História Um gamer e uma otaku - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~Siljin

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Rin-otaku, Sesshoumaru-gamer
Exibições 417
Palavras 3.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa tarde gente. Siljin e eu agradecemos por todos os favoritos e comentários no capítulo anterior.
Esperamos que gostem.

Boa leitura a todos! :)

Capítulo 4 - Capítulo Quatro


Fanfic / Fanfiction Um gamer e uma otaku - Capítulo 4 - Capítulo Quatro

Sesshoumaru on

Chegando a casa do Kohaku, fui recebido por ele.

- Finalmente! Eu já não aguento mais ver esses dois aí se beijando.

Ele falou e eu reparei que no sofá, Sango e Miroku se pegavam descaradamente.

- Que tal irmos jogar? Eu trouxe meu notebook.

- Vamos então.

Subimos e fomos para o quarto dele.

- Posso tomar um banho antes?

- Claro, fique a vontade. Minha mãe trouxe dois colchonetes. Quando vocês forem dormir, colocamos no chão.

- Ok.

Ele me mostrou onde era o banheiro e me entregou uma toalha. Levei minha mochila, onde tinha meus produtos de higiene e roupas, para o banheiro também.

Depois do banho, vesti uma cueca e uma calça moletom preta, voltando para o quarto em seguida.

- Sua internet é boa, né? Porque se não for, posso usar meu moldem.

- Não se preocupe, minha net é boa sim.

- Ok.

Logamos no Grande Chase e logo fomos fazer missões para upar alguns personagens esquecidos, que não dávamos muita bola.

Rin on

Eu estava vendo animes, como sempre, mas decidi mandar uma mensagem pro Sesshoumaru.

- Oi! Como estão as coisas por ai? Se divertindo muito?

Sesshoumaru on

- Cara, odeio o veigas. - Kohaku resmungou

- Ele é um personagem muito fresco, na minha opinião.

- É, ele é sim.

- Tenho que chegar no 80 com a Lire, hoje.

- Vamos portal dimensional? Vamos upar bem mais rápido assim.

- Pena que não tenho mais jóia, assim upavamos bem mais rápido.

- Poxa.

Fomos então upar.

Horas e horas foram se passando, 22 horas e eu já estava no 79.

Kohaku e eu demos uma pausa para um lanchinho, que ele mesmo foi fazer na cozinha.

Notei então que meu celular tinha uma mensagem e era da Rin.

- Ah, oi! Desculpe, tava em jogo. Estou me divertindo, sim. Kohaku e eu estamos upando os personagens. E você? - Enviei

- Credo, vey. Passei pela sala e vi o Miroku quase engolindo minha irmã. Argh! Que nojento!

- Você vai se acostumar. - Ri dele

- Ninguém merece. - Revirou os olhos e passamos a comer, enquanto voltávamos para a missão operação upar personagens.

Rin on

Depois de assistir vários episódios de animes, decidi ler mangá.

Fiquei tão concentrada, que esqueci meu celular no silencioso e, quando percebi, eu já estava dormindo.

Sesshoumaru on

4 horas da madrugada, foi a hora que Kohaku e eu resolvemos ir dormir. Miroku nem apareceu, talvez tenha ido dormir no quarto da Sango.

Nada esperto ele.

Cansados e bastantes sonolentos, Kohaku me ajudou com o colchonete e cai no sono em seguida.

Aquele foi o melhor sonho da minha vida, pois sonhei com a Rin. No sonho, ela dizia que me amava e que nunca iria me deixar. Parecíamos tão felizes, que achei até que fosse realidade.

Rin on

Acordei por volta das 8:30h, tomei um banho rápido, troquei de roupa e desci para o café. Conversei um pouco com os meus pais e o assunto foi o Sesshoumaru, claro. Minha mãe gostou dele, eu acho que meu pai também; ele só não quer admitir.

Fui até a casa da Sango e a mesma abriu a porta pra mim.

Sango: Se veio atrás do seu namorado, saiba que ele ainda está dormindo feito pedra. Ele e o Kohaku, pra falar a verdade.

- Já imaginava. Já passou das 9h, mas aposto que foram dormir quando o sol começou a nascer. - Ela riu

Sango: Também acho isso.

Miroku: E eu tenho certeza. - Ele apareceu e entrou na conversa

- E você não está dormindo, porque...

Miroku: Porque eu dormi com a Sango.

Corei.

Sango: Mas não é nada disso que você está pensando. - Disse rapidamente

- Eu não quero pensar em nada. Bom, eu posso ir até o quarto do Kohaku?

Sango: Claro, vai lá.

Subi as escadas e entrei com todo cuidado. Vi o Kohaku dormindo na cama dele e o Sesshoumaru num colchonete.

Corei ao vê-lo, pois ele estava sem camisa.

Ainda não entendo como um homem como ele estava solteiro. As mulheres devem se jogar aos pés dele, não devem? Sesshoumaru pode não tem um porte físico muito forte e desejado pelas mulheres, mas ele tem corpo e sua beleza natural atrai todos a sua volta.

Me aproximei devagar e sentei no chão, ao lado do Sesshoumaru. Toquei seu rosto e ele se mexeu, mas continuou dormindo. Eu sorri e aproximei nossos rostos. Distribui beijos pela sua bochecha, testa, nariz, um selinho na boca e alguns beijos leves no pescoço.

- Acorda dorminhoco. - Sussurrei em seu ouvido - Eu quero sua companhia.

Sesshoumaru on

Abri os olhos com dificuldades e a primeira coisa que vi foi a Rin. Corei violentamente, mas só sorri em seguida.

- Bom dia. - Falei rouco e Rin me deu um selinho, retribuindo meu bom dia

- Argh! Vocês também não. - Kohaku resmungou

Rin e eu sorrimos.

Me sentei e vi Kohaku pisar fundo, indo até o banheiro.

- Ele ta assim porque viu a irmã e o Miroku na sala. Disse que o Miroku parecia engolir a Sango.

Rin gargalhou.

- Pareciam dois leões famintos. - Saiu do banheiro com a escova na boca

- Para de ser exagerado, Kohaku.

- Mas é verdade.

Rin me ajudou a levantar.

- Já venho. - Dei um selinho nela - Me espera lá baixo?

Rin confirmou e saiu.

- Vai demorar muito? To apertado.

- Entra ué. O que você tem, eu também tenho.

Só que eu não fui, sou muito tímido com o meu corpo.

- Eu espero. - Disse sem jeito

- Entra logo. - Ele saiu e me deu espaço

Rin on

Ao chegar na sala, percebi o que o Kohaku falou.

- É, parece que o seu irmão tem razão. Vocês parecem dois leões famintos.

Sango e Miroku se separaram rapidamente.

Miroku: Que susto! Pensei que fosse o pai dela.

- E eu tenho cara de homem, por acaso?

Miroku: Não, mas me assustei de qualquer jeito.

Sesshoumaru on

- Preciso desencalhar também. Não quero viver aqui, vendo o Miroku e a Sango se comendo.

- Ai Deus! Para de falar isso, Kohaku. - Ri dele - Você é muito engraçado.

Depois de um banho e minhas higienes completas, já estava vestido com uma bermuda jeans e uma camisa branca.

Calcei um chinelo emprestado do Kohaku e passei a pentear os cabelos.

- Esses cabelos longos não te sufocam?

- Não. É tradição de família deixá-los assim. Meu pai também tem, assim como meu avô que já morreu.

- Hum. Vamos tomar café? To morto de fome.

- Vamos.

Rin on

Os pais da Sango apareceram e agradeci mentalmente, assim ela largou do Miroku.

Ajudei a arrumarem a mesa pro café, até porque dia de domingo é assim: todo mundo acordando tarde e tomando café quase na hora do almoço. Ta, ainda faltam algumas horas pro almoço, mas deu pra entender.

Sesshoumaru e Kohaku desceram e fiquei ao lado do meu namorado.

Eu já tinha tomado o meu café em casa, mas, pra não ficar excluída, eu aceitei um copo de suco.

Sesshoumaru on

- Que tal irmos para a cachoeira hoje? - Kohaku disse afoito

- Nunca fui em uma. Na cidade não tem isso, só praias mesmo. Mas mesmo assim não gosto de sair de casa, então... - Falei e de ombros

Eu sou mais caseiro.

- Por isso é tão branco. - Sango disse - Parece o gaspazinho. Agora que você e o Miroku estão comigo e a Rin, irão sair mais de casa. Não vão ficar somente enfurnados no trabalho e nem em casa jogando. Podemos ir, papai? - Pediu manhosa

- Podem, mas Kohaku... De olho nesses dois.

- Ok. - Revirou os olhos

- Farei uma cesta cheia de lanche, para que vocês levem. - A mãe da Sango disse

- Antes vou com a Rin até a casa dela. Temos que pedir permissão aos pais dela e eu sempre ajudo quando eles não a deixam fazer algo. - Sango levantou e puxou a Rin

Rin on

Chegando na minha casa, fui falar com os meus pais que não queriam deixar.

- Por favor. Já fomos na cachoeira várias vezes.

Bankotsu: Mas nunca acompanhada de namorado.

Sango: Poxa tio! Deixa a Rin ir com a gente. Meu irmão vai estar lá. Ele vai nos vigiar, meu pai mandou.

Bankotsu: Hum. Tudo bem, pode ir.

- Obrigada pai. - O abracei

Sesshoumaru on

- Podemos ir somente às 20h hoje, Miroku.

- Por mim, eu nem voltaria hoje. Mas já que eu não sou o dono e não sou filhinho do papai, tenho que ir trabalhar na segunda.

Fiquei sem graça.

- Tudo ok? - Sango entrou e estávamos na sala - A Rin só foi por um biquíni e eu vou subir pra por o meu.

Vi Miroku morder os lábios.

Argh! Já vi que esses dois vão se pegar lá também.

- Esperamos por vocês duas no carro. - Miroku disse e a beijou

Kohaku e eu seguimos para o carro do Miroku e ficamos no banco de trás, esperando os outros três.

Rin on

Coloquei o meu biquíni azul escuro e coloquei um vestido, por insistência da minha mãe. Revirei os olhos e concordei, mas coloquei um short por baixo.

Por mim eu iria de calça, mas ela ta certa. É melhor ir de vestido.

Sai de casa, com uma bolsa onde tinha toalha, roupa extra, protetor solar... De novo, por insistência da minha mãe.

Sango sentou no banco da frente e fui pro de trás. Sesshoumaru e Kohaku já estavam ali e fiz uma loucura.

Sentei no colo do meu namorado. Lógico, ele ficou surpreso e corado, mas eu também fiquei.

Sesshoumaru on

Rin colocou a bolsa entre nós e o Kohaku, pois ela estava no meu colo.

Miroku colocou o carro em movimento e Sango ficou o guiando, dizendo por onde deveria ir.

Circulei os braços na cintura da Rin, tentando segurá-la para que fizesse o mínimo possível de movimento por cima do meu colo.

Iria ser bem vergonhoso, pra mim, se ela notasse alguma ereção minha, por conta daquele simples mexido em meu colo. E a estrada de terra, não ajudava.

Ofeguei e tentei me controlar.

Rin on

Fiquei com a cabeça na curva do pescoço do Sesshoumaru e fiquei apreciando seu cheiro.

Às vezes ele apertava minha cintura com força, mas não liguei.

Sesshoumaru on

Me arrepiei ao sentir a Rin chupando meu pescoço.

Era tão estranho sentir aquele fogo dominar meu corpo. Nunca senti isso e Rin estava despertando meu corpo, como nunca havia sido desperto antes.

Suspirei.

Tentava buscar o controle para o meu corpo, principalmente para as minhas partes íntimas. Meu ventre queimava e podia sentir minhas bolas se espremerem com força.

Fechei os olhos e mordi os lábios com força.

Isso não vai prestar.

Rin on

Chegamos na cachoeira e sai do colo do Sesshoumaru. Ele pareceu respirar aliviado.

Sesshoumaru on

Passei a mãos pela franja e soltei todo o ar dos pulmões, de uma só vez.

Miroku pareceu entender o que se passava comigo, pois, ao me olhar, gargalhou.

Esperei um pouco dentro do carro, pois precisava relaxar.

- É amigão, parece que esse ano você deixará de ser virgem. - Miroku falou, só estávamos nós dois ainda dentro do carro

- Eu só não estou acostumado, tá legal? - Disse rouco

- Se não se costumar, vai acabar deixando a sua namorada sem jeito. Você tem que aprender a controlar o fluxo da excitação, se não você vai ficar de pau duro toda vez que estiver com ela.

- E eu não tenho a mínima idéia de como fazer isso.

- Uma hora você vai aprender. - Ele saiu do carro

Suspirei uma última vez e sai.

Rin on

Miroku e Sango não perderam tempo e entraram logo na água.

Sango, Kohaku e eu sempre que podemos viemos aqui.

Kohaku foi nadar também, mas eu estava com vergonha de tirar o meu vestido.

Já não me sinto a vontade mostrando minhas pernas, imagina ficar com aquelas roupas minúsculas?

Sesshoumaru on

Retirei somente a blusa e o chinelo e sentei no chão, na beira do riacho, colocando os pés dentro d'água, esperando pela Rin para que pudéssemos entrar.

- Não vai entrar? - Virei o rosto em sua direção e ela parecia com vergonha

Rin on

- Acho que não. Tenho muita vergonha.

Sentei ao seu lado e coloquei meus pés na água também.

- Você pode entrar, se quiser. Eu vou ficar aqui.

Sesshoumaru on

- E que graça vai ter ir sem você? Os outros estão se divertido juntos, quero entrar com você. - Entrei e fiquei de frente pra ela

- Se está com vergonha de ficar apenas de biquíni, fique então assim como está.

Puxei a Rin e ela me olhou surpresa.

- Vamos até a cachoeira?

Rin on

Sorri pela atitude do Sesshoumaru e fiquei encantada.

- Bom, já que estou molhada, podemos ir sim. Mas antes...

Tirei meu vestido, super corada, mas tirei.

Sesshoumaru me olhou surpreso e também ficou corado.

- Não olha muito pra mim. Vou ficar com vergonha.

Sesshoumaru on

- Não vou olhar. - Desviei meu olhar

- Vamos. - Segurei firme em sua mão e fomos até a cachoeira

Percebi que no trajeto até lá, a água a cobria aos poucos, por ela ser baixinha.

- Sobe nas minhas costas. - Me abaixei um pouco para que ela subisse e assim ela fez

Voltamos a fazer o trajeto sem nenhum empecilho.

Rin on

Ao chegarmos a cachoeira, Sesshoumaru me colocou sentada sobre uma pedra que tinha ali e começamos a nos beijar.

Sesshoumaru on

Eu estava entre as pernas da Rin, enquanto nos beijávamos com intensidade.

Rin circulou as pernas em minha cintura e nossos corpos colaram. Sentir suas mãos em minha nuca, só me deixou arrepiado. Aprofundávamos o beijo a cada passagem de língua.

- Se eu soubesse, não teria vindo. - Kohaku apareceu do nada

- Que susto cara! Avisa antes de aparecer assim feito fantasma.

- Ninguém merece. - Revirou os olhos - Minha irmã ta quase se comendo com o Miroku, lá na frente, e vocês aqui, quase transando nessa pedra.

- N-N-Não e-estamos q-quase t-transando.

- É o que parece. Eu só vim pra segurar vela. - Deu as costas e se afastou de nós dois

Coloquei a mão direita no rosto, evitando que Rin visse meu rosto vermelho, de tanta vergonha que eu estava.

Rin on

"Quase transando"? Não, não estamos.

Sesshoumaru estava com vergonha e eu também estava.

- Acho melhor voltarmos e fazermos um pouco de companhia ao Kohaku. O coitado está sozinho e isso não é legal.

Sesshoumaru on

Confirmei com a cabeça e voltamos da mesma forma, com ela em minhas costas.

Chegando a beira do riacho, ver Rin somente com um short curto e a peça superior do biquíni, me deixou constrangido.

Virei de costas e esperei que ela vestisse o vestido.

Fui até o Kohaku e ele estava com cara de chateado.

- Ah, não. Vocês não vieram se pegar aqui não, né?

- Não. Viemos te fazer companhia.

- Hum. Trouxe seu celular? Podemos entrar no clash of clans agora.

- Mas o sinal aqui deve ser ruim. Vai dar pra logar?

- Não sei. Nunca tentei, mas vamos tentar agora.

Fomos até o carro e pegamos nossos aparelhos celulares.

- Pegou.

- Não acredito.

- Quer formar um grupo de pessoas para fazermos uma guerra agora?

- Vamos, assim ela só vai começar amanhã. Mas vamos só colocar pessoas confiáveis.

-  Ok.

Rin on

Ah não acredito. Eles foram jogar.

Revirei os olhos.

Então ta... Eles jogam e eu fico com os meus animes.

Sesshoumaru on

Kohaku e eu falávamos animados sobre jogos, e percebi que quem estava em completo tédio era a Rin.

Ao longe, vimos Sango e Miroku voltar.

- Quer voltar? Miroku e a Sango podem fazer companhia ao Kohaku agora.

Rin on

Sorri animada e concordei.

Sesshoumaru e eu voltamos pra água e não perdi tempo; comecei a beijá-lo.

Sesshoumaru on

- Ei, Rin... - Larguei ofegante dos seus lábios

- Vamos ir até lá? - Apontei para a cachoeira

Rin concordou e seguimos para de baixo daquela cascata intensa.

Rin on

Comigo nas costas, Sesshoumaru seguiu até a cachoeira e ficou embaixo dela. Dei um pequeno gritinho, pois a água estava gelada; mas depois me acostumei.

Comecei a chupar o pescoço do Sesshoumaru, enquanto estávamos ali.

Sesshoumaru on

- Você parece uma vampira. – Sussurrei - Não pode encostar no meu pescoço, que se aproveita dele.

Ela riu e soltei seu corpo em cima de uma pedra. Rin me puxou e novamente estávamos no beijando com fervor.

Rin on

Eu não consigo ficar muito tempo sem os beijos do Sesshoumaru. Começamos a namorar ontem, mas beijá-lo já virou minha droga.

Sesshoumaru on

Suas mãos passeavam em minhas costas, deixando vários arranhões. Minhas mãos estavam em sua cintura, apertando com força ali.

Gemi contra os lábios da Rin, quando ela puxou alguns fios de cabelos da minha nuca. Ela chupava minha língua com sensualidade e mordia meu lábio inferior, o chupando em seguida.

Suas pernas, novamente, circularam em volta da minha cintura, e aquela proximidade me deixou quente.

Quente até de mais.

Rin on

Sesshoumaru me puxou contra seu corpo. Parecia que ele desejava nos fundir em um só. Eu não reclamei, gostei do que ele fez.

Suas mãos começaram a ser um pouco mais atrevidas e passaram a deslizar pelo meu corpo.

Me arrepiei dos pés a cabeça com aquilo. Não parei o beijo e o momento ia esquentando cada vez mais.

Senti algo me cutucar e fiquei incomodada com aquilo. Aproveitando que eu precisava de ar, me separei do Sesshoumaru e olhei pra saber o que era aquilo que me incomodava.

Corei imensamente ao perceber o que era.

Sesshoumaru on

Virei rapidamente de costas para a Rin, enquanto meu rosto queimava de vergonha.

- E-Eu... R-Rin... - Não sabia o que fazer ou falar

- D-Desculpe. - Foi o que consegui dizer

Continuei de costas, pois da maneira que eu estava não conseguia me virar e encará-la.

Coloquei as mãos no rosto.

Eu estava muito envergonhado, muito mesmo. Não sabia como reagir na frente dela, estando daquela forma.

Rin on

- Sesshoumaru, está tudo bem. Eu entendo que essas coisas aconteçam.

Ele estava morrendo de vergonha e eu também estava.

Sesshoumaru on

Fiquei calado, tentando controlar o meu corpo traiçoeiro.

Tenho que pedir algumas dicas ao Miroku, de como posso me controlar. Por ele ter várias experiências, ele saberá me ajudar com isso.

Olhando meu reflexo na água, só percebi o quão infantil eu ainda sou; apesar de já ter 25 anos. Não parecia um homem e sim um moleque, que não sabe controlar seus hormônios; que naquele momento, estavam a flor da pele.


Notas Finais


Não sei vocês, mas eu fiquei com um pouco de pena do Sesshoumaru, nesse final =/
@Siljin e eu lançamos novas parcerias e os links estarão a baixo, caso alguém queira acompanhar.

Obrigada pela presença de todos. Esperamos que tenham gostado. Bjs e até a próxima. *Sem previsão*

Nem tudo é sofrimento, o amor transforma tudo: https://spiritfanfics.com/historia/nem-tudo-e-sofrimento-o-amor-transforma-tudo-6677840

Um amor de verão: https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-de-verao-6668631

Amor sem limites: https://spiritfanfics.com/historia/amor-sem-limites-6663897

Um mafioso em minha vida: https://spiritfanfics.com/historia/um-mafioso-em-minha-vida-6658251

Um amor inesperado: https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-inesperado-6504548


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...