História O meu trágico começo - A Saga de uma Deusa. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers, Fairy Tail, Tokyo Ghoul, Undertale, Vocaloid
Personagens Ayato Sakamaki, Beatrix, Christa, Cordelia, Kaito, Kanato Sakamaki, Laito Sakamaki, Len Kagamine, Luka Megurine, Meiko, Miku Hatsune, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Rin Kagamine, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz"
Tags Diabolik Lovers, Fairy Tail, Nakagami Irunihh, Originais, Undertale, Vocaloid
Exibições 24
Palavras 1.371
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Irmãos Kagamine


P.o.V Irunihh ON 

Acordei com muita fome, afinal eu sai direto da sala sem comer. Fiz minha higiene matinal e coloquei uma blusa com manga média, uma luva que bate no cotovelo e sem cobrir os dedos, uma calça de malha e um coturno, todos pretos.  

Desci as escadas calmamente com meus materiais, esperando uma bronca ou algo parecido, mas tudo que vi foram dois bilhetes em cima da mesa. Me aproximei e comecei a lê-los. 

______________________________________~______________________________________________ 
Querida filha do meu kokoro,
Hoje você pode fazer o café da sua irmã? Eu e sua mãe tivemos que sair cedo para trabalhar, e saímos sem avisar, me desculpe mas você vai ter que levar a sua irmã para a escola, fazer o almoço e treinar, e se quiser pode pedir uma pizza também.
Com muito amor,
Papai.

_______________________________________~_________________________________________ 

 

Agora já não basta aguentar essa quenga da minha irmã eu também tenho que cozinhar para ela!? Tá bom né.... 

______________________________________________~______________________________________ 
Oi lixo. Escrevi isso para lhe avisar que você tem uma missão. Me traga na sexta-feira(Hoje é terça) a cabeça do Senhor Irai, da padaria da esquina. Morte lenta, com muitos gritos e com tudo limpo depois.
Está avisada

____________________________________~___________________________________________ 

Que ódio! De novo não! Eles ainda escrevem como se eu não tivesse brigado com eles! Eu odeio isso! 

Sai dos meus devaneios e fui atrás de fazer o café e os bentos para nós duas. Tudo terminado, fui atormentar a praga. Espero que esteja dormindo. 

Cheguei lá e ela estava dormindo toda perfeita no quarto enorme que tem. E pensar que eu durmo em um cubículo. Me descabelei e fechei a porta bem devagarzinho, para um segundo depois abrir ela e fazer a cara mais desesperada que eu já fiz em TODA a minha vida e acordá-la dizendo: 

- Acorda! Eu fui assaltada e mataram a mamãe! Me ajuda! - Eu cai e comecei a chorar falsamente, deixando-a perplexa e tentando me acalmar. 

 De repente eu levanto de cabeça baixa, parando de chorar e falando em um tom de voz sinistro: 

- Idiota. – Ela me olha assustada - Você acha mesmo que eu iria ser assaltada e chorar em vez de matar o cara, e ainda por cima chorar por aquele monstro que você chama de mãe! - Ela me olha com bastante raiva e eu nem ligo – Vamos, os dois saíram. Tudo já está preparado, então eu vou na frente. Boa sorte, anjinho. 

Dito isso, pego tudo que preciso e saio rindo da cara dela. Se vocês acham que eu sou má, é porque não sabem nem a metade do que ela faz comigo. 

Cheguei na escola rapidamente, sem muita enrolação fui falar com a miku, que conversava animadamente com gêmeos loiros, um menino e uma menina. 

Vim por trás sem chamar atenção, e logo abracei-a e levantei-a sem muito esforço, assustando os gêmeos. 

- Poxa! Seja mais educada e cumprimente os Kagamine! - Disse ela com as bochechas infladas, ato muito fofo. 

- Oi. Meu nome é Irunihh, prazer em conhece-los. – Disse meio sem interesse, mas logo olhei atravessado para eles, que se assustaram – Me desculpem a grosseria, mas o quê vocês querem conosco? 

Deu para sentir o medo deles de longe, mas logo foi trocado por um clima triste e melancólico por parte deles. 

- Meu nome é Len, e essa é a minha irmã, a Rin. – aponta para a irmã, que se encolhe com o meu olhar - Nós somos orfãos e estudamos aqui graças a fortuna de nossos pais, mas por não termos pais, uma garota da sua idade e outras duas meninas pelo menos um ano mais velhas ficaram dizendo coisas sobre eu e Rin.  

Ele e a irmã, junto com a minha flor percebem que eu quebrei o meu caderno de português, e me olham bem assustados, se preocupando com o meu olhar triste, que mostrava que eu sentia a mesma coisa.

- Não se preocupem, eu sei como é isso, - Eles se incomodaram um pouco - então vocês podem ficar junto com a gente, mas sem se rebaixar para aquela piranha da Eru e as lésbicas da Meiko e Luka. - Eles começaram a rir e o ambiente melhorou - É sério! Tem vezes que elas se pegam no banheiro e as meninas não entram antes delas saírem!

Começamos a rir alto e conversar, e depois de algum tempo deu o toque das aulas. Fomos todos para a mesma sala, para a aula de canto.

Me sentei no fundo da sala junto com os irmãos e a flor, esperando a Kyoko chegar. Quando a professora deu as caras, ela me olhou o se surpreendeu, tanto pelo cabelo, quanto pelos Kagamine estarem junto comigo. 

- Ara, ara! Iru-chan, você cortou o cabelo! Que bonito! - Todos olharam para mim e começaram a cochichar e rir um pouco, me deixando um pouco "desconfortável - Vamos, parem com isso! - Todos se calam - Já que você está renovada, que tal cantar um pouco aqui?

- Ok. - Todos se viraram - Mas vai ser uma que eu mixei e escrevi, tudo bem? - A Kyoko se assusta um pouco, mas cede e diz que pode ser qualquer uma.

Eu puxo meu MP3 e ligo com o som, subo no palco, com um microfone na mão, e começo a cantar:

Welcome to the Mind Fuck

Mateyo soko yuku jou san sakago yadorase
A doke no tara nai sonna karada ni
Tadashiku mawaran guzu no atama de
Tenshinranman!?
Hozaku na baka me

Machi na soko yuku niisan nan no kataware?
Chiisana ano kono o hana wo sakase
Yubi kiri genman hoshi no kanata he
You kan san jou!?
Kutabare zako me

Itsui tsu deyaru no? Kagome yo kagome
Iyami wo karage te warau anata he
Pitari to kasane te hakidasu nasake
Dare mo ga yagate wa jigoku no okusoko he
(Tsure te ikareru)

Aa
Fureatte
Umeatte
Kachitotta shiawase wo
Torare ta seigi no hiiroo ga nai
Te iru

Idakiatte
Hatakiatte
Wakachiatta ano koro wo
Wasure te shimae tara
Dorehodo raku darou ka

Welcome to the Mind Fuck

Surikire ta hada kasabuta ikare ta yamaba
Itoshi sa majie te itamu kata hara
Mata mata wagamama baka ka na masaka?
Madamada naganaga manaba nakya da na!

Sorosoro minna ni? oitsuka nai to!
Uwa goto majiri ni? samayou ukai ro!
Shikai wo nijimase? hakadoru maigo!
Dare mo ga moto kara mirai no zairyou he

(Aterare te iru)

Aa
Kikazatte
Ita Gatte
Mogitotta shiawase wo
Torare ta higeki no hiroin ga nai te iru

Wakeatte
Kakeatte
Kasaneatta omoide wo
Wasurete shimae tara dorehodo raku darou ka

Tsuyogatta tte uso wa bareru zo
Kowagatta tte chi wa nagareru zo
Kakumatta kizuguchi hiraku zo
Iyagattatte, kizu wa itamu zo

Jareatte
Nagameatte
Katariatta ano toki wo
Omoi mawashi te wa hikan ni kure te miru

Kakeyotte
Yorisotte
Waraiatta ano toki wo
Isso kirei ni
Wasure te shimai tain da!

Welcome to the Mind Fuck(x6)

Todos, a contra gosto - o que não pareceu - batem palmas e a Kyoko me olha feliz, apesar de meio nervosa pela letra errada da música. Logo após deu o toque do recreio,e todo o meu "grupinho" e eu fomos almoçar  felizes, até a Eru chegar com a sua voz de taquara rachada - Que também é bonita por sinal - me ameaçar.

- Ha! Que idiotice a sua música! Eu quero ver o que vai acontecer se...

- Não. Você não vai fazer isso. Não se eu não te abalar primeiro. - Ela faz uma cara tipo:O quê você vai fazer? - Ei, Vocês! - Chamei as amigas da quenga - Vocês sabiam que a Eru sabe do caso de vocês e fica falando para todo o mundo? Pois é, que amiga!

Pronto. Só falar isso que elas começam a discutir e todos saem, me perguntando em seguida:

- Por que você fez isso!? - Exclamaram todos ao mesmo tempo.

- Calma! - Eu gesticulei - Eu fiz isso para o bem delas! - Eles ficaram confusas - A Eru manipula as pessoas ao seu favor! Daqui a pouco ela ia chantagear elas!

Depois de falar tudo fomos para a aula. E depois fui para casa, arrumá-la e fazer minhas tarefas e dormir.

Amanhã é um novo dia...


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...