História Um Garoto de Outro Mundo - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Um Garoto
Exibições 11
Palavras 1.282
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Ficção, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi pessoal!! Me desculpem por estar demorando a postar mas minha criatividade evaporou nos últimos dias, já que estava concentrada em outra história... Na verdade tenho toda a história em minha cabeça mas os detalhes são tudo não é?? Kkkkk bem... vamos prosseguir.

Capítulo 14 - Ele está mudando


"Não entendo. Será que além de nós duas há mais alguém que tenha encontrado um desses garotos misteriosos? Isso é tudo - completamente - muito estranho. Ah, lembrando... considerei aquilo que você disse sobre matriculá-lo na escola e ele não quer de jeito nenhum. Posso ser sincera? Foi um alívio encontrar você - ou você me encontrar - porque eu até me sinto menos louca depois de um ano de maluquices. Não sei se com você está sendo a mesma coisa, mas para mim, no início, senti meu mundo de pernas para o ar. Bem... se precisar de algo pode contar comigo, ajudarei como puder."

Bati a tampa do notebook rapidamente quando ouvi passos descendo a escada do porão. Então, Jasper surgiu com a cara amassada assim como suas roupas. Fiz uma careta.

-Nossa, por onde você andou?

-Não entendi. - ele disse me devolvendo a careta. - Ah, e... me desculpe pela hora que cheguei.

-Hora? Mas... - olhei para o relógio que marcava 08:45. Então me lembrei de que ele passara a noite fora. - Jasper! Mas que hora para chegar!

-Droga, não grita. - ele colocou a mão sobre a testa. E... eu nunca o ouvi dizer "droga". Não que me lembre.

Ele andou - praticamente se arrastando - até o sofá onde desabou. Me levantei e trotei até ele.

-Dor de cabeça? - falei próximo ao seu ouvido. Ele levou um susto.

-Ham... sim. - disse apertando os olhos com as pálpebras.

-Por quê?

-E eu vou saber? - onde ele aprendeu a responder assim?

Senti um cheiro estranho. Funguei para identificá-lo e constatei que vinha de Jasper.

-Jasper você bebeu? - perguntei aproximando meu nariz. Ele abriu os olhos. - Isso é... vodca?

-Jake disse algo parecido com isso.

Balancei a cabeça.

-Onde você esteve? - falei alto.

-Caramba, não grita!

-Como é? - falei ainda mais alto. -Onde estava com a cabeça de sumir e depois aparecer... desse jeito!

Ele bufou. Me senti como uma mãe repreendendo o filho rebelde adolescente.

-Emma, por favor! - ele pegou uma almofada e pressionou contra o ouvido.

Foi minha vez de bufar. Alcancei meu celular em cima da escrivaninha. Isso não é culpa dele.

-Alô?

-Sebastian!!!

-Credo, não grita.

-Qual é a sua? Por que sequestrou o Jasper assim e o transformou num...

-...o quê?

-Argh! Você entendeu.

-Me diz, qual é o problema? Nós só saímos para nos divertir, nada de mais, não matamos ninguém. Além disso você não é nada dele, o que tem a ver com isso?

O que tem a ver? Acontece que ele surgiu no planeta do nada e agora ele mora na minha casa, no meu porão.

Suspirei.

-Nada. - falei e me adiantei antes que ele dissesse algo. - Mas pelo menos não sumam assim.

-Está bem... nós devemos desculpas.

-Ok.

Desliguei.

Busquei um analgésico numa sextinha que minha mãe deixa na cozinha e entreguei à Jasper. Ele não saía do maldito sofá. Me joguei sobre os pufes ao seu lado.

-Foi legal. - ele disse enquanto eu encarava o teto. - Mas não acho que valha a pena se toda vez eu tiver que ficar com essa dor horrível.

Ele tinha razão. Mas eu não disse nada. Depois de alguns segundo ele continuou falando.

-Sabe o Mike?

Pisquei rapidamente e atentei os ouvidos.

-Hum... - respondi sem querer demonstrar ansiedade. O que ele teria para falar de Mike?

-Eu estava falando com ele... ou ele estava falando comigo... não sei bem. - nossa, quanta enrolação. - enfim... ele perguntou se eu e você somos... nam... como foi mesmo? Noran... memorando... namo...

-Namorados? - rurborizei.

-Isso! Isso mesmo. 

Hum. Por que ele perguntou isso?

-Bem... devido a algumas coisas que li eu acabei respondendo que não. Então eu queria saber se eu errei, nós somos?

-Não, não, claro que não. - meu estômago congelou. Mas não deveria, posso estar apaixonada por Jasper, mas ele nem sabe o que é isso.

-Ah, ainda bem.

Ainda bem? Como assim...

-Assim eu não errei. Até o Mike pareceu bem aliviado.

Não consegui evitar que um sorriso se curvasse sutilmente. Como posso gostar de dois garotos ao mesmo tempo? 

-Bem... ele... - Jasper bocejou. - disse que gosta de você.

Senti as clássicas borboletas pelo meu estômago, um súbito de adrenalina.

-Isso quer dizer alguma coisa? - perguntou ele, a voz arrastada de sono.

-Ah... b-bem eu não sei. Às vezes fica difícil de entender quando se tratam apenas de palavras. - respirei fundo. - Jasper, eu não sei se deveria contar isso a você, mas... também gosto do Mike. - sei que Jasper não entenderia o significado disso então talvez levasse numa boa. Quem sabe desabafar com ele não me fizesse esquecer Mike? - Eu o conheço há anos, desde criança. E eu sempre o achei muito legal e, bem, bonito. - dei de ombros. - Desde que você apareceu tudo tem sido tão confuso. Sinceramente, nunca pensei que diria isso a você, mas não sei o que fazer com você. Ajudá-lo, mandá-lo embora - balancei a cabeça - não, não faria isso. Não sei se seria bom ou ruim saber mais sobre você e sobre de onde você veio. Tenho certeza que não é só minha cabeça que está em um turbilhão, você também, com certeza.

Ele não respondeu.

-Jasper? - chamei e fiquei sem reposta. Olhei para o lado e vi que ele dormia profundente e provavelmente não ouviu metade do que eu falei. Acredito que isso seja bom já que senti um alívio inexplicável.

Olhei atentamente para ele. A luz vinda da janela no alto da parede iluminava seu abdômem. O peito subia e descia lentamente, os olhos pareciam como se fossem eternamente fechados. Jasper realmente parecia que estava em outro mundo atrás das pálpebras.

~~

Hoje Jasper me pediu desculpas. Ele acordou diferente, na verdade, como se estivesse de volta, o Jasper inocente e ingênuo. 

Na escola, tudo corria normalmente. Estávamoos no pátio sentados na grama, Jasper desenhava, mas não normalmente, daquela forma concentrada e apreensiva como quando têm lembranças, talvez isso estivesse acontecendo agora. Eu ia perguntar o que estava desenhando quando Diana se jogou ao meu lado.

-Arrumando consfusões por aí, seus irresponsáveis! - esbravejou ela olhando enfurecida para cada um dos garotos.

-Calma aí! - Sebastian levantou as mãos em rendição.

-Do que está falando? - perguntei.

disso que eu estou falando! - puxou um jornal e mostrou uma imagem de uma confusão, reconheci os rostos dos garotos imediatamente.

Fechei os olhos.

-Ah, não...

-Tem razão, Emma. - disse Diana. - Ah, não!

-Foi o idiota do guarda! - Jake protestou. - Ele não queria nos deixar entrar.

-Claro que não! - Diana acertou o jornal em sua cabeça. - Porque queriam se passar por maiores de idade!

-Ah, Diana, dá um tempo. - murmurou Mike.

-Se vocês dessem um tempo em tanta idiotice! Vem cá. - ela me puxou pelo braço me levantando do chão.

-O que foi? - perguntei impaciente.

-Isso nem é o pior. - sussurrava. Abriu o jornal. - Aqui diz que um dos garotos, cabelo negro, alto, olhos azuis foi "procurado" e não acharam nada sobre ele.

Arregalei os olhos.

-Droga! - bati o pé no chão.

-Pois é. - disse Diana. - Vacilemos mais um pouco e todos vão querer saber quem é esse garoto.

Respirei fundo e levei a mão à testa.

-O que será que vai acontecer?

-Bem... - ela continuou - os pais do Mike pagaram uma boa grana pra livrar o traseiro desse imbecis.

Diana costuma ser bem hostil quando está nervosa.

-Acho que dessa vez nos safamos, mas é um sinal para que tomemos mais cuidado.

-Claro. - cruzei os braços e voltei para o círculo no gramado me sentando ao lado de Jasper.

Seu desenho era uma garota. Simplesmente linda! De cabelos longos e ondulados, os olhos eram pequenos e o rosto gracioso, sua boca exibia um sorriso maravilhado.

Jasper me olhou surpreso, notando que eu observava e fechou o caderno.

-Qual o problema? - perguntei.

-Hein? Nenhum. - respondeu.

-Então por que...

O sinal tocou.

-Preciso ir. Está na hora da aula. -ele se levantou.

Jasper nunca me escondeu nada.



Notas Finais


Bom... não tenho ideia do que escrever aqui kkkkkkkk espero que tenham gostado beijosss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...