História Um gamer e uma otaku - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Siljin

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Rin-otaku, Sesshoumaru-gamer
Exibições 195
Palavras 3.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa tarde gente.

Me senti muito mal por todos me recriminarem, mas quero dizer a vocês que eu já fui muito viciada em Grand Chase, e gastei quase 3 mil reais com essa jogo. Eu já fiz o mesmo que o Sesshoumaru, no último capítulo. Eu já gritei e quase joguei o notebook em uma pessoa. Já dei murro no note, quebrei teclado por estar com raiva...
A imagem de capa são alguns cartões e um poster do jogo que tenho até hoje. Nas Notas finais, vou deixar o link do meu canal no youtube, onde tenho videos do jogo.

Boa leitura a todos =3

Capítulo 9 - Capítulo Nove


Fanfic / Fanfiction Um gamer e uma otaku - Capítulo 9 - Capítulo Nove

Rin on

Fiquei paralisada e muito assustada com a reação do Sesshoumaru. Meus olhos encheram d'água, mas eu não chorei; só fiquei parada olhando o Sesshoumaru soltar os cachorros em mim.

Sesshoumaru on

Com raiva, desliguei o computador, quase que derrubando a tela no chão, e pisei fundo indo pro banheiro.

O coração estava a mil, minha respiração rápida e o sangue bombava forte pelas minhas veias. Tirei as roupas e joguei de qualquer jeito no cesto de roupa suja.

Entrei no box e deixei a água morna relaxar meu nervos. Aos poucos fui me acalmando e só aí percebi a burrice que havia feito com a Rin.

Mas poxa, por que ela fez aquilo? Ela sabe que quando estou em jogo, o assunto é sério.

Passei a mão direita pelo rosto.

- Tsc! Que babaquice eu fiz? - Falei arrependido

Encostei a testa na parede e fiquei pensando, com remorso, na minha atitude ignorante com a Rin.

Rin on

Assim que o Sesshoumaru entrou no banheiro, eu desabei no choro. Eu não consegui segurar, era mais forte do que eu. Meu coração estava doendo demais e fui tremendo até a cama.

Voltei a deitar e me cobri até a cabeça. Encolhida no meu canto, chorei silenciosamente até pegar no sono.

Sesshoumaru on

Após o banho, me sequei e vesti somente uma calça moletom pra dormir. Voltei para o quarto e vi que não daria para me desculpar hoje, já que a Rin dormia.

Fiz burrice, eu sei, mas vou reparar amanhã. Irei recompensá-la da melhor maneira possível.

Deitei ao seu lado, mas achei melhor não incomodá-la, então virei de costas pra ela.

É a nossa primeira discussão e eu já me sento horrível.

Deixei uma lágrima de arrependimento cair e dormi super mal pelo que tinha dito a ela.

Rin on

Acordei, mas minhas pálpebras estavam muito pesadas, por causa do choro e da noite mal dormida. O acontecimento de ontem me perturbou até em meus sonhos.

Sesshoumaru estava dormindo e eu que não iria acordá-lo.

Levantei da cama, peguei minha bolsa e entrei no banheiro. Ao olhar meu reflexo no espelho, vi como eu estava horrível.

Fiz todas as minhas higienes e, como lavar o rosto não estava funcionando, decidi tomar um banho pra tirar aquela cara de choro.

Ao entrar debaixo do chuveiro, deixei a água morna escorrer pelo meu corpo, e desejei que ela levasse toda a tristeza que estava em meu coração.

Sesshoumaru on

Acordei e virei pro lado, mas me decepciono em não ver a Rin ao meu lado.

Sentei na cama e cocei os olhos.

- Tento que pedir perdão. - Falei com rouquidão

Ouço o barulho do chuveiro e me desespero ao ouvir um choro.

É ela e a culpa é minha.

Respirei fundo e levantei da cama.

- Como eu sou burro. - Bati na minha própria cabeça

Tirei a roupa e, sem pensar duas vezes, entrei no banheiro, indo até a Rin.

- Perdão amor. Me perdoa, Rin. Não quis ser grosso com você. - Abraçado ao seu corpo, que estava de costas pro meu, suplicava o seu perdão, enquanto sentia as lágrimas em meu rosto se misturarem a água do chuveiro

- Perdão, por favor, me perdoa. - Apertei seu corpo ao meu

Rin on

Malditas lágrimas que não me deixam em paz. O motivo desse banho era pra impedi-las de caírem novamente, porém eu sou fraca e deixei rolar.

Me assustei ao sentir o Sesshoumaru me abraçar, enquanto pedia o meu perdão.

Ignorando o fato de que estamos nus, eu me soltei dele e ficamos frente a frente.

- Faz ideia de como você me magoou? Faz ideia de como sofri ao ouvir aquelas palavras de você? - Disse com lágrimas nos olhos

- Sesshoumaru, eu sei que o jogo é importante pra você, mas eu pensei que eu também era. Depois de ontem, eu já não penso mais assim.

- Poxa! Nós só ficamos juntos aos finais de semana e você me larga pra jogar? Você acha que eu não mereço a sua atenção? Como você se sentiria, se eu abandonasse você e ficasse vendo os meus animes?

- Nós mal nos falamos durante a semana, pois você fica no jogo e eu com os meus animes. Sendo que, quando o final de semana chega, eu largo tudo pra te dar atenção. Entretanto, você não faz o mesmo sacrifício por mim.

- Quer saber como me sinto, quando você escolhe jogar do que me dar atenção?

- Eu me sinto invisível, desprezada, inútil, descartável... É como se minha presença não significasse nada pra você.

- É exatamente assim que eu me sinto.

Sesshoumaru on

- Perdão. Eu não sabia que você se sentia desta forma. Falei sem pensar, foi da boca pra fora. - Acariciei seu rosto, mas se ela afastou

- Prometo que deixarei o jogo mais de lado, quando estivermos juntos, mas me perdoa, por favor. Não vai se repetir, eu juro. - Chorava com ela

Suas lágrimas feriam meu coração e tudo era culpa minha.

- Faço o que você me pedir, mas diz que me perdoa?!

Rin on

- Sesshoumaru, tudo o que eu quero de você é que me dê mais atenção. É só isso. Será que é pedir demais?

Sesshoumaru on

- Não! - Abracei seu corpo com força

- Prometo de dar toda atenção que você quer. - Senti seus braços em volta da minha cintura

- Você vai me perdoar, não vai? - Sussurrei

Rin on

Suspirei.

- É claro que vou. Mas saiba que suas palavras ainda me atormentam. Espero esquecê-las um dia.

Sesshoumaru on

- Me desculpe, novamente. - Colei minha testa na sua

- Hoje era pra ser um dia especial pra nós dois, e eu somente estragei tudo. - Fechei olhos

- Nunca mais farei isso com você. - Sorri fraco

- Fiquei tão desesperado, que nem me importei de ficar assim na sua frente. - Corei, ao perceber que estávamos nus

Estava tão nervoso, que nenhum me toquei, até agora, na loucura que havia feito.

Rin on

Só depois dessas palavras, que eu fui me lembrar que estávamos nus.

Corei até não poder mais e depois sorri.

- Quer saber? Eu não me importo.

Sesshoumaru abriu os olhos e me encarou, o que só me fez corar mais ainda.

- Nós somos namorados e, que eu saiba, namorados tomam banho juntos. Não vejo problema em fazermos isso. Na verdade, eu acho que é uma ótima oportunidade de conhecermos o corpo um do outro. Assim, quando nós fizermos... Você sabe... Enfim, quando rolar, nós não sentiremos tanta vergonha.

Eu não consegui encarar o Sesshoumaru, enquanto eu falava tudo isso.

Sesshoumaru on

- Eu te amo. - Sussurrei e, corado, escondi minha cabeça em seu pescoço

Suspirei pesado e minha respiração ficava mais pesada com aquela aproximação. Era como se meu corpo despertasse um fogo, que só o dela me fazia sentir.

Não ousei em contar.

Calado, chupei a pele molhada do seu pescoço e estremeci ao sentir meu membro vibrar.

Era uma sensação única e que me deixa fora de órbita. Não queria desrespeitá-la, tocar seu corpo sem seu consentimento, mas queria sentir, naquele momento, sua pele me acolher.

Meu corpo parecia querer se banhar com o seu prazer, fundir sua alma na minha e unir seu coração ao meu.

- Não quero mais viver sem você. Eu dependo de você. Agora vivo somente por você, porque te amo muito.

Rin on

As palavras do Sesshoumaru tiveram uma reação direta com a minha parte íntima.

Eu o desejo tanto.

- Sesshy, eu também te amo muito.

Ele me olhou e então o puxei pra um beijo. Suas mãos estavam fixas na minha cintura, mas aos poucos elas começaram deslizar pelas minhas costas.

Percebi que o Sesshoumaru parecia estar com medo de me tocar, então segurei uma de suas mãos e a coloquei sobre minhas nádegas.

Lógico, ele ficou surpreso e corado, mas eu precisei fazer isso; pois se dependesse do meu namorado, ele não faria.

Sesshoumaru on

Com o incentivo da Rin, fiz pressão com o seu corpo contra o meu. Gemi ao sentir meu membro roçar em sua barriga e aquilo simples atrito me acordou.

Sem jeito, por estar daquela força diante dela, me soltei e virei de costas pra ela.

Era vergonhoso pra mim. Não queria assustá-la, nem constrangê-la e muito menos me insinuar daquela forma indecente.

- M-Melhor eu sair. - Disse com o meu coração palpitando. Parecia mais que ele sairia pela minha boca

Rin on

- Não sai não. - Segurei em seu braço e o abracei por trás.

- Fica comigo, Sesshy. Por favor.

Sesshoumaru on

- Tenho vergonha e medo, Rin. - Senti sua cabeça deitar no meio das minhas costas

Estava trêmulo. Uma adrenalina consumia meus poros e meu sangue fervia. Era alucinante e eu sentia meu membro pulsar.

Mordi o lábio inferior com força, para não gemer, ao sentir uma das mãos da Rin me segurar...

Na minha masculinidade.

Rin on

Ai que vergonha, mas eu quero ficar com o Sesshoumaru. Já que estou nas costas dele, escondendo assim o meu rosto, fica melhor pra me soltar.

Desci minha mão direita até o seu membro e o segurei com delicadeza.

Já tive umas conversas com a Sango e ela me contou que faz isso com o Miroku. Eu não queria ficar sabendo desses detalhes, porém ela sabe que continuo virgem; então ela me deu umas dicas pra me soltar mais e tal. Eu nunca tinha feito nada, por vergonha, mas não é hora pra isso.

Passei a movimentar a minha mão, pra cima e pra baixo, bem devagar; só pra provocá-lo. Além do mais, nunca fiz isso antes e tenho medo de fazer errado, ou machucá-lo.

Sesshoumaru on

Fechei os olhos e meu coração disparou com mais força. Já podia ouvir as batidas dele.

Rin me apertou e eu arfei, soltando todo o ar dos pulmões.

Céus! Que sensação é essa? Ela é boa e ao mesmo tempo desesperadora. Parece que vou perder a cabeça a qualquer momento.

Rin on

Continuei a fazer aqueles movimentos, pois queria uma reação do Sesshoumaru. Eu quero saber o que ele está sentindo, se aquilo é bom ou ruim.

Enquanto minha mão direita continuava em seu membro, levei a esquerda até o seu peito e fiquei fazendo um carinho ali e beijando suas costas.

Sesshoumaru on

- Rin... Amor... - Chamei-a gemendo

Aquele desejo aumentava e eu já transbordava de tesão.

Levei uma das mãos até a franja e passei a puxá-la de leve. Tentava conter aquelas insanidades que Rin estava acendendo em meu corpo.

Acho que a qualquer momento eu vou explodir.

Nunca havia feito aquele tipo de coisa. Nunca fui do tipo de olhar vídeos explícitos na Internet, e nem de procurar mulher. Rin era a primeira a me tocar daquela forma. Ela estava batendo minha primeira punheta, pois eu nunca ousei em fazer isso.

Sou muito envergonhado para essas coisas e sou muito tímido com o meu corpo. Tocá-lo, então, era um bicho de sete cabeças indecifrável.

Rin on

Eu continuei a tocar o Sesshoumaru e o ouvi gemendo rouco. Ele estava chamando pelo meu nome. Admito, isso me excitou. Na verdade, toda aquela situação era muito excitante.

- Está gostando, Sesshy?

Sesshoumaru on

- Eu... Rin... - Não conseguia dizer coisa com coisa

- É bom... Mas também é angustiante... - Ainda estava de olhos fechados

- Estou sentindo... Como se eu fosse explodir... - Falava em pausas

- Rin... Céus! Eu vou.... Explodir. - Puxei o cabelo com força

Rin on

Bom, pelo modo que o Sesshoumaru falou, acho que ela está gostando.

Dei ainda mais ritmo aos movimentos da minha mão, até que um líquido branco e um pouco viscoso me lambuzou toda. Foi ai que eu percebi que o Sesshoumaru tinha gozado.

Sesshoumaru on

Meu peito subia e descia frenético e meu rosto queimava de tanta vergonha.

- Rin... - Fiquei sem ter o que falar

- D-Desculpe... Eu não queria fazer isso. - Falei sem jeito

Não conseguia encará-la, então fiquei do jeito que estava.

Rin on

- Mas eu queria, por isso continuei.

Virei o Sesshoumaru, mas ele permanecia de cabeça baixa. Liguei o chuveiro novamente e lavei minha mão. Logo em seguida, puxei o Sesshoumaru e fiz com que ele me abraçasse.

- Não tenha vergonha de mim, Sesshy. Você me quer, não quer? Você quer perder a virgindade comigo? Mas pra isso acontecer, nós precisamos deixar um pouco da nossa timidez de lado.

Sesshoumaru on

- Você me deixa tão sem jeito. - Repousei minha cabeça em seu pescoço

- Sabe que não tenho coragem de ficar fazendo esse tipo de coisa com você. - Sussurrei

- O que seu pai vai pensar de mim? Não posso te desrespeitar. Ele quer que você se case virgem. - Falava corado

Rin on

- Sesshoumaru, meu pai não precisa saber. Eu não vou ficar falando das minhas intimidades pra ele. Além do mais, eu não sei se vou conseguir esperar até o casamento. - Admiti corada

Sesshoumaru on

- Eu que você não ficar dizendo, mas e se ele descobrir? - Sentir um embrulho no estômago

- Não quero nem pensar. Ele vai me matar, Rin. - Abracei seu corpo com força

- Quero muito te fazer minha, mas eu não me sinto pronto ainda. Tenho medo de te machucar, de fazer algo errado. Eu nunca tentei fazer.

Rin on

- Calma, amor. - Sorri enquanto o abraçava

- Não tem jeito dele saber sobre essas coisas. Além do mais, meu pai gosta muito de você. Mas se você não se sente pronto, tudo bem. Não vamos apressar as coisas.

Sesshoumaru on

Rin puxou minha cabeça e tomou meus lábios pra si. Era um beijo carinhoso e cheio amor.

- Melhor acabarmos logo o banho, antes que minha mãe estranhe e venha atrás de nós. - Separei nossos lábios, um tanto corado e nervoso

- Não quero nem imaginar a minha mãe nos pegando no flagra.

Rin on

- Não estamos fazendo nada demais, mas tudo bem.

Sesshoumaru estava tímido demais, mas fiz com que ele passasse sabonete pelo meu corpo.

Sesshoumaru on

Timidamente tocava em seu corpo, sendo guiado por ela mesma.

Toquei seus seios, por ela ter colocado minhas mãos ali, e eu ofeguei acanhado.

Estávamos conhecendo o corpo um do outro e ela só me incentivava a tocar em seu corpo nu.

Rin on

Ao final do banho, Sesshoumaru estava todo corado, mas estava lindo de morrer.

Assim vou realmente morrer de amores por ele.

Nos vestimos e descemos para o café, encontrando com seus pais a mesa. Demos bom dia a eles, que retribuíram.

Izayoi: Desculpem perguntar, mas o que foi aquela gritaria ontem a noite?

Sesshoumaru on

- É... Que... - Olhei triste pra Rin

- Eu discuti com a Rin. - Falei envergonhado

- Mas meu filho, por que você anda brigando com ela? Ainda mais naquele tom? Te ensinei que devemos tratar uma mulher como um flor. - Minha mãe me advertiu

- Desculpe mãe. É que eu fiquei nervoso e não consegui me controlar. Mas já pedi perdão a ela e falei que nunca mais irá se repetir.

- Eu acho bom mesmo, ou irei puxar sua orelha.

Corei violentamente.

Rin on

Tomamos café e depois o Sesshoumaru me levou pra dar uma volta na praça.

Andávamos de mãos dadas e eu estava feliz novamente. Sentamos em um banco e nos beijamos um pouco.

Quando o horário do almoço chegou, nós voltamos pra casa. Reparei o quanto Izayoi tinha caprichado com aquela comida.

- Uau! Essa mesa está incrível, Izayoi.

Izayoi: Obrigada querida. Eu quis caprichar e fazer algo especial hoje.

Todos nós sentamos a mesa e então Sesshoumaru pediu pra falar algo.

Sesshoumaru on

Nervoso e corado, fiquei tentando recapitular tudo em minha cabeça para que não saísse nada errado.

Olhei pra Rin, que estava ao meu lado, e seus olhos chocolates me passaram segurança; sendo que minha vergonha não havia cessado.

Enfiei a mão no bolso da bermuda e tirei a caixinha aveludada, de cor preta.

- R-Rin. Não é um noivado, ainda, mas quero oficializar o nosso namoro. - Abri a caixinha, mostrando as duas  alianças de prata

- E-Eu só queria dizer que eu te amo, e sou o homem mais feliz desse muito por estar ao seu lado. - Respirei fundo

Rin on

Meus olhos se encheram d'água. Foi a declaração mais linda que já vi na minha vida.

- Você não faz ideia de como fico feliz ao ouvir isso. Eu também te amo, Sesshoumaru, e sou muito feliz ao seu lado.

Sesshoumaru on

Coloquei então aliança em seu dedo e em seguida no meu.

Demos um selinho e meus pais nos olhavam com um grande sorriso nos lábios.

- Eu queria que já fosse o noivado de vocês, mas como vocês estão indo com calma, eu fico feliz que estejam felizes. - Meu pai disse - Felicidades aos dois.

- Obrigado pai.

- Rin, você é a mulher certa para o meu filho e não quero, jamais, que você saia desta família. Felicidades aos dois. - Minha falou sorridente

Depois de nos desejarem felicidades, passamos a comer aquela maravilhosa comida, que a mãe havia preparado.

A refeição chegou ao fim e minha mãe chamou a Rin para ir às compras.

- Rin, quero que você leve o meu cartão e compre algo pra você. Não importa o que seja, quanto custe ou a quantidade, só quero que você aproveite esse dia com a minha mãe. - Dei o cartão em suas mãos

- E não aceito “não” como resposta. - Falei ao ver seus lábios se movimentarem para dizer, quem sabe, um “não precisa”

Rin on

Eu não queria aceitar o cartão, mas ele é tão insistente que acabei aceitando.

Izayoi e eu fomos para o shopping, com o senhor Taisho como nosso motorista. Além do mais, precisamos de alguém pra carregar as sacolas.

Eu fiquei animada, pois Izayoi estava animada. Ela estava tão eufórica, escolhendo as roupinhas, brinquedos e tudo mais do bebê, que eu fiquei imaginando se ficarei assim quando chegar a minha vez.

Algumas horas se passaram e já tínhamos escolhido e comprado várias roupinhas. Percebi que o senhor Taisho estava entediado e acabei rindo baixo.

Inu no Taisho: Vocês não cansam não?

Izayoi: Ah querido, do que está reclamando? Eu que estou grávida e você que fica cansado?

Inu no Taisho: Só estou achando tudo isso muito chato.

Izayoi: Então leve essas sacolas pro carro e, se quiser, fique por lá. Rin e eu só vamos dar mais uma volta. Se precisarmos de você, eu ligo.

Inu no Taisho: Tudo bem. Qualquer coisa que você precisar, ou sentir, não hesite em me chamar.

Ele pegou as sacolas que estavam comigo, deu um selinho na esposa e foi embora.

Izayoi: Muito bem. Agora nós vamos escolher algo pra você.

- Pra mim?

Izayoi: Sim. Sesshoumaru lhe deu o cartão dele. Vamos procurar algo bem bonito pra você.

- Mas eu não quero nada. Não quero incomodar.

Izayoi: Não será incômodo algum. E acredite, Sesshoumaru vai ficar muito chateado se você não comprar nada pra você.

Suspirei.

- Tudo bem. Me convenceu.

Izayoi: Que ótimo! - Disse com um largo sorriso - Eu vi você namorando aquele colar de meia lua. Vamos voltar até a joalheria.

Como ela reparou isso? Eu olhei discretamente pro colar.

Fomos até a joalheria e compramos o colar que eu queria.

Admito, sempre quis um desses. Assim que o compramos, eu o coloquei no meu pescoço e passei a usá-lo.

Izayoi: Ele é lindo! Ficou ótimo em você.

- Obrigada! - Disse um pouco envergonhada

Izayoi: Vai querer mais alguma coisa?

- Não. Eu não quero que o Sesshoumaru gaste muito dinheiro comigo.

Izayoi: Você é, realmente, a mulher perfeita pro meu filho. Se fosse qualquer outra, gastaria até não poder mais.

Fiquei completamente envergonhada e ela riu de mim. Fomos até o carro e o senhor Taisho começou a dirigir de volta pra casa.


Notas Finais


Espero estar perdoado. Rin me perdoou, até porque a recompensei de uma bela maneira, ou será que foi ao contrário? (Aquela carinha)

Meu canal no youtube: https://youtu.be/P2EMOG3Ioj8

Obrigada pela presença de todos. Bjs e até o próximo *Sem previsão*

Nova parceria com a @KarinaSesshy:
O filho do reverendo: https://spiritfanfics.com/historia/o-filho-do-reverendo-7132202

Outras parcerias recentes:
Nem tudo é sofrimento, o amor transforma tudo (Sesshy-Viúvo/Rin-Babá): https://spiritfanfics.com/historia/nem-tudo-e-sofrimento-o-amor-transforma-tudo-6677840

Um amor de verão (Fic sobre incesto): https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-de-verao-6668631

Amor sem limites(Fic sobre corridas): https://spiritfanfics.com/historia/amor-sem-limites-6663897

Um mafioso em minha vida(Rin-Policial/Sesshy-Ladrão): https://spiritfanfics.com/historia/um-mafioso-em-minha-vida-6658251

Um amor inesperado(Sesshy-Astronauta/Rin-Alienígena): https://spiritfanfics.com/historia/um-amor-inesperado-6504548


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...