História Um detetive em minha vida - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Class, Doctor Who, Sherlock
Personagens Sherlock Holmes
Tags Class, Miss Quill, Quillock, Sherlock Holmes
Visualizações 9
Palavras 893
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Má oeeee
Amo vocês<3

Capítulo 14 - Baby, love me this night


Fanfic / Fanfiction Um detetive em minha vida - Capítulo 14 - Baby, love me this night

Pov Doutor

- doutor. esta tudo bem? - a Bill me perguntou se encostando no corrimão da tardis.

- esta. Estou ótimo. - me aproximei dela sorrindo.

- tem certeza? Não parece. - ela sempre esta certa. - pode me contar. Não vou contar a ninguém. Prometo.

- tudo bem... eu… Eu beijei uma mulher.

- não vejo problema nisso.

- ele tem namorado.

- ah, entendi agora. Você ama ela não é?

- sim. Mas…

- ela ama outro. O namorado. - assenti tristemente. - tem tantas outra mulheres no mundo. você ama essa, mas, acho melhor você esquece-la e partir pra outra.

- falar é fácil.

- sim eu sei. Mas é o melhor a se fazer.

- vou tentar esquece-la mas não prometo nada. Ela é… Intrigante.

- não tem nenhuma outra mulher que mexa com você?

- tem… A Missy, mas ela é louca isso nunca vai dar certo. (Shippo mesmo e é aquele ditado: pau no cu)

- fala serio! A Missy? Não!

- eu estou falando sério. Sim a Missy.

- ela é maluquinha. Tem um parafuso a menos. Mas se você gosta, só vai.

- você acha que ela gosta de mim?

- Sei lá. Mas vocês combinam. Ambos são senhores do tempo. Vocês podem repopular Gallifrey. - eu ri. - qual é. Eu estou falando serio.

(Isso aqui é só pra não deixar o Doutor na merda)

…………

Pov Quill

- mas porque sem beijo? - ele se encostou na porta do meu quarto.

- por que não.

- isso não é justo. Eu não posso nem beijar minha própria noiva?

- não, não pode.

- mas porque não?

- por que não! Calado. - me curvei um pouco para colocar minha escrivaninha em ordem. Ele fez. Ele deu tapa na minha bunda. - Sherlock?!

- você disse que eu não podia te beijar. Não disse nada sobre: bater na sua bunda. - passo a mão no ferimento da bala. - esta sentindo alguma coisa?

- não, apenas… - tranquei a porta do quarto. - acho que já estou melhor. Não estou?

- Quill eu não sei. não sou nenhum médico.

- ah, foda-se, Sherlock. Estou cansada de ficar só na vontade. Amor, me ame esta noite. - fui até ele e beijei seu pescoço.

- Quill...

- shii… Quietinho… - silênciei seus definidos lábios com o dedo indicador. ele colou nossos corpos em um rápido puxão. (Eu to com sonooo)

tentou me beijar na boca mas esquivei. Segurei a gola da camisa dele e o arrastei até a cama. Ordenei que se deita-se, ele mordeu o lábio inferior. me sentei em seu quadril.

Desabotoei a camisa dele. Ele trocou as posições. Ficando por cima.

Ele tirou minhas roupas me deixando apenas de sutiã e calcinha.

( eu me toquei só agora que não teve Lalá nas transas deles então…)

Sherlock tirou minha calcinha com a boca e abocanhou minha intimidade me penetrando com sua experiente língua ( olá sra hiddleston ) agarrei seus cachos e o ajudei nos movimentos.

- Sherlock... - gemi o nome dele alto. estava pouco me fodendo se alguem tinha escutado.

Me derramei em sua boca. (Olá sumida rs)

Ele engoliu e partiu para meus seios. Os sugando com volúpia. (Oie migs) eu arqueei e gemi. eu cheguei ao ápice.

- minha vez de brincar. - falei.

troquei as posições, retirei todas suas roupas, sentei em seu membro rígido e rebolei. Sherlock colocou as mãos em minha cintura. Sua boca estava aberta de luxúria.

Nós gozamos.

Ele não estava satisfeito, devo confessar que eu também não.

Ele ficou em cima de mim e me beijou ferozmente enquanto estimulava meu clitóris com seu membro.

- chega. Penetre-me. - ele então fez.

Fez rápidos movimentos de vai-e-vem e quando gozamos ele caiu ao meu lado.

Ele beijou minha testa.

- o que te deu hoje? - perguntou ele ofegante.

- não sei Sherlock. Acho que nosso noivado merecia uma comemoração.

- acho que Charlie escutou tudo.

- tomara que sim. Pra ele gemer baixo quando estiver com o namorado.

Me levantei da cama.

- onde esta indo?

- vou pegar chocolate. - ele segurou minha mão, se sentou e me fez sentar em seu colo. E me beijou com desejo. - eu te amo.

- também te amo. - sai do colo dele e vou até a porta. - espera! Se cobre com o lençol.

- ah, sim obrigada. - me cobri e fui até a cozinha dançando. Estava feliz.

- pelos gemidos. O que aconteceu no quarto foi bom.

- foi ótimo. - abri a geladeira e peguei uma barra de chocolate e mordi.

- Porque você come tanto chocolate?

- ora porque. Por que é bom. Tchau Charlie.

- sera que daria pra você gemer um pouquinho mais…

- não. - o cortei.

Cheguei no quarto Sherlock estava encostado na cabeceira da cama.

- quer? - ofereci o chocolate.

- não obrigado. - dei de ombros. Deixei o lençol deslizar sob meu corpo. - você só faz isso para me provocar não é?

- eu? Te provocar? Não! De jeito nenhum. - sentei novamente em seu colo. Terminei de comer o chocolate e o beijei.

- para quando quer marcar o casamento?

- tanto faz a data. Qualquer uma esta bom. Mas Sherlock, Eu não quero casar em igreja. Vamos fazer alguma coisa diferente. Talvez em um parque?

- eu vou procurar um padre disponível. mês que vem? O que você acha?

- mês que vem esta ótimo. - fu até o banheiro. - vem tomar banho.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...