História Um Gogo só pra mim - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gogo, Hentai, Romance, Sexo
Visualizações 71
Palavras 2.855
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


ainda tem maais...
.
hot hot hoott!!

Capítulo 4 - Um outro dia...


Acordo e ainda estava um pouco escuro e o calor de seu corpo passando pra mim, abro meus olhos e aquilo não tinha sido um sonho, dormir abraçada com um deus com cara de anjo, depois de um tempo o olhando um pouco admirada, me levanto com cuidado, tirando seu braço de leve de mim, porque meu corpo tinha outra necessidade. Me levanto e me olho e ainda não vestia nada e espantando a vergonha, saio sem nada mesmo, encosto a porta pra luz não acordá-lo e vou a procura do banheiro, porque né? Passo pela cozinha e vejo os trevos e deslizo os dedos em uns como agradecendo, ando mais um pouco e o acho e faço o que tinha que fazer e depois me olho no espelho e até me espanto um pouco.

Quem é você? Estava com os cabelos meio bagunçados, os olhos brilhando e a boca vermelha e até um pouco inchada e o tronco com leves vermelhos, apesar da bagunça dela parecia resplandecer a beleza e felicidade pelos poros. E sorrio um pouco e passo os dedos na boca ainda sentindo os toques da boca macia e deliciosa dele, balanço a cabeça um pouco arrepiada e depois pego um pente perdido dele e dou um jeito no cabelo e depois pisco pra imagem no espelho e volto para o quarto.

Paro um pouco na porta o admirando um pouco, que a luz de fora ajudava, corpo todo trabalhado, sarado, gostoso, vontade de morder cada pedacinho de pele levemente morena, seu rosto de anjo, com um toque de malicia e os cabelos vermelhos escurecidos chegando aos olhos e que era minha cor favorita e olho o melhor pro final, que estava um pouco virado pro lado, sua bunda deliciosa e durinha e redondinha, vontade de apertar pra sempre e ele ressonava de leve, nem ronca ô benção, obrigada papai do céu! Penso com um sorriso. E pegando a mania da minha amiga, ponho os dedos na frente e faço que tiro uma foto daquela beleza toda.

Ele se meche um pouco, tirando minha visão da bunda pra outra coisa... e ainda isso! ganhei nas loterias todas e nem sabia, desvio os olhos mordendo a boca e balançando a cabeça com um sorriso e vou pra cama e me deito novamente colada a ele, que se vira novamente pro meu lado, me encaixando a ele, deixando os braços em minha cintura e me olha por alguns segundos, sorri pequeno, me dá um beijo de leve e volta a dormir com um sorriso leve. Posso com uma coisa dessas!? Me aconchego mais a ele e o seu cheiro me embala e volto a dormir.

.

Acordo novamente com a luz iluminando o quarto e chegando perto de mim, me mecho e ele não estava ali, me preocupo de leve, mas ouço barulho de algo pela casa e me acalmo, me viro um pouco e ele tinha posto um lençol em cima de mim, que lindo... e ouço outro barulho, só que de metal caindo, me espanto e rio, que será que ele estava fazendo? E continuo na cama, só escutando aquilo tudo, devia estar fazendo uma bagunça na cozinha, pelo que parece.

E quando a luz chega aos meus pés ele aparece, com uma bandeja de café da manhã – perfeito – e ele para um pouco a porta e fica me olhando admirado, me olho e a luz me batia um pouco por trás e eu estava meio enrolada pelos lençóis e ele só com uma box vermelha, sorrio pra ele, que parece o despertar e vem com a bandeja sorrindo e a coloca as perna em volta da minha com delicadeza, sorri e me da um selinho demorado, sorrio e olho pra bandeja e tinha varias coisas pra dois.

— Com fome? – pergunta com um sorriso de lado.

Eu iria responder mais meu estomago responde por mim, rio com a mão na barriga e outra boca, tapando o riso e um pouco corada. Ele sorri e pega minha mão do rosto e a beija. E ele pega um garfo e espeta num melão da salada de frutas e me da na boca e rindo como, como uma criança abrindo o ‘bocão’, quase comendo tudo junto e rimos e pego o potinho e comemos com sorrisos, olho a bandeja e tinha muuita coisa, suco, uma garrafinha de café, tão lindinha, que ele deve ter achado pratica por ser desse tamanho e torradas e até geléia e mais coisas.

E depois de um tempo ele nota minha cara um pouco pensativa.

— Que foi? – pergunta, mas balanço a cabeça um pouco envergonhada. – Fala linda... – fala galanteador, que o olho de lado, que sorri.

— Errr... você... sai... com as garotas do seu ‘trabalho’...? – pergunto baixo.

Ele se espanta com olhos grandes, depois se recupera e balança a cabeça e sorri compreendendo.

— Não. Bem... só duas vezes no começo... mas depois vi que não era muito legal fazer isso. Só danço mesmo. – fala com um sorriso carinhoso, pelo meu sorriso pequeno.

— E... quanto tempo... – falo, mas ele completa.

— Trabalho lá? Menos de três anos... – fala pensativo e depois me olha com um sorriso maior. – E esse era meu ultimo mês lá.

— Sério? – falo espantada e ele sorri.

— Sim. E essa semana eu poderia ir quando quisesse, nem sei porque quis ontem. E descobri o motivo... – fala com um sorriso brilhante e lindo.

Quase dou um gritinho, mas me controlo e ele sorri pelos brilhos de meus olhos e se inclina e me beija num selinho longo. E depois se separa milímetros e me beija novamente pedindo passagem com a língua e o beijo fica mais quente e profundo, sentindo o sabor do outro e fazendo um duelo de línguas e ele sorri no meio do beijo por eu ir com mais vontade e morde minha boca e a solta leentamente.

Me olha com um sorriso e tira a bandeja de cima de mim e a coloca do outro lado da cama, ficando um pouco de costas pra mim, vendo aqueles músculos todos e olhando sua bunda não resisto e dou uma apalpada, - depois que ele a coloca na cama – ele da um ligeiro pulo e depois ri me olhando e eu mordo a boca e ele não resiste e vem pra cima de mim e me beija profundamente, um explorando a boca do outro com vontade, as línguas fazendo uma dança e ao poucos ele me faz deitar na cama e fica por cima de mim e passa a mão por todos os lugares e como minha mão acha o caminho sozinha, uma foi pra nuca e a outro foi pra outra bunda que não tinha mexido ainda e ri no meio do beijo e me engole ainda mais.

Me morde o pescoço e vai descendo, me olha malicioso e morde a ponta do lençol que me tapa e vai descendo, mas a vergonha da um oi novamente e a tento pegar e me olha de lado, mas sorri e fazemos um pequeno cabo de guerra e rindo o deixo vencer e ele vai descendo devagar me olhando e aquilo me arrepia e ele puxa de uma vez, me vendo sem nada e ele sorri lindamente por minha cara envergonhada e sobe e me beija longamente, explorando minha boca com sua língua e ficando por cima de mim, jogando de leve seu quadril pra cima de mim e me fazendo querer mais.

E abaixa sua mão e aperta minha coxa, acho que tem uma tara por ela como eu tenho por sua bunda, que adora fazer isso. E desce sua mão por mim fazendo um rastro quente e solto um gemido tremulo quando ele toca minha intimidade. E ele fica brincando com meu clitóris enquanto me beijava abafando meus gemidos, me ondulando abaixo dele, que da um sorriso e me entra com dois dedos pra dentro de mim e solto um gritinho em sua boca e me arqueio pra trás, buscando por ar e gemendo baixo e ele vai movimentando os dedos dentro de mim e beijando meu pescoço e abaixando fazendo trilhas por mim e engole meu seio, me lambendo e sugando enquanto seus dedos iam mais rápidos e eu só sabia gemer e me contorcer em seus braços.

E quando ele me sugou o outro, achou o ponto dentro de mim, me fazendo gritar e ondular meu corpo. E foi ainda mais rápido com os dedos, me acertando sempre e com o polegar tocando em meu clitóris, me fazendo contorcer ainda mais e me arqueando toda pra trás, girando os olhos e gritando tremula e ele se deliciando com meus seios, o lambendo, girando a língua e sugando com vontade e parecia que estava beijando. E não me agüentei muito mais quando ele acertou meu ponto e me estremecendo, gozei longamente em seus dedos, meu corpo tendo espasmos deliciosos, enquanto gritava pelo orgasmo, girando os olhos. Fiquei uns segundos arqueada e desabei na cama, mais mole que gelatina e me estremeci quando saiu de mim e fiquei respirando descompassada e ele se ergueu me olhando e colocou aqueles dedos na boca, os chupando me olhando malicioso.

Sorri fechando os olhos pro outro lado tentando respirar melhor e ele me pegou e me beijou lenta e profundamente, me fazendo sentir meu gosto pelos seus dedos, me fazendo gemer em sua boca e me apertou pela cintura, se aproximando mais de mim, colando nossos corpos e ele só com a box, nos pegando de todos os jeitos. E me mordeu a boca e a soltou devagar quando meu fôlego sumiu.

— Quer tomar um banho? – me pergunta quente.

O olho um pouco confusa por uns segundos, mas abro um sorriso afirmando e ele da seu sorriso brilhante e me da um selinho longo e nos levantamos e saímos ao beijos até o banheiro, esbarrando pelas coisas. Entramos e tirei sua cueca e logo entramos debaixo de chuveiro, nos beijamos debaixo d’água, nos agarrando por todo lado, ele me encosta na parede e me beija e lambe meu pescoço e sentindo seu membro me tocar logo a baixo, me cutucando a perna, enquanto ele ficava ali, o pego e o masturbo de leve, que geme em meu pescoço, me dando arrepios, até que ele não agüenta muito aquilo e pega em minha cintura e coloco as pernas a sua volta

E me beija com mais vontade ainda e me penetra completamente duro, me fazendo sair do beijo e gemer alto e o agarrando fortemente, esperou uns segundos pra me acostumar e foi entrando até não restar mais nada pra fora, ficou mais tempo me esperando e logo o prensei com as pernas pra ir logo, que sorriu em minha pele e saiu devagar e entrou forte, me arrancando outro gemido longo e foi no inicio devagar, mas logo, me estocou rápido e profundo, indo e voltando rápido, quase o sentindo tocar meu útero de tão fundo.

E volta a me beijar profundamente abafando meus gemidos e me segurando forte pela cintura, me prensando na parede, seus quadris indo fortemente ao meu encontro, um gemendo alto na boca do outro, fazendo um duelo de línguas, quase sugando a alma do outro com um beijo, o peguei forte pelos cabelos, o fazendo se aproximar mais e o senti arrepiar em todos os poros e ir ainda mais alucinado pra dentro de mim. Me deixou mais baixo, me tirando da parede, me fazendo ‘cavalgar’ em cima dele e agarrei ainda mais minhas pernas em seu quadril.

Me arqueei pra trás girando os olhos e gemendo alto e o segurando mais forte, nos braços e nas pernas e ondulando mais ao seu encontro e se aproveitou e se abaixou e me deu beijos e sugadas por meu pescoço, me deixando marcas, se abaixou mais e lambeu meus seios, me fazendo estremecer e me deixando mais erguida pra ele ter mais intento e eu rebolando mais intensamente ainda, o encontrando quando se arremetia pra frente.

Não agüentei me erguendo e o beijando sofregamente, explorando sua boca quente com minha língua e dando pequenas mordidas, pra logo depois o engoli-lo novamente, subindo e descendo em seu membro. E não agüentei muito tempo e gozei longamente, me estremecendo e gemendo em sua boca e ficando um pouco mole em seus braços, que ainda não tinha alcançado o seu, me arremetendo com mais vontade ainda.

— aaah, es...espera... – falei gemendo.

Ele me olhou meio sem fôlego e sorri o beijando languida e o pedindo pra me soltar com os olhos, que me olhou confuso e meio sofrido que sorri e mordi seu pescoço.

— Quero te receber em minha boca. – sussurrei quente em sua orelha.

E definitivamente isso acabou com ele, que gemeu rouco e quase lutou pra me tirar em cima dele, sorri e o beijei profundamente, enquanto tirava minhas pernas dele, me pegou tremulo e me colocou de pé e sorri e lambi a boca e a mordi e logo me abaixei e o engoli, que se estremeceu, gemendo alto e se agarrou a parede a sua frente. E no começo fiz lentos vai e vem. O suguei saindo e o lambi todo e suguei suas bolas e depois voltei com a boca de lado o sentindo pulsar e o engoli novamente e o suguei rápido num vai e vem alucinante e ainda o masturbando com a mão, o fazendo se estremecer e gritar tremulo.

E ele não resistiu por muito tempo e gozou em minha boca e engoli até o final e o masturbando até não restar mais nada, deixando a boca aberta no final, o recebendo na boca e um pouco no rosto, na medida do possível aquilo era gostoso que nem ele. Ele se estremeceu quando parou e se desabou um pouco na parede respirando descompassado e se estremeceu quando lambi seu membro e fui subindo o beijando, até ficar a sua frente, que me olhou um pouco espantado, que sorriu e me lambeu até sair tudo e me beijou profundamente sentindo seu gosto e um gemendo na boca do outro pelo orgasmo.

Ele não se agüentando muito, escorregou pro chão me levando junto, ficando respirando descompassado, mas com um sorriso no rosto e se virou e ficou me olhando, admirado e o olhei e sorri encabulada, olhei pra baixo e o olhei novamente, olhando seu corpo gostoso todo molhado, que até dava vontade de continuar pra sempre com isso, mordi a boca e lhe dei um selinho e ficamos com as cabeças encostadas tentando fazer o corpo voltar ao normal.

Nos levantamos e tomamos um banho de verdade, mas um ensaboando o outro e ele se colou as minhas costas e ficou passando a minha frente e apertando meus seios de leve, me fazendo gemer baixinho e me virei pra beijá-lo, mas com um sorriso e ensaboei suas costas e desci e ‘lavei’ sua bunda como ele fez comigo e ele rindo no meio do beijo e me beija com mais vontade de baixo d’água. E fomos nos secar, pedi uma toalha e deu um sorriso torto de, pra que? O olhei torto e ele riu e se abaixou pra pegar no armário debaixo da pia, deixando aquela bunda empinada na direção e quase tendo um treco de tesão por aquela maravilha, mas disfarço, me olhando no espelho, que estava roxa, suspirei e voltei ao normal e ele me entregou e me beijou o pescoço me arrepiando. E nos olhamos no espelho, casal praticamente perfeito.

Me deu um beijo e foi se secar  e que ele fez primeiro com os cabelos e olhos fechados e olho olhando pra aquele corpo esculpido e todo molhado, ai help! Me abana papai. Me seco, o olhando e enxugo o cabelo disfarçando, pra não notar que o fiquei secando sem toalha. E depois voltamos pro quarto e ele sem notar o deixei ir à frente pra ficar olhando pra ele – que geralmente é ao contrario – e ele ainda tinha aquelas covinhas na bunda, ai não resisto... e ele nota parecendo formigar em sua pele de tanto que o olho, olha pra trás e da um sorriso e pisca e eleva um braço pra me encaixar nele, que o faço, mas pego em sua bunda em vez da cintura, que abre o sorriso ainda mais e me beija.

— Quer sair pra comer em algum lugar? Que eu sei só fazer o básico e macarrão. – fala rindo. Ainda prestativo, ai que lindo.

— Quero é te comer. – só penso. – Qualquer prazer me diverte. – falo sem querer em duplo sentido, mas logo completo quando me olha. – Como dizia minha mãe... – falo e ele ri, enquanto nos vestimos, caçando as roupas espalhadas pelo quarto.

— Ok... vamos em um restaurante aqui perto que adoro... como um presente de aniversario. – fala com um sorriso galante.

— Você já me deu... – falo e enlaço seu pescoço em um beijo.

— Nos demos. – fala com um sorriso e me da um selinho. – Eeer... quer passar em casa pra trocar de roupa, ou essa esta boa? – questiona.

Me olho e estava meio amassada, o olho fazendo uma careta e afirmando e ele sorri e pega uma blusa melhor e vamos.


Notas Finais


gos...taram?
.
comentem...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...