História Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 13
Palavras 1.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Espero que gostem!!

Capítulo 8 - Lágrima Atrás de Lágrima


Fanfic / Fanfiction Um Lugar Que Eu Nunca Mais Desejo Voltar - Capítulo 8 - Lágrima Atrás de Lágrima

Continuamos andando pelo imenso labirinto, cheio de veneno e surpresas não agradáveis para nos assustar. Me sinto protegida com elas andando ao meu lado, é como se... como se eu não estivesse abandonada. E na real não estou mesmo. Arya se abraça em mim, seguro seu braço em forma de carinho. Eu a amo, e ela sabe disso. 

Ao entrarmos dentro de um quarto, um alarme dispara, imediatamente colocamos nossas mãos em nossos ouvidos para abafar o som ensurdecedor. Pecho em uma mesa, vasos de vidro e cerâmica quebram ao tocarem ao chão. 

- Vamos sair daqui! - Grace grita bem alto para conseguirmos ouvi-la.

- Está trancada!!

- Merda!! - Digo furiosa, a porta se trancou ao entrarmos aqui dentro. 

- Que cheiro é esse? - Arya fala. Grace desmaia e cai no chão. 

- Que merda é essa que está acontecendo?

- Eu não sei!! - Arya está quase chorando. A peça inteira fica coberta por uma fumaça verde, parece veneno, mas faz nos deixar com o corpo relaxado, não sei porque. Eu caio ao lado de Grace que já está com os seus olhos fechados. Seguro ao máximo a minha respiração, mas não aguento e acabo fechando os olhos também. 

Estou numa sala estranha! Que lugar é esse? Tento me levantar, mas não consigo. Correntes e cadeados impedem que eu me levante. Começo a gritar, algumas luzes começam a se acender, ouço um barulho na porta. Ao olhar para o lado vejo que Arya está na mesma posição que eu, deitada. Grace não está junto de nós, eu levanto meu pescoço e vejo Peter amarrado com cordas em uma cadeira de ferro. Arya não está acordada, mas Peter está.

- Peter... (sussurro baixo) - Ele ergue seus olhos azuis e penetrantes na minha direção, engulo em seco ao ver seu rosto machucado. Você consegue sair daí? - Ele faz um sim com a cabeça, a corda parece não estar apertada. Ele faz alguns movimentos, a corda vai se esgaçando, ele puxa, puxa, puxa... até que consegue remover toda a mão. Ele se solta da outra, Arya acorda e olha pra mim e pra ele, começa a nos perguntar o que diabos está acontecendo, eu não sei respondê-la. Peter se estica da cadeira e pega um canivete, ele o usa para cortar as cordas dos seus pés. Ele se levanta, e corre em minha direção:

- Sarah! Eu preciso achar uma chave para poder abrir esses cadeados. Talvez tenha em alguma gaveta, ou algo do tipo. - Eu concordo com a cabeça. Ele abre algumas gavetas e portas de armários, mas não há nada. - Se eu conseguir sair daqui, posso tentar achar a chave em outro lugar. Eu não vou demorar, vai ser super rápido, prometo. 

- Ahan... tudo bem! - Digo acenando a cabeça. 

Peter anda até uma das portas, está trancada, ele a força, mas não consegue abrir. Continua tentando, até que percebe que há uma porta aberta:

- Vejo vocês depois meninas. - Quando ele a abre totalmente, um barulho de tiro invade nossos tímpanos. Sangue jorra em meu corpo e no de Arya. Peter cai de joelhos no chão, e então cai no chão, sangue se espalha rapidamente pelo piso branco da peça. 

- AHHHHHHHH... - Eu e Arya começamos a gritar horrores. 

- Ai meu Deus!!!! - Arya grita, querendo vomitar. Nós duas choramos e gritamos para que alguém nos ajude. Peter está definitivamente morto na nossa frente. E então Johnny entra na sala, ele olha para a arma e a tira da porta. Continuamos gemendo e gritando por ajuda. Ele não liga para nossos gritos, simplesmente os ignora. Com as suas duas mãos arrasta o corpo de Peter, que é colocado em um saco escuro, o rastro de sangue continua no chão, ele não liga. 

- Por favor!! Por que está fazendo isso com a gente? - Ele coloca luvas de cirurgia nas mãos, não sabemos qual o motivo. Com uma corda bem grossa, ele amarra na boca de Arya. Arya geme se retorcendo, estou assustada pois não sei o que ele irá fazer. Para finalizar ele tranca a porta, e verifica as demais. 

- Sabe meninas. - Ele vem em minha direção e coloca uma corda igual na minha boca, é apertada e áspera. - Vocês nunca deveriam ter colocado os pés aqui dentro. - Me retorço, gemendo. - Serão punidas agora pelo erro de terem entrado aqui. - Ele puxa várias cordas, faz nossos corpos erguerem, minhas pernas estão penduradas para cima. Sinto o sangue começar a descer, isso não é boa coisa. Ele passa a mão nas pernas de Arya. - Como você é bonita Arya! Tem um corpo maravilhoso. - Ele continua passando as mãos em suas pernas e então vai subindo. - Você gosta quando eu te toco? - Arya começa a chorar, vejo as lágrimas derramarem pelos cantos de seus olhos. - Eu não consigo resistir querida. - Seus cabelos vermelhos caem para fora das correntes, Arya é tão bonita, não quero que ele a machuque. 

Johnny sobe mais ainda sua mão, e então puxa devagar a calcinha de Arya. Ela chora desesperadamente, seus pulsos estão machucados de tanto ela tentar se soltar. Ele continua passando a mão nela, ele desabotoa sua calça e a abaixa, seu membro é tão grande. Começo a chorar junto com ela. Johnny segura Arya pela cintura, levanta suas pernas:

- Aguente!! - Ele diz antes de metê-la. Arya grita entre a corda que prende sua boca. Ele faz movimentos rápidos, tira e bota. Ela se contorce nas correntes, sinto uma grande tristeza invadir meu coração, odeio ver o que ele está fazendo com ela. Ele termina seu ato, Arya parece fraca, ela esta prestes a desmaiar de novo:

- Só relaxa!! - Ele diz com um olhar malicioso para ela, tirando uma grande faca de suas costas, ele à esfaqueia, enfiando a faca dentro dela. Sangue escorre de suas pernas e pinga no chão. Arya não tem nem mais forças para gritar. Eu fico desesperada com o que vejo. Facada por facada... Arya então cai para trás, ele vira seu rosto para o lado, que escorre sangue pela lateral, seus olhos não piscam mais, seu coração não bate mais, não ouço mais sua respiração. Ele solta a corda, e ela cai direto no chão, seu vestido floral está completamente manchado de sangue, seus cabelos vermelhos balançam ao ponto em que ele a leva para outro lugar.  

Fico imóvel, em choque com o que vi, não consigo sair desse lugar. Será que vou morrer igual à ela? Eu não sei, mas eu só sei que eu não posso deixar que isso aconteça. Jamais!! 


Notas Finais


O.o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...