História Um coração escarlate - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Batman, Capitão América, Jovens Vingadores (Young Avengers), Liga da Justiça, Os Vingadores (The Avengers), The Flash, X-Men
Personagens Anthony "Tony" Stark, Barry Allen (Flash), Billy Kaplan "Wicanno", Emma Frost (Rainha Branca), Erik Lehnsherr (Magneto), Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Gaviã Arqueira, Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina), Iris West, Jubilation Lee (Jubileu), Kara Zor-El (Supergirl), Natasha Romanoff, Pietro Maximoff (Mercúrio), Steve Rogers, Visão
Tags Avengers, Barry Allen, Liga Da Justiça, Pietro Maximoff, The Flash, Wanda Maximoff, X-men
Exibições 61
Palavras 1.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Super Power
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem, e uma boa leitura para todos

Capítulo 19 - Flash Reverso -POV'S BILLY


Fanfic / Fanfiction Um coração escarlate - Capítulo 19 - Flash Reverso -POV'S BILLY

Estava escuro, não tinha nenhuma luz para iluminar o lugar. Eu não sabia a onde eu me localizava, e quando mais eu andava mais confuso ficava, não existia móveis no local para eu me situar em que lugar da casa eu estava, tentei chamar minha mãe, meu pai, meu irmão, me avô ou até meu tio e minhas tias, mas nenhum deles respondia ou aparecia.

Tentei fazer uma bola de energia com os meus poderes para ver se iluminava um pouco, mas eu acabei criando nas minhas mão uma bola tão grande que sem querer acabei atirando. Segui o feitiço para ver se ele causou algum estrago, ouço gritos de desespero, tudo estava iluminado agora, mas olho para o chão e vejo todos que eu amo ensanguentados, desde a minha família aos meus amigos, olho para a janela e vejo toda a população de Genosha do mesmo estado, caídas no chão.

Entrei em desespero, eu tinha causado aquilo com o feitiço que eu tinha lançado sem querer. Mamãe sempre me alertou dizendo que os poderes que nos dois possuímos são muito perigosos, e neste exato momento até ela estava caída no chão.

Começo a gritar e chorar, o que seria de mim sem eles, como eu poderia continuar vivendo sabendo que matei todas as pessoas que eu mais amo e até meu povo, e tudo isso porque eu não consigo controlar os meus poderes, se ao menos meu pai deixa-se minha mãe me ensinar como usá-los isso não teria acontecido.

Abro meus olhos e vejo as estrelas de papel que Allison havia colado no teto do meu quarto a pedido de minha mãe. Eu estava suando mesmo com o ar condicionado ligado, olho ao meu redor e vejo Tommy arrumando meus livros de mitologia na estante. Aquilo me tranquilizou, eu não tinha matado ninguém, tudo não passava de um sonho, ou melhor pesadelo.

Levanto da cama rapidamente (como uma pessoa normal e sem metabolismo acelerado) e abraço meu irmão, mas isso acabou assustando-o.

-O que que é isso? -Perguntou Tommy. -Já não basta você me acordar hoje, que não tem escola, às cinco da manhã com seus grito você ainda tem que dar um susto?

-Me desculpe, eu tive um pesadelo onde todos morriam por causa dos meus poderes. -Digo chorando.

-Ei, não precisa chorar cara.-Disse meu irmão me abraçando. –Você sabe que eu sempre estarei do seu lado, e se um dia você enlouquecer, eu prometo que irei fazer tudo o possível para que você volte ao normal e com vida.


~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~**~*~*

Já era noite e como de costume minha mãe iria contar uma história para eu e meu irmão conseguimos dormir, mas isso só acontecia se de nos arrumássemos no horário certo.

Vesti o meu pijama com estampa de carros (é infantil sim, podem me julgar se quiser) e fui escovar meus dentes.

-Billy, acha que mamãe vai contar história hoje? -Perguntou Tommy com os seu pijama de Capitão América nas mãos.

-Se você não vestir, aí sim que ela não vai contar. -Falei.

- Isso é o de menos, consigo trocar de roupa em um piscar de olhos, graças ao meu poder de aceleração.

-E o que te preocupa então?

-Agora pouco eu a vi usando um vestido formal e papai de termo.

-Estranho. -Digo guardando minha escova. -Se vista, por favor. Depois vamos falar com a nossa mãe.

-Tudo bem, se importa de virar de costas para mim?
 
Eu me virei, e em uma fração de segundos, Tommy pediu para eu me virar novamente e ele já tinha vestido sua roupa, logo em seguida fomos para o quarto dos nossos pais, mas acabamos encontrando-os na sala de entretenimento.

-Mamãe, a senhora vai contar uma história pra gente dormir? - Perguntei.

-Me desculpa meu filho, mais eu, seu pai, seu avô, seu tio e suas tias precisamos comparecer em um evento beneficente.

-Se quiserem, eu posso contar. -Disse Barry.

-Melhor do que nada. -Comentou Thomas.

Entrei no meu quarto e deitei na minha cama, logo em seguida Tommy fez o mesmo e deitou na cama ao lado da minha. Barry sentou na  cadeira da minha escrivaninha, sem nenhum livro em suas mãos.

-Onde está o livro? -Perguntei.

-Eu sou péssimo em ler história de dormir para adolescentes.

-Algum preconceito com isso? -Perguntou Tommy.

-Não. - Disse Barry. -Mas eu acho uma boa ideia contar para vocês sobre os vilões que eu encaro todos os dias em Central City.

-Ta bom. -Falei.

-Nos impressione. -Disse Thomas.

-De quem vocês querem saber. Patinadora Dourada? Flautista? Mestre dos Espelhos? Grodd? Ou talvez Flash Reverso?

-Flash Reverso. -Digo em sincronia com Tommy.

-Eobard Thawne é um criminoso do século 25. Ele encontrou uma cápsula do tempo que continha o meu uniforme e após usar uma maquina conseguiu ampliar os traços da força de aceleração contida no traje, a mesma que o Tommy possui nas veias.

-Que interessante. -Falei impressionado.

-Cala a boca e deixa o Allen continuar a história.

-E sempre que ele a usa recebe esses poderes. Mas ao contrario da minha pessoa, ele usa seus poderes para cometer crimes por querer agir como um vilão, ele mudou as cores do uniforme, com as partes vermelhas tornando-se amarelas e as amarelas tornando-se vermelhas.

-Pode contar mais coisa sobre ele? –Perguntou Tommy.

-Me desculpem, mas já esta tarde e eu estou morrendo de sono.

-Boa noite Barry. –Falei.

-Boa noite Allen.

-Boa noite, garotos. –Disse Barry saindo do quarto e fechando a porta.

~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~**~*~*

O dia seguinte foi cheio, Kate convidou a mim e ao meu irmão para almoçarmos na casa dela, e ficamos brincando ate o fim da tarde.

-Ola Kate. –Disse mamãe abraçando a garota. –Vamos meninos?

Assentimos com a cabeça, nos despedimos de Kate e entramos no carro. Voltamos ao palácio e nos deparamos com Sabrina, uma de nossas empregadas, ela estava assustada, perguntamos o que havia acontecido, mas ela tão nervosa que gaguejava quando abri-a boca.

-Respira fundo e me diz o que aconteceu. –Falei.

-O príncipe Visão estava no seu escritório, às 16h13min, eu estava levando uma xícara de café, como faço todos os dias no mesmo horário. Só que dessa vez um homem que usava uma roupa amarela com detalhes vermelho, apareceu, me empurrou para o corredor e trancou o senhor Visão lá dentro.

-E como ele era? –Perguntou mamãe.

 Eu não sei, ele corria tão rápido quanto o Tommy, não consegui ver o seu rosto.

Subimos as escadas correndo, dava para ouvir os gritos do papai. Mamãe tentou abri-la usando seus poderes, mas não deu certo.

Eu estava com muito medo, pela história que Barry havia contado ontem a noite, ele parecia ser um maligno vilão.

-O que aconteceu aqui? -Perguntou Barry olhando ao redor. -Por que estão com essas caras de assustados?

-Meu pai está preso por causa do seu querido sócio. -Disse Tommy.

-Vocês estão me dizendo que o Flash Reverso prendeu o Visão no escritório? -Perguntou Barry.

-MERDA. -Berrou minha mãe.

-Olha a língua. -Disse Barry.

-OLHA AQUI, MEU MARIDO ESTÁ PRESO COM UM CARA QUE JÁ MATOU VÁRIAS PESSOAS, ENTÃO NÃO DÊ UMA DE STEVE ROGERS. -Gritou mamãe, que continuou batendo na porta.

-Calma...

-CALMA? MEU MARIDO ESTA CORRENDO PERIGO, ELE PODE MORRER HOJE MESMO, E... –Disse mamãe, mas ela começou a chorar antes de terminar a frase, Barry a abraçou num gesto de proteção.

A porta se abriu aos poucos, mas não tinha ninguém lá, papai estava caído no chão com um grande buraco em seu peito. Tommy entrou no escritório correndo em direção ao corpo, abracei mamãe e comecei chorar. Apesar dele não ter sido um pai muito presente na minha vida, mas foram inúmeros momentos que passamos juntos que eu nunca esquecerei.

-Eu sinto muito, se eu soube-se que o Flash Reverso estava aqui, eu... –Disse Barry se aproximando da minha mãe, mas eu o interrompi.

-Flash? Reverso? –Perguntei. –Ele não é aquele vilão que você contou na historia de ontem? Foi ele que matou o meu pai?

-Não foi ele. –Disse Thomas com raiva. –Foi a noiva do Allen, e tudo que aconteceu com o papai foi por causa dele.

-Por que você acha isso? –Perguntou mamãe.

-Ela escreveu uma carta e colocou no buraco do peito do papai. –Disse meu irmão me entregando uma folha de papel dobrada, e depois foi embora.

Abri a página e comecei a ler o que estava escrito em voz alta.

“Querida família Maximoff,

Me desculpem por ter contratado Eobard Thawne para matar o futuro rei de vocês. Mas tentem entender o meu lado, eu precisava achar uma maneira de magoar Barry Allen do mesmo jeito que ele fez comigo, e o que seria melhor do que deixar todos a sua volta triste? Prometo que irei derramar uma lagrima no enterro em homenagem ao falecido.

Atenciosamente, Iris West.”


Notas Finais


Gostaram? Comentem o que acharam.

Coraçãozinho pra vocês <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...