História Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 15
Palavras 1.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem do capitulo de hoje!

Capítulo 5 - A Dor Em Cada Pedaço


Fanfic / Fanfiction Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 5 - A Dor Em Cada Pedaço

Não temos dificuldade nenhuma para entrar, falando a verdade. Com um simples empurrão a porta de madeira escancara e entramos. A casa é muito bem mobiliada, não notamos nada fora do comum, ainda né? Ele até pode ser esquisito, mas não acho que ele seria capaz de ferir alguém, e esse alguém justo a Lauren!Ligamos as lanternas dos celulares e começamos a vasculhar suas coisas. Em todas as suas gavetas, a maioria das coisas que encontramos é papel, ou seja, nada útil para nós. 

- Por que esses quadros são tão bizarros? - Anthony pergunta roendo sua unha. 

- Não sei, mas eu não gostei nenhum pouco delas. - Afirma Alfie.

- Pois é galera, eu também. Vamos seguir! - Molly abraça os dois dizendo.

Sobrou para eu ir na frente, estou com medo, mas não dou muita importância para isso. Meu maior medo agora é de não encontrar Lauren aqui. Se ela não está aqui, onde mais estaria? O silêncio me aflige, porque faz com que a nossa certeza vá acabando. A casa é bem iluminada, cheia de vidros e janelas, a luz da rua invade facilmente a iluminando. Caminhamos por cada peça, nada, nada, nada, nada. Que coisa!

- Ei! O que você está fazendo? - Grace grita com Arya.

- O que está acontecendo?

- Arya roubou um anel.

- Anel?

- É Sarah! Um anel... viemos aqui para resgatar a Lauren, não para roubar. Isso não fazia parte do plano.

- Eu não achei que tínhamos um plano Grace.

- Pois é, parece que não tínhamos Molly, mas mesmo não tendo, roubar é errado. Não se rouba nada de ninguém e ponto.

- Ai, cala a boca. Ele nem vai perceber que pegaram o anel. - Arya fala se esnobando com aquela enorme pedra entre os dedos.

- Eu não vou ficar discutindo essa coisa idiota aí de vocês duas.

- Você quer parar de chamar a atenção Molly? Está sendo ridícula dessa maneira.

- Vai a merda Grace. Você não cuida da minha vida.

- Graças a Deus que não cuido. - Molly parece irritada. Ela sai correndo na frente de todo mundo. Então quando ela da mais um passo à frente. A madeira que cobre o chão quebra, pregos furam sua mão esquerda, ela permanece pendurada com as pernas no ar. Seus gritos são altos. Sangue começa a se espalhar pelo cantos do assoalho. 

- Me ajuda! Por favor me ajuda. - Ela implora por nossa ajuda. Grace só a observa, não faz nenhum movimento, Anthony começa a vomitar em cima do tapete persa no meio da sala. Alfie pega a sua outra mão, mas o peso de seu corpo impede com que Molly seja puxada para cima. Suas lágrimas caem atrás da outra. Rapidamente. Consigo ouvir suas unhas arranharem o chão, sua mão começa a rasgar, como retalho de tecido. E então ela cai gritando alto. Aida liga a lanterna e ilumina o local. 

- Aii meu Deus! - Ela diz em voz alta.

- MOLLY! MOLLY! - Vários gritam seu nome ao mesmo tempo.

- Você está bem? - Diz Arya.

- Alguma coisa... a-alguma coisa atravessou a minha barriga...

- O-o que? - Pergunta Alfie.

- Ta doendo!! - Ela diz chorando.

- Molly! Ei! Molly! Olha pra mim! Olha pra mim! Eu vou tirar você daí. Ok? - Ela concorda com a cabeça. 

- Sarah! - Ela diz manhosamente. - Tem alguma coisa cravada aqui na minha barriga, eu não sei o que é. 

- Que barulho foi esse? - Craig pergunta.

- Que barulho? - Pergunto. 

Molly parece assustadíssima, ela está meio deitada e ao mesmo tempo sentada no chão, tenho que admitir que eu também estaria no seu lugar. O lugar é sinistro, sem luz, totalmente escuro. E parece... sujo! Eu diria. 

- Sarah... tem alguma coisa aqui!

- Molly! O que você diz com alguma coisa? - Molly começa a ser arrastada por um enorme cachorro. Seus braços viram em carne viva em seus dentes. Ela segura no seu pescoço e tenta-o afastar com as mãos, gemidos de dor preenchem nossos ouvidos. O cachorro continua-a atacando, estamos numa situação em que não há o que fazer. Tiro meu celular do bolso e atiro no cão. Ele se quebra em mil pedaços e eu nem o acerto. Começamos a gritar com a grande fera, Molly apenas chora e geme de dor. Para finalizar, o cão da um pulo para trás e numa velocidade rápida estraçalha o seu pescoço. Molly abraça o cão com os dois braços. E então seus olhos param de piscar, seu braço cai para o lado, seus dedos não se mexem. O cachorro continua a devorar sua garganta. 

Começo a chorar desesperadamente, eu nunca tinha visto ninguém morrer, não na minha frente, ainda mais sem eu puder fazer nada. Eu não pude fazer nada, nada para impedir que ela morresse. Me abraço em Alfie, que retribui com um beijo na minha testa e um forte abraço. Anthony chora junto comigo, ele não precisou ver, apenas ouvir já foi o suficiente para ele despejar suas emoções e tristezas diante do que aconteceu. Grace não demonstra tristeza, ela só fica em silêncio o tempo todo. Arya chora junto conosco. Aida segura tudo que ela poderia ter aliviado naquele momento, mas cada um escolhe as suas emoções, e no seu caso, ela preferiu guardar para si os seus próprios sentimentos. Eu a entendo, pois nós duas a assistimos morrer e não fizemos nada. NADA! 

As imagens continuam aparecendo na minha cabeça! Cachorro. Dentes. Sangue. Muito sangue. Pregos. Madeira. Ajuda. Não fizemos nada, não consigo parar de chorar. Continuamos andando, não paramos. Não podemos parar! Perdemos alguém, perdemos alguém do nosso grupo de amigos. Eu não consigo acreditar que vi ela morrer, não daquele jeito! Torturada pelos dentes de um animal extremamente selvagem, sem sentimentos, apenas pronto para atacar. 

Alfie segura minha mão bem forte, parece até que irá quebrar meus dedos. Ele está junto comigo, me dando apoio e força para eu continuar e tentar achar a Lauren. Espero que eu consiga pelo menos conseguir achá-la. Onde ela estiver! E custe o que custar, eu irei salvá-la de alguma maneira, não importa qual será, mas eu irei resgatá-la. Porque eu sou sua amiga de infância e não a deixarei sozinha. Digo, não aqui! 

 

 


Notas Finais


Só continua Sarah!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...