História Um mês com meu professor irritante - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias SHINee
Personagens Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Minho Choi, Taemin Lee
Tags 2min, Drama, Gay, Jongkey, Romance, Shinee
Exibições 110
Palavras 2.848
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, me desculpem pela demora, mas é que eu realmente estou bem sem tempo.
Na verdade, eu ia postar esse capítulo sexta-feira, mas não deu tempo.
Aí, deixei para postar na madrugada de sexta-feira para sábado, mas eu acabei escrevendo demais e deu mais de 4.000 palavras hsaushaushu sorry. ~Sério, dava para fazer dois capítulos com tudo aquilo~
Aí eu separei tudo aquilo que eu escrevi em dois capítulos e vou postar agora

Bem, é isso. Aproveitem e me desculpe por qualquer erro T^T juro que corrigi tudo, mas minha visão está horrível <\3

Capítulo 4 - Minha mudança.


Fanfic / Fanfiction Um mês com meu professor irritante - Capítulo 4 - Minha mudança.

Os dias foram passando e nós mal conversávamos direito. Só quando ele me acordava pela manhã e durante as refeições. Eu gosto de falar, gosto de conversar com alguém. Já não basta todos os dias que eu ficava em minha casa sem falar com ninguém. Não aguentaria ficar do mesmo jeito com JongHyun. Mas o problema é: o que falar com ele?

Hoje é sábado, então não preciso estudar. Estava vendo jornal, enquanto tomava café da manhã e anotava tudo que eu ouvia num bloquinho. Coloquei em minha cabeça que precisava amadurecer. E faria isso de qualquer jeito, mesmo que precisasse anotar tudo que eu ouvira.

-Mas o que raios você está fazendo?

Ouvi sua voz e avistei a criatura, mais baixa do que eu, com as mãos na cintura, enquanto olhava para a TV e para mim.

-Eu não vou ser mais uma criança, Kim JongHyun! Irei amadurecer a partir de agora!

-Vai amadurecer vestindo uma blusa gigante do Homem de Ferro?

Franzi o cenho, enquanto cruzava os braços. -Então vou mudar de visual.

-Vai fazer isso como?

-Espere um pouco, que já volto. -Disse, subindo rapidamente as escadas, adentrando meu quarto e pegando um caderno. Voltei para perto do mais velho, ofegante. -Lê... Isso.

-O que é isso?

Naquele caderno, eu havia feito uma lista de coisas para me ajudar a ter um visual mais maduro:

 

Óculos sem grau: Para dar um ar intelectual.

Blusa social (de preferência, apenas de cores claras): Para dizer que sou jovem, mas sei me vestir apropriadamente.

Calça social e o paletó: Para mostrar a concordância das roupas. O paletó pode ser usado apenas para dar um "charme" (?)

 

Listei outras coisas também, mas só isso foi o bastante para que JongHyun caísse na gargalhada.

-JongHyun, não tem graça! Do que está rindo?

Cruzei os braços, com uma expressão totalmente zangada para o mesmo.

-Nada, não estou rindo de nada. -Disse, parando de rir aos poucos. -Vamos sair para mudar seu visual, então. Vai tomar um banho. Está pronto para mudar, Kibum?

-Estou, capitão! -Disse, fazendo referência á abertura de meu desenho preferido, Bob Esponja. Tomei meu banho, coloquei uma blusa do Batman e coloquei uma calça Legging. Desci até a sala novamente e vi um JongHyun me olhando de cima a baixo, enquanto balançava sua cabeça negativamente, com os olhos fechados.

-Está tão infantil assim? -Perguntei com um ar cansado.

-Vem comigo. -Me pegou pela mão e subiu as escadas comigo, até adentrar meu quarto e remexer em meu guarda-roupa.

-Kibum, você não tem nenhuma roupa social ou diferente dessas roupas de nerd?

Abaixei a cabeça e a balancei negativamente. Estava com vergonha por ser tão criança. -Espere aqui, já volto. -Disse e foi rapidamente ao seu quarto. Alguns minutos depois, voltou com roupas em mão.

-Minhas blusas sociais são mais largas em mim, então acho que deve servir em você. Agora, com as calças, eu não vou poder te ajudar. Não sei o que vamos fazer. E não, você não vai de shorts. Olhou para mim com o cenho franzido, pois eu já ia dar essa ideia. -Você não tem nenhuma calça jeans aí não? -Perguntou.

-Na verdade... -Fui até meu guarda-roupa e peguei uma calça jeans azul escura já passada e mostrei para ele. -Eu tenho essa daqui. Mas é a única.

-Melhor do que nada. Agora vai tomar um banho.

Fui rapidamente tomar meu banho. Normalmente, eu tomo banhos demorados, mas hoje eu sabia que não poderia fazê-lo. Percebi, depois de estar quase terminando meu banho, que esqueci a toalha na cama.

-J-JongHyun!

-Diga, Bummie.

De novo com essa droga de "Bummie".

-Pode trazer minha toalha, por favor? Eu a esqueci na cama.

Na minha mente, aquilo tinha relação com coisas sexuais, se é que me entendem. O mais velho adentrou o banheiro e eu afastei o vidro Box um pouco. -O-obrigado. -Agradeci, obviamente corado pela vergonha. Me enrolei na toalha dentro da Box mesmo e saí do banheiro. Fiquei observando JongHyun sair do banheiro e ficar encostado na parede olhando para mim. Arqueei uma sobrancelha e ele logo se ligou que eu queria alguma privacidade.

-A-ah, eu vou tomar um banho. Já volto. -Assenti e troquei de roupa. Vesti sua blusa social azul bebê e minha calça jeans azul escura, que já estava meio velha e um All Star preto. Eu tinha vários All Star's. Fui arrumar meu cabelo, fazendo um penteado de lado nele e reparei que o mesmo havia crescido mais. Passei um delineador leve, passei um perfume fraco e fiquei esperando o Kim terminar de se arrumar. Após esperar uns cinco minutos, eis que me aparece um JongHyun bem produzido, me fazendo ficar com um rubor em meu rosto. -Você... Está bonito, Key.

"Você está perfeito." Pensei. Notei que ele ficou com vergonha, pois colocou sua mão na nuca e desviou o olhar. -Obrigado. -Respondeu. Não entendi na hora, mas depois eu percebi: havia cometido aquela velha mania de pensar alto. Arregalei um pouco meus olhos e tampei minha boca de imediato, o que tirou um riso do menor. Acho que toda essa preparação demorou um bom tempo, pois agora já eram duas horas da tarde.

O Kim pegou seu carro e fomos ao shopping, onde ele fez várias piadinhas sobre eu ser muito criança. Até me chamou de homem-aranha. Aquilo me deixava com muita raiva. Mas nada se comparava aquelas vendedoras oferecidas que sempre davam em cima de JongHyun quando entrávamos em alguma loja. Fomos a várias lojas, passeamos por aquele shopping inteiro. Eu experimentei vários estilos de roupa. Até pararmos em uma última loja.

-Dino, eu não aguento mais andar... -Disse manhoso, fazendo uma cara de cansado.

-Dino? Por que Dino?

-Você me lembra um dinossauro.

-E... Isso é bom? -Me perguntou curioso.

-Eu gosto de dinossauros! -Respondi, fazendo um eye smile para ele.

-Tudo bem, Key. Esta é a última loja que vamos entrar. Depois nós vamos à praça de alimentação, tudo bem?

Assenti com um sorrisinho e adentramos a loja. JongHyun me deu várias roupas executivas, que, de acordo com ele, seriam "do estilo intelectual e maduro". Fui para o provador e comecei a me despir. -Ah, Kibum, talvez você não precise... -Parou de falar e viu que eu estava apenas com a roupa íntima. Arregalou os olhos e desviou o olhar. Ambos estávamos vermelhos como se estivéssemos comido uma pimenta pura.

-O-o que ia dizer?

-Não era nada, pode continuar.

Comecei a colocar as roupas da loja em meu corpo e fui ajeitando em mim, enquanto me olhava no espelho. Aquilo estava ridículo. Eu parecia uma criança com roupa de adulto. Mas tinha um detalhe que eu não havia percebido antes e que agora me deixava meio desesperado: o zíper não fechava de jeito nenhum. Eu tentava fechá-lo e nada adiantava. Tentei uma última vez e quase prendi meu dedo no cós da calça. Desisti e apelei para meu "querido professor":

-J-JongHyun. Vem aqui um minuto, por favor?

-Está vestido?

-Não, JongHyun, eu quero que venha aqui para que me veja fazer um Strip-tease. -Ironizei. Ouvi o outro suspirar forte.

-Estou indo.

Adentrou o provador e segurou a risada, enquanto tentava mudar a direção de seu olhar para o outro lado, a fim de não rir na minha cara. Fechei a cara e cruzei os braços.

-Ri logo para eu aproveitar e te matar.

E assim, ele se explodiu em risadas. -Você está igual um anão fingindo ser executivo!

-AISH, SEU IDIOTA! EU ODEIO VOCÊ, KIM JONGHYUN!

Gritei, fazendo bico e franzindo o cenho.

-Eu prefiro você como estava antes. Mesmo sendo um nerd fanático por quadrinhos e super-heróis, você estava sendo você mesmo. -Me deu um selinho, enquanto estava fazendo bico, o que me fez desfazê-lo imediatamente. Fiquei lá, parado igual uma estátua de olhos arregalados. Depois vesti minhas roupas anteriores e saímos da loja. Reparei que o mais velho carregava quatro sacolas, duas em cada mão.

-O que comprou?

-Roupas para você. -Estranhei. Nenhum estilo se adequou a mim, então por que ele havia comprado roupas para mim?

-Não se preocupe, são roupas jovens e que servirão muito bem em você. -Disse sorrindo. Fomos para a praça de alimentação e comemos no Subway. Foi engraçado ver ele se sujar de molho e foi estranho quando eu me sujei de molho e ele passou seus dois dedos em meus lábios para limpar. Esse idiota ainda vai me fazer morrer de tanta confusão. Terminamos de comer e voltamos para a casa umas cinco horas da tarde.

Quando deram oito horas da noite, eu já estava ficando com fome de novo.

-Dino... -Chamei-o manhosamente.

-O que foi, Key?

-Estou com fome.

-Quer comer o quê?

-Não sei, pode escolher.

-Posso pedir comida chinesa?

-Sim, sim. Adoro comida chinesa! -Disse novamente com meu eye smile. Ele fez o pedido por telefone e esperamos por volta de vinte minutos. Eu, estando praticamente morrendo de fome, fui de imediato atender a porta quando a campainha tocou. Abri a porta e dei de cara com um entregador, que mais parecia algum deus grego. Ele era tão lindo, porte atlético e em seus braços, haviam veias saltadas. Eu amava aquilo. Eu tinha pegado mais dinheiro do que precisava, então acabei por ter de contá-lo. Reparei que o deus grego metamorfoseado de entregador, não parava de olhar para minhas pernas. Só então que percebi: eu já havia colocado minha blusa longa e meus shorts curtos, que eu tanto amara. Fiquei sem reação. Ele estava claramente secando minhas coxas. Foi aí que JongHyun apareceu:

-Amor, por que está demorando tanto? -Perguntou, entrelaçando suas mãos por minha cintura.

Fiquei estático. Apenas dei o dinheiro ao entregador, que olhou estranho para Jong e foi embora, pelo que me parece, a contragosto.

-Aquele cara estava te comendo com os olhos, Kibum! -Disse, franzindo o cenho.

-Mas ele é muito gato. Isso eu realmente não posso deixar passar despercebido.

JongHyun me olhou incrédulo, enquanto pegava sua comida e sentava no sofá. Me sentei ao seu lado e coloquei no canal infantil, na TV. No mesmo instante, o menor se levantou e sentou-se no sofá da frente. Pegou um jornal qualquer e foi "ler". Eu digo ler, porque...

-JongHyun.

-O que foi? Estou lendo.

-Está acontecendo algo?

-Sim, estou tentando ler. Agora vá ver seus desenhos.

-Mas está tentando ler o jornal de cabeça para baixo?

Ele virou o jornal rapidamente e fingiu tentar ler alguma coisa. Eu, que estava com uma expressão de curiosidade, agora tinha entendido tudo: crise de ciúmes. Mas por que ciúmes?

-Dino, para de ciúmes. -Disse, indo até ele

-Quem está com ciúmes aqui?

Arqueou uma sobrancelha. -Você. - Respondi. Sentei em seu colo, afastando a comida e o jornal dali.

-O-o que está fazendo?

-Aquele entregador é um gato. Mas você consegue superar, mesmo sem ficar me secando. -Dei uma risada fraca, por conta do que eu disso por último. Ficamos nos encarando por algum tempo, até começarmos a encarar os lábios um do outro. E meu desejo de ter aqueles lábios nos meus, só crescia.

-Eu realmente não me importo com o que você veste. Não me importo com seus shorts curtos. Mas só eu devo te ver assim, Key. Isso é injusto.

Ataquei seus lábios imediatamente, me segurando em sua nuca. Confesso que eu não estava aguentando mais. Eu estava tão confuso, mas tão louco por JongHyun, que não queria nem saber o que aconteceria depois desse beijo. Eu só queria fazê-lo.

O mais velho correspondeu meu beijo, me deitando no sofá e, subitamente, ficando em cima de mim. Paramos o beijo quando o ar se fez necessário e então ficamos nos olhando.

-Se eu te contar que estou com uma vontade de te beijar a noite inteira, será que você acredita? Porque nem eu estou acreditando.

JongHyun disse, me deixando sem reação. Primeiro eu beijo ele e depois ele me diz isso? Porra, eu não estou entendendo mais nada!

Ele pegou em minha cintura e a apertou, enquanto dávamos mais beijos. Depois passou a beijar meu pescoço, deixando lambidas em  minha mandíbula e me fazendo suspirar de um jeito mais pesado. Alternando entre beijos e mordidas, eu estava começando a me sentir quente com tudo aquilo. JongHyun me pega pela cintura e se senta no sofá branco de couro, me fazendo ficar em seu colo. Tirei sua blusa e ele fez o mesmo comigo. Eu sempre fui muito retraído, nunca fui ousado. Bem... Nunca fui ousado até agora.

Comecei a rebolar devagar em seu colo, o fazendo arfar. Entrelacei meus dedos por trás de sua nuca e lambi o lóbulo de sua orelha, mordendo-a levemente depois. Acho que JongHyun tem algum fascínio pela minha cintura, pois não deixa de apertá-la em nenhum minuto. Continuei a rebolar em seu colo, mas agora aumentei a velocidade, tirando um gemido pouco contido do mais velho. Peguei seu membro, o apertando de leve.

-K-Key, porra! -Disse, tentando conter os suspiros. Dei um sorrisinho de lado e em questão de segundos, o mais velho já havia retirado suas calças e as minhas, nos fazendo ficar apenas de roupas íntimas. Entrelaçamos nossas línguas em um beijo bem intenso e bastante quente. Nós dois queríamos aquilo, eu sentia. Olhei dentro de seus olhos e senti aquele calor gostoso de imediato. JongHyun segurou em minhas nádegas, as apertando com força, o que me fez soltar um gemido nem tão discreto assim. Semicerrei meus olhos por um momento, tendo uma visão não muito nítida de JongHyun, que lambia os lábios e me olhava. Meus lábios já estavam vermelhos e meio inchados, quando o mais velho se levantou do sofá e retirou a única peça de roupa que restava em seu corpo, revelando seu membro completamente ereto e grande. Só de pensar naquilo dentro de mim, eu já imagino como farei para sentar em algum lugar amanhã.

O menor fez com que eu me ajoelhasse e eu já havia entendido o recado. Ajoelhei-me e comecei a masturbá-lo devagar. Estava estampado na cara dele a impaciência. Passei minha língua pela glande de seu membro, enquanto aumentava meus movimentos de "vai e vem" sobre o local. Logo parei com tais movimentos e abocanhei sua maior parte, fazendo-o arfar. Voltei com os movimentos de "vai e vem", agora com a boca. Com o passar do tempo, Jong segurou em meus cabelos com força, ditando os movimentos, que cada vez mais, se aceleravam. Vi ele jogar sua cabeça para trás e morder seu lábio inferior e então ele gozou na minha boca. Eu amei sentir o gosto agridoce dele, mas agora eu quero mais.

-Dino... -O chamei, com uma voz manhosa e arrastada. -Eu quero mais. -Pedi com um sorriso malicioso.

-Então me peça direito. -Disse com um sorriso safado.

-Quero você me fodendo a noite inteira, JongHyun.

-Agora estamos falando a mesma língua.

Em um movimento rápido, JongHyun me virou de costas para ele e me mandou ficar de quatro. Imediatamente, eu obedeci. E em instantes, sentia sua língua em minha entrada. Contorci-me de prazer e já não estava conseguindo -e nem querendo- segurar meus gemidos.

-Amei seus gemidos. Eu quero ouvir mais. -Disse dando uma risada safada. Pegou um de seus dedos e introduziu no local, me tirando um gemido sôfrego. Esperou com que eu me acostumasse e introduziu um segundo dígito, fazendo movimentos de tesoura. Mordi meu lábio inferior, a fim de não demonstrar minha dor, mas não consegui segurar meu "Ai!" e isso preocupou um pouco o mais velho, mas depois eu disse que estava tudo bem.

-J-JongHyun... Eu estou... Pronto. -Eu disse, entre meus próprios gemidos. Jong assentiu e me fez virar para ele. Segurou forte em minha cintura e foi penetrando seu membro dentro de mim. Algo como: "Caramba, vo-você é muito apertado, K-Key!" foi pronunciado, mas eu não estava pensando direito naquela hora, por não conseguir conter meus gemidos de dor. Então, involuntariamente, dei um grito fino e lágrimas vieram de meus olhos a escorrer pela minha face. O menor enxugou-as com o polegar, me perguntando novamente se eu estava bem e eu assenti, dizendo que eu iria me acostumar. E me acostumei. Tanto que, pouco tempo depois, já comecei a rebolar contra seu membro. E assim, aumentou-se a velocidade dos movimentos e das estocadas, a medida que o mais velho introduzia ainda mais sem membro naquele local -de acordo com ele, úmido e apertado-, seguindo de gritos e gemidos de várias tentativas falhas de sufocá-los. Até que Jong acertou minha próstata, me fazendo jogar minha cabeça para trás e gritar de prazer. Assim, nós dois chegamos ao ápice e gozamos juntos. Deitei cruzado naquele sofá de couro e ele se jogou praticamente em meu lado. Ambos arfávamos como dois desesperados. Selamos nossos lábios e, por último, fomos tomar um banho juntos. Ficamos em silêncio o resto da noite. Adentrei meu quarto e me deitei na cama, enquanto processava tudo que eu acabara de fazer com o outro Kim. "Eu não sei o que pensar agora!" Sussurrei para mim mesmo. Fui dormir quatro horas da manhã, apenas pensando naquele acontecimento. Kim JongHyun, você está começando a ferrar meu psicológico.


Notas Finais


Enton... Foi isso.

Eu queria deixar o lemon para o próximo capítulo, mas achei melhor escrever ele agora e "justificar" ele no próximo capítulo e.e


Espero que tenham gostado sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...