História Um coração em conflito (Malec) - Capítulo 67


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, As Crônicas de Bane, As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Camille Belcourt, Celeste Newsome, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jem" Carstairs, Magnus Bane, Sebastian Morgstren, Simon Lewis, Tessa Gray, Valentim Morgenstern, Will Herondale
Tags Clace, Jessa, Malec, Sizzy, Wessa
Exibições 390
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Não, esse ainda não é o ultimo capitulo pq eu to tentando enrolar essa história o máximo possivel.........

Capítulo 67 - Você vai ficar bem, né?


Pouco depois que Magnus foi embora, Isabelle tirou seu vestido cuidadosamente trabalhado e vestiu uma roupa qualquer antes de sair pela porta.

- Hmm... você está bem? – Simon perguntou com a testa franzida, estranhando pois a morena já deveria estar pronta a essa hora.

- É claro! Só vou ver como as meninas estão. – Respondeu com um sorriso. - Mas e você? Não deveria estar em outro lugar?

- Deveria, mas estava preocupado com você.

- Eu estou bem Simon. Juro. Você não precisa se preocupar comigo e sim com Magnus e Alec. É por isso que eu quero que você vá cuidar do meu irmão junto com Jace.

- Mas...

- Sem “mas”... – Ela disse e deu um rápido selinho nele. – Agora vai.

Simon estava desconfiado daquela calma toda, mas sabia que não adiantava discutir, então se afastou.

Izzy esperou um pouco e seguiu pela Ala das meninas.

Como suspeitava, viu Celeste passeando pelo corredor vazio próximo ao quarto de Camille.

 A morena se aproximou da garota distraída e a empurrou contra a parede, segurando-a pelo pescoço.

- É muita cara de pau sua aparecer por aqui, vadia! – Izzy praguejou.

Celeste nem tentou afasta-la, apenas riu.

- Também senti sua falta queridinha. E pelo que estou vendo, você continua patética como sempre. – Debochou.

Isabelle rosnou e apertou ainda mais o pescoço dela, mas logo se viu sendo empurrada com uma força sobrenatural por Camille, que tinha aparecido silenciosamente.

- Você quer mesmo entrar numa briga agora garota? Porque eu não tenho problema nenhum em te deixar com um olho roxo ou até mesmo um nariz quebrado.

Isabelle tentou disfarçar o susto que levou ao sentir a força de Camille e avançou para dar um soco nela, mas como sabia que a garota esperaria por isso e desviaria, Izzy mudou o rumo de seu punho no ultimo segundo e acabou acertando Celeste no rosto.

O sorriso dela logo foi substituído por um olhar furioso e ambas deram um passo na direção de Isabelle, porém Clary e Tessa surgiram de repente e se meteram no meio.

- Será que vocês fazem ideia de quantos fotógrafos estão circulando nesse Palácio agora? – A ruiva murmurou descontente.

- Dá pra ouvir os gritos de vocês de longe. Então parem de ficar fazendo ceninha ou estaremos todas encrencadas. – Tessa concluiu.

- A culpa é toda dessa nervosinha aí. – Celeste debochou de novo ao apontar pra Izzy. – Eu só estava caminhando por aqui.

- Não! A culpa é sua mesmo por ser tão vadia e traidora. – Clary defendeu a amiga. – Agora vocês duas, saiam da nossa frente.

Camille estava doida pra dar uma surra nas 3, mas como não queria estragar seu penteado, apenas deu risada e puxou Celeste pelo braço.

Tessa revirou os olhos e chamou as amigas pra terminarem de se arrumar juntas no quarto de Izzy.

- Você é mesmo incontrolável Lightwood. – Disse com uma risadinha enquanto caminhavam.

A morena estava irritada, mas também acabou rindo apesar de tudo, pois pelo menos tinha conseguido dar um soco em Celeste.

- Eu amo vocês duas. – Falou enquanto entrelaçava seus braços juntos.

 

 

 

****

 

 

 

Era óbvio que Alec estava ciente de que Magnus teria que se casar com Camille, mas seu cérebro processou que era somente uma união pelo título de nobreza.

Nunca tinha parado pra pensar que eles de fato teriam que se envolver sexualmente e gerar um filho.

 Quando se deu por conta, o moreno já estava correndo.

- Por que Deus?

Foi só o que conseguiu dizer antes de sair no jardim rumo à floresta.

Ouviu alguém o chamando, Jem talvez, mas só parou quando chegou no meio das árvores, bem afastado do Palácio.

Alec se sentou num tronco cortado e cobriu o rosto com as mãos.

As lágrimas vieram logo em seguida, junto com uma rachadura em seu coração.

Poucos minutos depois, sentiu sua presença antes mesmo dele falar.

- Como me encontrou aqui? – Alec perguntou, levantando o olhar pra ele.

O próprio coração de Magnus se afundou no peito ao ver o sofrimento naqueles lindos olhos azuis, e sem pensar, estendeu a mão pro moreno, fazendo-o se levantar.

- Eu sempre vou te encontrar Alexander. Não importa onde esteja. – Disse como uma promessa e o puxou para seus braços.

Alec enterrou o rosto no pescoço dele e voltou a chorar em silencio.

- Eu poderia te abraçar pra sempre. E tenho certeza que ainda não seria o suficiente. – Magnus continuou. Acariciando os cabelos do moreno.

Nesse momento, uma intensa eletricidade passou pelo corpo de Alec.

Algo tão poderoso que varria todos os outros pensamentos.

As perguntas, dúvidas e tristezas.

Ele iria ficar bem enquanto não refletisse a respeito de tudo aquilo, dedicando-se apenas ao que fazia de melhor.

Dedicando-se apenas em amar Magnus, que estava ali e agora, em seus braços.

E daí que eles estavam no meio de uma floresta a poucos quilômetros de um Palácio lotado?

E daí que Magnus deveria estar se preparando para uma entrevista importante agora mesmo?

Era muito melhor seguir adiante e entregar-se enquanto podiam, não é?

Ao menos tentar, de alguma forma.

E esse momento parecia bom demais para não arriscar.

Sem perder mais tempo, Alec então agarrou os cabelos de Magnus e os puxou para que pudesse colar sua boca na dele.

O rapaz ofegou surpreso, mas não reclamou da súbita mudança do moreno, apenas começou a descer os beijos pelo corpo dele, devagar e gentilmente, enquanto sentia-o tremer a cada toque.

Magnus nem conseguia raciocinar direito quando estava com Alec, mas se lembrou que  tinha uma clareira a poucos passos dali e o levou até lá, deitando-o sobre um campo de flores roxas em meio a uma grama macia.

Ambos agora despidos, usando somente seus colares, e se chocando um contra o outro como se dependessem disso pra sobreviver.

As mãos de um passando sobre seus braços do outro, depois pelos quadris e avançando por toda parte, até perderem a respiração e Magnus cair por cima de Alec.

- Definitivamente estamos ficando mais ousados. – O rapaz falou ofegante.

Alec riu ao observar um único raio de luz dourada que incidia sobre eles naquela grama, e o apertou mais contra seu peito pulsando intensamente.

Até que de repente ficou sério e sussurrou.

- Me desculpa por ter saído correndo naquela hora. Eu acho que nunca estarei preparado pra te ver pedindo outra pessoa em casamento. Mas Jace vai me ajudar quando chegar a hora.

Magnus apertou o anel pendurado no colar dele e levantou seu olhar pra encara-lo.

- Só quero que você saiba... que eu suportaria qualquer coisa pra evitar que você passasse por isso! Eu suportaria qualquer coisa pra poder ficar com você Alec. Qualquer. Coisa. Então eu te imploro, não tome nenhuma decisão precipitada nas próximas horas, está bem? Você tem que me prometer isso.

Alec pensou que ele estivesse se referindo a não atacar Camille na hora da escolha, mas o moreno imediatamente estranhou o tom de voz do rapaz.

Como se ele soubesse de algo e não estava lhe contando.

- Magnus... o que você quer dizer com isso? O que vai acontecer? – Perguntou assustado.

- Me prometa Alec. – Insistiu sem responder a pergunta.

- Tudo bem. Eu prometo! Mas você vai ficar bem, né?

Com um sorriso fraco, Magnus deu um selinho nele e se levantou, já pegando suas roupas espalhadas pela clareira.

- Eu preciso ir. Te vejo daqui a pouco.

 

 

 

 

****

 

 

 

A enorme Sala do Trono parecia minúscula com tanta gente ali espalhada.

Jornalistas, fotógrafos, soldados, empregadas.

O impaciente Rei já estava acomodado em seu Trono, ao lado do palco montado com cortinas brilhosas.

Alguns dos repórteres entrevistavam as ex-selecionadas que estavam esperando pra se sentarem no lado esquerdo em cima do palco, enquanto as selecionadas finalistas ainda não tinham aparecido, mas sentariam no lado direito.

Alec foi o último soldado a aparecer, e foi imediatamente para o lado de Jace que apertou seu ombro num gesto de conforto, meio escondido de todos na parede lateral.

- Sei que é uma pergunta idiota, mas você está bem? – O loiro sussurrou.

O moreno respirou fundo uma, duas e então três vezes.

Não conseguia tirar da cabeça que Magnus estava escondendo alguma coisa, mas como não tinha certeza de nada e precisava ser forte... ele apenas assentiu, bem no momento em que as luzes diminuiram ao redor e o jornalista David subiu no centro do palco iluminado para chamar as meninas.

- Cadê a Rainha? – Will perguntou baixinho, fazendo Jem, Simon, Jace e principalmente Alec estranharem o sumiço dela, pois de fato não a viam a bastante tempo.

- Boa tarde Senhoras e Senhores. – David começou. – O grande dia finalmente chegou e em poucos minutos teremos o prazer de conhecer a bela dama que governará nosso país ao lado de nosso querido Príncipe Bane. Mas antes, vamos descobrir como a vida dessas 6 jovens mudou após participarem da Seleção.

Alec piscou varias vezes pra segurar as lágrimas que ameaçavam cair a qualquer momento.

Maia, Maureen, Aline, Helen, America e Celeste subiram no palco quando foram chamadas e responderam algumas rápidas perguntas.

Jace e seus amigos sentiram um enjoo ao verem Celeste se gabando descaradamente de sua amizade com Camille, mas nenhum deles se moveu.

 Em seguida, David voltou pro centro do palco e começou a chamar as finalistas.

- Theresa Gray.

Tessa apareceu sorridente usando um delicado vestido em tons de Prateado e Azul, e sem conseguir se conter, Jem e Will começaram os aplausos e assoviaram animados, quase se destacando entre o multidão.

- Clarissa Fairchild.

Clary apareceu com um sorriso envergonhado usando um simples, porém elegante vestido verde, destacando sua cabeleira ruiva e fazendo Jace prender a respiração antes de dar um sorriso malicioso pra ela.

- Camille Belcourt.

Camille entrou desfilando com seu vestido de renda rosa Pink como se fosse, não só a dona dos holofotes, mas dona da atenção de todos os olhares do mundo.

Somente Jace e os amigos notaram a visível mudança de expressão do Rei quando ela apareceu, seguido de uma outra mudança quando enfim Isabelle subiu ao palco.

- E nossa última finalista: Isabelle Lightwood.

Os gritos e aplausos pareceram duplicar no salão quando aquela bela morena surgiu, usando um maravilhoso vestido escuro que destacava suas curvas.

Mas para Simon, que chegou a ficar tonto, era o sorriso e olhar esperançoso dela que realmente chamava atenção.

Celeste e Camille bufaram irritadas ao verem que Izzy era a favorita da maioria, mas se controlaram de onde estavam sentadas.

Então David conversou com as 4 rapidamente, depois lhes desejou boa sorte e retornou para o centro do palco pra chamar o anfitrião da tarde.

- E agora, Senhoras e Senhores. O momento pelo qual todos estávamos esperando... Nosso querido Príncipe e futuro Rei irá tomar uma importante decisão e escolherá uma dessas 4 adoráveis senhoritas para assumir o Trono ao seu lado. Então... aplausos para Magnus Bane.

Alec sentiu suas pernas fraquejarem, seu coração falhar e sua cabeça martelar num intenso alerta.

Jace percebeu o amigo ficando cada vez mais pálido e apertou a mão dele discretamente.

Por favor Deus, me ajude a passar por isso.” – O moreno implorou mentalmente enquanto tentava relaxar com o apoio vindo de Jace.

Mas vários segundos se passaram...

E Magnus não apareceu.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...