História Um Caso em Roland Garros - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 66
Palavras 1.288
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Zdravo momci! 💖


DESCULPA!! Mil perdões pela demora! Foi uma soma de muitas coisas. Fiquei focada no final de Le Prince e no começo de Odeio Fanfics. Também ando muito ocupada e além disso estava complicado ter inspiração nessa fanfic. Mas agora as idéias voltaram com tudo! Não vou demorar mais assim!


Link da música nas notas finais.

Espero que gostem! Boa leitura!

Capítulo 2 - Surpresa!


Fanfic / Fanfiction Um Caso em Roland Garros - Capítulo 2 - Surpresa!

Sabrina e Novak se encararam assustados e um silencio tomou conta do local.

- Oi... – disse Novak, baixinho.

- Olá. – disse Sabrina.

- Vocês se conhecem? Espera... Eu lembro de você nas Olimpíadas. – perguntou Becker.

- Não foi nada demais... Foi há muito tempo. – disse Sabrina.

- Então é ela que vai te entrevistar, Boris? – disse Novak.

- Sim.

- Bem... Boa entrevista. – disse Novak.

Sabrina entrevistou Becker por meia hora.

E então Sabrina se despediu de Becker e saiu apressada pelos corredores, sozinha, até que Novak se colocou em frente a ela, assustando-a.

- Que susto! – disse Sabrina.

- Você vai agir assim? Por favor, vamos conversar. – disse Novak.

- Será que temos o que conversar?

- Sim. Vamos ficar em bons termos.

Sabrina decidiu aceitar, afinal ela sentia muito afeto por Novak e se sentia grata. Eles foram para um café próximo.

- Como anda sua vida? – perguntou Novak.

- Eu estou ótima na verdade. Não é fácil recomeçar tão longe, mas eu estou feliz. Acabei encontrando meu lugar lá em Berlim, tenho uma amiga próxima lá, meu namorado... – disse Sabrina, sem graça ao dizer a palavra namorado.

O olhar de Novak murchou quando Sabrina disse que estava namorando.

- Está gostando do seu trabalho? – disse Novak, tentando disfarçar.

- SIM! Estou tão feliz, amo tanto meu trabalho! Muito obrigada Novak, sem você eu não teria conseguido!

- Não foi nada. Você merece.

- E você? Como estão as coisas? Eu quero saber de tudo, viu!

Sabrina pegou a xicara para tomar um gole de café enquanto ouvia Novak falar.

- Eu estou bem. Sem lesões, totalmente em forma e bem disposto. Feliz. E me separei da Jelena.

Sabrina engasgou com o café ao ouvir essas últimas palavras de Novak.

- Perdão... É que... Nossa. Essa eu não esperava. Quando isso aconteceu?

- Mês passado. Mas nos separamos em bons termos. Ela mesma percebeu que já não estava dando certo. Mantemos uma boa relação por causa do nosso filho.

- Que bom então. Eu espero que você seja feliz e... É isso. Eu não quero que fiquei um clima ruim entre nós. Sei que nossa história foi complicada, mas você teve caráter e fez muito por mim.

- Fico feliz de te ver feliz. Espero que possamos ser amigo, pelo menos.

- Sim, claro!

Novak e Sabrina conversaram por mais um tempo e se despediram com um abraço.

Sabrina andou pelas ruas de Paris pensando na conversa que tiveram com Novak. Ela se sentia irritada pela artimanha do destino. Ele foi se separar de Jelena justamente agora que ela havia seguida em frente e encontrado alguém.

- Por que, meu Deus? – se perguntou Sabrina.

Chegou então o dia da estreia de Novak em Roland Garros. O clima da competição já havia tomado conta da cidade. Sabrina chegou cedo ao local para fazer toda a cobertura. Num dado momento, Sabrina conversou com Vivian no whatsapp:

- Está nervosa vendo o Djoko?

- Estou tentando me acostumar. Mas deixa. Nunca iria dar certo entre nós. Até pela minha profissão.

Sabrina gravou chamadas, entrevistou fãs e passou todas as informações da partida. E então ela foi para o local da imprensa acompanhar. Djokovic contra o brasileiro Thomaz Belucci. Vitória fácil por 3 sets a 0 para o sérvio.

Sabrina fez a cobertura do final e então se preparou para ir embora. Até que ela viu uma fotografa que estava cobrindo o jogo e parecia precisar de ajudar para guardar os equipamentos, as lentes.

- Merda... – disse a fotográfa, em português.

Sabrina se surpreendeu ao ouvi-la falar em português e decidiu ir falar com ela.

- Brasileira? – perguntou Sabrina.

- Sim. – respondeu a fotografa.

- Posso ajuda-la?

- Por favor!

Sabrina ajudou a fotógrafa a guardar tudo.

- Muito obrigada! Prazer, meu nome é Elisa. – disse a fotógrafa.

- E o meu é Sabrina. – disse Sabrina.

Sabrina e Elisa começaram a conversar. Num dado momento elas começaram a falar sobre tênis.

- Eu sou apaixonada por tênis. Sempre sonhei em trabalhar cobrindo isso.

- Eu não entendia nada de tênis até começar a trabalhar como fotógrafa esportiva na Argentina. E foi então que me apaixonei, pelo esporte e por um certo tenista...

Sabrina e Elisa estavam andando pelo corredor até que Juan Martin Del Potro apareceu. Na hora ele e Elisa se abraçaram e se beijaram.

- E olha ele aqui. – disse Elisa, sorridente e abraçada em Delpo.

Sabrina sorriu ao vê-los.

- Vocês são tão fofos juntos! – disse Sabrina.

Sabrina passou um tempo conversando com o casal e então voltou para o hotel.

Enquanto isso, Vitória estava de volta a Londres depois da tour pela América Latina. Jonathan não aguentava mais de saudades da namorada e preparou surpresas para a chegada dela. Ela abriu a porta de casa e encontrou vários balões de coração espalhados pela casa, mas nenhum sinal do seu namorado. Mas havia uma trilha sonora no ar.

O que há dentro do meu coração

Eu tenho guardado pra te dar

E todas as horas que o tempo

Tem pra me conceder

São tuas até morrer

Ela foi seguindo e caminho dos balões e viu fotos coladas pela paredes, de vários momentos dos dois juntos, e vários recadinhos com declarações que ambos trocaram um para o outro. Ela entrou no quarto e finalmente encontrou Calleri.

- Meu amor, que surpresa maravilhosa! – disse Vit abraçando Calleri.

E a tua história, eu não sei

Mas me diga só o que for bom

Um amor tão puro que ainda nem sabe

A força que tem

É teu e de mais ninguém

Ele beijou o rosto dela e disse.

- Você merece, meu amor. Estava com tantas saudades!

- Você é o melhor namorado do mundo!

- Você que é a melhor!

- Não, eu não sou nada demais...

- Nunca diga isso, viu? Eu já disse pra você não falar essas coisas. Você é uma garota incrível. Você é linda de todas as maneiras que uma pessoa pode ser. E eu quero ver você feliz e confiante em si mesma. Você tem um brilho que poucas pessoas tem, e eu senti isso desde a primeira vez que eu te vi. Você é uma escritora maravilhosa e agora o mundo finalmente está conhecendo o seu dom. Eu tenho orgulho de poder dizer que você é minha e eu sou seu!

Vitória ficou emocionada com as palavras de namorado. Ele passou a mão pelo rosto dela, enxugando suas lágrimas. Vitória então sorriu.

- Agora sim! É assim que eu quero te ver, sorrindo! Não tem nada melhor que te ver feliz.

Eles deram um delicado beijo, tocando os lábios lentamente, até o beijo ir ficando mais e mais intenso. Ele a deitou na cama e a despia delicadamente. Beijando cada parte do corpo dela que ia se revelando.

Te adoro em tudo, tudo, tudo

Quero mais que tudo, tudo, tudo

Te amar sem limites

Viver uma grande estória

Ela fechava os olhos e se deliciava com os toques dele. Seu amor. Seu homem. As vestes dele iam sido removidas e revelavam seu corpo. Os toques se intensificavam, até estarem unidos. O cheiro, o toque, a intimidade compartilhada. Não existia nada melhor para ela do que senti-lo dentro dela, e para ele essa era a melhor sensação do mundo. Palavras não eram necessárias. Os olhares e toques falavam por si só.

Vitória acordou no dia seguinte nos braços de seu amado. Eles se olharam sorridentes e não sentiam a menor presa de levantar. Ambos estavam em dia de folga, então poderiam passar o dia inteiro juntos. Até que no meio da conversa, Jonathan surpreendeu Vitória.

- Eu sei que não é a forma mais elaborada de dizer isso, mas... Vitória, quer casar comigo?


Notas Finais


Música: https://www.youtube.com/watch?v=SEkKvghbsX8


Ah, tinha esquecido de falar. Imagino o Michael como o ator alemão Friedrich Mucke: http://static.cinemagia.ro/img/db/actor/15/33/79/friedrich-mucke-629986l.jpg


O que acharam do capítulo?

E aí Vitolleri shippers, curtiram? E será que Novak e Sabrina se separaram de vez mesmo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...