História Um Gogo só pra mim - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gogo, Hentai, Romance, Sexo
Exibições 14
Palavras 3.031
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


esse é quente e fofo ao mesmo tempo
(mais pra frente)

Capítulo 5 - Intenso


Eu que dirijo dessa vez, o olho com um sorriso enigmático, que me olha estranhando um pouco, mas deixa pra lá e menos de cinco minutos chegamos ao meu prédio e ele me olha espantado por ser tão perto. Sorrio e deixo no estacionamento do lado de fora, que logo iríamos sair, – ou não – o olho sorrindo, ele pega minha mão e entramos. E vamos pro elevador e aperto o quatro e ele olha aquilo sorrindo, numero da sorte dele? Ele me pega olhando e vem pra mim e prensa da parede e nos beijamos profundamente, até que o elevador toca e nos largamos com um sorriso.

Pego em sua mão com um sorriso e vamos logo pro meu, que era 42 e o olho e ele sorri de lado, comprovado, rindo por dentro, abro logo e o indico pra entrar, que curva a coluna, ri e entra. E olha um pouco admirado pro espaço, que dei meu leve toque de requinte e o abraço por trás.

— Quer conhecer a casa ou um cômodo só? – pergunto rindo, lhe devolvendo a pergunta.

— Um só esta bom. – fala rindo repetindo a minha.

Rindo o puxo e vamos pro meu quarto e ele vai olhando pros lados e chegamos ao quarto e o deixo sentado em uma poltrona e vou escolher uma roupa, já que vamos a um restaurante, vamos a uma blusa bonita, vermelho clara e que se não amassa muito fácil e sem muito requinte, e pego uma outra calça e ele fica me olhando, pego minha lingeries, mas pela vergonha vou pro banheiro do quarto, mas deixo a porta aberta e troco de roupa e o sinto da porta me olhando e até minha auto-estima, aumenta, sentindo ele me secar daquele modo. Passo uma make leve e me viro pra ele, que bate palmas admirado, sorrindo faço uma reverencia e saio e pego um salto não muito alto e pego minha bolsa reabastecida e vamos.

E pelo canto olho, sinto seu olhar de querer arrancar aquilo tudo, que me arrepia, mas vamos pro seu restaurante com ele dirigindo e era uma gracinha e sentamos nas janelas do canto onde tinha uma poltrona com mesa, que dava para os dois ficarem juntos e pedimos e ficamos conversando com o braço dele a minha volta.

— Posso fazer perguntas rápidas? – pergunto a ele que sorri achando graça.

— Pode tudo. – fala e me da um selinho.

— Praia ou montanha?

— Praia! – fala com um sorriso.

— Também! Ler um livro ou a um filme?

— Livro. Mas também gosto dos filmes...

— Adoro ler. – falo com um sorriso.

— Quer um livro de presente? – fala sorrindo de lado.

— Não iria reclamar...

E vamos fazendo perguntas até os pratos chegarem e comemos nos olhando ás vezes, com ele de vez em quando me dando na boca. E reparo até outros olhares pra gente, acho que devem estar achando o casal bonito, sei lá. Mas deixo pra lá e continuo o que fazia. E quando acabamos ainda ficamos lá por um tempo conversando.

— E ai o que faz? Estuda ou trabalha? – questiona.

— Ah, estou no ultimo ano, fazendo moda e design, na UFRTM. – falo sorrindo e ele me olha espantado.

— Cara! Estudei lá até ano passado! – fala com a mão na boca e sorrindo.

— Mesmo!? Como não nos encontramos...? – pergunto fingindo chorar em seu ombro e ele ri.

— Ah, eu fazia engenharia. Que era mais pro fundo dos campus. – fala com uma careta com um sorriso.

— Hum, a minha é mais pra leste. Pena... – falo resignada, fingindo sofrer em seu ombro.

— E nos encontramos da melhor forma possível. – sussurra em meu ouvido, que me arrepia.

— Forma deliciosa essa. – falo baixo em seu ouvido, que sorri.

Nos olhamos sorrindo e nos beijamos intensamente, explorando a boca de outro com a língua e fui a sua nuca e puxando pra mim e o arrepiando e me mordeu a boca quando o fôlego sumiu e ficamos no olhando por um tempo e depois me deu um selinho e me virei e vi metade do restaurante nos olhando com um sorriso de – que lindos – fico vermelha e escondo meu rosto em seu ombro, que ri e logo depois pede a conta e me acaricia o rosto e me levanta pelo queixo e me da um beijo leve e apaixonado. E logo depois a conta chega e faz que vai pagar, mas lhe faço uma cara e ele me imita e sorri depois.

— Hoje eu pago, eu que te convidei e é pelo seu aniversario. – fala na minha orelha, que me arrepia me convencendo.

Ele paga e sorri e pega minha mão quando saiamos, fazendo os outros olharem quase fazendo – ooont – ficando rubra. Ele sorri e vamos pra minha casa, mas antes ele para em uma farmácia. O olho confusa e ele me olha malicioso e pisca antes de sair. Balanço a cabeça cheia de vergonha, bem já que é assim, saio e compro minhas pílulas e a do dia seguinte, que as minhas deviam estar vencidas pelo tempo que não as uso. Compro e olho pro lado e ele tinha comprado logo uma caixa grande cheia delas. A garota que me deu me olha curiosa com um sorriso de lado, que sorrio tímida, e ela olha com uma cara de aprovação, com um sorriso e um levantar de sobrancelhas, rio e saio logo dali indo pro carro, ele vindo logo atrás. Que puxa a porta pra eu entrar, lhe dou um selinho e logo ele fecha e vai pro seu lado, olho pra fora e a garota me olha com um polegar levantado, sorrio e faço o mesmo e logo aceno num adeus quando ele parte.

— Que foi? – questiona com um sorriso pela minha cara.

— Nada não. A garota lá. E precisava disso tudo!? – falo olhando pra caixa grande que ele deixou no banco de trás.

Ele me olha malicioso com um sorriso, mas não diz nada. Ai, pra que perguntei? Me encosto no banco, olhando pra fora vermelha. E volta pra minha casa e deixa o carro na garagem e subimos com ele me abraçando por trás ainda me sentindo constrangida, que estava adorando isso. Chegamos e logo que fecho a porta ele me pega por trás e me beija com vontade, passando a mão por debaixo da minha blusa me arrepiando toda.

— Quer inaugurar uma? – fala mostrando a caixa e rio disso.

— Claro, vai indo, quero beber água primeiro. – falo, num olhar pidão.

— Tudo bem, mas não demore. – me fala rouco na orelha e a morde, me arrepiando.

Vou pra cozinha e procuro pelo meu remédio e ele já tava passando mesmo, jogo no lixo de uma vez, que a um tempo já tinha parado de usar. Tomo e logo vou pro quarto e encontro a visão do paraíso, ele só de cueca e ainda fazendo pose, com uma perna esticada e outra dobrada com um braço em cima dela e outro na cama e com a camisinha na boca.

— Exibido. – falo me aproximando vermelha.

— Que você adora... – fala malicioso com um sorriso largo.

— Sempre... – sussurro em sua orelha e a mordo.

Ele sorri e me beija longamente comigo de pé e ele sentado, que logo me pega e me faz sentar em seu colo, me beijando intensamente e o já sinto duro e ele logo arranca minha blusa pra longe e me beija e morde pra todos os lados, me arrepiando e logo em seguida retira o sutiã e me abocanha, me lambendo e sugando com vontade, que eu pego em seus ombros e rebolando em cima de seu membro, ficando ainda mais e logo sua mão se abaixa e me abre a calça, me levanto e tira tudo junto.

— Fica de salto? – pede num sorriso.

— Fetiche é? – falo sorrindo encabulada.

Ele da de ombros com um lindo sorriso e me beija novamente, passando a mão por mim e logo tiro a dele, com seu membro já apontando pra cima. Mordo a boca olhando praquilo, tão lindo quanto ele, o olho que sorri, me abaixo o olhando e o engulo e ele da um gemido alto, o sugo saindo e o lambo como se fosse um sorvete e ele se arqueia pra trás com as mãos na cama, se estremecendo todo, subo de lado com a boca e lambo sua glande e lambo a pontinha e depois o engulo novamente até onde consigo e subo com a língua, girando em sua glande, o fazendo gemer rouco.

O lambo todo e sugo suas bolas, as colocando na boca como se estivesse beijando, o sentindo tremer e o lambo com a boca subindo de lado e o engulo novamente, colando até onde consigo e volto sugando e girando a língua por ele e espirra pré-gozo e lambo sua ponta e o colocando na boca novamente e engolindo com vontade, num vai e vem intenso. Ele me põe a mão na cabeça pra parar, mas sorrio maliciosa pra ele e nego com a cabeça e o engulo novamente.

Ele se estremece todo, quando eu sugo saindo, quase não se agüentado e desaba na cama sobre os cotovelos, se abrindo mais e ficando ainda mais em pé, o lambo todo, girando a língua por ele como se fosse um sorvete e ele se ondulando, não se agüenta de desaba na cama, chegando a seu limite, o engulo e o sugo em um intenso vai e vem e o masturbo onde não consigo e ele se contorce, gemendo rouco e eu indo ainda mais rápido e ele não se agüenta, se estremece, arqueando pra trás e goza em minha boca e eu engulo tudo até o final e o masturbando até não restar mais nada e ele gritando alto pelo orgasmo.

Ele se estremece e fica alguns segundos arqueado e desaba na cama todo mole e respirando descompassado. Sorrio e lambo seu membro que se arrepia e o sugo um pouco e subo por ele, beijando, mordendo e lambendo cada pedacinho de sua pele, que se estremece com meus toques, sugo de leve seus mamilos e o beijo intensamente, explorando cada canto de sua boca.

— Gostou? – pergunto rouca em sua orelha.

— hum... você foi... incrível! – fala um pouco sem fôlego. – Delicia de boca... – fala rouco.

— E você é todo delicioso... – falo e mordo sua boca.

E o beijo profundamente e me ondulando em cima dele, querendo mais, subo em suas pernas e o puxo pela nuca, que se levanta arrepiado e vou rebolando em cima dele, o masturbando comigo rebolando em cima dele, seu membro roçando em meu clitóris, os dois gemendo na boca do outro, com vontade, quase sugando a alma do outro pelo beijo. Me sentindo mais excitada com ele crescendo duro abaixo de mim, seus braços me pegando de todos os jeitos e a minha se apertando em sua nuca e a outra passeando por suas costas e o arranhando de leve e o arrepiando.

E ele me morde a boca quando o fôlego fica inexistente e me morde de leve o queixo e vai lambendo e sugando meu pescoço e me morde de leve a curva do mesmo, me arrepiando.

— Posso te possuir de costas? – fala rouco e quente de desejo em minha orelha.

— Hun? – pergunto meio arrepiada.

— Você virada de costas pra mim, é ainda mais delicioso. – fala rouco e provocante e me morde o pescoço, me arrepiando.

Afirmo meio envergonhada, saio um pouco de suas pernas e cato logo a camisinha e a abro logo e ele sorri malicioso e lhe dou a língua e ele a captura a sugando com vontade e me engole a boca, um gemendo na boca do outro, quando o ‘visto’ e ele se estremece todo, coloco e o acaricio um pouco enquanto o beijo com vontade, o sentindo pulsar em minha mão e suga a língua quando o fôlego some.

E me olha e me pega de leve me virando, fica sentado mais pra trás, mas com as pernas de fora e eu fico sobre as dele e a enrolo em suas pernas, ficando mais aberta e me penetra lentamente a entrada, que estremeço e vai me puxando pela cintura, até que ele entra completamente e o sinto me preencher toda. E sai lentamente e entra novamente e vai me estocando devagar e eu gemo baixo.

E ele me pega pela cintura e vai mais rápido me estocando cada vez mais rápido e comigo rebolando intensamente ao seu encontro e ele passando a mão por mim, me dando arrepios, me pega e me da um beijo longo e profundo e passa as mãos em meus seios, me segurando ali enquanto entrava pra dentro de mim, os segurando, quase os amassando e girando os dedos nos mamilos, os estimulando, me fazendo gemer em sua boca e vai indo cada vez mais rápido e profundo pra dentro de mim.

E me morde a boca e solta lentamente quando o fôlego some, me morde o queixo e vai me mordendo e lambendo minha mandíbula e chega a orelha e a suga e deixo a cabeça de lado e ele vai lambendo e sugando minha pele me dando arrepios e suga a curva do pescoço, deixando sua marca e vai me mordendo e beijando de leve até o ombro e depois fazendo o inverso e me estocando ainda mais intenso e numa dessas acerta meu ponto me fazendo ondular sobre ele e gemer alto em seu ouvido com minha cabeça abandonada em seu ombro.

E me pega e me beija longamente, abafando meus gemidos, me fazendo ondular a sua volta e uma mão me segura pelo seio a outra desce me arrepiando e ele abafa meu gemido alto, quando sua mão desce e pressiona meu clitóris e o fica esfregando e girando os dedos lentamente, me atiçando e depois vai mais  rápido fazendo meu corpo ter espasmos pelos seus dedos e com a outra mão segurando em meu seio e o ficou quase amassando e ficou brincando com meus mamilos, friccionando e os apertando e entrando cada vez mais rápido pra dentro de mim e eu gemendo alto em sua boca e me contorcendo e rebolando ao seu encontro, me acertando toda vez.

E não resistindo por muito tempo, quando ele foi alucinado com os dedos e saindo de sua boca e gritando e me contorcendo em seus braços, me tremendo toda e arqueando pra trás girando os olhos e gozei longamente ao seu encontro e me estremecendo por inteira e fiquei meio mole em seus braços, mas ele ainda não tinha chegado ao seu e ainda me estocava, gemendo em minha nuca, pelo ter apertado.

Mas ele me pegou e saiu de mim e me colocou na cama com cuidado e ficou me beijando longamente e passando a mão por meu corpo e me deixou recuperar mais um pouco e novamente abaixou os dedos me estimulando e me fazendo tremer e gemer baixo e ele não resistindo, me penetrou novamente completamente duro e pulsante, grunhindo em minha nuca e a mordendo de leve e indo rapidamente pra dentro de mim e enrolei minhas pernas nele, que foi ainda mais profundo, o segurando e ele achou meu ponto e era os dois gemendo ensandecidos, ele me estocando rápido, jogando os quadris pra frente e eu rebolando ao seu encontro e me arqueando pra trás gemendo alto e o apertando forte na nuca e o arranhando nas costas e o puxando pra mim, que abocanhava e sugava meus seios com vontade.

E numa arremetida mais forte, me estremeci e o pressionei e ele gemeu pra continuar e o continuei pressionando e ele gemendo rouco e me pegou a boca e nos beijando rápido e profundamente, quase no desespero e abafando o gemido rouco do outro, até que ele não se aguentou e me estocou profundamente e o pressionei mais forte e soltou minha boca e se contorceu e gritou alto gozando pra dentro de mim, que até a senti ser preenchida dentro de mim e que fui logo em seguida, os dois se contorcendo, girando os olhos e gritando alto pelo orgasmo.

Ele ficou alguns segundos arqueado e desabou metade do seu peso em cima de mim e deitou a cabeça em meu ombro, respirando descompassado, os dois e depois ergueu a cabeça e me olhou ainda extasiado e sorriu tremulo e o achei mais lindo assim, com os cabelos grudados em seu rosto e mal conseguindo respirar pelo prazer e me olhava admirado e os dois se olhavam bobos e mal conseguindo respirar e sorriu e me beijou longa e profundamente, fazendo uma dança de línguas, um querendo mais do outro e me mordeu a boca quando o fôlego, o pouco, faltou e puxou de leve e me deu um selinho e soltei as pernas dele, mesmo não querendo muito.

E os dois estremeceram quando ele saiu e se jogou pro meu lado respirando descompassado e os braços meio jogados pros lados, deu um gemido baixo e se ergueu e tirou a camisinha dele e parecia até mais preenchida e deu um nozinho na ponta e se levantou meio preguiçoso e jogou no lixo ao lado da porta e se voltou e eu sorri pro seu lado que piscou e se voltou a deitar do meu lado e me virei e ficamos nos olhando, feito bobos apaixonados.

— E ai... gostou? – perguntou ainda não conseguindo respirar direito e com um sorriso.

— Amei, incrível. – falei, respirando um pouco mais normal e lhe dei um selinho e fiquei mais perto. – Gostou? – perguntei, sorrindo de lado, porque estava literalmente, na cara.

— Fantástico. Foi o...melhor de... todos...– mal conseguiu falar. – Cadê... aquela tímida que... encontrei outro dia...? – falou meio espantado.

— Trancada na sua sala, que a chave... você jogou fora, se lembra? – falei sorrindo de lado e lhe dou um selinho e passo a mão em seu rosto. Que da um largo sorriso.

 - Então me lembre de nunca mais achar a chave... – fala com os olhos se fechando, pelos meus carinhos em seu rosto.

— Não vou esquecer... – dou um sussurro de eco em sua orelha, que sorri e apaga.

Sorrio, mesmo dormindo é lindo, afago seu rosto mais um pouco enquanto me junto mais a ele sentindo seu cheiro e aos poucos apago também.


Notas Finais


ficaram com calor? ;)
.
gostaram?
.
comentem.
.
ps: deem uma dica pra um carro legal que tenha capota? vlws
depois eu digo. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...