História Um garoto que ... - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Drama, Mistério, Romance, Suícidio
Exibições 23
Palavras 915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Nudez, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hey, sou eu de novo!!
Viram só? Nem demorei tanto assim para postar esse capítulo.

Espero que gostem, boa leitura <3

Capítulo 3 - Um garoto que...


Quando entrei na escola os corredores já estavam vazios, eu havia perdido a primeira aula, então peguei meu horário na secretaria e fui para o meu armário. Estava do jeito que eu havia deixado no fim do ano passado, então só coloquei os livros e minhas coisas lá dentro. Eu não sabia o que fazer, já que não podia sair da área coberta, pois havia começado a chover uns minutos atrás, me sentei no chão abaixo do meu armário e fui escrever no meu caderno. Eu estava viajando, e não ouvi quando ele chegou perto de mim.

- Matando aula ? - Perguntou.

Olhei para cima e vi um garoto sorrindo, não o reconheci de lugar nenhum, então presumi que ele era novo.

- Cheguei tarde. - Respondi.

Observando-o mais percebi que ele era bonito, mas era uma beleza escura, ele se vestia inteiramente de negro, como um corvo. Ele parecia assustador, e me encarava com intensidade demais para o meu gosto.

- O que você quer? - Perguntei encarando-o de volta.

- Nada, só me distrair. - Deu de ombros casualmente. Assenti e abaixei a cabeça,recomecei a escrever e recoloquei os meus fones. Depois de uns instantes sentou-se ao meu lado, o olhei de relance com os olhos franzidos e me afastei um pouco, continuei a ignorá-lo mas ele continuou me olhando, e isso me deixava desconfortável. Não aguentei mais e cedi.

- Sério, você está começando a me assustar. - Eu disse e olhei para ele, ele riu.

- Me desculpe, não era intenção.

 Eu só queria tirá-lo dali e ter um pouco de privacidade, que razão eu teria para matar aula para um garoto desconhecido e assustador me abordasse e não me deixasse em paz?

- Tudo bem, então qual é a intenção ?

- Conversar com uma garota bonita. - Eu me irritei e, já que ele não iria embora, eu iria. 

- Olha, eu não preciso que você me faça piadinhas sobre minha aparência, Ok? - Eu disse irritada, me levantei e corri para o banheiro. Olhei para o espelho e meu inimigo me encarava, ele sempre iria me perseguir. Por que será que aquele garoto estava debochando de mim, atentamente me encarei, meus olhos se encheram de lágrimas e eu me senti estúpida.

'' Você é estúpida '' Confirmou meu inimigo com as palavras cheias de veneno, me senti mal, e uma lágrima escorreu, doía-me o que ele me dizia, por que eu sabia que era verdade, e a verdade machuca, por que eu não queria que ela fosse assim, eu queria uma realidade diferente. Limpei meu rosto com o papel-toalha com grosseria, eu era uma idiota por chorar por isso.

Quando me senti melhor sai do banheiro e voltei para o meu armário, e para minha surpresa o garoto ainda estava sentado onde estava antes de eu sair, e pior, estava lendo o que estava escrevendo no meu caderno, meu coração deu um salto mortal e eu estava com muita vontade de arrancar os olhos dele, eram coisas minhas, eram quase pessoais, não tinha feito para outras pessoas lerem. 

- Ei, ei o que você está fazendo ? - Perguntei enquanto tomava-lhe o caderno das mãos, ele me olhou com um susto enquanto eu o encarava.

- Me desculpe, fiquei curioso - Desculpou-se, aqueles fingidos olhos negros me encarando.

- Não era para você ler, era para você ter ido embora.

- Mas porque ? - Ele se levantou e apontou para o caderno que eu apertava contra o peito.- Isso estava incrível, você deveria compartilhar com outras pessoas.

- É pessoal, você não deveria ficar dando sugestões. - Eu estava envergonhada, não acredito que eu havia sido tão idiota de deixar meu caderno tão exposto, mas eu meio que fiquei feliz quando ele disse que havia gostado.

- Me desculpe, se eu soubesse que você ficaria tão chateada não teria lido.

- Já foi, não adianta mais nada, só tenta esquecer Ok ? - Com um suspiro fechei meu caderno e o tranquei no meu armário. 

- Não posso fazer isso, nunca mais vou esquecer do que eu li.- Disse ele, não parecia estar debochando, parecia muito sério na verdade, franzi os olhos e o olhei.

- É claro que vai, não seja bobo.- Ele balançou a cabeça em negativa.

- Eu não vou e  tenho certeza disso. - Ele respondeu, desisti, que não esquecesse então. -Porque você saiu correndo? 

- Não gosto de brincadeiras.

- Eu não estava brincando.- Será mesmo ?  Uma parte de mim ficou feliz novamente por algo que ele havia dito, e eu deixei.

- Eu não sei seu nome - Ele disse, colocando as mãos nos bolsos da jaqueta.

- Também não sei o seu - Respondi colocando minhas mãos nos bolsos da minha jaqueta. Ele sorriu e estendeu uma das mãos.

- Meu nome é David. - Olhei para sua mão estendida por um momento e então estendi a minha.

- Emma. - Ele apertou minha mão e sorriu novamente.

- Nome legal. - Eu sorri também.

- O seu também posso dizer.

Soltamos as mãos e eu me despedi, queria ir à biblioteca antes que a próxima aula começasse.

- Até mais, Emma.

- Tchau, David.- Virei as costas e sai. 

Na biblioteca procurando algo que me despertasse interesse, me dei conta de uma coisa : Eu havia feito algo horrível, que agia contra os meus princípios. Eu havia feito um amigo, e agora não sabia como voltar atrás.

 


Notas Finais


Olá novamente, curtiram o capítulo ? Espero que sim, e se não gostaram, como no capítulo anterior, finjam que gostaram. Obrigada.

Soquinhos nos Cores de vocês <3 Até o próximo capítulo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...