História Um choque ou destino?! (lutteo) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Gastina, Lutteo, Simbar, Sou Luna
Exibições 124
Palavras 727
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


CONSEGUI!!! Escrevi mais um capitulo!!! Espero que gostem! Tenho de avisar que goste muito deste capitulo!

Capítulo 5 - Capitulo 4


            Miguel: És tão boa para bater que espero para foder também, olha até rimou! -ele saiu de lá a rir e deixou Luna jogada no chão sem conseguir ao menos se levantar e lágrimas misturavam-se com o sangue.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

            Luna ficou no chão sem forças a pensar na possibilidade de o pai fazer algo com ela , ele já tinha tentando, mas felizmente ele adormeceu, mas agora ela tinha medo e isso só aumentava de dia para dia.

            Com muito esforço a Valente levantou-se e com dificuldade foi até á casa da vizinha Tamara… Tocou á campainha umas 5 vezes e á última a porta abriu-se e ela desabou a chorar nos braços da “mãe” que se encontrava á sua frente. Ela chorou e chorou e a Tamara apenas ficou ali dando um ombro amigo sem fazer perguntas apenas a abraçando levemente para não a machucar e quando Luna acalmou o seu desespero e choro a Tamara levantou-a levando-a para o sofá dela.

            Tamara: Querida o que se passou? -ela disse preocupada olhando naqueles olhos que perderam todo o seu brilho e foram substituídos por um manto de tristeza.

            Luna: Ajuda-me… -ela disse olhando para o chão e repetindo aquela frase umas centenas vezes e a Tamara simplesmente foi buscar uns curativos e remédios para tratar da sua pequena “filha”.

 

            No parque Nina e Matteo estavam sentados num banco, mas o moreno apenas conseguia pensar numa certa morena de olhos verdes.

            Nina: Olha Matteo tenho uma pergunta muito importante! -ela disse -Amanhã ajudas-me a assaltar um banco?

            Matteo: Sim! -ele disse e aí Nina teve certeza que ele estava noutro planeta qualquer.

            Nina: Terra chama Matteo! -ela disse passando a mão á frente da cara dele e finalmente ele acordou.

            Matteo: Ahm. Que foi? -ele disse ainda meio perdido.

            Nina: Eu estava falando e tu simplesmente não me ouviste, que se passa? -ela disse preocupada.

            Matteo: Nada…

            Nina: Matteo eu conheço-te tu és o meu irmão, conta-me a verdade! Tem a ver com a Ambar?

            Matteo: Não, mas é que… eu hoje estava a fazer o trabalho com a Luna e ela simplesmente saiu a correr de lá com lágrimas nos olhos e eu não sei o que fiz de mal e agora estou muito preocupado…

            Nina: E tu ficaste assim por ela? -a Nina disse a sorrir e ele assentiu. -E isso não quererá dizer que sentes algo a mais por ela? -ela disse e o Matteo sorriu, mas depois deu-lhe um pequeno tapa no braço.

            Matteo: Não sejas burra eu não gosto dela… caso não te lembres eu namoro com a Ambar! E gosto dela e não da Luna! -ele disse e aquele última frase causou-lhe um aperto no coração.

            Nina: Ok agora vamos para casa que está ficando tarde! Ah e eu e a Luna somos amigas! Por isso, eu posso te ajudar!-ela disse feliz e maliciosa e começou a correr pelo parque e o Matteo logo atrás dela e mais uma vez o Balsano ficou pensando nela e a Nina percebeu que algo se estava a passar com aquele coração.

            Na casa de Tamara, Luna já tinha todos os curativos feitos e já tinha tomado um banho, mas não conseguiu olhar para o seu corpo… o Miguel já podia ter lhe batido imenso, mas nunca tinha sido desta maneira, a vida dela era isto. Ela estava farta disto e queria desaparecer do mundo, ela não tinha amigos porque tinha medo que o pai lhes fizesse algo, mas hoje aceitou ser amiga de Nina e não queria que nada lhe acontecesse …

            E ao mesmo tempo que ela chorava os seus pensamentos paravam na imagem de um certo italiano e um sorriso involuntário aparecia nos seus lábios, mas logo o substituía por mais lágrimas.

            Á noite ela foi para casa e felizmente o pai não estava em casa e ela foi a correr para o seu quarto e em seguida trancou a porta e deitou-se na cama mesmo com a roupa, mas era a única maneira de não chorar mais e tentar ter uma noite de descanso se bem que isso não era possível, não depois do que o seu pai lhe tinha feito.


Notas Finais


Que acharam?
Se chegar a 50 favoritos faço maratona!!! E se tiver 30 comentários eu publico 2 amanha ou no sabado!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...