História Um mafioso em minha vida - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~KarinaSesshy

Postado
Categorias Inuyasha
Personagens Rin, Sesshoumaru
Tags Rin-policial, Sesshoumaru-mafioso
Visualizações 306
Palavras 1.412
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa noite e boa leitura ^^

AVISO: Essa fic está em reta final

Capítulo 8 - Capítulo Oito


Fanfic / Fanfiction Um mafioso em minha vida - Capítulo 8 - Capítulo Oito

Rin on

- Também achei uma tortura, Sesshy. Não quero ficar longe de você, por tanto tempo, assim novamente. 

Sesshoumaru on

Sorri e a trouxe para os meus braços.

Com mais algumas caricias, acabamos pegando no sono.

Me sentia protegido nos braços dela. Todo o peso na consciência, ao seu lado, sumia. Me sentia menino bobo e apaixonado ao seu lado.                        

Rin on

1 ano depois

Sesshoumaru e eu ainda estamos juntos e me apaixono cada vez mais por ele. Tenho quase 100% de certeza que o amo, mas ainda não falei isso pra ele. Não quero ser a primeira a dizer e quebrar a minha cara, caso ele não sinta o mesmo.

Meus pais não sabem sobre ele. Decidi não contar, pois não quero dar certeza a minha mãe. Miroku conheceu uma garota, Sango é o nome dela, se não me engano. Ele parece feliz e fico contente com isso.                        

Sesshoumaru on

- Caralho!!! Você também não, Sango.

- Desculpe Sesshoumaru, mas acabei me apaixonando pelo Miroku e não acho justo fazer isso com ele.

- Argh!!!! - Puxei os cabelos com força

- Puta que pariu!! Temos que matar ele, Sango. - InuYasha disse nervoso - Foi por isso você entrou no plano. Pra matá-lo. Aqui o veneno, morte na certa. Coloque na bebida.

- Não posso. Não vou fazer isso. Se quiser me matar, pode me matar, Sesshoumaru.

Fechei os olhos com força.

Acho que a Rin está ferrando comigo. O que devo fazer?                        

Rin on

Eu estava na delegacia, até que recebi um chamado pra fazer uma apreensão num ponto de drogas.

Como sempre, Miroku e eu fomos juntos. Fizemos o nosso trabalho, muito bem feito por sinal, mas nada do chefe do crime.

Quando vou conseguir prender esse cara?                        

Sesshoumaru on

- Droga, Rin!!!! - Esmurrei a parede ao vê-la, pela milésima vez, acabando com as minhas coisas

- Se você não der um jeito nela, as coisas só vão piorar.  - InuYasha disse

- Sango não quer matar o Miroku. Ele que tem que sair da jogada.

- Sim, porém a Rin vai continuar com as investigações pelo tal 'chefão' até descobrir quem ele é.                        

Rin on

Pela noite, eu estava passando muito mal e isso não é de hoje. To desconfiada e muito.

Antes de ir pra casa, passei na farmácia e comprei alguns testes de gravidez.

Eu não deveria pensar nessa hipótese, já que tomo remédio. Mas o Sesshoumaru e eu fizemos no período que não tomo o remédio, e até agora as minhas regras não desceram.

Fui direito pro banheiro e fiz os testes.

Dia seguinte

Eu não me concentrava em nada no trabalho. Eu só pensava em uma maneira de contar ao Sesshoumaru.

Pela noite, depois de sair do trabalho, decidi passar na casa dele. Ao chegar, vejo uma mulher, de mais ou menos 40 anos, saindo de lá.

- Com licença, o Sesshoumaru está? - Perguntei ao me aproximar

- Sim, o senhor Sesshoumaru está sim. - Disse sorrindo e não me senti a vontade

Ela pode ser mais velha que eu, mas tem um corpo de dar inveja em qualquer uma.

- Vou chamá-lo, só me dê um minuto.

- Não precisa. - A impedi - Quero fazer uma surpresa a ele.

- Surpresa? - Ela arqueou a sobrancelha - O que você é, pro senhor Sesshoumaru?

- Sou namorada, e você?

- Sou empregada. Me chamo Kaede.

 - Bom, Kaede, não precisa avisar ao Sesshoumaru.

Kaede: Tudo bem, então. Tenham uma boa noite.

Ela saiu e eu entrei, começando a procurar pelo Sesshoumaru.                        

Sesshoumaru on

- Eles não querem, Sesshoumaru. - InuYasha disse ao telefone

- Você tem que vender, InuYasha.

- Mas eles estão achando que a droga está muito cara.

- Porra InuYasha, vende pela metade do preço então.

- Ok, pera aí... Agora eles querem.

- Malditos mercenários. Mas só aceite o trato com o dinheiro vivo na mão.                        

Rin on

Em silêncio, segui até o escritório do Sesshoumaru, mas parei ao ouvir a conversa dele pelo telefone.

Olhei pela brecha da porta e o vi mexendo em alguns papéis, enquanto falava no viva-voz, sobre venda de drogas.

Perai o que? Venda de drogas?

Continuei ouvindo, até a conversa ser encerrada, e tive a certeza.

Sesshoumaru é o chefe do crime. Ele esteve bem debaixo do meu nariz, esse tempo todo.

Com muita dor no coração, eu saquei a minha arma e invadi aquela sala.

- Mãos pro alto. Sesshoumaru Taisho, você está preso.                        

Sesshoumaru on

- Ta louca, Rin? - Arquei a sobrancelha

Não a escutei e continuei no meu lugar.

- Isso é uma pegadinha por acaso? Ta de sacanagem com a minha cara? - Levantei e me aproximei dela                        

Rin on

- Não se aproxima de mim. - Engatilhei a arma e ele parou, um pouco surpreso

- Eu ouvi sua conversa ao telefone. É isso que você faz da vida? Vende drogas pra mercenários? Aposto que não só pra eles. Não sou nenhuma estúpida, ta legal?                        

Sesshoumaru on

- Rin, não me faça perder a cabeça com você. Não quero te machucar.

Não estava com medo de que ela atirasse, pois eu podia muito bem sair daquela situação, só não quero que ela fique contra mim.                        

Rin on

- Sesshoumaru, vender drogas é ilegal. Eu vou te prender, queira você ou não.                         

Sesshoumaru on

Mudo e sem esperar, a peguei, prendendo-a contra meu corpo.

- Você ta louca, ou o que? Vai fazer isso comigo, sem mais nem menos?                        

Rin on

- Me larga! - Tentei me soltar, mas estava difícil

- Sesshoumaru, me larga, agora. - Disse séria

- Eu vou investigar a sua vida. Desde o momento que você nasceu, até agora. Se você for quem eu estou pensando, jamais vou te perdoar por ter mentido pra mim.                        

Sesshoumaru on

- Mesmo depois do que vivemos juntos, você teria coragem de fazer isso comigo?                        

Rin on

- Depois da conversa que ouvi? Sim, eu teria e vou fazer.

- Não suporto mentiras, Sesshoumaru. E saber que você trabalha com assuntos ilegais, não me deixa contente.                        

Sesshoumaru on

- Rin, você não sabe o que eu passei pra ter que ficar com você. Engoli meu orgulho por sua causa e você vem com esse papo pra cima de mim?                        

Rin on

- E por acaso você esperava um reação diferente? Sabe que sou uma policial, como você espera que eu ignore o que acabou de acontecer?

- Pretendia esconder isso de mim pro resto da vida?                        

Sesshoumaru on

- Logicamente. Mulher minha não tem porque se meter em meus assuntos, nem saber o que eu faço e muito menos questionar. Você não tem provas contra mim.                        

Rin on

Arqueei a sobrancelha.

- Posso ler os papéis que você assinava? Se não for nada ilegal, então eu deixo passar.                        

Sesshoumaru on

Sorri de lado.

Na verdade os papéis que estavam em cima da minha mesa, eram sobre minhas propriedades que pretendia vender.

- Como queira, mas antes... - Coloquei sua arma dentro das minhas calças

- Fiquei a vontade, querida.                        

Rin on

Não gostei nem um pouco do Sesshoumaru ter ficado com a minha arma.

Sentei em sua cadeira e comecei a ler aqueles papéis. Eram sobre prédios e terrenos a venda.

Ta, ele ta limpo, mas ainda to com a pulga atrás da orelha. Minha intuição está dizendo pra desconfiar.

- Tudo bem. Está limpo.                        

Sesshoumaru on

- Pelo que parece, não vamos continuar mais nos relacionando. - Virei de costas                        

Rin on

Meus olhos se encheram d'água e me segurei muito pra não chorar.

Levantei da cadeira, retirei o meu anel e fui até Sesshoumaru.

- Sim, esse é o fim. Por favor, a minha arma.

Ele me entregou a arma e entreguei o anel.

- Adeus Sesshoumaru! - Me virei e comecei a caminhar até a porta

Passei pela Kagura, na sala, que parecia entender tudo o que estava acontecendo, pois ela estava triste.

Sai do apartamento do Sesshoumaru, peguei um táxi e fui pra casa, onde desabei no choro.                        

Sesshoumaru on

Sentei de uma vez na cadeira e levei as mãos até os cabelos.

Meu irmão me avisou, eu só não quis abrir os olhos. Estou fodido! Rin, essa maldita mulher, me fodeu. Porra de coração! Sentimentos desgraçados!

- Argh!!!! - Joguei tudo que estava sobre a mesa, ao chão

- Rin, sua maldita... Eu te amo... - Chorava por aquela desgraçada

- Sua maldita... Volta pra mim. 


Notas Finais


É, a Rin descobriu tudo e ainda terminou com o Sesshy 💔

Obrigada pela presença de todos. Beijos e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...