História Um começo em Outubro, mas de Janeiro a Janeiro - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Madara Uchiha, Mitsuki, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Pain, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Tsunade Senju, Zetsu
Tags Colegial, Escola, Lemon, Mitsuboru, Romance, Sasodei, Sasunaru, Suspense, Yaoi
Exibições 81
Palavras 859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi
Avisos: Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu perguntei pra 5 meninos diferentes algumas coisas antes de escrever isso.
AINDA ESTOU TRAUMATIZADA, mas adorei. NKJGNFDGKDJFS

Espero que curtam! <3

Capítulo 5 - Um encontro na hora errada



Faltava apenas uma semana para o aniversário de Sasori depois do dia em que ele dormiu em casa, então tudo o que era preciso eram muitas horas pensando em dar um presente, não tão caro, mas que fosse de valor. Não tão chamativo, mas que demonstrasse o quão especial ele era.
Fomos para a universidade em horários diferentes, para que Sasuke não desconfiasse de nada. Aquilo claramente me acertou em cheio, como uma faca no coração, que ao invés de ser arrancada, girou ali até meu corpo pegar fogo, mas eu aceitei, como um trouxa à espera do amor. E um dia depois, recebi uma ligação do Pain, adivinhe, só? Ele estava se mudando para Konoha, e no ano que vem, se matricularia na mesma universidade que eu. 
O pior de tudo? Meu corpo estava na palma da mão dele. E isso foi provado na noite em que eu decidi ir procurar por presentes, porque sem nem perceber, ele estava me assediando num beco escuro dali, sem nenhuma vergonha na cara. Eu queria fugir, mas ao mesmo tempo não. Pain não era alguém que desistia fácil, e eu não sabia resistir à experiência que ele tinha. Sabia que eu era uma satisfação de seus desejos, mas não iria reclamar, nunca o almejei só pra mim, então era uma relação give and take.
— Pain... não é o melhor...
— Shh, Dei. Só aproveita. Não acha que é mais excitante estar nesse tipo de situação? 
Suas mãos deslizaram por dentro da minha camisa, e as unhas um pouco grandes arranhavam minha pele, causando-me arrepios. A ponta de seus dedos passeavam pelo meu peito, apertando suas pontas sem hesitação alguma. Maldito desejo por mais, maldito local que só melhorava a situação. Pain não gostava de enrolar, mas tirar a roupa inteira ali também não rolava; ele me prendeu contra a parede e se ajoelhou. Não... ele não...
— É uma pena não poder ver a sua reação, Dei... então não economize nos gemidos, okay?
Ouvi o ziper da minha calça se abrindo. Meus punhos cerraram-se contra o muro, e meu lábio estava quase pulando pra fora da face de tanto que eu o mordia. Uma das mãos dele acariciou o volume que a cueca formava, que crescia vagarosamente; logo após, seus lábios beijavam-no com urgência. Ele puxou a box para fora, deixando-me totalmente exposto. 
A destra envolveu a extensão do membro, mas sua boca, em especifico, sua língua, tomou conta da glande; eu não pude não gemer, rangendo os dentes para fazê-lo o mais baixo possível.  Pain não fazia quase nada além de passear com sua língua por todos os lugares possíveis por meu falo, e eu também odiava enrolações, então sem querer segurei em seus cabelos, podendo ver fios de seu rosto naquela escuridão. 
— Por favor... — supliquei entre um suspiro.
Ele pareceu entender o recado, e enquanto suas mãos massageavam minhas bolas, sua boca parecia dar conta do membro por si só. De fato, não negaria o ótimo trabalho que ele fazia; joguei minha cabeça para trás, em uma arfada, e Pain investiu nas chupadas, movimentando sua cabeça para frente e trás, ora devagar, ora apressado, exatamente como da última vez, só que agora eu estava em pé. Ele alternava entre lábios e mãos, me confundindo por inteiro, me levando às alturas; masturbando-me com as duas mãos enquanto chupava-me as bolas, com voracidade, cuidado e determinação. 
— Abra um pouco as pernas, Dei. 
Respirei fundo. Pain deslizou o dedo indicador pela glande, ao ver que meu mebro já indiciava o líquido pré-gozo, e esperando por mais, abri as pernas, devagar; não houve demora, seu indicador me invadiu após uma leve umedecida, e wow, como aquilo era ótimo. Contraí meus músculos, apertando-o contra mim e deixei escapar uma arfada alta de meus lábios, tão inconsciente quanto meus outros movimentos, senti-me rebolar ali, numa tentativa de aumentar o prazer. 
— Você é uma graça, Deidara. 
Ele também estava movendo seu dedo dentro de mim, e sua boca não havia se esquecido de me chupar. Eu não podia me segurar mais, e com certeza Pain havia notado aquilo, porque seus movimentos ficaram mais ágeis, mais cuidadosos. 
Um alívio veio para fora, um ápice viciante, junto do gozo liberado. Não sei se ele havia engolido aquilo, mas eu com certeza ouvi um "gulp". 
Ouvimos vozes ao longe, então foi rápido o modo como nos ajeitamos e voamos para longe daquele beco. O que eu não esperava de modo algum era que, essas vozes fossem de Sasuke e Sasori. 
Andando juntos.  
Rindo alto.
No meio da noite.
Numa rua quase vazia.
Como... se fossem namorados. 
E pela reação deles, também não me esperavam ali, com um desconhecido ao olhar dos dois. 
— Deidara...? — Sasori franziu o olhar, tentando enxergar no escuro da noite. 
Senti Pain envolver meu pescoço com um braço; acenei para eles. 
— Esse aqui é o Pain... ele é o cara que eu te falei quando voltei de viagem. 
— O que vocês dois faziam aqui? — Pain perguntou, sem se importar com as apresentações. 
— Voltando da visita da vó do Sasori, e vocês?
— Ah, bem... 
— Deidara estava recebendo um boquete. — Pain se intrometeu, sem vergonha alguma na cara, como sempre. 
 


Notas Finais


Queria dizer que eu amo o Pain, só isso.

Até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...