História Um gamer e uma otaku - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Siljin

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Rin-otaku, Sesshoumaru-gamer
Exibições 229
Palavras 3.781
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite e boa leitura a todos =3

Preparem seus coraçõezinhos 💔💔💔💔

Capítulo 8 - Capítulo Oito


Fanfic / Fanfiction Um gamer e uma otaku - Capítulo 8 - Capítulo Oito

Sesshoumaru on

Chegando no quarto da minha namorada, ela me puxou para dentro, logo trancando a porta.

Ao ver o seu quarto, percebi que era totalmente diferente do meu. Não por ser de uma mulher, claro, mas pelo fato de ser uma completa bagunça.

Pensei que mulheres fossem organizadas. Eu posso ser viciado em jogos, mas eu odeio ver meu quarto bagunçado. É como se eu tivesse uma mania estranha por limpeza e nunca, em hipótese alguma, o deixaria bagunçado.

Mas eu não preciso exagerar em falar do quarto da Rin, já que estavam espalhadas, somente, algumas roupas pelo local e tinha alguns posters colados por toda a parede do seu quarto.

Rin on

- Fique a vontade, Sesshy. Eu sei que meu quarto é diferente do seu, mas espero que não se importe com essa bagunça.

- Bom, você vai querer tomar banho, comer algo...??

Sesshoumaru on

- To sem fome, mas o banho eu aceito.

Rin me entregou uma toalha e me mostrou onde era o banheiro.

Retirei o tênis e a meia, os colocando perto de sua cama. Segui até o banheiro e logo fui tomar meu banho.

Rin on

Enquanto o Sesshoumaru tomava banho, aproveitei e troquei de roupa.

Coloquei uma roupa mais comportada e, quando ouvi a porta do banheiro se abrindo, tive uma mega surpresa.

Sesshoumaru estava sem camisa e com a toalha em volta do pescoço.

O que é isso? Meu. Deus! Vou ter um ataque do coração com tanta beleza.

Sesshoumaru on

Coloquei minha blusa sobre a cadeira e sentei na cama da Rin.

- Se quiser, posso te levar amanhã cedo no colégio. - Falei corado

Rin on

- Sério? - Ele concordou e eu sorri

- Eu adoraria, Sesshy.

Pulei no pescoço dele e comecei a dar vários beijos em seu rosto.

Sesshoumaru on

- Depois que te deixar, vou pra casa. Assim volto pro trabalho depois do meio dia e meu pai não vai achar ruim por ter faltado pela manhã.

Coloquei a toalha na cadeira e deitei, com a cabeça da Rin sobre meu peito.

- Melhor você dormir. - Beijei sua testa

Rin on

Fechei meus olhos, enquanto o Sesshoumaru acariciava os meus cabelos.

Foi meio difícil de dormir, sentindo a pele do Sesshoumaru em contato com a minha; mas no final acabei pegando no sono.

Pela manhã, acordei com o bendito despertador. Sesshoumaru também acordou e me deu bom dia.

- Bom dia, Sesshy. - Dei um selinho nele

- Você quer usar o banheiro primeiro? Eu vou demorar. Tenho que tomar banho, colocar o uniforme, arrumar meu cabelo... Isso leva tempo.

Sesshoumaru on

Concordei e ela me deu uma escova de dentes, ainda na embalagem.

Segui para o banheiro e tratei de fazer minha higiene pessoal com rapidez, para que Rin entrasse em seguida no banheiro.

Rin on

Assim que o Sesshoumaru saiu, eu entrei.

Fiz todas as minhas higienes, tomei meu banho tranquilamente, vesti o uniforme, penteei meu cabelo, escovei meus dentes e sai; encontrando com o Sesshoumaru no meu quarto.

Sesshoumaru on

Fechando o último botão da minha blusa, vejo Rin sair do banheiro com uma minúscula saia.

Arquei a sobrancelha, mordendo o canto da boca, meio chateado.

- Não me leve a mal, mas essa é mesmo a saia do seu uniforme? - Apontei para aquele pedaço de pano minúsculo

Rin on

Achei estranha a pergunta do Sesshoumaru.

Claro que aquela era a saia da escola. Se não fosse, por que eu usaria?

- É sim, por que? Algum problema com ela?

Sesshoumaru on

- Não, nenhum. - Falei irônico

- Você não acha que ela ta grande demais? Quer cortar mais um pouco? – Ironizei - Se quiser, eu mesmo corto pra você.

Rin on

Comecei a rir

- Sério Sesshy? Você ta achando a minha saia curta? Olha, esse foi o tamanho decidido pela escola. Eu não posso fazer nada contra isso. É um uniforme obrigatório.

Sesshoumaru on

- Não sei como seu pai permitiu isso. Ele pode ser rabugento às vezes, mas se ele não brigou por causa dessa saia, então quer dizer que a implicância toda é só comigo. - Cruzei os braços e juntei as sobrancelhas

Rin on

- Você fica ainda mais lindo, quando está com ciúmes.

Me aproximei dele e circulei os braços em seu pescoço.

- Não fica assim, Sesshy. Ninguém olha pra mim. Sempre passei despercebida por todos, pois ninguém me acha atraente. Então não precisa se preocupar.

Sesshoumaru on

- Não é só pelo fato de você ser bonita e atraente, mas sim pelo simples fato de você está mostrando as suas pernas. - Falei enraivecido

- Você ta usando, ao menos, um short aí de baixo? Diz que sim.

Rin on

- Calma! Eu estou sim, Sesshy. Nunca saio sem um short por baixo. Não me sinto a vontade usando saia e vestido, por isso uso um short também.

Sesshoumaru on

- Me acalmou um pouco. - Ela sorriu e beijou meu bico de manha

- Mas saiba que eu não aprovo esse uniforme. - Circulei sua cintura

- Só de pensar que outro possa ficar olhando pra suas pernas, fico perturbado.

Rin on

- Sesshy, eu já falei que ninguém olha pra mim. Não precisa ficar assim.

Sesshoumaru on

- Se você diz, eu acredito. - Capturei seus lábios

Era um beijo simples, mas que logo foi ganhando intensidade.

Resolvi pará-lo, ou iríamos nos atrasar.

- Melhor descemos para tomar café, não quero que seu pai brigue com você. - Dei um selinho nela

Rin on

Concordei, peguei minha mochila e descemos. Na mesa do café, encontramos com os meus pais e até que meu pai não falou nada.

Aposto que minha mãe puxou a orelha dele.

Assim que terminei de comer, Sesshoumaru se despediu dos meus pais, falando sobre o desejo dos Taisho de conhecê-los e ficamos de combinar um dia.

Assim que meu namorado estacionou em frente a escola, eu ia abrir a porta pra sair, mas o Sesshoumaru saiu e fez isso pra mim.

- Obrigada Sesshy, mas não precisava se incomodar em abrir a porta pra mim.

Sesshoumaru on

- Faço questão. - Retribui ao seu sorriso encantador

- Bom, eu já vou. Espero que se comporte. - Disse corado

- Espero que a semana passe rapidamente para vir ao seu encontro. - Falei sem graça

Rin on

- Eu também espero, Sesshy. Já me acostumei a ter você por perto e a dormir com você. - Disse corada

- Você não vai embora, sem me dar um beijo de despedida, neh?

Sesshoumaru on

- M-Mas a-aqui? Na frente de todo mundo? - Senti meu rosto queimar de vergonha

- Vou morrer de vergonha, Rin.

Rin on

- Eu também vou, mas não vamos nos importar com eles. Eu quero o meu beijo de despedida. Você acha que não mereço? - Perguntei com manha e fazendo bico

Sesshoumaru on

- T-Tudo bem.

Aproximei timidamente meus lábios nos dela e meu rubor aumentou. Rin então completou o ato e veio o beijo.

Era um beijo tímido, mas cheio de carinho.

Não demoramos e ela parou o beijo, com alguns selinhos nos meus lábios e rosto.

Fiquei ainda mais sem jeito, mas deixei que ela continuasse.

- Melhor entrar, ou vai se atrasar, meu anjo. - Sussurrei

Rin on

- Tudo bem. Nos vemos no final de semana.

Dei mais um beijo rápido no Sesshoumaru e entrei na escola.

Ouvi algumas garotas comentando sobre mim e o cara gostoso no portão.

Fiquei incomodada, muito incomodada. Sesshoumaru é meu e elas não podem falar isso dele. Tudo bem, ele é gostoso, mas elas não podem falar isso.

Encontrei com a Sango, já na sala de aula, e conversamos sobre o nosso final de semana.

Sango: Kohaku não quer nos ver nem pintadas de ouro. Ele nos culpa por termos afastado os meninos dele.

- Seu irmão precisa de uma namorada urgentemente.

Sango: Também acho. Tantas garotas legais querendo ele, e o tapado só quer saber de jogar.

- Tenta conversar com ele, San. Melhor, pede ao Miroku. Eles são amigos, então será melhor e menos constrangedor.

Sango: Boa ideia, Rin.

Sesshoumaru on

Entrei em meu carro, com um sorriso de ponta a ponta nos lábios. Suspirava, enquanto dirigia para casa.

Tenho a melhor namorada que poderia ter neste mundo.

Cheguei em casa umas 11:30 e fiquei pro almoço, para depois seguir para a empresa do meu pai.

Ele chegou ao meio dia e não brigou comigo, por ter faltado a empresa pela manhã.

- Como foi com a Rin? - Ele perguntou sorrindo

- Foi bom. A deixei no portão do colégio. - Comíamos a comida da mamãe, que estava deliciosa como sempre

- Hum. Izayoi e eu somos gratos a ela por estar lhe arrancando daquele quarto.

Corei.

- Gosto muito dela e quero que ela seja a sua esposa futuramente. - Mamãe disse sorrindo

- Se até lá ela não enjoar de mim, possa ser que casemos mais pra frente. - Me pronunciei, super vermelho

- Acho fofo quando você fica vermelho. - Ela apertou minhas bochechas, me deixando ainda mais sem jeito

- Vai me acompanhar depois do almoço para o trabalho?

- Vou sim, pai. Só vou tomar banho e trocar de roupa. - Me levantei e levei meu prato até a pia, o lavando em seguida

- Temos muito papéis para revisar e assinar.

- Tudo bem.

Subi para o quarto e fui tomar meu banho, para logo depois seguir com o pai para a empresa.

Rin on

6 meses depois

Já falei que meu namorado é perfeito? Não? Mas ele! Ele é muito perfeito. A cada dia que passa, eu me apaixono cada vez mais. Já tenho certeza sobre os meus sentimentos pelo Sesshoumaru. Agora que sei que o amo, mas ainda não admiti. Sou tímida, vocês sabem, então não falei nada; mas eu o amo.

Nesses meses de namoro, Sesshoumaru e eu fomos juntos em todos os eventos de animes e games; assim como a Sango foi com o Miroku e o Kohaku sozinho. Ele continua com essa palhaçada de não querer namorar. Vai morrer sozinho, se continuar assim. Nós tentamos ajudar, mas ele não nos ouve.

Já dizia a minha mãe: O pior surdo é aquele que não quer ouvir.

Meus pais foram até a casa dos Taisho, para uma reunião em família. Eu passei tanta vergonha. Nossa... Eu não sabia onde enfiar a minha cara.

Meu pai e o do Sesshoumaru se deram muito bem e viraram melhores amigos. O mesmo vale pra minha mãe e Izayoi, que já está com uma barriga a mostra; por conta da gravidez. Sendo que, as duas tiveram a brilhante ideia de contar histórias da minha infância e da infância do Sesshoumaru.

Pra que? Falar da gravidez não era o bastante? Elas precisavam falar da infância e de quando eu corria pela casa, apenas de calcinha?

Eu não consegui encarar mais ninguém, aquele dia.

Sesshoumaru on

Seis meses de namoro e estava sendo inacreditável pra mim.

Alguns constrangimentos, mas nada era melhor do que passar ao lado da Rin, minha namorada.

A certeza de que a amo é infinita. Ela me faz tão bem.

Estou em meu quarto, é sexta, e novamente irei ir buscá-la para vir passar o final de semana aqui na minha casa.

Meus pais e os dela se conheceram, e hoje se dão super bem.

A afinidade veio mais por conta de ambas as famílias serem do tempo tradicional, onde um rapaz e uma moça teriam que se casar com o seu primeiro namorado. E eles sempre tinham esse tipo de conversa, que sonhavam em nós ver juntos e com os nossos filhos; com a casa cheia de netos.

Fico tão vermelho com esse tipo de assunto.

Amanhã irei fazer uma pequena surpresa pra Rin. Comprei nossas alianças de compromisso, para selar o nosso namoro.

Contei a minha mãe e ela me desejou ainda mais felicidades, dizendo que amanhã faria um almoço especial para Rin e eu.

- Já vou mãe e pai. - Falei assim que desci, e os vi no sofá da sala

- Boa viagem filho. - Como sempre beijou a minha testa e fez o sinal da cruz

- Semana que vem, diz pro Bankotsu que estaremos lá. Levarei algumas caixas de cervejas, para fazermos um churrasco em família.

- Ok pai.

Fui então até o carro.

Feliz, segui viagem até a casa da minha namorada.

Rin on

Assim que cheguei da escola, fui correndo até o meu quarto. Tomei banho, coloquei uma calça jeans, regata e sapatilha. Dei uma última olhada na minha bolsa, pra ter certeza de que não estava esquecendo nada. Desci e fui até a cozinha, onde preparei algo pra almoçar. Assisti um pouco de TV e decidi adiantar o dever de casa, enquanto o Sesshoumaru não chegava.

Sesshoumaru on

Algumas horas depois e eu já estava em frente a casa da Rin.

Toquei sua campainha e ela, ao me ver, pulou em meu colo, me deixando envergonhado.

- Podemos ir? - Soltei um sorriso com o rosto corado

Rin on

- Podemos. Espera só um minuto.

Fui correndo guardar os meus livros da escola, peguei minha bolsa e então tranquei a casa.

Sesshoumaru e eu entramos no carro e fomos para a casa dele.

Sesshoumaru on

- Meu pai pediu para dizer ao seu que próximo final de semana ele vem junto da minha mãe, para fazer um churrasco em família, mas seu pai não está em casa. Depois eu dou o recado. - Falava no meio do caminho, de volta pra minha casa

- Mas me fala, como foi a semana?

Rin on

- Se você quiser, mais tarde eu peço a minha mãe pra dar o recado. Sabe que ela gosta, quando mando mensagem falando que cheguei bem.

- E respondendo a sua pergunta. Foi uma semana normal. Não teve nada demais. E a sua?

Sesshoumaru on

- Agradeço se fizer isso. E minha semana foi normal como as outras. Você sabe. Jogar, jogar e jogar.

Ela riu.

- Ainda não desencalharam o Kohaku? Ele ainda muito estressado ultimamente. Olha, não é legal jogar com ele pela webcam, desta forma. Ele diz cada palavrão, que meu Deus. - Revirei os olhos

Rin on

- Argh! Nem me lembre dele. Sango e eu tentamos apresentar algumas garotas a ele, porém o estúpido da um gelo nelas.

- Quem faz isso, em sã consciência? Ele deve ter algum problema.

Sesshoumaru on

- Vocês só não estão pensando, amor. Ele ainda só não encontrou a sua outra metade, assim como Miroku e eu achamos. - Falei corado

Rin on

- Já falei que você é muito fofo, e tenho vontade de te beijar sempre que você cora?

Sesshoumaru corou mais ainda e eu ri.

Sesshoumaru on

- Não me deixa mais sem graça. - Tentei me concentrar somente na estrada

- Não me faz perder o foco. - Senti sua mão em minha coxa e um frio dominou minha barriga

Rin on

Mesmo estando juntos a seis meses, Sesshoumaru e eu nunca passamos dos beijos. Sempre que a coisa esquentava, um de nós parava. Era sempre a mesma coisa.

Tenho vontade de tocá-lo e decidi fazer isso. Já vi essa cena em filmes e séries e pensei: Por que não?

Coloquei minha mão em sua coxa e o senti estremecer. Não retirei minha mão. Queria ver até onde iríamos com aquilo.

Sesshoumaru on

Respirava fundo, enquanto buscava o foco na estrada.

Rin apertou minha coxa e eu rapidamente coloquei uma de minhas mãos em cima da sua.

- N-Não faça isso, Rin. - Falei nervoso

- Tenho que te levar e trazer com segurança, e desta forma não vou conseguir fazer isso.

Rin on

Suspirei e retirei minha mão dali.

Fiquei olhando pela janela, enquanto via a paisagem passar diante dos meus olhos, até que peguei no sono.

Sesshoumaru on

Depois de algumas horas, chegamos.

Acordei a Rin e logo entramos em casa, sendo recebidos por um sorriso largo da minha mãe.

- Já que minha norinha predileta chegou, quero convidá-la para que a amanhã a tarde venha me ajudar nas compras do meu menininho, o que acha? Aceita? - Perguntou empolgada

Rin on

- Claro que aceito. - Respondi sorrindo - Vou adorar ajudá-la. E como vai esse menininho?

Toquei sua barriga e ele chutou.

- Pelo visto, continua chutando bastante.

Izayoi: Sim, ele chuta muito. Inu fica todo bobo, quando sente o chute do nosso pequeno.

Inu no Taisho: Fico nada. Não fale besteiras mulher.

Izayoi: Inu, para neh? De longe, conseguimos perceber a sua cara de bobo.

Vi o mais velho corar levemente, o que fez todos rirem.

Sesshoumaru on

- Vão jantar. Vocês devem estar famintos. - Mamãe falou

Segurei na mão da Rin e fomos para a cozinha, fazer a nossa refeição da noite.

- Saber que daqui a poucos meses terei um irmão, me alegra. - Pegava as coisas na geladeira

- Fico pensando, às vezes, se serei um bom irmão mais velho pro pequeno.

Rin on

- Eu não acho que você será bom irmão. - Sesshoumaru me olhou um pouco desapontado

- Eu acho que você será o melhor irmão que essa criança pode ter. Por que acha que não seria?

Sesshoumaru on

Corado, suspirei aliviado.

- Não sei, mas acho que eu não seria um bom exemplo pra ele. - Sorri fraco

- Talvez porque sou um homem de 25 anos, contendo a personalidade de um de 16. - Tirei nossa comida do microondas

- Acho que tenho que amadurecer mais, para poder dar exemplo a ele. Não quero que ele se torne um nerd, como eu, e seja chacota na escola por isso.

Rin on

- Qual o problema em ser nerd? Eu sou uma.

- Você prefere que seu irmão seja o playboy, pegador da escola, ao invés de ser o nerd que terá um futuro brilhante?

Sesshoumaru on

- Se você soubesse o que eu passei, não falaria assim comigo. - Disse chateado

- Não tenho nada contra os nerds, só acho que algumas pessoas não merecem o respeito de um nerd; que sempre dá duro nas matérias e no fim ajuda um falso amigo, para no final das contas ser humilhado por conta de míseras notas para passar no fim do ano. Acho que todos eles deveriam mostrar o quanto foram pra frente e jogar na cara desses tipinhos o quão importantes ficaram com a sua nerdisse.  - Suspirei pesado

- Mas como eu não sou assim, prefiro mostrar que sou o melhor com os meus trabalhos, na empresa do meu pai.

Rin on

Nunca tinha visto o Sesshoumaru chateado. Aposto que isso que ele falou tem haver com aquela mulher que encontramos na praia.

Decidi ficar quieta e jantamos em silêncio.

Sesshoumaru on

Depois que jantamos, lavei, em silêncio, a louça suja, com Rin ao meu lado, fazendo o mesmo.

Com a louça seca, demos boa noite para os meus pais e subimos para o meu quarto.

- Pode tomar banho primeiro. Irei jogar algumas partidas com o Kohaku. - Falei simplesmente

Tirei o tênis e me sentei na cadeira, ligando o computador de imediato.

Loguei na minha conta e não demorou para que o Kohaku e eu jogássemos alguns Pvp's contra os cara.

Rin on

Depois do banho e tudo mais, sai do banheiro e deitei na cama.

O clima estava estranho, entre o Sesshoumaru e eu. Não sei o que devo fazer nessas situações, mas decidi dar tempo a ele.

Sesshoumaru on

- Você não sabe o que andei escutando semana passada. - Kohaku comentou

- O quê?

- Argh!!!! Só de dizer dá nojo, mas sei que já está acostumado, até porque sei que você já deve ter comido a Rin.

- Respeita minha namorada, seu idiota. - Escrevi, mas estava com o rosto vermelho

- Calma, não fica nervosinho.

- Olha o que fica falando. Ta doido por acaso? Rin não é qualquer uma pra você ficar falando essas coisas.

- Tanto faz. Então, eu ouvi minha irmã gemendo no quarto dela, e como fica ao lado meu, tive que suporta aquela gemessão toda.

Corei violentamente.

- Tava escutando atrás da porta as intimidades da sua irmã, seu doido?

- Não, né cara. Eu estava descendo pra ir beber água e, como disse, o quarto dela fica ao lado. Eca! Nem quero pensar no que ela o Miroku estavam fazendo.

- Quer saber? Vamos parar com esse assunto e vamos jogar. Não quero saber da intimidade do meu amigo e nem da sua irmã. Que coisa feia, ficar comentando essas coisas.

- Ta, só quis me abrir com alguém.

- Mas esse tipo de assunto, eu não quero saber.

- Ok!!! Vamos jogar então.

Rin on

Conversei um pouco com a minha mãe por mensagem, pedi que ela desse o recado ao meu pai, que concordou com a ideia.

Peguei meu fone e fiquei ouvindo música, de olhos fechados, enquanto tentava colocar meus pensamentos em ordem.

Sesshoumaru on

Não me liguei na hora, e ainda não havia ido tomar banho.

Kohaku e eu estávamos empolgados com as partidas sérias. Estávamos ganhando uma atrás da outra e é isso muito bom.

Eu ainda não tinha uma derrota com o meu Lupus e só por essa proeza me sentia um máximo.

Rin on

Olhei pro relógio e vi que já passava de 1h da manhã e o Sesshoumaru continuava no computador.

Guardei meu celular e fui até o meu namorado.

- Sesshy, você não vem dormir? - Sentei em seu colo e enlacei meus braços em seu pescoço

Sesshoumaru on

Naquele momento crucial de uma batalha árdua. Eu era o único vivo, combatendo os 3 inimigos de uma vez, que não quiseram dar x1. Tentava desviar e tirar sangue deles, para finalmente acabar a jogada, enquanto Kohaku torcia por mim.

Eu estava com meia vida, e todos eles com uma vida. Então o primeiro se foi, e ficaram dois.

Kohaku colocou um “chupa essa”, na mensagem do chat e eu me empolguei.

O segundo logo foi pro beleleu.

Vai lá Sesshoumaru! Você consegue. Só falta um.

Foi tudo questão de segundos e eu morri.

- CARALHO!!!!! PUTA QUE PARIU, RIN!!!! O QUE VOCÊ FEZ????? – A tirei de cima de mim, quase que a arrancando do meu colo

- VOCÊ ME FEZ PERDER A PARTIDA!!!!!! TAVA QUASE GANHANDO!!! PORRA! NÃO ACREDITO! QUE MERDA, HEIN RIN??? POR QUE VEIO ME ATRAPALHAR??? - Falava nervoso

- VOCÊ NÃO PODIA ESPERAR EU SAIR DESSA MERDA PRA VIR ME AZUCRINAR? - Fechei as mãos com força, pois estava com muita raiva


Notas Finais


Estou com o coração partido 💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔💔 Poxa Sesshy, eu só queria atenção =(

Nova parceria com a @Siljin:
O filho do reverendo: https://spiritfanfics.com/historia/o-filho-do-reverendo-7132202

Outras parcerias recentes:
Meu ginecologista: https://spiritfanfics.com/historia/meu-ginecologista-7027919

Aparência não é tudo (Fic sobre bullying): https://spiritfanfics.com/historia/aparencia-nao-e-tudo-6914634

Meu lado obscuro (Rin-Vampira/Sesshoumaru-Humano): https://spiritfanfics.com/historia/meu-lado-obscuro-6843123

Além da escuridão (Rin-Enfermeira/Sesshoumaru em coma): https://spiritfanfics.com/historia/alem-da-escuridao-6765501


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...