História Um coração em conflito (Malec) - Capítulo 99


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, As Crônicas de Bane, As Peças Infernais, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Camille Belcourt, Celeste Newsome, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), James "Jem" Carstairs, Magnus Bane, Sebastian Morgstren, Simon Lewis, Tessa Gray, Valentim Morgenstern, Will Herondale
Tags Clace, Jessa, Malec, Sizzy, Wessa
Visualizações 789
Palavras 2.109
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Consegui juntar os dois finais que eu queria num só õ/ MUAHAHAHA Sou muito foda!!!!
kkkkkk
não, mentira
mas let's go

Capítulo 99 - Eu acho que quero ser imortal


Alec voltou pro quarto tarde da noite e não encontrou Magnus.

Chateado, ele se trocou, deitou na cama e puxou o gato para seu colo enquanto esperava o rapaz.

Porém em algum momento acabou dormindo.

Horas mais tarde, sentiu a cama se remexendo ao lado e ainda de olhos fechados envolveu seu braço pelo peito de Magnus.

- Onde você tava? – Resmungou sonolento.

- Me desculpe amor. A tatuagem acabou demorando mais tempo do que o esperado.

- Eu quero ver. – Alec disse já abrindo os olhos, mas Magnus lhe deu um selinho e o apertou contra seu corpo.

- Amanhã você vê Alec. Agora volte a dormir.

O moreno estava cansado demais e não protestou, apenas voltou a adormecer rapidamente.

Um tempo depois, quando o sol começou a entrar forte pela sacada, Alec se remexeu na cama e sentiu ela vazia ao seu lado.

Com um suspiro ele abriu os olhos e congelou quando viu o local com inúmeros balões espalhados, de todas as cores possíveis.

Uma mesinha foi posta na sacada com um delicioso café da manhã e logo Magnus surgiu dali com uma rosa nas mãos.

Seu peito estava despido, seu cabelo estava charmosamente bagunçado e um sorriso lindo preenchia seus lábios, contrastando com o brilho em seu olhar.

- Bom dia meu amor. – Ele disse e deu um selinho em Alec enquanto lhe entregava a rosa. – Feliz Aniversário.

- O-obrigado! – Respondeu quase gaguejando pois não acreditava no que estava vendo. – Quantos balões tem aqui?

- Uns 200 eu acho. Por quê? É demais? Eu nunca fiz nada disso antes... – Começou a falar nervoso e o moreno envolveu o pescoço dele com seus braços e encostou sua testa na dele.

- Você é inacreditável! Está tudo perfeito Magnus! Eu amei. Obrigado!

- Que bom. – Disse com um sorriso e o beijou. Os dois se apertaram ainda mais juntos até que Magnus se desvencilhou. – Você não queria ver minha tatuagem?

Alec assentiu e o virou de costas, traçando gentilmente seus dedos pelo desenho.

A fênix cobria 80% das costas dele e os tons de azul deram um toque único à imagem.

- Magnus... ficou fantástico! E definitivamente te deixou mais sexy ainda.

Com uma risada, o rapaz o puxou novamente para beija-lo.

Uma das mãos foi parar na sua cintura e a outra naqueles cabelos negros.

Alec já estava gemendo suavemente e quando precisou respirar, indagou num sussurro ofegante.

- Está doendo?

- Não! O Derek tinha uma pomada especial e eu não sinto nada.

- Isso é ótimo... – Foi dizendo enquanto o puxava para a cama.

Mas Magnus o parou e o empurrou para que ficasse sentado.

- Espera um pouco seu pervertido, eu ainda não te dei o meu presente.

- Ainda tem mais? – Questionou abismado ao olhar novamente a decoração do local.

- Mas é lógico! Eu fiz uma música pra você. 

Alec piscou várias vezes e sorriu abertamente.

- Você fez uma música pra mim? E desde quando você compõe?

- Desde sábado passado. – Respondeu indo pegar um violão no canto do quarto e logo se sentou numa cadeira perto da cama. – O Jem me ajudou na melodia, mas a letra fui eu que fiz.

Magnus então começou a tocar e o moreno teve que se esforçar para manter seu coração batendo.

 

 

Você pode pensar que não é um supermodelo

Mas você se parece com um para mim

Eu prefiro ter sua foto no meu telefone

Que na capa de uma revista

É difícil pensar que um garoto como você

Poderia ter qualquer insegurança

É engraçado como todas as coisas que você mudaria

São todas as coisas que são bonitas para mim

E eu sei que você não acredita em mim

E você pensa que eu sou um idiota

Mas eu não me importo

Talvez

Você nunca vai ver em você o que eu vejo

As pequenas coisas que você faz que me fazem ficar louco

Eu não sou louco

Você é perfeitamente perfeito para mim

Você escova-o cada vez que eu digo que

Seu sorriso ilumina a sala

E estou supondo que você não percebe

O mundo inteiro percebe você

Você acha que é desajeitado

Eu acho que você é legal

Você diz que é típico

Mas acho que você domina

Às vezes me pergunto se você nunca vai acreditar

Que escrevi essa música para você

Algum dia

Você vai ver que é lindo dessa maneira

E que você sempre vai me fazer ficar louco

Eu não sou louco

Você é perfeitamente perfeito para mim

Você não tem que tentar

Mudar uma única coisa

Porque apenas o jeito que você é

É mais doce que qualquer coisa

Talvez eu seja um tolo, mas sempre foi você

Porque ninguém nunca me fez sorrir da maneira que você faz

Você é perfeitamente perfeito para mim

 

 

Alec estava com as bochechas adoravelmente vermelhas e seus olhos tinham um brilho único, fazendo Magnus sorrir com aquela visão.

- Você só pode ser um sonho Magnus Bane. Eu amei essa música. E eu te amo tanto.

O rapaz logo foi até ele, com seu coração martelando no peito.

Alec Lightwood era tudo de mais incrível no mundo, e o mais importante... sempre seria unicamente de Magnus Bane.

O moreno encarava o outro com puro fascínio.

Desejo.

Amor.

Quando estavam novamente frente a frente, Alec podia sentir o queixo de Magnus repousar em cima de seu ombro, depois roçando seu nariz de forma suave naquela região.

O moreno fechou os olhos, respirou fundo e inclinou a cabeça para lhe oferecer o pescoço e a pele dali.

Magnus sorriu com aquilo e deu uma lambida no pescoço dele, em seguida o mordeu, deixando uma marca.

Alec ofegou e seus sentidos foram eletrificados.

- Eu te amo Alexander. - Murmurou ele, enquanto o levava mais para trás até encostar na parede.

- Eu também... – Respondeu ao agarrar a nuca dele e grudar seus lábios juntos num beijo feroz.

Ambos estavam sem camisa e suas peles pareciam estar em chamas.

Magnus desceu suas mãos para a bunda de Alec e o levantou com tanta rapidez e destreza que o moreno até gritaria de alegria se não estivesse com a boca ocupada.

O moreno então envolveu suas pernas na cintura dele, roçando suas ereções juntas e passou a beijar seu maxilar, descendo pelo pescoço e seguindo na direção de sua orelha, onde chupou e mordeu o lóbulo com vontade.

Magnus já estava enlouquecido com isso e o segurou firme com um braço, enquanto usava o outro para jogar longe tudo que tinha em cima da escrivaninha ao lado.

Alec se sentou ali e gemeu quando o rapaz retirou sua calça e cueca com um movimento rápido.

Suas mãos quentes e fortes apertaram a coxa do moreno que já estava implorando com o olhar.

- Magnus.... por favor.

O rapaz riu e atacou sua boca novamente, mordendo o lábio já inchado de Alec.

Em um instante a mão de Magnus deslizou para o membro do outro, envolvendo-o na mais deliciosa e frenética masturbação, que durou muitos preciosos minutos.

- Puta merda. – Alec murmurou alto ao sentir aqueles movimentos divinos.

Seus olhares conectados e demonstrando puro prazer.

O moreno não se conteve e suas coxas apertaram-se em torno de quadris do rapaz.

Sua mão agarrando o braço dele e arranhando quando um orgasmo maravilhoso o atingiu.

Magnus parou e apertou a cintura dele enquanto esperava ele se acalmar.

Alec não estava respirando direito e seu corpo todo tremia. 

- Você está bem? – Ele perguntou depois de vários segundos.

O Lightwood assentiu e desceu da escrivaninha.

- Se todos os meus aniversários forem assim eu acho que quero ser imortal.

- Você viveria comigo por toda a eternidade Alexander? – Perguntou com uma voz sedutora. – Isso é muito tempo.

- Não é tempo o bastante. – Respondeu e se apressou em tirar as roupas de baixo de Magnus. – Quero você todos os dias... em todas as vidas.

O rapaz sentiu seu coração se aquecer tanto quanto sua pele e ele guiou o moreno até a cama, empurrando até que estivesse de bruços.

Sem perder tempo, Alec empinou e Magnus se ajoelhou atrás dele.

Logo começou a explorar a nuca dele com a língua, descendo pelas costas enquanto uma mão agarrava aqueles cabelos negros e a outra prendia sua cintura no lugar.

Magnus o penetrou devagar e o moreno choramingou.

- Estou machucando você? – Perguntou, docemente. 

- Sim, mas é bom! É tão bom.

O rapaz esperou alguns segundos e começou a se movimentar.

Ambos gemiam o nome do outro, saboreando as lentas estocadas profundas, que começaram a acelerar como se dependessem disso pra viver.

Seus corpos batiam juntos em sincronia e suavam devido ao intenso prazer e o grito de Magnus vibrou pelas paredes quando teve aquele orgasmo.

Os dois despencaram na cama e ficaram daquele jeito mesmo até a respiração normalizar.

Seus corações palpitando descontrolados no peito. 

Então Alec se virou com algum esforço e foi beijando a barriga do rapaz, esfregando os lábios molhados em seus mamilos.

Magnus agarrou os cabelos dele e o puxou para que ficassem cara a cara.

Ele tentou falar alguma coisa, mas o moreno colocou o dedo sobre os seus lábios bem formados, muito sedutores, e rapidamente Magnus o envolveu e o chupou.

Alec quase engasgou com o gestou e fechou os olhos.

- Pra sempre... – Disse num sussurro.

- Pra sempre. – Magnus repetiu e os dois foram pro banho juntos.

Provavelmente dando sequencia a essa sessão de pornografia.

 

 

****

 

 

 

Alec teve um almoço especial com a família e os amigos.

Todos estavam se divertindo muito, mas quando chegou o final da tarde e o moreno estava esperando Magnus terminar de se arrumar, ele começou a tremer e a suar frio.

Bane saiu do banheiro amarrando a gravata e parou no mesmo instante quando viu Alec daquele jeito.

- Você está bem? O que aconteceu? – Perguntou alarmado. 

- Eu... eu não sei se consigo fazer isso Magnus. Você sempre quis assumir o Trono e agora eu to atrapalhando. 

- Você não está atrapalhando nada Alec. Nós dois tomamos essa decisão juntos e tenho certeza de que o povo vai entender que nós precisamos fazer isso. 

O moreno respirou fundo e assentiu.

- Está bem! Vamos logo antes que o povo fique irritado.

Eles logo saíram pelos corredores e foram rumo à sacada principal do segundo andar.

No caminho, Shelby os acompanhou e tentou tranquilizar Alec, que parecia que iria desmaiar a qualquer momento.

- Eu to apavorado! Não consigo evitar. E se eles não aceitarem? E se eles se revoltarem ou sei lá. Eu quero muito ajuda-los, mas...

- Querido, se acalme. É normal esse nervosismo. Você ainda está se acostumando com essa vida. Mas não se preocupe, ok? Você e Magnus estarão juntos.

O moreno respirou fundo mais algumas vezes e a abraçou.

Depois pegou a mão do marido e saiu pra sacada com ele.

A gritaria e os aplausos começaram no mesmo instante.

Alec percorreu seus olhos pelo jardim lotado de cidadãos da cidade e sorriu ao ver que alguns seguravam a bandeira do movimento LGBT.

Mesma bandeira que pendia no mastro principal do Palácio.

- Meu amado povo. – Magnus começou falando tranquilamente. – Sei que todos vocês esperam uma resposta e por isso vou direto ao assunto... A poucos meses atrás cancelei A Seleção porque me apaixonei por uma pessoa fora daquele grupo de garotas. A maioria de vocês já deve estar sabendo que esse alguém é Alexander Lightwood. - Disse ao encarar o moreno com um sorriso suave. – Nenhum de nós dois esperava por isso, mas o coração quer o que ele quer. 

Um coro de suspiros ecoou pelo jardim e Alec prendeu a respiração enquanto Magnus continuava.

- Alec e eu nos casamos em segredo devido as Rígidas Leis de nosso país. Leis que pretendo mudar assim que assumir a Coroa, ainda esta noite. Espero que vocês abram suas mentes e aceitem nós dois no Trono. Nós dois que faremos de tudo para lhe proporcionar uma vida melhor. No entanto, devido aos recentes acontecimentos, Alec e eu decidimos tirar umas férias para nos recuperarmos do atentado que sofremos pelo circulo dos Morgenstern. Mas não se preocupem, vocês não ficarão desamparados! Os portões do Palácio ficarão abertos para aqueles que mais precisarem de ajuda, e deixarei meus queridos amigos Simon Lewis e Isabelle Lightwood no comando até que eu e meu marido retornemos ao Poder.

Izzy e Simon logo apareceram na sacada com uma expressão ansiosa e um sorriso tímido.

Eles ainda não acreditavam que Magnus tinha mesmo pedido isso para eles.

Um silencio pelo Jardim se seguiu até que um cidadão deu um passo a frente.....

 


Notas Finais


A música é da minha banda favorita SIMPLE PLAN (♥) https://www.youtube.com/watch?v=BmhgM_oaFC8


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...