História Um choque ou destino?! (lutteo) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Gastina, Lutteo, Simbar, Sou Luna
Exibições 116
Palavras 709
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem não postar mas tive uma semana cheia de trabalhos e testes..., mas arranjei agora um tempinho para postar! Espero que gostem!
Preparem os lencinhos

Capítulo 4 - Capitulo 3


Mas no entanto não sabiam porquê e essa era a dúvida que ocupava os pensamentos deles…

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .      

            Ambos ainda dançavam de uma maneira quente… a melhor sensação que alguma vez sentiram no mundo e pela primeira vez na vida a Luna não teve medo de estar nos braços de algum homem…, mas a vida dela não iria mudar ela tinha aversão a toques, mas com Balsano isso não era um problema… logo ela lembrou-se de todas as vez que o pai lhe espancou e rapidamente se afastou de Matteo e com lágrimas nos olhos foi a correr até o jardim que tinha na escola e sentou-se no lugar em que ela se sentia “bem”era como se fosse o cantinho sagrado dela, mas para ser sincero a única vez que ela sentiu-se feliz foi quando a mãe dela ainda estava presente… começou a chorar mais e mais.

            Enquanto isso, o Matteo ficou sem reação julgando-se mentalmente pensando se tinha feito algo que a tenha deixada assim, mas quando acordou foi a correr até a rua procurou-a e procurou-a até que a encontrou sentada ao pé de uma árvore um pouco mais afastada da escola de cabeça baixa, ele encontrava-se a pouco menos de 5 metros e continuava encarando a morena que soluçava baixo por ter sido tomada pelas lágrimas. Ele acabou com o espaço que estava entre eles e abaixou-se até a altura dela e fez-lhe um carinho na cara e quando ela levantou a cara ele simplesmente sentiu o seu coração partir-se aos pedacinhos. Aqueles belos olhos verdes estavam preenchidos por lágrimas e vermelhos pelo choro. Antes que ele pudesse dizer algo ela adiantou-se:

            Luna: Larga-me! Vai-te embora! – ela disse sem olhar nos olhos dele -Não ouviste?! Vai-te embora! -ele continuou ali parado causando que uma grande fúria se acumulasse naquele morena -SIMPLESMENTE SAI DAQUI!!! -ela disse, mas mesmo assim ele não se movia aí ela explodiu. – SOME DA MINHA VISTA SEU BABACA!!! -ela disse e saiu de lá correndo deixando um Matteo confuso e triste ao mesmo tempo.

            Matteo: Mas o que é que eu fiz? -ele repetiu para ele várias vezes e depois foi para o lugar onde estavam ensaiando e não encontrou a morena. Ficou triste e foi para a sala á espera de a encontrar lá, mas em vez disso não encontrou nada nem um único sinal dela. Caminhou até ao seu lugar e sentou-se sentindo-se mal consigo mesmo, mas o que ele não entendia era porque ele estava preocupado com aquela nerdezinha, mas segundo ele: “Aquele pobrezinha deve estar triste por não estar comigo”…

 

            Num outro lugar uma morena caminha ainda com os seus belos olhos verdes cobertos por um manto vermelho. Ela caminhava sem rumo, mas só sabia que naquele momento tinha que estar sozinha, por isso ela decidiu ir para casa, na esperança de que o seu pai não estivesse lá. Caminhou por uns longos minutos e chegando lá as suas preces não foram ouvidas e encontrou o seu pai bêbado com uma garrafa de uísque na mão.

            Miguel: Minha QUERIDA filha! -disse ele jogando a garrafa no chão -Anda cá eu não mordo… MUITO! -ele disse indo até ela e pegando-a no colo -Agora vais ter o que mereces sua vadia!!! – ele disse, jogando-a de seguida com toda a força no chão e logo ele começou a lhe dar pontapés enquanto os seus capangas riam de todo. Luna sentia-se mal não só por todo o seu corpo estar doendo, mas também por ela ser tratada assim, Valente sentia que não merecia estar aqui e sim morta ou melhor ainda que não tivesse nascido. Ela tentava empurrar o pai, mas de nada servia porque ele era muito mais forte que a mesma.

            No final o pai deu-lhe chutes, socos e tapas que deixaram marcas de sangue escorrendo pela sua face, e por todo o seu corpo, outra vez…

            Miguel: És tão boa para bater que espero para foder também, olha até rimou! -ele saiu de lá a rir e deixou Luna jogada no chão sem conseguir ao menos se levantar e lágrimas misturavam-se com o seu sangue.


Notas Finais


A Luna fugiu do Matteo...
Matteo triste, mas não se apercebe...
Miguel bateu na Luna
O que passará a seguir?!
Favoritem e comentem muito vou tentar postar mais um hoje, mas não prometo nada


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...