apaixonei quando pequeno, ai um dia ele foi para uma escola interna em São Paulo, ele falou que ele não era gay, e não podia continuar ficando comigo, eu fiquei arrasado e tentei muito ficar com outros caras, mas não conseguia, porque eu queria o Thulio, ai um dia você aparece e eu realmente fiquei fascinado com você, mas depois de um tempo eu fiquei sabendo que Thulio ia voltar pro Rio, que a escola antiga dele foi fechada e...

—Você preferiu mentir para mim que ia vir para cá para poder correr atrás dele. —Gabriel falou.

—Não, meus pais queriam que eu viesse para cá antes, mas se eu viesse para cá como poderia ver o Thulio? —Douglas sorriu. —Eles deixaram eu ficar na escola antiga, mas depois quando descobri que ele viria para cá eu só cancelei aquilo e quis vir de qualquer jeito, ai depois de uns meses que fiquei mais frio com você, vi que não podia deixar você machucado por mim...

—Aí você preferiu mesmo sem gostar de mim, me dar uma porra de uma aliança falando que me amava, e falando para eu usar enquanto eu sentisse o mesmo por você, sendo que você ia ficar correndo atrás do Thulio. Você queria um reserva se desse errado, não é?

—Isso. —Ele falou.

—Parabéns Douglas, você conseguiu... —Gabriel se levantou. —Você conseguiu me fazer de otário como ninguém tinha conseguido. —Falou e saiu dali.

[...] Aula do coral [...]

—E por último Gabriel e Pedro. —Forbes falou.

—Essa música é horrível para nós. —Gabriel falou rindo. —Se fosse eu e Thulio até seria melhor. —Falou arrumando a capa do figurino.

—Está insinuando que eu não sou ousado o suficiente para fazer isso com você? —Pedro falou.

—Estou falando que essa música não é só sobre violência, é violência na cama...

—Não se preocupe, se quiser que eu faça isso você é só pedir, ser ativo não é minha praia mais para você... —Ele arrumou a máscara e Gabriel riu.

Eles foram para o palco, estavam vestidos como vampiros, usando máscaras e capas pretas e dentes caninos falsos, Yasmim estava amarrada em uma cadeira no centro do palco.

Bruises and bitemarks. – Good with granades.

 

P: Two single hearts on fire

(Dois corações em chamas) Pedro foi até as costas de Yasmim.
P: Currently on the wire

(Ligados uns aos outros) tirou os fios de cabelos do ombro dela.
G: As inhibitions fade

(Conforme a vergonha se vai) Gabriel Virou o rosto dela.
G: A focused moment made

(Um momento de clareza aparece) Ele sorriu para ela.
P e G: Bruises and bitemarks say

(Lesões e marcas de mordida dizem)
P e G: Takes one to bring the pain

(Que são as que trazem a dor)
P e G: Passion lies in screams of estacitic dreams

(Paixão está junto a gritos em meios a sonhos de êxtase) Pedro virou o rosto dela para si.

G: You're in a place for fear

(Você está num lugar medonho)
P: Lips are for biting here

(Lábios são para morder aqui)
G: Lets make this moment worth the while

(Vamos fazer esse momento valer a pena por enquanto) Olhou para Pedro.
P: Lets kill the night and go down in style

(Vamos virar a noite com nosso estilo) Sorriu para Gabriel.
G: Feel the magic rise

(Sinta a mágica começar) Gabriel tirou ela da cadeira.
P: We're plotting our demise

(Enquanto planejamos nossa despedida) Pedro a segurou.
Of perspiration and alcohol as I introduce the bedroom brawl

(De álcool e suor, enquanto eu te levo a força para cama)

G: You bring the ropes and chains

(Você traz cordas e correntes) Gabriel falou a prendendo na cama.
P: I'll bring the pills and games

(Eu trago drogas e jogos) Sorriu para Yasmim.
G: I can show you pain

(Eu posso te mostrar o significado da dor) passou a mão no rosto dela.
P: And make you say my name

(E fazer você gritar meu nome)
G: You will believe my lies

(Você acreditará em minhas mentiras)
P: That I'm not like other guys

(Que não sou como os outros caras)
G: That sparkle in my eyes

(Esse brilho em meus olhos)
P: Is part of my disguise

(É parte do seu disfarce)

[...]

Continuaram a música até o final, e Forbes aplaudiu de pé, assim como os outros, mesmo estando meio desconfiados da música.

—Adorei a apresentação. —Forbes falou. —Como fizeram o sangue quando morderam o pescoço dela? —Ele perguntou encarando os dois.

—Era sangue de verdade. —Pedro falou sorrindo e todos o encaram.

—Era tinta vermelha misturada com um pouco de preto que colocamos em cima da cama para ninguém ver. —Yasmim falou do lado de Pedro.

—Você atua muito bem querida, não quer entrar para a aula de teatro? —Forbes perguntou.

—Não obrigado, de falsos para mim já bastam o Pedro e o Gabriel aqui. —Ela riu e bateu no ombro dos dois.

—Ok então alunos, até semana que vem. —Forbes falou deixando todos saírem.


Notas Finais


Obs.: a tradução de Bruises and bitemarks pode não ter ficado 100% correta pois todo site que ia ver estava de um jeito, então...
Wolf in sheep's clothing: https://www.youtube.com/watch?v=SJkj3DgW8Y0
Bruises and Bitemarks: https://www.youtube.com/watch?v=36714VSOchl
Para vocês que não imaginam como Gabriel vai passar um Mês longe do Thulio eu vos digo algo, também não faço ideia de como ele vai sobreviver.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...