História Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 9
Palavras 1.439
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem amores!! :3

Capítulo 7 - Shhh...


Fanfic / Fanfiction Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 7 - Shhh...

Craig continua se segurando em meu ombro, ele dificulta que eu consiga andar rápido, pois seu peso pressiona meu ombro. Sua perna está bem feia, mas eu creio que o sangramento parou. Continuamos caminhando pela casa, estamos com medo de perdermos mais alguém, ou alguém se machucar. Cada vida perdida agora, é uma desvantagem e triste para casa um de nós:

- Ei! Sarah! Venha aqui! - Aida me chama. Caminho em sua direção, Grace fica no meu lugar ajudando Craig a andar. 

- O que foi?

- Essa não é a pulseira da Lauren? - Ela me entrega uma pulseira prateada com pingentes de pedras, que balançam lindamente com seu movimento.

- Eu acho que é. - Fico na dúvida se é ou não a pulseira dela. - Onde você achou isso?

- Estava em cima da grade da cadeira.

- É a pulseira dela! - Afirma Craig. Todos nós nos olhamos com os olhos arregalados, sem saber o que exatamente deveríamos fazer. 

- Galera! - Diz Alfie. - Sabe o que eu acho que nós deveríamos fazer? Deveríamos nos separarmos de novo.

- De novo? - Aida franze a testa. 

- Nosso grupo está muito grande, se nos separarmos será melhor. 

- Ele tem razão Aida! Temos que nos separarmos, já perdemos a Molly antes, não pretendo perder mais ninguém. - Grace diz fazendo Craig sentar no chão. 

- Tudo bem! Sarah você fica comigo, Arya também! - Diz Aida. 

- Ok. Eu fico com os outros. Anthony, Craig e Grace. 

Vamos cada grupo para um lado, no meu todas nós nos entendemos então eu espero que não morramos e sim conseguiremos resgatar Lauren daqui. 

- Sarah? Você quer ir na frente? - Pergunta Aida.

- Eu já banquei a corajosa bastante tempo! 

- Tudo bem então, eu vou na frente. 

- Espera vocês ouviram isso? 

- O quê? - Pergunta Arya.

- Shhh... Aida tapa nossas bocas. Ficamos imóveis. Ele está entrando dentro de casa. Temos que nos esconder.

- Aonde? - Digo preocupada. 

- Não sei. Só se escondem. 

Corremos cada uma para um lado, sem saber direito para onde estamos indo, Arya corre para um dos quartos, Aida se esconde atrás da porta, e eu entro dentro para dentro do guarda-roupa. As venezianas permitem que eu consiga enxergar o que está acontecendo, caso alguém entre no quarto. Minha respiração está cada vez mais pesada, eu preciso me acalmar. Coloco a mão na minha boca para eu não gritar, os passos dele são pesados, parecem pés com calçados de ferro arrastando correntes por onde anda. Olho para o lado, suas roupas batem em meu corpo, caio para trás. Faço barulho: "droga!" - penso. Os sons de seus passos parecem se aproximar, sinto meu rosto ficar vermelho de tensão. Gotas de suor começam a escorrer pela minha testa e descem pela lateral dos meus cabelos, eu abraços os meus joelhos para tentar ocupar o mínimo de espaço dentro desse armário. Seus passos estão ficando cada vez mais alto, eu mal os escuto, pois meu coração bate tão rápido que me impede que eu os consiga ouvir. Tenho vontade de chorar, por medo de ele me achar, mas estou tão nervosa que nenhuma lágrima sai de meus olhos. Ouço ele empurrar com força a porta do quarto, consigo ver Arya encolhida de baixo da cama, ela parece com mais medo que eu. Espio pela fresta da porta, ele olha ao redor, mas não nota que estou aqui, eu o observo, mas nem passa por sua cabeça que estou escondida no seu armário. Ele anda, da mais um passos, para! Olha para o armário, e vem em minha direção. - "O que irei fazer? Me ferrei agora! Merda!" - Vou mais para trás, e tendo me esconder entre suas roupas, faço pouquíssimo barulho, para que não haja desconfiança de nada. Ele está vindo, coloca sua enorme mão no puxador do armário, e quando irá abrir, algo quebra na cozinha, rapidamente sua cabeça vira para o lado, ele fecha melhor o armário. Sinto como se meu coração fosse sair pela boca. Ele fecha a porta do quarto ao sair. Relaxo meus braços, que batem no chão. Passo minha mão no rosto para secar meu suor. Empurro a porta do armário, caio sob o tapete do quarto, gemo. A maçaneta começa a se girar, alguém está tendo-a a abrir, olho para a porta do armário está aberta, olho para a cama, Arya me chama para ficar junto com ela. Dou um chute na porta, ela se fecha rápido, rastejo até debaixo da cama. Permanecemos caladas, sem dizer uma palavra. Notamos que é Grace. Ela está sozinha. O que aconteceu com o seu grupo? Será que ela deu uma de rebelde e decidiu por conta própria procurar Lauren sozinha? 

Ela parece agitada, anda de um lado para o outro, sem se importar nenhum pouco se está ou não fazendo barulho. Não sei se ela sabe que Johnny está em casa, ele não iria gostar nada de vê-la aqui, afinal ele nem a conhece. Grace espia para fora da janela, ela parece ver algo, então começa a gritar:

- Lauren! Ei Lauren. - Puxo Arya, nós duas saímos de debaixo da cama.

- Grace! Cala a boca! - Digo gritando com ela. Então ela se vira rapidamente e me da um tapa no rosto. Eu caio sob a cama, não esperava que ela fosse fazer isso comigo. Isso me irrita, então a empurro, ela bate de costas em uma cômoda de madeira, na batida um abajur cai e quebra. 

- Você vai querer brigar agora Sarah? 

- Por que você me bateu?

 - Porque você me mandou calar a boca, e eu vi ele tirar o corpo da Lauren de dentro do porta mala. Ela parecia estar acordada, então... eu achei que gritando por seu nome, ela poderia saber que estamos aqui para salvá-la. 

- NÃO GRACE!! - Ela empurra a janela, parece que ia pular, mas uma corda arrebenta, e uma lâmina afiada cai sob seus dedos. Coloco a mão na boca, espantada com o que vejo. Ela puxa sua mão, sangue jorra em meu rosto, seus dedos ficam presos ainda sob as lâminas. Ela grita de dor, o sangue continua jorrando sem parar, a situação é bastante assustadora. Ela continua chorando, abro o guarda-roupa e pego a primeira peça de roupa que vejo, olho bem para ela. Arya está prestes a desmaiar. 

- Arya! Precisamos de você, por favor não caia. Aguente! 

- Tudo bem. - Ela se apoia na cama e tenta não olhar para a mão de Grace sem os quatro dedos. 

- Grace. Você é forte! Sempre foi! Vou amarrar esse pano para estancar o sangramento, mas acredito que depois que sairmos daqui, você terá que ir a um hospital para fazer pontos. 

- Ahan. - Rasgo um pedaço de uma camiseta, uso meus dentes para me ajudar no rasgo, puxo bem o tecido que se rasga facilmente. - Sarah... 

- O que? 

- Me desculpa.

- Shh... você não precisa.

- Preciso sim, eu deveria ter te ouvido. Desculpa. - Continuo amarrando o pano, dou várias voltas em sua mão, e ao finalizar dou um nó bem forte, para não desatar. Dou um beijo no seu rosto, ela me abraça forte. Arya parece um pouco melhor, se ela estivesse com comida no estômago já teria vomitado a muito tempo. 

Saímos do quarto, dobramos a esquerda, vejo ainda alguns cacos de vidro quebrados debaixo do balcão da cozinha, provavelmente deve ter sido Aida. Ela sempre me salva de enrascadas. Arya ajuda Grace a caminhar. 

- Sarah! - Arya me chama.

- O quê?

- Olha só isso! - Censores piscam uma luz vermelha, vidros com cacos de vidro e pregos permanecem pendurados no teto, se passarmos por aqui, os vidros vão estourar com a nossa presença, iremos ser perfuradas por essas coisas.

- Tudo bem! Não vamos passar por aqui! Vamos fazer a volta. 

- Esse lugar está cheio de armadilhas Sarah.

- Foi uma péssima ideia termos entrado aqui. - Diz Grace. - Eu acho que devíamos sair de uma vez por todas desse lugar, e chamar a polícia. Eles acharão a Lauren.

- Se chamarmos a polícia, a Lauren pode morrer Grace! - Diz Arya. 

- O problema é que eu já verifiquei, todas as portas e janelas estão trancadas. Se quisermos sair daqui, creio que muito de nós irá morrer. 

Me sinto assustada com suas palavras, penso em Alfie, ele não está mais comigo, então não sei se ainda está vivo. Eu só espero que sim, pois eu estou, e estarei até o final. 


Notas Finais


E aí galera quem merece morrer no próximo capítulo da fic?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...