História Um fantasma em minha vida! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga, V
Tags Bts, Kaistal Menção, Sughost, Vfany Menção, Yoonmin
Exibições 179
Palavras 1.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Sobrenatural, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eeee, parabéns Jiminnie ♡

Feliz dia das crianças, obrigada pelos favoritos hndjsnsjs

Espero que gostem do capítulo ~ Boa leitura!

Capítulo 2 - Eu sou crente!


Fanfic / Fanfiction Um fantasma em minha vida! - Capítulo 2 - Eu sou crente!

A vida na casa nova se mostrou muito interessante, eu consegui fazer bons amigos na escola nova, fiz um amigo na rua, e agora eu tinha um cachorrinho. Krystal também parecia feliz, Jongin vinha visitar ela com frequência e me parece que algumas pessoas da escola estavam com vontade de aturar aquela cara feia dela.

Taehyung e eu nos tornamos mais próximos, descobri muitas coisas sobre ele, inclusive que ele era bem doidinho e que parece que está sempre sob efeito de LSD. No final, era uma boa pessoa. Ele tem um queda ー Ou precipício, como quiser ler ー por Stephanie, ela é mais velha e acha que o Tae é um crianção. Bom, ele é mesmo, porém lá no fundo, eu sei que ela também gosta dele.

Desde o começo eu deixei claro que super apoiava um romance entre os dois, e o irmão do Tae, Baekhyun, concordou comigo. Os dois eram feitos um para o outro, mas Stephanie se fazia de difícil. Aliás, descobri que ela é americana, entendi na hora o porquê de eu nunca entender o que ela diz, quando fala rápido.

Baekhyun e Taehyung são bem próximos, e mesmo tendo seus amigos, o Baek sempre fica conosco. Fiquei sabendo a pouco tempo que ele é bissexual e que estava namorando um tal de Sehun, que não estuda lá na escola, e que possivelmente, eu nunca vá conhecer, de qualquer forma isso também não é tão importante pra mim.

SeokJin e Namjoon são bem próximos também, eles ficam mais tempo conversando sozinhos do que se enturmando com a gente. Mas vamos falar sobre minha vida.

Eu estava passando mais tempo sozinho do que o normal. Meus pais trabalhavam, minha irmã, quando não estava com Jongin, estava com a amiga nova, e nem vinha pra casa. Minha mãe decidiu que não iria contratar empregada, e que a partir de agora, viria uma diarista toda semana. Eu chegava cedo da escola, e minha única companhia em casa, era meu cachorro, Hobie ー homenagem a Hoseok, pois foi ele que me deu de presente.

Meu cachorrinho era um filhote de bulldog muito fofo e gordinho, uma gracinha, seu único defeito é ficar latindo pro canto da minha parede. Sério, eu não entendo o que ele tem.

Então, esses dias, na hora de dormir, ele desceu da minha cama e ficou sentado de frente pro canto direito da parede, de repente ele começou a latir alto. Me levantei na hora e o peguei, porém ele continuou latindo. Como um bom cagão que eu sou, me joguei debaixo das cobertas e né, rezei, orei, fiz tudo pra manter os espíritos maus bem longe.

~°~

─ E aí, Park, como estão seus fantasmas? - Revirei os olhos, Taehyung, o piadista. ─ Nenhum fantasminha camarada te incomodou?

Suspirei, ele é um ótimo amigo, porém minha vontade de lhe bater não passava. Ele já tinha uma ideia do meu medo de fantasmas ー obrigado, Soojung, por espalhar meu segredo.

─ Vai ver se eu tô na esquina, Byun. - Empurrei seu ombro.

─ Já te falei que eu sou Young. - Me mostrou a língua.

Meu amigo sonhava tanto que ia casar com a Stephanie-noona, que já estava até querendo usar o sobrenome da coitada. Na realidade, eu não sabia do que chamar Taehyung, ele era filho de um pai diferente, e o Byun era apenas do Baekhyun. Como eu posso explicar o caso do meu amigo… Sua mãe se separou do pai de Baekhyun, e nesse tempo ela se relacionou com um Kim, mas não deu certo e um tempo depois, ela reatou o casamento com um Byun. Taehyung é registrado como Kim Taehyung, porém gostava de ser chamado de Byun, por não aceitar o próprio pai. Mas, enfim…

─ Você fez o trabalho de química? - Perguntei retirando meus cadernos da mochila, olhei pro meu amigo quando percebi seu silêncio. Ele estava assustado. ─ Você tá bem, Tae?

─ Que trabalho?!

~°~

A parte que eu mais gosto em ir a escola, é a hora do lanche, obviamente. Nós nos reunimos na mesa marcada, que só a gente sentava, e mandamos ver no rango. O pessoal não conversava na hora de comer, e eu gostava disso, acho que essa é uma hora importante. Aliás, eu pensei que era comilão e tinha alma de gordo, porém fui surpreendido por Seokjin, o hyung come tanto, eu fico de boca aberta… E consegue manter o corpo, ai, ai.

Agora eu conhecia duas pessoas que comiam mais que eu; Jongin-hyung, e Seokjin-hyung.

─ Amanhã não temos aula, graças ao bom Deus! - Taehyung gritou, olha a vergonha alheia…

─ Esqueceu o senso do ridículo no útero da mamãe, Byun Taehyung? - Baekhyun perguntou sério, segurei a risada. ─ Mas, né, graças a Deus mesmo, me livrei de uma provinha bem linda de física…

─ O que vai fazer hoje, Jimin-ah? - Taehyung me perguntou. Dei de ombros, nem eu mesmo sabia, dormir já era certo. ─ Já sei, vai explorar os fantasmas da casa 195?

─ Vou dar na sua cara, seu enxirido, sou mais velho que você me trate direito! - Falei brincando, ele mostrou a língua. Desde que nos conhecemos eu o pedi para me chamar de “hyung”, mas ele insiste em agir como mais velho.

─ Taehyung está de castigo de qualquer forma, Jiminnie. Ele não iria a lugar algum. - Stephanie comentou rindo.

─ Ah, o bebê está de castigo? - Vou zoar mesmo. Ele cruzou os braços e ficou quieto.

Eu estava super ansioso para voltar pra casa, fora que também cansado. Graças ao Hobie, eu não pude dormir bem, talvez eu tenha ficado um pouco assustado com as ações do meu cachorro. Desde pequeno minha irmã vivia me contando histórias de terror, claro que era quando nossa mãe não estava por perto, mas não eram apenas isso, ela me mostrava vídeos de fantasmas e palhaços assassinos. Minha irmã é o próprio capeta na terra, queima, Deus!

Ela nunca perdeu a péssima mania de me pôr medo. Bem, eu não acreditava nessas coisas, mas é melhor prevenir do que se assustar. Sei, o ditado está errado, mas ninguém liga.

Enfim, voltando aqui, devo contar para vocês o que eu presenciei quando cheguei em casa. Estava tudo meio escuro, então eu já fui entrando e acendendo todas as lâmpadas, olhando pra todos os lados e louvando a Deus, porque né. Subi pro meu quarto, e para minha, não tão, surpresa, meu cachorro estava de frente pro canto da parede, latindo.

É nessas horas que eu lembro daquelas documentários estranhos, que dizem que os animais têm capacidade de sentir a presença dos espíritos, e é nessas horas, também, que eu penso em devolver meu cachorro pro Hoseok, pelo amor de Jesus.

─ Hey, garoto! - Chamei, mas o cachorro nem olhou pra mim. ─ Fica calmo, o que está vendo?

Lindo, Jimin, tá falando até com o cachorro, que aliás, é doido.

Para continuar com a minha sessão “Tô quase cagando”, de repente as luzes se apagaram. Mãe, a senhora me paga. Eu devia ter ouvido o Taehyung, ele tinha razão! Essa casa é cheia de fantasmas, e eles querem me levar!

Eu já estava encolhido na minha cama, com mochila e tudo. Já tinha rezado, orado, feito umas meditações louconas (nem sei pra quê serve, mas eu fiz). Eu precisava de uma folha pro meu testamento, mas eu esqueci. Mas vamos assim mesmo:

“ A todos os amigos próximos, e familiares.

Gostaria de expressar minha pura e humilde gratidão, e expor meus sentimentos.

Tive um boa vida (pouco, mas boa), bons amigos e também, boas notas no colégio.

Por causa disso, creio que mereço tudo de bom no mundo, mas como não tenho tempo, deixemos isso de lado. Ao que interessa;

Meu vídeo-game deixarei com Jongin-hyung, para que ele se distraia da chata da minha irmã. Meu celular eu deixo comigo mesmo, o levarei para o caixão.

Hobie, meu cachorrinho, ficará com… “

Meu testamento foi interrompido quando meu cobertor foi jogado longe, ainda estava tudo escuro, e eu estava de olhos fechados.

─ E-eu escolho Deus… Eu escolho ser amigo de Deus… - Cantarolei tentando afastar os espíritos, mas quando ouvi uma voz, gente, eu só não desmaiei, porque eu já estava mentalmente desmaiado.

─ Garoto, saia daí, deixa de ser medroso! - A voz disse. Ave, Maria! Bota pra fora! Manda de volta! Manda de volta!

Abri meus olhos devagar, e me sentei na cama, dessa vez, na velocidade da luz! Falando em luz, a única que brilhava era a que estava ao redor do fantasma. Gente, eu estou vendo um fantasma. UM FANTASMA!

─ AAAAAAAAAAAAAA MAMÃE!! - Gritei mesmo, eu já estava chorando. O quê? Sou medroso mesmo, culpa da Soojung.

Park Soojung, se eu sobreviver, eu te mato.

─ Para de gritar, seu idiota! - Que fantasminha mal-educado, eu heim.

─ Quem é você? O que está fazendo aqui? O que quer comigo? Olha, eu sou crente, tá! - Joguei tudo, ele riu.

─ Sou Min Yoongi, eu moro aqui, preciso da sua ajuda, e eu também sou crente, amém.

Vála-me, Deus!


Notas Finais


Gostaram? Até o próximo ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...