História Um Garoto (QUASE) Perfeito. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bad, Bts, Depressão, Drama, Jikook, Longfic, Namjin, Vhope
Visualizações 93
Palavras 1.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Nove


Quando acordei de manhã, estava na cama de Taehyung. O cheiro doce e delicioso de café recém feito pairando no ar e se misturando ao cheirinho de TaeHyung nas cobertas. O clima ainda não havia esquentado desde o dia anterior, então para sair da cama e ir até o banheiro foi um sacrifício.

— Boa dia. – abracei Taehyung por trás, apoiando minha cabeça em seu ombro. Ele estava fazendo o café da manhã distraído quando entrei na cozinha.

— Boa dia... Dormiu bem? – Ele se virou, as mãos indo até minha cintura e a rodeando em um abraço quente e confortável. Confirmei levemente com cabeça, não estava nada afim de comentar sobre o pesadelo. Ele não entenderia, nem eu entendia.

— Você foi dormir muito tarde? – Me soltei de seu abraço e fui me sentar na mesa, o calor de seu abraço fazendo falta no frio do ambiente.

— Não, depois que você dormiu eu te levei lá pra cima e dormi também. – Tae deu de ombros, sorri brevemente para ele e peguei uma das xícaras da mesa, colocando café.

Olhei pela janela lá pra fora e vi que as nuvens formavam uma camada escura no céu, cor de fumaça densa. Ainda não chovia, mas logo iria cair uma tempestade.

— Que tal se você chamasse os meninos pra assistir um filme aqui hoje? – Vi ele se animar instantaneamente e sorrir quadrado pra mim.

— É uma boa ideia, eles são vagabundos mesmo, não devem estar fazendo nada da vida agora. – Tae riu baixo e foi em direção a sala, provavelmente para pegar o celular, logo voltando e se sentado a minha frente na mesa. — A propósito, o que ta rolando entre você e o Jimin?

*flashback on*

#Quarta Feira

— MAS QUE INFERNO! EU NÃO TENHO QUE CONTAR TUDO DA MINHA VIDA PRA VOCÊ. – Ele gritou com raiva, revirei os olhos irritado, as mãos fechadas em punho para não perder o controle.

— Eu só quero te ajudar, Jimin! Você não vê isso? Ou é cego de mais pra ver o que está na sua frente? – Exclamei já de saco cheio. Eu detestava quando ele mudava de assunto assim que a conversa ia parar em qualquer coisa da vida dele. Eu também era fechado sobre certa parte de meu passado, mas ele nem ao menos me disse o nome de seus pais!

— POR QUÊ? MAS POR QUE QUER ME AJUDAR? NÃO SOU NADA SEU. – Enfim surto, eu queria muito falar tudo que estaca guardado, mas apenas gritei alto e claro, com o rosto em uma expressão raivosa e o cenho franzido.

— PORQUE EU ME IMPORTO COM VOCÊ, SEU IMBECIL IDIOTA. E EU QUERO AJUDAR, PORQUE NÃO SUPORTO VER O COMO VOCÊ ESTÁ TRISTE POR DENTRO, CARALHO. E VOCÊ É MEU AMIGO, JIMIN! ISSO NÃO BASTA? – Nos encaramos por algum tempo, os dois respirando pesado e descontroladamente devido a raiva repentina. E então ele foi embora, me deixando ainda mais irritado no meio do jardim da escola.

*Flashback off*

Não conversamos desde quarta. Toda vez que me vê ele fecha a cara e cruza os braços, assim como eu passei a fazer. Parecíamos duas crianças emburradas, admito, mas eu tenho o meu orgulho e se ele não quer falar comigo, eu não vou sequer tentar falar com ele.

— Nada. – Dei de ombros o seguindo. — Por que a pergunta? — É óbvio que eu não iria admitir que estávamos brigados, não sabia exatamente porque, mas não queria contar a ele sobre a briga, mesmo sentindo uma vontade quase insuportável de desabafar tudo.

— Qual é? Não sou burro. Toda vez que vocês se vêem fecham a cara, ficam com cara de bunda. – Ele revirou os olhos. — quantos anos vocês tem? 7? Não podem achar que não perceberiamos, pelo amor de Deus.

— Okay! Okay! Nós brigamos, ta feliz? – Resmungo. A verdade é que eu não gostei nem um pouco de ficar brigado com Jimin... Ele é uma pessoa fechada? Sim! Uma pessoa que não conta nada do passado dela para os outros? Sim! Mas eu provavelmente peguei pesado de mais. Ah como eu odeio brigar com os outros.

Sempre tive isso de ficar me culpando depois de uma briga, algo dentro do meu peito me atormentando por ter discutido e não ter me controlado... É horrível! Um psicólogo já disse que pode ser sintoma de Ansiedade, mas não podia confirmar nada, pois eu não apresentava outros sintomas.

— Mas por que? Vocês estavam se dando tão bem! - Ele exclamou e eu sorri fraco e melancólico. Sim... Estávamos, mas somos pessoas muito parecidas, de forte opinião, então talvez seja assim mesmo.

— Porque ele é muito fechado sobre a vida dele! E isso me irrita muito. – Suspiro apoiando minha cabeça em uma das mãos. — E sempre que tento investir em uma amizade um pouco mais sincera, ele desvia.

— Que tal se vocês conversassem? Posso te passar o número dele, que tal? – Tae me encarou, assenti levemente com a cabeça vendo o menino sorrir pra mim. O moreno sempre teve esse efeito em mim, me fazia sentir como se eu estivesse seguro. Ele era como um irmão mais velho, só que com privilégios.

***

Peguei o celular e abri o chat de Jimin... Eu estava nervoso, embora não soubesse exatamente o porquê. Como que esse pequeno garoto consegue me deixar assim? Eu já conheço ele, não deveria ser mais tão tímido.

•~•

Eu:

Oi...

Park Jimin:

Quem é?

Eu:

Jungkook.

Park Jimin:

Que ótimo.

Agora vai enfernizar minha vida virtualmente, também?

Eu:

Só quero conversar, Jimin!

Park Jimin:

Mas eu não quero.

Eu:

Para de agir como criança, eu vim me desculpar!

Somos amigos, oras, não podemos ficar assim um com o outro.

Park Jimin:

E quem disse que somos amigos?

Eu:

Eu pensei que fôssemos...

Park Jimin:

Pensou errado. Agora da licença, tenho coisa melhor que conversar com um idiota pra fazer.

•~•

É... Aquilo doeu. Doeu muito, como mil e uma facadas. Uma tristeza repentina tomou conta de meu peito, me envolvendo como um cobertor velho e pesado de mais. Era quase sufocante.

— Eu... Tenho certeza de que ele não quis dizer isso, só está com raiva. – Justificou Taehyung, que lera a conversa junto a mim. Mas eu não queria saber mais, joguei o celular de qualquer jeito em cima da mesa e fui para o meu quarto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...